O APARTAMENTO | A Pesquisa

Passei as últimas duas semanas numa ansiedade tremenda, entre anúncios de apartamentos e comparações de preços. Tinha - e tenho - critérios muito exigentes e, analisando cerca de 50 anúncios por dia, há alturas em que penso que nunca vou encontrar o apartamento ideal para mim. Mas sei que ele está aqui pertinho e, portanto, recuso-me a desistir. Hoje partilho convosco aquilo que privilegio na minha pesquisa e os filtros que utilizo sempre que entro numa plataforma de anúncios.

Localização | Em Braga existem algumas zonas que não recomendo para habitação - ou por causa do barulho ou pela falta de segurança, ou por ficarem longe de tudo o que os jovens procuram - mas a maior parte dos apartamentos disponíveis encontram-se precisamente nessa zonas. Para evitar pesquisas sem fim, defini três áreas onde gostaria de viver e limitei as minhas pesquisas.

Não descartei as agências imobiliárias | Neste aspeto, a minha pesquisa tem sido bastante alargada. Não me limito às agências imobiliárias mas também não as descarto - são as que têm os anúncios mais atualizados. CustoJusto, OLX, Remax, Kw, Era, Imovirtual, Trovit, (...) - eu visito tudo.

Preço | Durante uma pesquisa esqueci-me de colocar o filtro do preço e rapidamente me arrependi: encontrei o apartamento perfeito no centro da cidade e, quando olhei para o preço, percebi que não poderia sequer entrar para a minha lista de "locais a analisar" - estava fora de questão. O filtro do preço é, por isso, muito importante para mim: não quero correr o risco de me apaixonar por um imóvel onde não poderei viver.

Tipo de imóvel | Não quero viver num apartamento muito grande mas também não procuro um T0 e, por essa razão, limito as minhas pesquisas aos apartamentos T1 e T2. As páginas de resultados reduzem instantaneamente e eu vejo, de forma mais objetiva, aquilo que está disponível.

Estado do imóvel | Os preços mais reduzidos nem sempre têm de significar imóveis mal tratados. E a maior parte das plataformas de pesquisa ou websites de imobiliárias permitem-nos aplicar mais um filtro: o do estado. Pessoalmente, selecionei sempre três opções: novo, renovado ou recuperado. Uma vez que não tenho grande orçamento para obras, é imperativo que o apartamento esteja em bom estado.

Acabamentos | Os apartamentos antigos têm, na sua maioria, acabamentos terríveis: pavimento em taco, azulejos terríveis na cozinha e na casa-de-banho, sanitas e banheiras coloridas... É algo que estou a tentar evitar (também por uma questão de orçamento).


Coisas boas desta vida: ir ao cinema e receber bilhetes grátis para mais um filme.

CINEMA | Beauty and The Beast [2017]

"A Bela e o Monstro" é um dos meus filmes de animação favoritos e apesar do medo de sair da sala de cinema desiludida, a verdade é que não podia deixar de ver esta nova versão no grande ecrã. Esta não é uma versão 100% fiel ao clássico - não esperava que o fosse, admito - mas está muito bem conseguida e surpreendeu-me pela positiva: não é fácil transformar um filme de animação conhecido por diferentes gerações e famílias um pouco por todo o mundo mas a versão de 2017 ganhou um espaço no meu coração.

Não consigo lembrar-me de uma atriz mais indicada para representar Bela - a Emma Watson livrou-se finalmente da roupa de Hermione e conseguiu levar-nos numa viagem fantástica onde a personagem principal não é uma verdadeira princesa mas sim uma mulher forte e destemida, que luta por aquilo que a faz sonhar, que é culta e apaixonada e que não se deixa depender de um homem. 

Não achei que o Monstro fosse verdadeiramente um Monstro - esperava-o mais assustador, confesso, sobretudo nas cenas iniciais - e esperava um Príncipe bonito no final mas, aparências à parte (ou não fosse essa a mensagem principal de "A Bela e o Monstro") a personagem está bem construída e os  dilemas interiores e diálogos são fiéis à versão original.

