Thirteen

AMOR | Expressões Há Muitas

Vocês que lêem as minhas dissertações sobre os mais diversos temas podem sempre contrariar-me de forma convicta porque opiniões são opiniões e vocês só conhecem aquilo que eu partilho mas a verdade é só uma: eu sou terrível com as palavras e é frustrante. Não o sou quando as escrevo nem vou ser hipócrita ao ponto de dizer que não tenho orgulho nas minhas divagações mais genuínas mas não há volta a dar: eu sou terrível quando, a meio duma discussão, digo coisas que não devia e que magoam as outras pessoas sem eu ter sequer intenção disso. Sou terrível quando me atrapalho com as palavras e quando misturo temáticas. Sou terrível quando expludo, quando tenho vontade de virar costas e quando faço referência a assuntos passados porque acumulei mil e uma mariquices durante um mês. Sou um desastre incontrariável e isso ninguém pode negar. 

Mas mesmo que eu não seja a pessoa que deixa um rasto de mel por onde passa, sou a pessoa que dá o abraço mais sincero porque não há nada que diga "gosto de ti" como um abraço apertado. Mesmo que eu seja a pessoa mais idiota do universo e mesmo que não seja capaz de transformar as palavras que saem da minha garganta em declarações incríveis ou as minhas ideias mirabulantes em acções geniais, quando gosto, gosto a sério e nem sequer consigo disfarçar. Eu sei que vou ser sempre a pessoa mais adaptável que dá tudo pelas pessoas que adora mesmo que seja também a pessoa que resmunga por nada. Está-me no sangue. É inevitável. 

Contudo, por muitas voltas que o mundo dê todos os dias, eu sei que sou, neste momento, a pessoa que apoia de forma incondicional. Até posso ser também a pessoa que encosta a cabeça e que faz puppy eyes quando sabe que fez asneira apesar de não saber exactamente como deve pedir desculpa pela idiotice descontrolada e até posso nem ter uma capacidade incrível para me expressar em condições mas os meus olhos dizem tudo e é impossível controlar o seu brilho quando me compram algodão doce, quando me levam a ver o fogo-de-artifício ou as luzinhas da cidade ou quando me dizem coisas bonitas.

sextnoise:

following back tons!

5 comentários:

  1. E é o melhor do mundo quando nos compreendem a alma (mesmo que, às vezes, falte a pachorra) :D

    ResponderEliminar
  2. nem todos nos exprimimos da mesma forma, atitudes valem um milhão de vezes mais do que palavras !

    ResponderEliminar
  3. também tenho imensa dificuldade em dizer articular o meu discurso quando discuto! Parece que a tendência é sempre a de dizer aquilo que não devo e que mais magoa quando nem era aquilo que queria dizer!!

    ResponderEliminar
  4. O que eu me ri com este post, faço das tuas palavras uma descrição detalhada da minha pessoa.
    Sou igual, acho que mais valia tentar linguagem gestual ou enviar cartas porque muitas vezes de outra forma é quase impossível dizer as palavras certas. Digo o que me vem á cabeça e pronto, depois arrependo-me bastante.

    ResponderEliminar