VIDA ACADÉMICA | O Valor do Traje

Por tudo o que mudou, por tudo o que aprendi nos últimos meses e por tudo o que tenho experienciado nesta nova etapa da minha vida, tenho a certeza que não irei "trajar por trajar". Sei que mereço representar aquilo que defendo contrariando os estatutos e a estupidez de quem se acha superior sem o ser. Se há um ano atrás eu dizia que nunca ia vestir aquela saia travada ou calçar aqueles sapatos de velhota, agora sei que o vou fazer com todo o orgulho do universo. Sinceramente, quero ter a oportunidade de ensinar a alguém os verdadeiros valores da Academia, da Praxe (mesmo que os transmita fora dela) e do Traje. Quero fazer parte do grupo dos que simbolizam a uniformidade e quero mostrar ao mundo que o poder não se baseia na roupa mas sim no conjunto de ideais que a envolvem.

Afirmo também, sem hesitar, que o Traje Académico Nacional faz sentido para mim. Tenho plena noção que defendo os valores correctos e sei que os terei bem presentes sempre que abotoar os botões da camisa branca antes de pedir ao meu pai que me faça o nó na gravata que levarei ao pescoço. Sei que verei sempre aquele coordenado como "O" Traje e não como "um" traje qualquer. Sei que, aos meus olhos, será sempre um todo e é com alegria que digo que, neste momento, faz todo o sentido para mim ter a oportunidade de trajar ao lado das minhas pessoas.

E como estamos na altura das aquisições académicas, o meu conselho é só um: se não se identificaram com aquilo que acabaram de ler, não o comprem. Não sejam "atrajados mentais" (a melhor expressão que a Helena usa!) que vestem o fatinho preto sem lhe atribuirem o sentido incrível e especial que ele merece. O traje não serve para nos dar poder nem estatuto e é, também, uma responsabilidade. Lembrem-se disso.

Choices, choices, choices | via Tumblr

6 comentários:

  1. Concordo com todas as tuas palavras. O que mais adoro no meu traje é a minha capa. Ela não é apenas uma capa preta, ela tem uma história por detrás de cada emblema e de cada rasgão e espero que a tua também venha a ter uma :)

    ResponderEliminar
  2. atrajados mentais! jamais vais ser assim, capinha negra :D

    ResponderEliminar
  3. Concordo completamente :) Em Évora só podemos trajar no nosso segundo dia 1 de Novembro (ou seja, já no segundo ano) e só podemos praxar no ano a seguir (3º ano).

    ResponderEliminar
  4. O batismo no meu curso é só a meio de abril, ainda vou esperar mais algumas semanas antes de encomendar o meu :)

    ResponderEliminar
  5. É assim mesmo, Carol! :D
    Eu vou trajar com todo o orgulho *-*

    ResponderEliminar
  6. Eu tenho traje e raramente o visto mas, quando o visto tenho e sinto orgulho.

    ResponderEliminar