Thirteen

QUOTIDIANO | Palavra-Chave: Intensidade

E se em 2013 escolhi a palavra "Mudança" para classificar os doze meses que lhe pertenceram, em 2014 o vocábulo seleccionado é "Intensidade". Por tudo o que vivi, pelos dias que passei, pelas pessoas que conheci, pelos momentos que partilhei, pelas viagens que fiz, pelos objectivos que cumpri e pela música que ouvi, 2014 foi um ano intenso para o bom e para o mau.

Depois de ter começado o ano a patinar no gelo às duas e meia da manhã, em 2014 consegui reerguer-me, comprar a minha Canon 600D (finalmente!), fotografar muito (apostando também um bocadinho mais no analógico que adoro de coração), compreender-me melhor, comer muitas badochices e viver entre o 8 e o 80 que fizeram deste ano um dos mais marcantes. 

Em 2014 fui à Bolsa de Turismo de Lisboa, ao Optimus Alive (ou NOS Alive), à Exposição de Legos, ao FITU, à Comic Con e ao CELTA. Viajei até Islantilla e Sevilla e visitei a Zambujeira do Mar, Portimão, Lagos, Albufeira e Silves não me tendo esquecido de registar tudo neste blogue - que me acompanha fielmente e me permite mostrar-vos o que mais gosto de partilhar. Em 2014 apaixonei-me de novo. Não fui ao cinema nenhuma vez mas revi filmes da Disney e vi os Oscars em directo enquanto fazia apostas sobre os resultados com o Gui. Em 2014 comecei uma nova caixinha de memórias, trajei pela primeira vez, estudei muito, fiz muitos trabalhos, tive a melhor Serenata que podia pedir, partilhei capas negras, pintei caloirinhos, dancei muito e, no último trimestre do ano, guardei as minhas roupas de bailarina sem saber se algum dia lhes voltarei a dar uso. 

2014 foi, à semelhança de 2013, o ano do crescimento da família. Foi o ano dos três novos bebés espalhados pelo mundo e do acolhimento duma nova cadelinha cá em casa. Foi o ano dos amuos rápidos, das adversidades, das gargalhadas sinceras, da música gira, dos passeios de carro e dos dias de praia. Foi o ano das declarações de amor, das canções de Tuna, das cartas e da valorização da família e dos amigos que nunca me falham. 2014 foi o ano dos chocolates, das francesinhas, da massa e da pizza. Foi o ano da primeira Gala de Faculdade, do Estágio, dos cafés e das saídas até às tantas. 2014 foi o ano dos novos projectos, dos pensamentos excessivos, dos presentes mais incríveis e dos choros provocados pela ansiedade que me deixou o estômago apertado. Foi, sem dúvida, um ano de renovações, de emoções fortes e de momentos intensos.

Escolhi a palavra "Intensidade" para caracterizar o ano que está prestes a terminar pela simples razão de não ter sido capaz de gostar a meio gás ou de sentir indiferença perante as situações. Fiquei zangada e com ciúmes, amei, senti saudades, enervei-me, ri até ficar sem ar e emocionei-me mas não fui capaz de encolher os ombros ou de não ter opinião sobre assuntos que me incluíam. "Intensidade" é mesmo a palavra certa. 2014 foi um ano de altos e baixos mas foi um ano fabuloso que me ensinou muita coisa, que me fez crescer e que me deu maturidade. Espero, honestamente, que o vosso ano tenha sido igualmente proveitoso e espero que 2015 me dê, pelo menos, os mesmos motivos para sorrir.

London City Art Print - Original Watercolor Painting

Dicas para quem visita Londres pela primeira vez? E para quem é repetente na cidade maravilha?

INSTAGRAM | Dezembro 2014

Frio. Casacos quentinhos. Collants. Natal. Regressos. Família. Reflexões. Pessoas incríveis. Eventos. Férias. Reencontros. Gordices. Trabalhos. Victoria's Secret Fashion Show. Frustrações. Sol de Inverno. Noites geladas. Comic Con. Jantares. CELTA. Amigos. Conferências. Fotografias. Iluminações. Presentes. Compras. Momentos para guardar. Música. Surpresas. Aniversários. Pensamentos absurdos. Decisões. Céu estrelado. Palavras genuínas. Sorrisos sinceros. Gargalhadas partilhadas.

