Thirteen
Fashion

O mundo divide-se entre as pessoas que dizem "três menos um quarto" e as que dizem "um quarto para as três".

TEMPO DE ANTENA | Estarei a Aproveitar Bem a Vida?

"Há alturas na vida que me pergunto se estou a aproveitar a vida como deve ser. Mas, antes disso, pergunto-me o que é aproveitar a vida como deve ser. Alguns defendem que deve ser passada com os nossos, viajar, conhecer novas pessoas, viver aventuras, ser feliz, fazer o que gostamos. Alguns até defendem que se trabalharmos também estamos a aproveitar a vida. E estamos mas depende do ponto de vista. 

Pergunto-me cada vez mais o que ando o que devo fazer com a minha vida. Pergunto- me cada vez mais como a devo aproveitar. Pergunto-me cada vez mais porque tenho consciência de que há imensas pessoas que rondam a minha idade que têm morrido. Ou porque tiveram cancro, ou porque estavam com uma depressão profunda, ou porque tiveram um acidente de carro ou mota. Enfim, são tantas as histórias que tenho ouvido e isso faz-me perguntar tudo sobre a vida. Quem me garante a mim que daqui a uns dias não descubro que tenho uma doença? Quem me garante a mim que daqui a uns dias não tenho um acidente? 

Às vezes só me dá vontade de largar tudo e fazer aquilo que mais quero: viajar. Há uns dias falei com a minha mãe sobre isso. Falei com ela sobre o meu desejo ou vontade de fazer um Gap Year. Aproveitar a vida de acordo com o meu ponto de vista. Mas depois, surgem as questões de “E vais viver do quê? Tens que juntar algum dinheiro primeiro.” Ou isso ou espero que me calhe o euromilhões, não é? 

Já a minha mãe diz com toda a razão que “esta vida é um engano”. Ela também tem sonhos e muitos deles são parecidos com os meus. Mas de que servem os sonhos se mesmo que ela se mate a trabalhar não consegue juntar dinheiro nem para ir passear a Lisboa? 

Admiro as pessoas que têm capacidade, tempo e disponibilidade de fazer muitas coisas que eu gostava que, um dia, poder fazer. Tenho-me mentalizado de, para conhecer o mundo como quero, tenho que trabalhar primeiro. Trabalhar muito. Mas isso não me assusta. Assusta-me é estar a trabalhar muito e a preparar uma grande viagem quando, de repente, me sinto mal e tenho de deixar a minha grande viagem para outra altura ou até nunca. 

Apesar de tudo, acordo todos os dias a acreditar que “hoje será melhor” e tento aproveitar a vida agora conforme posso. Coloco os cd’s no meu leitor de dvd’s, meto no volume 30 de 40 e ouço música. Ouço, canto e danço. Faço o meu próprio concerto. Faço exercício físico em casa e, às vezes, vou passear pelas redondezas para apanhar ar. Às vezes até como coisas que são ótimas mas fazem tão mal como um belo bife com batatas fritas, ovo estrelado, salsichas e arroz. Aos Domingos, costumo comer uma fatia de bolo comprada no café e como enquanto bebo o belo do meu chá. Aproveito cada momento em que posso estar com o meu namorado porque ninguém me garante que estaremos juntos para sempre. Viajo virtualmente. Quando dou conta, estou há horas em frente ao computador a conhecer destinos, ver hotéis e respetivos preços, e outras coisas que tais. 

Oh, faço tanta coisa durante um dia que, se pensar bem, estou a aproveitar a vida o melhor que consigo neste momento. Não podemos pedir algo se sabemos que estamos condicionados seja pelo que for. Mas isso muda, muda (quase) sempre. Mais tarde ou mais cedo isso muda. Mas, espero eu e esperam vocês porque vocês também têm os vossos sonhos e objetivos, que não seja tarde demais. É esse o maior medo. É que um dia seja tarde demais. 

O segredo é sonhar. O segredo é não pensar que um dia pode ser tarde demais. O segredo é planear com o que queremos fazer. O segredo é idealizar o nosso dia bem aproveitado. O segredo é acima de tudo, procurar ser feliz."


