Thirteen

VIDA ACADÉMICA | Se é para trajar, que seja em condições.

Esta é uma verdade que qualquer pessoa consegue confirmar: quando eu visto o meu Traje cumpro todas as regras que estão definidas no Código de Praxe da minha Faculdade e é fácil encontrar-me a resmungar por ter presenciado faltas de respeito à capa e à batina.

Não uso verniz nas unhas, não uso elásticos coloridos no cabelo nem uso maquilhagem na cara. Visto roupa interior branca ou nude e calço as meias semi-opacas que rasgam com facilidade mas que nunca têm buracos. Nos pés seguro os sapatos de velhota que nunca tiro - e que, felizmente, não me magoam - e aos ombros carrego a capa que me protege do frio e da chuva. No pescoço levo o nó académico que um veterano fez na minha gravata quando trajei pela primeira vez e no braço esquerdo equilibro a pasta que contém os meus objectos pessoais, a folha branca com as cinco palavras, a caneta azul ou preta e o Código de Praxe. Não vou a lado nenhum sem a minha capa negra e o resto das peças de roupa que envergo nunca tocam no chão.

Quando eu visto o meu Traje sinto orgulho e não fico incomodada com os olhares de quem não me compreende porque sei, no fundo do meu coração, que ninguém tem nada a apontar-me. Respeito aquelas peças de roupa com todos os centímetros do meu ser e espero, no futuro, incutir isso aos meus caloiros. Nada de unhas de gel, brincos, números pares, pins, máscaras de pestanas, relógios, pulseiras, óculos de sol, etiquetas ou palmilhas. Nada de mini-saias ou parvoíces. Se é para trajar, que seja de acordo com as regras do Código que nos rege e NUNCA "só porque sim". Se é para trajar, que seja com um propósito. Que seja por entendermos o seu simbolismo. Se é para trajar, que seja em condições.

Trajes, dos bonitos | Flickr – Compartilhamento de fotos!

11 comentários:

  1. Nota-se que tens muito orgulho na instituição que representas, e que o traje significa muito para ti. Espero um dia vir a trajar com os mesmos sentimentos :)

    ResponderEliminar
  2. Na minha universidade pode-se usar óculos de sol desde que sejam pretos..

    ResponderEliminar
  3. entendo-te perfeitamente e faço o mesmo! excepto a parte da pasta que ainda não comprei e a parte dos brincos, que como os meus furos fecham facilmente não deixo de usar brincos, até porque o meu código não proíbe. mas tenho o cuidado, claro, de usar uns pequenos e discretos.

    ResponderEliminar
  4. concordo muito contigo! se há coisa que me incutiram na praxe foi que o traje n é uma simples farda, é sim o simbolo e honra do nosso percurso académico. detesto ver quem desvalorize isso, detesto ver pessoas mal trajadas, que trajam só porque sim sem qualquer sentimento pela roupa que envergam!

    ResponderEliminar
  5. Haja alguém que me perceba e que saiba trajar! :) Sinto orgulho quando vejo que ainda existem estudantes que sabem trajar! :)

    ResponderEliminar
  6. NEM MAIS!

    Nunca me irei esquecer de no dia da queima das fitas ver pessoas com as pernas laranja, capa ao ombro sem nunca ter estado em praxe, maquilhagem, coisas e coisinhas só porque não entendem, essas mesmas pessoas que não fazem ideia de que existem um código e que praxe não é nadar no Meco.

    ResponderEliminar
  7. Cheguei aqui de pára-quedas ao blog, e comecei a ler, a ler, a ler e nunca mais parei.
    Até que me dei de caras com este post ( e com outros relacionados com a praxe), mas este em particular, e tal e qual como eu penso.
    Tenho um orgulho enorme na praxe da minha academia, da minha faculdade, do meu curso. Tenho um orgulho enorme e respeito ainda maior pelo meu traje. Mas acima de tudo a maior prova de respeito e amor que podemos dar em relação à praxe e ao traje é a arte de bem trajar!
    E são mesmo essas regras todinhas e mais algumas (na minha faculdade), sem excepções, sem "ah e tal, mas são brincos pequenos", "ah, mas é só um bocadinho de base", "ah mas o verniz é transparente", nada disso!
    Se é para trajar que seja BEM TRAJADA.
    Visitei algumas cidades académicas, e vi sítios e pessoas tão mal trajadas (no meu entender e segundo as regras que me foram ensinadas), que me meteram impressão. Como seria possível ter tanto desrespeito pelo traje e pela praxe?
    Gosto de pessoas como tu, que dão valor à tradição do traje.

    p.s: vou seguir o blog de perto.

    Beijinho! :)

    ResponderEliminar
  8. Também cumpri sempre tudo! :D

    http://nuagesdansmoncafe.blogs.sapo.pt

    ResponderEliminar