É assim - em jeito de telegrama e com menos 28cm de cabelo - que caracterizo o meu último mês de 2014. Guardo este mês como um dos meus favoritos, cheio de situações divertidas, muito amor e pessoas que me fazem bem. Dezembro permitiu-me terminar o ano em grande e os planos que já existem para 2015 agradam-me bastante apesar dos exames e dos trabalhos infinitos que terei de enfrentar logo no princípio de Janeiro. Estou determinada e tenho todas as condições para vencer as adversidades e isso, neste momento, é o mais importante.

brunze:

luxehale:

freshyed:

f r e s h ✰ m o d e r n

✰non freshness here✰

fashion blog

Amor é... preparar-lhe uma festa surpresa com os amigos de infância, da tuna e da faculdade sem sequer lhe dar hipótese para desconfiar.

DECORAÇÃO | Bottle 2 Lamp

Ontem o Gui comemorou mais um aniversário e um dos seus presentes foi um candeeiro da Bottle2Lamp. Desde que o projecto surgiu - pela ideia e pelas mãos do Gonçalo - que o Gui andava a pedinchar um e o seu aniversário pareceu-nos a desculpa perfeita para lho oferecermos. O Gonçalo enviou-me as fotografias dos candeeiros que estavam disponíveis de momento, eu escolhi este - relacionado com Londres porque o segundo presente de aniversário foi uma viagem à cidade britânica - e, antes de lho entregarmos, personalizamo-lo com as assinaturas dos elementos do grupo.

Para quem não conhece, o conceito é bastante simples e igualmente original. Estes candeeiros são, na verdade e como o nome indica, garrafas de bebidas alcoólicas. O Gonçalo escolhe as mais bonitas e exclusivas, coloca-lhes a iluminação adequada e envia para qualquer parte do mundo. São óptimos para decorar um espaço e são também uma forma excelente de dar uma nova vida às garrafas que iriam, inevitavelmente, para o lixo. Pessoalmente, apesar de suspeita, adoro a ideia e espero que o Gonçalo seja muito bem sucedido.


Os interessados poderão ver mais na Página do Facebook ou no Instagram - @bottle2lamp.
Live Fabulously.

Digam-me lá: o Pai Natal foi simpático? Que presentes deixou nos vossos sapatinhos?

ROSTO | Eyeliner: Push Up Liner da Benefit

Não sou grande especialista em maquilhagem e poucos são os produtos que utilizo de forma (quase) diária. Porém, também existem alturas em que me apetece usar algo de diferente do habitual e, nesses momentos - eventos ou jantares mais especiais -, entra em acção o clássico cat eye que transforma de imediato a maquilhagem básica do quotidiano em algo mais chamativo e feminino. 

No entanto, aqui confesso que nem sempre foi fácil conseguir desenhar dois riscos iguais ou fazer dois traços perfeitamente retos. Ou porque calculei mal as distâncias, ou porque um risco ficou curvado e o outro ficou reto, ou porque isto ou porque aquilo. Uma autêntica dor de cabeça que passou quando descobri o Push Up Liner da Benefit, a marca que não desilude. 

Para além da sua fórmula absolutamente incrível que evita a necessidade de retoques e que seca num instante para não haver desastres, o aplicador do produto em questão distingue-se dos outros que utilizei até hoje pela sua ponta de silicone que permite que a tinta - bem negra e com a textura adequada - saia apenas pelo topo, sem enganos ou pinturas excessivas e sem sujidade. O Push Up Liner desliza eficazmente pela pálpebra móvel e permite-me fazer uma maquilhagem mais dramática ou uma linha mais suave sem frustrações parvas. Talvez seja um produto desnecessário para quem tem uma precisão brilhante e se maquilha em menos de nada mas, para quem, como eu, fica constantemente irritada com as canetas que não deixam controlar a grossura da linha e para quem não se dá bem com os pincéis, este produto é uma pequena maravilha.

O "marcador" de olhos que partilho hoje pertence à linha They're Real e pode ser encontrado numa loja Benefit ou em qualquer loja Sephora por, aproximadamente, 23€. Se ainda vos falta comprar um presente para aquela amiga que adora maquilhagem ou se querem apostar em algo diferente, este menino da Benefit é uma excelente opção! A Carolina recomenda.


E se não vos escrever mais nada até lá... Feliz Natal!
Vamoss🎄🎄🎄🎅🎅🎅⛄️⛄️

Adoooooooro o Natal!