Cátia, Carpe Vita.
Hair

Estou exausta e desmotivada.

#PICMEPROJECT | Beat Cancer, Go Pink

Outubro é o Mês Internacional de Consciencialização para o Cancro da Mama e, no âmbito da iniciativa Beat Cancer, Go Pink lançada pela Patríca do TheJuicyGlambition, cor-de-rosa é a cor predominante nesta segunda edição do #PicMeProject

A ideia-base desta edição especial passa pela sensibilização da população e pela promoção das atitudes preventivas que, infelizmente, nem toda a gente tem. O mal não acontece só aos outros e portanto nunca é demais relembrar - não só as mulheres mas também os homens - que é necessário andarmos atentos a quaisquer alterações do nosso organismo. Há muitos casos de sucesso no âmbito das células cancerígenas mas é importante salientar que é essencial diagnosticar a doença o mais rapidamente possível.

Apesar da Matilde ter ficado de fora nesta edição (obrigada telemóvel!) e apesar do tempo ter sido escasso para me dedicar convenientemente ao #PicMeProject eu não podia - de todo - afastar-me da iniciativa #BeatCancerGoPink. Neste momento a minha força está com os lutadores que não baixam os braços e com aqueles que têm, inevitavelmente e (in)directamente, de lidar com a doença. A vontade, a determinação e o trabalho constante num corpo aparentemente frágil - e paradoxalmente forte -  de alguém que luta incansavelmente contra um elemento destruidor como o cancro são características que admiro com tudo o que tenho e que associo - ainda que de forma diferente - a uma bailarina trabalhadora. Os elementos presentes na imagem são, portanto, opções óbvias que fazem todo o sentido num tema tão delicado e importante. Não é a melhor fotografia de sempre mas não podia simplesmente ignorar esta campanha.


Cliquem em cima dos nomes para visualizarem as fotografias dos outros participantes:

CATARINA S. | LEONOR | INÊS | MARIA HELENA | SOFIA COSTA LIMA | BEATRIZ NASCO | ANA RITA | GÁBI | ADELISA M. | DIANA OLIVEIRA | CLÁUDIA S. REIS | STORMY | MARTA FARIA | JU. | UMA BLONDIE | MARGARIDA FREITAS | LILIANA TAVEIRA | RITA FREITAS | THE MARIA | MEL

Nunca mais é sexta-feira...!

FOTOGRAFIA | Barbearia Vasconcelos: A Centenária

Para um projecto de turma no âmbito da cadeira de Espanhol (falar-vos-ei disto em breve, se tudo correr bem), entrevistámos um senhor que trabalha há 42 anos numa Barbearia que está sempre cheia a qualquer hora do dia. Como responsável - dentro do meu grupo - pela parte de fotografia, o meu objectivo era captar a essência do estabelecimento, a boa disposição do Sr. Bigodes - como é carinhosamente apelidado - e a simpatia dos clientes - que não se importaram nada quando pedi autorização para registar o momento banal da mudança de penteado. 

Optei por fotografar maioritariamente a preto e branco de modo a captar a autenticidade e a história da Barbearia Vasconcelos e tentei, num espaço pequeno e apertado mas cheio de personalidade, fotografar os detalhes, os materiais, as pessoas e a mistura nítida entre a relíquia e a modernidade. Não sei se cumpri o objectivo mas fiquei satisfeita com o resultado - e a professora de Espanhol também.


i hate mondays

Não estou preparada para mais uma semana. Não estou preparada para dias de loucos.

EVENTO | Exposição da Lego

No passado dia 18 de Outubro regressámos à infância e escolhemos passar a tarde fascinados com a exposição da Lego que houve aqui por Braga. Entre monumentos, personagens, pipocas e um mosaico onde demos o nosso contributo para formar um dos pontos mais conhecidos da cidade (este), houve tempo para muitas fotografias, parvoíces e gargalhadas que terminaram com um jantar num restaurante chinês. Um sábado diferente e planeado que preencheu um pouco mais a minha caixinha das memórias e que nos deu motivos para sorrir genuinamente. Para os que não me seguem no Instagram ficam as imagens que a Matilde (a Canon 600D, para os mais distraídos) nos ajudou a captar:


Kenzas

Saias metalizadas? Não, obrigada!

