Thirteen

SAÚDE | Ansiedade e Intimidade

Se a relação que temos com os outros e se a forma como os fazemos sentir depende (muito!) da maneira como nós próprios nos sentimos, então será óbvio que um momento de ansiedade afete também o tipo de relação que conseguimos ter - ou não - com os outros. Seria errado assumir o contrário.

Nunca fui apologista de andar agarrada a outra pessoa todo o dia. Detesto ser culturalmente obrigada a cumprimentar toda a gente com dois beijinhos. Não toco nos braços ou nas mãos das outras pessoas quando converso com elas. Não abraço alguém só porque sim e sinto alguma revolta quando uma mãe ou um pai obriga o filho a cumprimentar-me com um beijinho no rosto. O toque não é algo natural para mim - como sei que não é para muita gente - e, nos dias em que estou mais ansiosa (ou nos períodos mais prolongados de ansiedade), isso acaba por ser verdadeiramente sufocante.

Sinto que este é (mais) um tema pouco explorado quando se conversa - ou escreve - sobre doenças de foro psicológico. Não é fácil para quem está de fora compreender que não estamos a ser antipáticos, que não somos bichinhos do mato, que não somos anti-sociais. Ninguém pára para pensar que precisamos do nosso espaço - talvez mais do que outras pessoas - ou que existem alturas em que um simples toque nos irrita profundamente. 

Devemos sair da nossa bolha e da nossa zona de conforto para aprender e crescer mas, quando lidamos com o monstro da ansiedade, essa transição acaba por ser mais delicada e nem sempre - porque é mesmo assim - somos capazes de dar a volta à situação, de estar confortáveis num ambiente que nada tem de maligno, de ser o que outra pessoa precisa que sejamos naquele momento. É duro? É. Sentimo-nos culpados por viver com uma doença que nos afeta mais do que gostaríamos, por sentirmos que não estamos a corresponder, por nos sentirmos um fardo na vida de quem quer o melhor para nós. O mundo precisa de falar disto, de encontrar o equilíbrio, de perceber que há dias em que não somos capazes mas que há outros em que somos duplamente fortes e o pilar de quem precisa de nós. Será impossível estar permanentemente em sintonia - o truque estará em respeitar o tempo de cada um.

PET TALK | Petbliss

A Petbliss é uma loja de animais com um conceito diferenciado e um conjunto de serviços complementares baseados no bem-estar dos animais. Do treino de obediência aos banhos e tosquias, dos acessórios e brinquedos às rações, tudo promete fazer a diferença na vida e na saúde dos nossos patudos (essencialmente cães e gatos mas também com uma secção dedicada a roedores).

Para além de sermos convidados a levar os nossos amigos de quatro patas para experimentarem todos os acessórios antes de efetuarmos as compras (eu, que detesto trocas, acho isto espetacular!), a Petbliss disponibiliza ainda vários serviços: Banhos e Tosquias, Treinos de Obediência, Catsitting, Hotel Canino, Hospedagem Familiar, Dog Daycare, Educação Canina e muitos outros. A Maria e a Juanita tomam banho na Petbliss e, quando vamos de férias, ficam ao cuidado da equipa que as mima de uma forma excepcional.

A Petbliss acredita no ensino positivo e, para além de recorrer aos reforços positivos em todas as atividades, as técnicas de treino respeitam o bem-estar, a integridade e a saúde dos nossos melhores amigos. Todos os serviços são force-free e os banhos são gratuitos para cachorros até aos cinco meses. Numa cidade onde as lojas de animais vendem, efetivamente, animais (e isso é tão triste!), a Petbliss assume-se como um espaço que se preocupa verdadeiramente com os patudos, que apoia diferentes associações e que é transparente com os seus clientes.

Neste momento, a Petbliss está ainda a oferecer um vale de 5€ para gastar em produtos (na loja física ou em encomendas) a quem gastar dois minutos do seu dia a preencher este inquérito muito simples. 

O APARTAMENTO | Royal Maid

Se antigamente era a filha da vizinha ou a prima da amiga que ia fazendo limpezas nas casas de pessoas mais ou menos conhecidas, agora já não é bem assim e encontrar uma pessoa de confiança não é tão simples. Escolher uma empresa para tratar da minha casa - sabendo que existe uma segurança por detrás de cada limpeza - pareceu-me óbvio assim que decidi que não queria aproveitar o meu fim-de-semana entre baldes e vassouras. Durante meses, as duas senhoras da Royal Maid fizeram parte da minha vida - facilitavam-me imenso as rotinas e deixavam-me livre para aquilo que realmente interessa.