GUARDA-ROUPA | Dramas Femininos

De vez em quando lá entro eu no drama das arrumações. Sapatos que têm de ir para dentro das caixas, pulseiras que nunca sei onde arrumar, gavetas a abarrotar de roupa interior, malas e malinhas por toda a parte, blusões de todas as cores, óculos de sol infinitos... Há de tudo. Mas depois também há algo que me fascina naqueles dias em que tuuuuudo sai das caixas, do armário e das gavetas: quando tenho uma festa, um jantar ou um acontecimento diferente, não há nada que seja absolutamente perfeito. Incrível! Aparecem seeeeempre trezentos mil pares de calças de ganga e camisolas que eu já não via há meses e que, claramente, não servem para a ocasião mas sapatinhos que se adequem ao evento ou umas peças menos casuais que eu não tenha usado cento e cinquenta e sete vezes é que não. Vida triste.

♡ ♡ ♡ | via Tumblr
good luck  | via Tumblr

Coisas boas desta vida: ganhar dinheiro na raspadinha.

VIDA ACADÉMICA | Pensamentos de Estudante

Apesar de ter tido, nas últimas semanas, algumas dúvidas relativamente ao meu futuro e às minhas escolhas profissionais, a verdade é que gosto do meu curso. Gosto do que aprendo, gosto dos projectos, gosto da universidade, gosto das pessoas, gosto da academia e gosto dos trabalhos, dos relatórios e dos documentos infinitos que tenho que escrever mesmo que, por vezes, me apeteça ficar no sofá a ver filmes.

Neste momento tenho alguns receios, preocupações e dúvidas relativamente ao meu futuro profissional mas continuo a dar o melhor de mim, a marcar presença em aulas e seminários e a entregar todos os projectos a tempo. Porque gosto da minha licenciatura e porque não é tortura para mim escrever sobre um destino turístico, elaborar um plano de Marketing ou ir a uma conferência. Essas coisas interessam-me e sei que os conhecimentos que tenho vindo a adquirir serão vantajosos independentemente das minhas escolhas futuras. Eu gosto do que faço. Gosto do que tenho feito e sinto orgulho por ser capaz de ver a minha própria evolução. Serei bem sucedida nos projectos que integrar e, mesmo que me aperceba que o meu lugar é noutra área qualquer, hei-de descobrir brevemente para onde devo direccionar as minhas pesquisas, os meus trabalhos, os meus objectivos e as minhas conquistas. Ou pelo menos espero que assim seja.

Gloriously | via Tumblr
Untitled

Algo que a maior parte das pessoas que vê o VSFS não sabe: o desfile é feito duas vezes.

EVENTO | Victoria's Secret Fashion Show 2014

O Victoria's Secret Fashion Show de 2014 aconteceu em Londres no passado dia 2 de Dezembro e estreeou esta semana nos Estados Unidos. Dividido em seis segmentos com características muito especiais e uma passerelle espelhada (não, não houve purpurinas!), contou com a presença de modelos já conhecidas e acarinhadas por todos nós e ainda algumas novidades. Gilded Angels, Exotic Traveler, Dream Girls, University of PINK, Fairy Tale e Angel Ball foram os temas que serviram de inspiração para a criação da roupa interior mais cobiçada do planeta e que permitiram que nomes sonantes como Alessandra Ambrósio, Adriana Lima, Behati Prinsloo ou Candice Swanepoel pudessem usar, uma vez mais, algumas das asas mais famosas do universo fazendo inveja a muitas meninas pelo mundo fora. 

O desfile deste ano pareceu-me menos divertido e bombástico do que aqueles que foram exibidos anteriormente mas conseguiu manter, como seria de esperar, a sensualidade das rendas, o clássico do preto e branco, a originalidade das cores e a criatividade nos materiais utilizados. Regra geral, não desiludiu. À excepção do segmento mais colorido - Exotic Traveler - pareceu-me um desfile verdadeiramente focado na roupa interior vendida pela marca. No entanto, o Victoria's Secret Fashion Show é mais do que um desfile de roupa e, por isso, diferencia-se através das performances de vários artistas musicais. Nesta edição contou com a presença adequada de Taylor Swift, Ed Sheeran, Hozier e Ariana Grande, sendo que Taylor Swift actuou duas vezes pelo segundo ano consecutivo. 

Segmentos favoritos? Angel Ball e Dream Girls sendo que as melhores asas estavam em Gilded Angels. Actuação favorita? Ed Sheeran - que é um fofinho todos os dias - com Thinking Out Loud em Exotic Traveler, o segmento onde foram apresentados - por Adriana Lima e Alessandra Ambrósio - os dois Fantasy Bras no valor de dois milhões de dólares (cada um!). Uma surpresa? Ariana Grande em University of PINK (apesar de ter levado com uma asa logo no princípio, coitadita).