QUERIDO PAI NATAL | Songbook 2014

Em jeito de celebração pela sua reunião, a Universal editou este ano a discografia integral dos Silence 4 e pôs à venda uma caixa especial que eu, como fã, ando a namorar desde que foi lançada. O conjunto inclui não só os dois álbuns gravados no estúdio - "Silence Becomes It" e "Only Pain is Real" - mas também um terceiro CD - com canções exclusivas e temas nunca antes editados - e o DVD da actuação no Pavilhão Multiusos em 1998 e no Coliseu dos Recreios em 2000.

Há coisas que não dispenso por muita tecnologia que a minha vida acolha e os álbuns fazem parte desse grupo. Ter a discografia original ali na estante, para ouvir sempre que me apetece, é muito diferente de a ter guardada numa pasta do computador sob o risco de a perder. Assim sendo, por esse motivo e por todos os momentos de 2014 que associo às canções dos Silence 4, achei que fazia sentido pedinchar este Songbook. Alguém tem? Vale a pena ou estou iludida? Pai Nataaaaal?


Feliz Aniversário, Mamã!

AMIZADE | "Não contém expectativas nem planos nem ansiedade."

"Os amigos nunca são para as ocasiões. São para sempre. A ideia utilitária da amizade, como entreajuda, pronto-socorro mútuo, troca de favores, depósito de confiança, sociedade de desabafos, mete nojo. A amizade é puro prazer. Não se pode contaminar com favores e ajudas, leia-se dívidas. Pede-se, dá-se, recebe-se, esquece-se e não se fala mais nisso. 

A decadência da amizade entre nós deve-se à instrumentalização que tem vindo a sofrer. Transformou-se numa espécie de maçonaria, uma central de cunhas, palavrinhas, cumplicidades e compadrios. É por isso que as amizades se fazem e desfazem como se fossem laços políticos ou comerciais. Se alguém «falta» ou «não corresponde», se não cumpre as obrigações contratuais, é logo condenado como «mau» amigo e sumariamente proscrito. Está tudo doido. Só uma miséria destas obriga a dizer o óbvio: os amigos são as pessoas de que nós gostamos e com quem estamos de vez em quando. Podemos nem sequer darmo-nos muito, ou bem, com elas. Ou gostar mais delas do que elas de nós. Não interessa. A amizade é um gosto egoísta, ou inevitabilidade, o caminho de um coração em roda-livre. 

Os amigos têm de ser inúteis. Isto é, bastarem só por existir e, maravilhosamente, sobrarem-nos na alma só por quem e como são. O porquê, o onde e o quando não interessam. A amizade não tem ponto de partida, nem percurso, nem objectivo. É impossível lembrarmo-nos de como é que nos tornámos amigos de alguém ou pensarmos no futuro que vamos ter. A glória da amizade é ser apenas presente. É por isso que dura para sempre; porque não contém expectativas nem planos nem ansiedade."


Miguel Esteves Cardoso, in "Explicações de Português"
<3

Faltam duas semanas para o meu aniversário! Adoooooooooro o meu aniversário!

GUARDA-ROUPA | O Drama das Calças de Ganga

Nunca senti na pele o drama de querer comprar umas calças de ganga e de não encontrar o modelo indicado para mim. Tenho ancas, rabo, pernas, gosto disso e mesmo assim sempre tive facilidade em fazer as minhas compras... até os senhores criadores passarem a achar que toooooooda a gente - que não quer vender um rim a troco duma peça de roupa - prefere calças estupidamente elásticas que apertam em tudo quanto é lado e que assentam mal. Não me convencem. São apenas desilusões sem piedade. Se assentam bem no rabo é porque são estranhas nas pernas. Se são confortáveis é porque marcam o que não devem. Se têm a medida de perna indicada, apertam ou sobram na anca. Não há como ficar satisfeita. Podia continuar com os meus argumentos completamente plausíveis mas penso que já compreenderam a ideia. Não gosto de calças demasiado elásticas e não as vou comprar.

