Thirteen

Nova aquisição!

BLOGOSFERA | Há espaço para todos!

Há cerca de duas semanas perguntei no meu Instagram Stories se a Era dos blogues estava a terminar. A questão dividiu os meus seguidores mas confesso que fiquei surpreendida com o número de pessoas que me responderam que sim, que os blogues estavam a morrer e que deixaram de os acompanhar porque sentiam que liam sempre "mais do mesmo". Perante isto - e tendo em conta que  me devolveram a pergunta - não podia deixar de partilhar a minha opinião sobre o tema que tem dado tanto pano para mangas pela Blogosfera fora (achavam mesmo que ia ficar longe deste debate? Inocentes!).

Com sinceridade, não acredito que os blogues estejam a morrer. Acredito, sim, que se estão a reinventar e a passar por uma fase de adaptação que nem toda a gente vê ou aceita da melhor forma. Os blogues apresentam-se agora de uma forma mais profissional (mesmo para quem não faz disto profissão) e quem os escreve (ainda que seja por gosto, como eu também também escrevo) preocupa-se mais com o tipo de conteúdos que partilha, tentando acompanhar a exigência desta nova geração de leitores. Se há dez anos (já?!) os blogues viviam de desabafos profundos e pseudónimos, agora vivem de conteúdo mais informativo, mais próximo do leitor e, especialmente, mais útil.

Diferentes redes sociais e diferentes plataformas cativam e fidelizam diferentes públicos e se há quem passe horas a ver vídeos no Youtube sobre os temas que mais lhe dizem ou a fazer scroll no Instagram para conhecer as novidades do mundo da moda e da cosmética, também há quem prefira ler blogues. Não é por acaso que os meios de comunicação (mais) tradicionais deixaram de ser imparciais para assumirem uma postura de recomendação e de terem rostos associados às experiências.

Não acredito que os blogues estejam a morrer. Acredito, sim, que estão a sofrer alterações profundas e que só aqueles que são verdadeiramente dedicados (por gosto, profissão ou qualquer outra razão) continuarão a alimentar este tipo de plataformas. Com mais ou menos visitas, com mais ou menos seguidores e comentários, eu por aqui ficarei - e espero que vocês também!

THIRTEEN STUDIO | Estamos na mariachica!

É com orgulho que vos digo que somos a primeira marca a vender t-shirts na mariachica! A partir desta semana, já podem passar pela Rua de Santa Margarida (em Braga) para experimentarem, comprarem e/ou encomendarem as peças do Thirteen Studio.

Não é por acaso que esta é uma das minhas lojas favoritas em Braga e o facto de encontrar lá tantas marcas portuguesas pensadas por esta nova geração de empreendedores faz com que tenha sempre vontade de regressar - nem sempre para comprar, é certo, mas para explorar, para estar a par das novidades e conhecer o que de melhor se faz em Portugal.

Ver as nossas etiquetas com curiosidades ao lado de marcas que admiro, numa loja que adoro, deixa-me orgulhosa - e acredito que devemos mesmo estar orgulhosas desta nova aventura! Se as pessoas têm gostado verdadeiramente dos nossos produtos, então faz todo o sentido apresentá-los através de diferentes canais desde que nos identifiquemos com o conceito de todos - a mariachica não podia deixar de ser a primeira loja física a receber as nossas peças (mesmo a tempo das férias!).

O APARTAMENTO | Ainda não é desta.

Levar as nossas roupas, livros, discos de vinil e fotografias durante a semana, passar no supermercado para comprar aquilo que não conseguimos mesmo viver sem e mudarmo-nos com calma nos dias de folga, com tudo limpo e (mais ou menos) arrumado era o plano que tínhamos preparado. Mesmo sem cómodas ou tapetes, pareceu-nos perfeito - especialmente porque a casa-de-banho está terminada e já temos os elementos-chave de qualquer apartamento. 

No entanto, enquanto estava a ser instalado o novo exaustor, deparámo-nos com uma obra mal feita na cozinha e buracos tapados por um pseudo-armário sem jeito nenhum e que tinha ficado definido que iria desaparecer. O resultado? Mais pedidos de orçamentos, mais um investimento que não estava previsto. A cozinha vai ficar completamente nova e atual - e isso é óptimo - mas não contávamos com mais uma despesa e/ou mais umas semanas de espera.

Bem sei que me refiro a um problema de primeiro mundo mas com toda a saga dos bancos - que demoraram seis meses para me conceder um empréstimo -, da escritura, das obras e das compras, a verdade é que já ando nisto há 15 meses. É sufocante, frustrante e muito, muito desmotivador. Tendo em conta que comprei o apartamento em Outubro... Não está mais do que na hora do universo colaborar um bocadinho e deixar-me usufruir do espaço que me esforcei tanto para ter?


Para acompanharem a evolução, basta seguirem-me no Instagram (@carolinanelas).

O APARTAMENTO | Descodificar o Crédito à Habitação

O processo relacionado com o Crédito Habitação é uma dor de cabeça. Ninguém nos ensina a comprar uma casa, a fazer comparações de taxas, a colocar em cima da mesa as diferentes hipóteses e a escolher aquela que se adequa melhor à nossa vida. Ironia das ironias, na fase em que procuramos a nossa independência, ficamos dependentes de decisões alheias e apenas podemos desejar que nos seja concedido um empréstimo em condições sustentáveis.

Existem três tipos de empréstimos dentro desta área e as diferenças entre uns e outros estão relacionadas com as taxas de juro acordadas: 1) empréstimos com taxa de juro variável (indexada à euribor), 2) empréstimos com taxa de juro mista (taxa fixa no período inicial e depois indexado à euribor) e 3) empréstimos com taxa de juro fixa (taxa de juro fixa durante todo o prazo do empréstimo). Na verdade, a taxa de juro é uma das componentes mais importantes do Crédito Habitação (até porque pode ser negociada entre o cliente e a Instituição Financeira) e é também aquela que reflete o custo do empréstimo.

Um Crédito Habitação é um passo muito importante que levanta muitos receios, dúvidas e questões. O truque para fazer a melhor escolha? Conhecer os termos de trás para a frente, assim como os custos do processo e os prazos a cumprir. Para ajudar com as explicações, aqui fica um infográfico que ajuda a descodificar os principais termos do Crédito Habitação:

Publicação escrita em parceria com a UCI.