Para finalizar, felicito a marca por continuar a inovar ano após ano, destaco a prestação da nossa Sara em Dream Girls (não podia deixar de o fazer) e a prestação geral de Behati (que evolui ano após ano e exterioriza a essência do desfile através da sua personalidade). Dou os meus parabéns a toda a gente que torna possível este evento e rezo aos santinhos da moda para que os rumores relativos à saída de Adriana e Alessandra sejam totalmente falsos. Espero pelo VSFS de 2015 e, nos meus sonhos, pelo dia em que poderei realizar o desejo mais utópico: ver um desfile destes ao vivo, com os meus próprios olhinhos num ambiente absolutamente fabuloso e espectacular.

Adrianna and Alessandra

E amanhã há... Festival de Tunas! Só para acabar bem a semana, com bons amigos em cima do palco e boa companhia.

BLOGOSFERA | Infinito Mais Um

Nunca ter feito uma publicação apenas sobre o Infinito Mais Um é uma das minhas maiores falhas como blogger. Conheço o blogue em questão desde o texto de apresentação - é verdade, já ando por aqui há algum tempinho e, afinal, até consigo ser fiel a alguns espaços - e a verdade é só uma: apesar do meu humor, dos meus interesses ou do tempo que não pára, eu continuo a ficar fascinada com os conteúdos que a Ana Garcês vai partilhando connosco semana após semana e ano após ano.

O blogue que partilho hoje conta com mais de 1500 seguidores e portanto dispensa apresentações mas é uma pequena (grande! gigante! enorme!) maravilha que merece registo. Pelas fotografias brilhantes, pela organização fabulosa, pelas publicações bem pensadas e planeadas ao mais ínfimo pormenor, pelo sentido estético fantástico e, basicamente, por tudo o que eu gostava de (saber) fazer e que não existe por aqui. O Infinito Mais Um é uma verdadeira inspiração e a Ana é uma miúda super simpática que, para além de ser capaz de retratar os seus interesses da maneira mais original, consegue dar atenção aos leitores, cumprir prazos, elaborar semanas temáticas (adoro a Oscars Week!), ter uma vertente comercial e publicitária sem perder a sua identidade, meter-se em projectos com outros blogues (lembram-se do Ad Infinitum?) e manter a sinceridade e o seu carácter expressivo e genuíno. 

Se isto que vos apresento hoje não é uma definição clara de "blogue de qualidade", então eu ando completamente enganada nesta vida. Os que conhecem a Ana e o Infinito Mais Um com certeza concordarão comigo. E, os que não conhecem, andam a perder um espaço maravilhoso que une temas opostos da forma mais fofinha. Sem dúvida, um dos meus espaços preferidos.

😍🙌💌

Facto: nunca pensei ter este blogue durante tanto tempo nem nunca pensei escrever nele com tanta frequência.

BLOGOSFERA | Une Tulipe Jaune

E porque os blogues pequeninos também merecem ser divulgados, hoje falo-vos do Une Tulipe Jaune - um blogue que possui um design giro e feminino e que é escrito pela Catarina, uma menina de 24 anos que é minha conterrânea e que adora livros, maquilhagem, fotografia e chá. 

Criado em Junho deste ano, o espaço ao qual me refiro hoje conta com 67 seguidores e é a coisa mais querida e diversificada. A Catarina escreve bem, tem bom gosto e preocupa-se com os leitores sem perder a sua originalidade nem a sua essência e eu espero, honestamente, que o Une Tulipe Jaune cresça com ela e a acompanhe nas suas diversas etapas sem sucumbir à fama (que eu sei que terá um dia) e às publicações comerciais. Este blogue é mais uma prova de que a simplicidade vence sempre e resume-se a uma lufada de ar fresco por estar cheio de imagens giras, assuntos diversos e textos deliciosos. Gostava que tivesse novidades mais frequentemente mas, à falta disso, vou sendo uma leitora assídua do espaço ainda que o seja de forma silenciosa e sem comentar grande coisa.


Coisas boas desta vida: feriados à segunda-feira.

SWEET CAROLINE | A Carolina (Também) É Assim

Vocês que me lêem podem ter uma opinião diferente desta - porque escrevo de forma convicta e sei que consigo expressar-me através do blogue - mas a verdade é que uma das minhas maiores dificuldades (como ser social - inerente à minha condição de humana) está relacionada com o começo de conversas. Sou envergonhada quando não conheço as pessoas, não consigo ter ideias brilhantes para conversas geniais quando estou com alguém pela primeira vez e as palavras ficam presas na minha garganta mesmo que momentos depois me lembre de mil e uma coisas que podia ter mencionado ou perguntado. É triste e é frustrante porque me impede de ser eu com tudo o que isso significa mas a verdade é que faz parte de mim. Sei que vai demorar um pouco até eu ser capaz de ultrapassar esta minha característica e, por enquanto, vou-me sentindo mal sempre que não sei o que dizer quando vêm conversar comigo ou me apanham de surpresa. Talvez um dia seja capaz de vos dizer que aprendi finalmente a lidar com pessoas novas de forma expressiva, Carolina e quase instantânea. Até lá, peço desculpa por não saber como reagir.