Seja como for, a minha mãe está fartinha de coser as minhas calças preferidas porque não há forma de encontrar substitutas que evitem estas ameaças de morte constantes. Será que sou mesmo eu - que nunca tive problemas a fazer compras - que sou esquisita? Ou será que são as tendências e os criadores das peças de fast fashion que não ajudam? Fica o mistério. Safam-me os outros modelos - aos quais podemos, efectivamente, chamar de "calças" e que não se enquadram no grupo das "skinny jeans" - e aquelas peças que comprei há vinte mil anos atrás e que continuam a sobreviver dia após dia, estação após estação.

add a caption

Eu continuo a achar que não é a mesma pessoa... Não pode ser!

AMOR | "Aquela Palavra"

Separar-me dele no fim dum lanche rápido e não-planeado com a sensação de que estou no lugar certo é impagável. Poucas coisas me preenchem tanto como o abraço que ele usa sempre para se despedir de mim e estar lá para ouvir aquelas palavras espontâneas e genuínas - mesmo quando estou profundamente irritada com o mundo - dá-me algum conforto. Saber que ele se esforça sempre mais um bocadinho para me fazer sentir amada e me tranquilizar - mesmo quando finge não notar o meu amuo mal-disfarçado - faz com que eu sinta que o meu lugar é mesmo ali: esborrachada contra o peito dele enquanto ouço as batidas inconfundíveis do seu coração e enquanto sinto os seus braços à minha volta, sempre capazes de me acalmar e de me fazer perder a hiperactividade constante que me assombra em semanas atarefadas.

Gloriously | via Tumblr
vilde kaniner

O mundo divide-se entre as pessoas que dizem "cabide" e as que dizem "cruzeta".

APLICAÇÃO | Draw Something

Tirando a parte de sermos uns artistas da treta (menos o Gui, que desenha pormenores, coloca sombras, mistura cores e se arma em pintor) e tirando a parte do jogo matar rapidamente as baterias dos nossos telemóveis uma vez que a internet é necessária, temos enviado desenhos uns aos outros e temos tentado adivinhar o que os rabiscos alheios significam.

Instalei este aplicativo - Draw Something - há cerca de três dias e sei que provavelmente amanhã ou depois já me terá passado a vontade de jogar mas, por enquanto, tem sido engraçado enviar e receber desenhos e dar palpites. Este é um jogo bastante simples que testa a nossa criatividade e que obriga os participantes a pensar. Há duas formas de jogar: escolhemos uma pessoa e uma palavra, desenhamos, enviamos e esperamos que ela adivinhe e que nos envie um desenho ou podemos esquecer a parte de desenhar, participando nos desafios semanais que nos são propostos e ficando sempre no papel de jogador-adivinho. A cada jogada correcta recebemos moedas que podemos usar para comprar cores que nos ajudem a tornar os nossos desenhos mais realistas e bombas que reduzem as opções de letras e nos dão acesso a novas categorias de palavras. Não é - de todo - um jogo complexo mas dá para rir com os desenhos imperceptíveis que os nossos amigos nos enviam (nem vos digo o tempo que demorei para adivinhar uma "garagem" que me parecia um frigorífico) e, claro, dá para treinar a nossa veia artística anteriormente renegada.


Olá fim-de-semana!

