SWEET CAROLINE | Felicidade (In)Dependente

Quando a minha relação anterior terminou eu decidi que não ia deixar que a minha felicidade dependesse de terceiros. Coloquei todas as esperanças em mim mesma e comecei a ver a vida duma forma diferente, mais descontraída, mais relaxada e mais directa (sem falinhas mansas ou desespero desnecessário por quem me prejudica). Entre trabalhos para a Faculdade, momentos com amigos e publicações blogosféricas, percebi que não havia mais ninguém a controlar a minha vida - e a minha felicidade - senão eu mesma. Até que percebi também que essa definição de felicidade independente não era mais do que uma utopia mal contada.

Por viver em sociedade dependo inevitavelmente - duma forma ou doutra - das pessoas que me rodeiam e o truque está apenas no quanto me deixo afectar pelas situações externas. Não seria capaz de ser feliz sozinha mas isso não faz de mim uma marioneta manipulável. Preciso - como se se tratasse duma necessidade tão óbvia como comer, dormir ou respirar - de comunicar, de receber mimos, de discutir, de abraçar e de partilhar mas entrego-me apenas a quem me faz bem.

Sou cautelosa. Incluo as outras pessoas na minha vida mas não lhes dou poder para destruir o meu positivismo. A minha felicidade pertence-me e eu controlo as minhas próprias emoções porque ninguém tem o direito de me fazer sentir mal. Se há situações que me desmotivam e respostas que me preocupam? Sem dúvida. Faz parte. Há dias que me correm mal e há situações que me entristecem? Claro. Mas a forma como as encaro é comigo e ninguém, no mundo, tem a minha autorização para me inferiorizar. Há desilusões, confusões e discussões que me afectam? Mais do que aquilo que deveriam. Mas a minha felicidade depende de mim e são poucas as pessoas por quem me permito chorar.

Untitled

12 comentários:

  1. E é assim mesmo que tem de ser! (:

    ResponderEliminar
  2. Gostava que comigo também fosse assim, vou tentar!

    ResponderEliminar
  3. Boa decisão, um exemplo para todos
    nós, seguir em frente, beijo amiga

    ResponderEliminar
  4. Escreves tão bem!

    Eu tento não me afectar por comentários de terceiros e ultimamente pouco afectam, de facto. Mas existe certas pessoas que tem o poder de me arrasar. Claro que gostava que não o tivessem, mas ainda não aprendi uma forma de não me deixar tocar por isso.

    ResponderEliminar
  5. Antes de sermos felizes com outras pessoas, temos de ser felizes connosco!

    ResponderEliminar
  6. Exactamente. Se não gostares de ti, quem mais gostará ? :)

    ResponderEliminar
  7. Admiro-vos muito por terem conseguido encarar o fim de uma relação. Não me consigo ver no vosso papel. :x

    ResponderEliminar
  8. É assim mesmo que deve ser! Gostava de ter essa tua atitude quando me deparo com certas situações mas não tenho essa capacidade :)

    ResponderEliminar
  9. Esse teu último parágrafo veio mesmo em boa altura :)

    ResponderEliminar