Sequin Jacket. | Street Fashion | Pinterest
.

Amor é ele oferecer-me sempre a fatia do meio da torrada e eu recusar com a mesma frequência porque quero que ele tenha a melhor parte.

EVENTO | Comic Con Portugal 2014

Se ainda não compraram bilhete para ir à Comic Con Portugal - na Exponor, em Matosinhos - não o façam. Se passaram o vosso sábado no meio de mantas e músicas de Natal no quentinho de casa, com a lareira acesa - ou até mesmo a passear ao final da tarde de casaco quentinho vestido entre as luzes típicas da época - tomaram a decisão mais indicada. A Comic Con Portugal ficou muito aquém daquilo que eu previa e o sentimento que eu e o Gui partilhamos neste momento é de desilusão. 

Houve muita coisa que falhou nesta Comic Con. Não faço particular referências às filas infinitas para tudo (para entrar, para trocar o bilhete por pulseira, para ir fazer xixi, para ver uma conferência, para comer e para tudo e mais alguma coisa) porque isso acontece em qualquer evento que reúna muita gente (e Comic Con sempre foi sinónimo de fila em qualquer país) porém, se não critico a organização nesse aspecto (sim, fiquei cansada, com dores nas pernas e sem paciência para filas nos próximos dez anos mas faz parte e reconheço-o), critico-a pelo evento propriamente dito - que é o que me interessa realmente -, pelas várias conferências em auditórios sem capacidade para a maioria dos interessados, pelas zonas mal ocupadas e sem grandes informações verdadeiramente interessantes para os fãs, pelo pouco destaque dado à BD e pelas actividades nada exclusivas.

Gostei dos workshops, joguei em muitas consolas e babei-me para os desenhos expostos na zona de BD mas não senti que, no geral, houvesse grande diversidade - como seria de esperar num evento que junta desenhos animados com séries, filmes, anime e jogos - e fiquei com a ideia que a organização deu demasiada importância às séries do momento deixando um pouco de parte aquilo que serve de base à verdadeira Comic Con. Não consegui ficar triste quando chegou a hora de regressar a casa (na verdade, só queria a minha caminha depois de tantos transportes e horas em pé).

A Comic Con Portugal ganhou pontos pela originalidade da FOX que deu vida ao evento através das acções sobre Walking Dead - alguém alugou um walker (a.k.a Zombie) ou doou sangue na Blood Store? -, pelos artistas simpáticos e pela quantidade exorbitante de consolas mas admito que não houve muiiiiita coisa a captar a minha atenção pela positiva. Se o bilhete me tivesse custado dois ou três euros (ou cinco, na loucura) provavelmente eu sairia de lá contentinha da vida. Como não foi o caso, a reacção é completamente diferente e, na próxima edição, eu não estarei lá. Para mim foi dinheiro mal gasto e prova disso são as pouquíssimas fotografias que tirei.

Untitled

"Enquanto eu puder contrariar o mundo teremos sempre tempo." - disse-me ele uma vez. E é isso que me dá ânimo.

FOTOGRAFIA | Warriors vs Navigators

Estas foram as primeiras fotografias que captei com a ajuda da Matilde, há quase um ano. Foi em Janeiro que consegui finalmente comprar uma das máquinas fotográficas dos meus sonhos e foi em Janeiro que fotografei o jogo dos Maximinos Warriors contra os Lisboa Navigators. Nunca tinha partilhado o resultado convosco (talvez tenha partilhado uma ou outra fotografia mas não mais do que isso) e hoje achei que fazia sentido fazê-lo, não só porque a nova época está quaaaase a começar (há um jogo amigável no próximo sábado se houver interessados) mas também porque as imagens foram reaproveitadas para este projecto da Faculdade.

Para a nova publicação tivemos a oportunidade de entrevistar o Michael, treinador da equipa de futebol americano, e o resultado não podia ser, na nossa perspectiva, mais agradável ou genuíno. Adorei associar as imagens - que já me diziam tanto - às palavras do homem que veio da América com o objectivo de colmatar a falha das Igrejas Evangélicas em Portugal. Alguma favorita?