ESTÁGIO | Carolina Estagiária

Numa vertente mais séria e profissional da minha vida, brevemente iniciarei uma espécie de estágio não-curricular e completamente voluntário numa agência de viagens. Os estudantes de Turismo normalmente começam por estagiar em hotéis mas essa é uma realidade que nada tem a ver com os meus objectivos e portanto - correndo o risco desse ser o meu destino noutra ocasião - decidi aproveitar algo que preenchesse os meus dias mais livres e que me mostrasse as maravilhas e as limitações do mercado de trabalho. Esta "especialidade" agrada-me mais do que o trabalho de recepção e eu mal posso esperar por ver como tudo funciona. Não podia estar mais entusiasmada com a oportunidade que me foi dada e tenciono dar o meu máximo. Apesar de ter alguns receios (e se não corresponder às expectativas? E se não for capaz de lidar com os programas? E se fizer asneira?) quero muito aprender com quem se disponibilizou para me ensinar. Não tenho nada a perder e já está mais do que na hora de começar a dar corda às sapatilhas.

❀ | via Tumblr

O mundo divide-se entre as pessoas que abandonam o blogue quando vão para a Faculdade e as que inauguram uma nova etapa de textos.

BLOGOSFERA | Funciona Assim. Simples.

Há uma coisa que aprendemos no mundo dos blogues e que nos serve para a vida: vai sempre haver alguém insatisfeito com as nossas opiniões, a nossa vida, as nossas compras, as nossas conquistas e a nossa felicidade. É inevitável. A nós, resta-nos continuar o nosso caminho focando-nos no que realmente importa - nós mesmos e as nossas pessoas - sem medo de demonstrar o quão felizes somos.

Untitled | via Tumblr

Só porque o meu aniversário está quaaaaaaase aí... Alguém quer perder o amor a 59 euros e oferecer-me esta Pandora?

SWEET CAROLINE | Carolinices Aleatórias

Não consigo adormecer se as portas dos armários estiverem abertas. Gosto que me digam que sou importante. Tenho medo de palhaços. Não gosto de polvo. Tenho um fascínio fotográfico pelo topo dos edifícios. Sou fã da Victoria's Secret e não perco um desfile. Tenho um mapa mundo num quadro de cortiça onde assinalo as minhas viagens. Amuo com facilidade. Só passo o dia de pijama se estiver doente. Perdoo rapidamente. Coldplay. Genial, incrível e horrível são os adjectivos que mais uso. Não consigo estalar os dedos com a mão esquerda. Gosto de jogar PES e jogos de carros. Sei as músicas da Disney de cor. Só há uns meses atrás é que aprendi a piscar o olho. Entre um beijo e um abraço, escolho sempre o abraço. Digo sapatilhas em vez de ténis, atacadores em vez de cordões e cadeado em vez de aloquete. Não tenho paciência para estudar o Código da Estrada mas sei que vou adorar as minhas aulas de condução. Tomo banho de manhã.

Sou alérgica à penicilina. Adoro a voz ensonada dum rapaz que acabou de acordar. Os meus amigos, familiares e namorado lêem o meu blogue. As pessoas que não gostam de mim também lêem o meu blogue. Não me acho bonita. Como gelado enquanto vejo filmes. Gosto de discussões civilizadas. Arctic Monkeys. Café. Sou muito difícil de comover. Gosto de trovoada. Costumo ganhar dinheiro em jogos de sorte. Faço sempre os trabalhos de grupo com as mesmas pessoas. Adoro serenatas e festivais de Tunas. Tenho interesses muito diversos. Troquei o iPhone pelo Android. Nunca tive pressa de crescer. Poupei durante três anos para comprar a minha máquina fotográfica. Joguei numa equipa de futebol. Uso sempre perfume de homem. Gomas. Tenho dificuldade em descrever-me mesmo que este texto venha provar o contrário. Odeio cheiros muito doces. Construí uma casa de bonecas com o meu pai. Gosto de elogios apesar de nunca saber como reagir perante palavras bonitas. Os meus aniversários são sempre comemorados em casa. Não suporto a música do Alborán com a Carminho.