Diferenças relativamente à versão animada: as ovelhinhas que cumprimentam Bela na fonte da vila não existem (nem mesmo a mais pequenina!), a mãe de Bela faz parte da história (e a sua morte é explicada), o Monstro tem direito a um passado bem contado e há novas músicas criadas especialmente para esta versão.

Pontos que devem ser valorizados: a voz incrível de Emma Watson, o Gaston (toda a personagem estava bem construída e muito fiel ao original - arrogante, convencido e desesperado - mas muito mais cruel, ao ponto de nos revoltar) e o fiel (e cómico) LeFou, o guarda-roupa pensado ao pormenor, os objetos enfeitiçados, as músicas e novas cenas que foram acrescentadas ao filme e, claro, o elenco fabuloso que dá vida a cada personagem.

Ontem à noite, regressei à minha infância assim que as luzes se apagaram e fiquei com um sorriso parvo no rosto até chegar a casa - é por isso que ainda vou ao cinema. "A Bela e o Monstro" é, e sempre será, "A Bela e o Monstro" e ver uma versão tão boa deste filme depois de tantas desilusões e versões manhosas é uma verdadeira lufada de ar fresco. 

MADRID, ESPANHA | Caixa Fórum

Conhecia o Caixa Fórum pelo seu fabuloso jardim vertical mas foi graças à Inês que soube que o próprio museu estaria no nosso roteiro. E apesar deste ser um museu pequenino - o mais pequeno que visitei em Madrid - o seu tamanho não o condiciona. Pelo contrário. 

Este é um espaço muito contemporâneo e, para além do jardim vertical que nos recebe, o Caixa Fórum é um centro cultural que reúne exposições temporárias criativas, modernas e divertidas. No mês passado pudemos ver uma exposição de fotografia sobre a Índia - absolutamente eletrizante e apaixonante! -, uma exposição sobre o bigode de Dalí, outra sobre a Life Magazine e ainda uma última com retratos e fotografias mais aleatórias. Na sala dedicada aos mais novos, miúdos e graúdos tiravam fotografias para representar frases (associando as expressões faciais a cada uma delas).

O Caixa Fórum foi um dos meus espaços favoritos em Madrid e o bilhete - que custa 4€ - valeu cada cêntimo. Apesar de o ter visitado com relativa rapidez, fiquei encantada com TODAS as salas e exposições que tive a oportunidade de ver.


Leiam a opinião da Ângela sobre o Caixa Fórum AQUI.

DECORAÇÃO | Home Inspiration

Iniciei há um par de dias a procura pelo apartamento perfeito para mim: pequenino, acolhedor, numa zona simpática da cidade. E foi este fim de semana que voltei a dar uso ao Pinterest - criei uma nova conta (podem seguir-me aqui), criei um álbum relacionado com decoração de interiores - a ver se me inspiro e ganho motivação para as complicações que se avizinham! - e comecei a clicar nas imagens que gritavam o meu nome. O resultado? Um board - onde o branco, o cinzento, o preto e o azul sobressaem imediatamente - que vos mostra aquilo que a minha casa de sonho inclui:

Móveis brancos | A minha perdição. É muito difícil ter apenas móveis brancos e fazer a divisão resultar como um todo mas eu acredito que, quando a decoração é bem pensada, os móveis brancos de linhas direitas - os meus favoritos! - trazem jovialidade e luz ao espaço que os acolhe.

Fotografias, ilustrações e posters | Confesso que não sou fã dos quadros tradicionais mas odeio ver paredes completamente despidas. Numa decoração simples e minimalista, em tons neutros, nada demonstra melhor a personalidade de quem ali vive - as frases que escolhemos dizem muito sobre nós, as fotografias que selecionamos relembram-nos momentos felizes e pessoas bonitas, as ilustrações conferem alguma inocência e originalidade à nossa casa.

Flores | É dispendioso - e eu sou péssima a cuidar delas - mas adoro ver flores e pequenas plantas espalhadas pela casa porque dão vida - e cor - ao espaço de uma forma pura e natural.

Tapetes com padrões | São um detalhe arriscado, é verdade, mas no meu apartamento de sonho - em tons neutros e elementos lisos - há detalhes mais arrojados (que podem ser trocados quando assim decidir).