Thirteen

POLÍTICA | Cargos de Poder

Sempre fui bastante compreensiva com as pessoas que exercem funções de poder, de liderança e de grande responsabilidade. Não sou pessoa de desculpar tudo o que esses mesmos dirigentes fazem só pelo facto de o serem (até porque se o são têm de ter capacidades para isso) mas, honestamente, não consigo imaginar-me numa posição de topo no Governo porque, lá está, não sei como lidaria com a pressão por muitas ideias e boas intenções que tivesse.

Há qualquer coisa que me faz ser solidária com as pessoas que ocupam lugares de destaque num determinado grupo ou sociedade. Delegados de Turma, Presidentes de Associações de Estudantes, Capitães de Equipas Desportivas, Coordenadores de Grupos Culturais, Directores de Empresas, Treinadores, Deputados... Não sei. Ao longo dos últimos anos acompanhei de perto alguns destes cargos e aprendi que é impossível agradar a toda a gente. Nem todas as atitudes são justificáveis (principalmente porque, na grande dimensão dos cargos de poder, estão a brincar com as nossas vidas e a apostar no nosso futuro) mas se calhar devíamos pensar até que ponto faríamos um melhor trabalho. Eu não arriscaria nem me permitiria decidir as vidas das outras pessoas com tanta facilidade e acho que é isso que falta nos dirigentes que temos: não pensam duas vezes antes de assumir cargos de poder tão complexos e exigentes e deviam fazê-lo de forma ponderada.

the cutest thing i have ever seen

8 comentários:

  1. O problema é que em muitos desses cargos, há uma falta de amor à camisola que se veste, que também é necessária para as coisas encaminharem. Há que ter paixão naquilo que se constrói e que se faz. Não é por acaso que as grandes fábricas e empresas, acabam por morrer quando sai de lá a pessoa que fez aquilo nascer e crescer.

    ResponderEliminar
  2. Tens toda a razão. Eu também tento compreender o lado deles, porque não é nada fácil... Tal como tu, jamais ocuparia um cargo desses de ânimo leve...
    Beijinho*

    ResponderEliminar
  3. Basicamente, deveriam colocar-se no lugar dos outros e funcionar pela igualdade...

    ResponderEliminar
  4. Eu também jamais ocuparia um cargo desses, por diversas razões :)

    ResponderEliminar
  5. nunca tinha pensado nisso assim... realmente nao deve ser facil mas é como dizes, se estão no poleiro têm que ter capacidade para isso...

    ResponderEliminar
  6. Eu tento compreender sempre o outro lado e é por isso que às vezes consigo dar o benefício da dúvida no que respeita a alguns temas sobre o nosso país.

    ResponderEliminar
  7. Eu ainda me lembro quando numa aula de inglês a professora perguntou qual era a profissão que nós achávamos mais difícil. E eu respondi, para surpresa de toda a gente, que eram as profissões ligadas à política e que muito do desagrado que nós vivemos com pessoas de altos cargos políticos vem do facto de eles serem de facto pessoas não talhadas para uma profissão que envolve tanta responsabilidade e um conhecimento próprio e do outro muito alargado. Neste momento existe um ciclo vicioso de formação política e tenta-se que a população apenas critique (apenas por criticar) enquanto fecha os olhos. Um grande passo seria a educação política desde pequenos, mas a grande verdade é que os nossos dirigentes não querem que a sua população seja educada nesse aspeto , uma vez que não lhes convém. (Peço desculpa por ter passado do tema do teu post para um comentário/crítica ao nosso sistema político)

    ResponderEliminar