Digo sempre "bom dia" - mesmo que sejam onze da noite. Tive aulas de turco durante um ano. Odeio que insistam comigo para comer alguma coisa. Quando quero dizer "malabarismo" ou "malabarista" troco as sílabas das palavras. Tenho um mata-moscas gigante. Não tenho medo de insectos. Não acompanho a maioria dos blogues ditos famosos. A minha agenda está sempre organizada. Se partilho Kinder contigo, significa que és importante. Gosto de estar ocupada. Consigo ser muito paradoxal. Já fui operada. Adoro comprar roupa interior. Pizza. Sou muito expressiva quando falo de algo que me apaixona. Fotografo todos os dias. Adoro quando as roupas da Zara ficam melhor em mim do que nas modelos. Não tenho força para sacudir a minha capa. Gosto de andar de carro. Não sou fã de poesia. Adoro textos argumentativos. Tenho a melhor família do mundo. Raramente pinto as unhas. Não gosto da palavra "lamechas". Sou uma infinidade de problemas, defeitos, qualidades, gostos e características. Sou a Carolina.

Untitled

Está na hora de arrumar o quarto, a agenda e os pensamentos. Parece-me um bom plano para uma tarde chuvosa. Wish me luck!

AMOR | "Time is Our Most Valuable Thing"

Há várias coisas que me dão conforto na nossa relação mas aquela que me faz aguentar melhor a saudade durante as semanas mais difíceis é mesmo a postura dele perante as ocupações e as prioridades. Independentemente das reuniões que tem ou dos afazeres que não pode evitar, ele arranja sempre tempo e cumpre as promessas que faz.

O amor tem muitas coisas incríveis mas, para mim, não há nada melhor do que ter ao meu lado alguém que percebe a necessidade de comer gordices e de sentir um abraço sincero, apertado e genuíno ou, pelo menos, de ouvir todos os dias a voz de quem nos completa. Saber que tenho comigo alguém que me protege especialmente quando eu não dou conta do perigo e que me respeita - mesmo quando estou num drama existencial completamente parvo - tranquiliza-me.

Apaixonei-me por ele sem querer e sem saber. Porque fez sentido. Porque a cada dia eu recebia uma novidade que me fazia estremecer, novidades essas que continuam a surgir. Porque quando eu acho que ele não pode ser mais incrível ou estar mais presente, chega uma surpresa em jeito de serenata com as minhas músicas de Tuna favoritas. E ter ao meu lado alguém que entende a diferença entre comer rosca com manteiga durante a semana e comer rosca com manteiga ao domingo mostra-me que estou no caminho certo. Saber que ele consegue organizar-se por mim e dizer não aos telefonemas intermináveis quando o tempo é nosso deixa-me descansada. Remamos para o mesmo lado e mais do que ter um perfume que eu adoro, ele tem a capacidade de ser diferente sem se gabar disso.


Ainda não me rendi às galochas.

VIDA ACADÉMICA | Ser Capa Negra

Uma das coisas que quero preservar no meu traje é a tradição e portanto faz sentido ser capa negra dando outra finalidade - mais original, personalizada e igualmente especial! - aos emblemas giros que as pessoas me vão oferecendo com gosto. Não digo que seja errado colocar esse tipo de coisas no manto que nos cobre mas a verdade é que essa é uma tradição relativamente recente (e comercial) que para mim não faz qualquer sentido uma vez que preservo com simbolismo o que nos é incutido quando trajamos: somos todos iguais, vestimo-nos todos da mesma forma, somos um só e não há distinção.

Dou muito mais valor aos rasgões que estão reservados às pessoas que nós escolhemos de forma ponderada e que passam despercebidos aos olhos alheios. Nada tem mais significado num traje do que a capa que nos protege e manter a tradição enquanto registo nela as minhas memórias é importante para mim.

:)

Noites mal dormidas. Aperto no peito. Nó na garganta.