No novo apartamento, a Royal Maid voltou a ser a minha escolha. Porque 1) os preços são extremamente simpáticos, 2) as funcionárias são de confiança (a dupla que limpava o meu apartamento anterior era muito séria e respeitava os meus hábitos e forma de organização - tanto que pedi para serem as mesmas, nesta nova etapa), 3) não preciso de me preocupar com aspiradores ou detergentes (elas levam tudo, só precisam mesmo de água e luz) e 4) a casa fica sempre cheirosa e limpa até ao mais ínfimo detalhe - sem vestígios de pó até nos sítios que às vezes passam despercebidos. Como não adorar? 

Assim que as obras terminarem, a Royal Maid voltará a entrar em ação no T1 para fazer uma limpeza profissional e bem profunda em todos os centímetros daquele apartamento. Depois disso, voltaremos às limpezas de rotina que me libertam do suplício de gastar o meu único dia de folga a lutar contra aspiradores, panos do pó ou detergentes.

VIANA DO CASTELO, PORTUGAL | À Moda Antiga - Retro Market & Bistro

Um espaço com um conceito especial, onde os jogos de tabuleiro convivem com as fatias de bolo de chocolate e os hambúrgueres dividem o terreno com as peças de decoração que nos fazem querer perder o amor ao dinheiro por momentos. "À Moda Antiga" fica em frente à marginal e reúne várias marcas, temas e estilos num local convidativo e rústico. Foi nesta concept store que comprei o "Tensão" e muitas coisas ficaram debaixo de olho.

O jantar foi calmo - dois hambúrgueres, um refresco de limão, uma coca-cola e, no final, uma fatia de bolo de brigadeiro para dividir - mas o encanto pelo espaço venceu a refeição (até porque muitos dos pratos apresentados na ementa não estavam disponíveis). O ambiente conquistou-me e imagino-me a regressar para tomar um chá - acompanhado por uma fatia de bolo caseiro (esse sim, era delicioso!) - ou para comprar algumas coisinhas.

Neste Retro Market & Bistro vive-se à moda antiga com o equilíbrio da modernidade sempre a espreitar. Quantas vezes estamos rodeados por máquinas de escrever, tabletes de chocolate, bicicletas coloridas, andorinhas e sardinhas de cerâmica, cartazes vintage e (a minha perdição) frigoríficos SMEG? O cuidado com os embrulhos quando dizemos que é um presente - em papel pardo, o meu favorito - é o toque final perfeito que, combinado com o aconselhamento e a preocupação demonstrada, fazem do "À Moda Antiga" um espaço vencedor.


Fotografia: À Moda Antiga

AMOR | Parabéns! (x4)

Há pouco mais de quatro anos, ele ofereceu-me um barquinho de papel que ainda hoje levo comigo para todo o lado, na carteira. Estamos juntos desde aí. Confesso que tenho sempre que fazer contas para chegar à conclusão de que sim, já estamos juntos há quatro anos, mas há qualquer coisa que me tranquiliza na ideia de o ter comigo há tanto tempo sem sequer dar por isso. Amor é isto, certo? Estar bem e não querer mudar. Não dar pelo tempo passar. Querer sempre mais um bocadinho. Sentir sempre mais. 

No último ano aconteceu - aconteceu-me, aconteceu-lhe, aconteceu-nos - muita coisa. E cá continuamos. Sempre juntos, a superar as adversidades. Sem virar as costas. Como o porto seguro um do outro. A dar aquele abraço quando o coração acelera.

Hoje, sinto-me imensamente grata por ter ao meu lado uma pessoa excepcional. Que me irrita profundamente e que me dá beijinhos e abraços para compensar a parvoíce. Que tem sempre objetivos e que não desiste até os atingir. Que acredita em mim. Que me diz que sou capaz. Que me apoia nas minhas decisões. Que me diz que sou louca por estar envolvida em mil e um projetos. Que tem medo. Que é sincero. Que não me julga pela minha ansiedade, pela minha medicação, pelo meu peso. Tenho ao meu lado alguém absolutamente incrível. Que é o meu companheiro de viagem e de aventuras. Que sabe que eu preciso de tempo para mim e que não precisamos de andar sempre colados um ao outro. Que descobre os lugares mais incríveis. Que me mostra os filmes clássicos que eu nunca vi. Que fotografa como ninguém. Que é verdadeiro. Que prepara as melhores surpresas. Que me surpreende tantas e tantas vezes.

Hoje começamos um novo capítulo da nossa vida com a certeza de que mais momentos especiais estão para vir. E eu, que não sou supersticiosa, penso sempre duas vezes antes de exteriorizar este pensamento, pelo receio de ver o tapete - que ainda não comprámos - a fugir-me dos pés. Mas se o amor é isto - e eu sei bem que o é - então que tudo continue assim: de mãos dadas e olhares cúmplices.