#PICMEPROJECT | Portugal

Vivemos num país pequenino de desânimo, de emigração e de abandono mas não podemos esquecer as virtudes de Portugal. Temos o vinho do porto, o fado, os azulejos, o clima agradável, o bom coração e a comida que chega sempre para mais um. Também temos políticos corruptos, leis que não fazem sentido e uma economia na corda bamba mas... que país não tem? Eu cá gosto de ser portuguesa e de saber o significado de sentimentos tão profundos como a saudade. Adoro o nosso hino, gosto imenso dos trajes que usamos nas nossas universidades, fico fascinada com o nosso idioma, gosto de saber que fomos grandes conquistadores no passado e sinto orgulho por ver os nossos atletas, escritores e artistas a triunfar, tanto aqui como lá fora, em campeonatos do mundo, em jogos olímpicos, em provas aleatórias e em concursos importantes. Sou portuguesa (gosto muito de o ser!) e isso já ninguém me tira. Fotografei dentro de casa mas acho que fui capaz de focar alguns pormenores interessantes do nosso país:



Angelic | Flickr - Photo Sharing!

Este ano está a ser incrível para o crescimento da família. Bem-vinda, Alice!

POLÍTICA | Cargos de Poder

Sempre fui bastante compreensiva com as pessoas que exercem funções de poder, de liderança e de grande responsabilidade. Não sou pessoa de desculpar tudo o que esses mesmos dirigentes fazem só pelo facto de o serem (até porque se o são têm de ter capacidades para isso) mas, honestamente, não consigo imaginar-me numa posição de topo no Governo porque, lá está, não sei como lidaria com a pressão por muitas ideias e boas intenções que tivesse.

Há qualquer coisa que me faz ser solidária com as pessoas que ocupam lugares de destaque num determinado grupo ou sociedade. Delegados de Turma, Presidentes de Associações de Estudantes, Capitães de Equipas Desportivas, Coordenadores de Grupos Culturais, Directores de Empresas, Treinadores, Deputados... Não sei. Ao longo dos últimos anos acompanhei de perto alguns destes cargos e aprendi que é impossível agradar a toda a gente. Nem todas as atitudes são justificáveis (principalmente porque, na grande dimensão dos cargos de poder, estão a brincar com as nossas vidas e a apostar no nosso futuro) mas se calhar devíamos pensar até que ponto faríamos um melhor trabalho. Eu não arriscaria nem me permitiria decidir as vidas das outras pessoas com tanta facilidade e acho que é isso que falta nos dirigentes que temos: não pensam duas vezes antes de assumir cargos de poder tão complexos e exigentes e deviam fazê-lo de forma ponderada.

the cutest thing i have ever seen

Entraram na minha conta e fizeram comentários em meu nome como se eu me tivesse esquecido de os colocar em anónimo. Pessoa sem vida.

TURISMO | O Pior Hotel do Mundo

Depois de várias críticas e descontentamento por parte dos hóspedes que escolhiam o Hans Brinker Hotel em Amesterdão para passar umas noites, o estabelecimento decidiu assumir as suas características mais negativas e passou a afirmar-se como "O Pior Hotel do Mundo". Este novo lema, que podia ser uma facada nos poucos lucros do hotel, revelou ser o oposto. "Afinal porque raio lhe chamam o Pior Hotel do Mundo? Será assim tão mau?" - pensaram os turistas mais curiosos.

Assim, graças a uma campanha de Marketing sincera e até exagerada, a minha teoria volta a comprovar-se: o Turismo existe em todo o lado e em qualquer condição. O essencial é saber vender, mesmo que o produto seja terrível. E, aparentemente, ser sincero compensa sempre (mesmo quando nos referimos ao mundo dos negócios). "Afinal não é assim tão mau" - dizem, no fim da estadia, os turistas que continuam a permitir que o estabelecimento mantenha as portas abertas. O Marketing e a falta de expectativas fazem maravilhas.


E quando há jantares para toda a comunidade académica... há dispensa de aulas na manhã seguinte. 

TEMPO DE ANTENA | "E Se Eu Não Namorasse?"

"Em conversa com amigas minhas dei comigo a pensar num assunto que até aquele momento não fazia sentido para mim. Comecei a namorar aos dezasseis anos, agora com vinte e um e no último ano de faculdade tenho pensado no que será o meu futuro profissional, como será deixar de ser estudante e entrar no mercado de trabalho lançada aos tubarões. No entanto, todos os planos que traço, ou pelo menos tento traçar, é em conjunto com o meu namorado, o que me leva ao inicio deste texto. E se eu não namorasse? Quais seriam os meus planos? Seriam diferentes? 

A resposta é simples. Sim, seriam diferentes. Eu não consigo, e muitas de vocês provavelmente irão ficar de boca aberta, não incluir o meu namorado nos meus planos. Eu sei que nada é definitivo, mas acredito naquilo que nos une e naquilo que sinto neste momento. E neste momento faz sentido as escolhas que tenho feito. Talvez se ele não existisse na minha vida, candidatar-me-ia um ano como assistente de bordo, ou iria trabalhar durante um ano num país estrangeiro antes de trabalhar na minha área. 

No entanto, o destino assim quis e eu não vou concretizar essas minhas ideias. E se o destino o colocou no meu caminho, por alguma razão foi. Se não estivesse com ele não teria as oportunidades profissionais que vou ter, ou não teria metade da experiência de vida que tenho. Agora perguntam-me, arrependes-te de não tomar certas decisões que te fariam feliz porque namoras? 

Não. Porque mesmo que tenha de rejeitar estas ideias, novas oportunidades virão e possivelmente melhores que as anteriores. Quando se fecha uma porta, abre-se sempre uma janela, nunca se esqueçam!"

:)

Ânia Morouço, Born To Be A Fashionista.
Most popular tags for this image include: friends

Pessoas que nos animam sem sequer se aperceberem disso são essenciais.

SILVES, PORTUGAL | A Terrinha da Ana

Depois da Zambujeira do Mar, de Portimão, de Albufeira e de Lagos, houve tempo para mais uma paragem, desta vez ao final da tarde e a convite duma menina que vocês conhecem muito bem: a Ana Garcês. Foi uma decisão de última hora - como são quase todas aquelas que envolvem encontros, viagens, visitas e afins - mas deu para fazermos o reconhecimento de mais uma zona lusitana: Silves. 

Passeámos pelas ruas estreitas, fotografámos muito, reparámos nas diferenças entre o Norte e o Sul do país, conhecemos pessoalmente a Ana e acabámos por jantar (pizza, pois claro!) na esplanada dum cafézinho/restaurante engraçado. Não deu para conhecer tudo pois estivemos lá apenas um par de horas mas deu para perceber que Silves é um local cheio de história e detalhes maravilhosos. Como sempre, ficam as imagens captadas com a ajuda da Matilde e a vontade de lá ir durante a feira medieval:


F*ck, Fashion! | via Tumblr

Algo que nunca tive vontade de fazer: pintar o cabelo.

SOLIDARIEDADE | The Walking Dead Blood Store

Depois do sucesso da primeira Blood Store, a FOX e o IPST prepararam uma segunda edição que coincide com a estreia da nova temporada de "The Walking Dead". A partir do dia 10 de Outubro, a "The Walking Dead Blood Store" volta a existir e, nesta segunda campanha, abre portas não só em Lisboa mas também noutros pontos do país (Algarve, Almada, Guimarães e Aveiro).

O Instituto Português do Sangue e da Transplantação espera, com a ajuda da notoriedade da série FOX, sensibilizar o público para causas mais sérias e, neste caso, aumentar as reservas no banco de sangue e angariar novos dadores. A "The Walking Dead Blood Store" foi considerada a primeira loja de sangue do mundo e chamou a atenção de vários meios de comunicação e agências internacionais. 

Esta loja pop up consiste na troca de dádivas de sangue por merchandising oficial da série através da entrega de comprovativos. Os dadores podem receber produtos classificados com diferentes valores (livros, t-shirts, hoodies, armas domésticas, canecas, jogos de PlayStation...) e para conseguirem os melhores produtos - ou mais do que um - devem apresentar vários comprovativos de doação. Para isso, devem pedir a amigos e familiares que façam doações de sangue em seu nome. Doar sangue e receber prémios? Todos ficam a ganhar!


Publicação escrita em parceria com a FOX Life.