Thirteen

SOCIEDADE | O Drama das Cores

É quando me falam em cortinas rosa chá, tapetes caqui e toalhas taupe que eu fico com a ligeira sensação de que devo ter sido homem noutra vida. Para mim há o cor-de-rosa, o preto, o branco, o vermelho, o azul, o castanho, o verde, o amarelo, o cor-de-laranja, o roxo e pouco mais. E quando me aparecem com a história do lavanda, do azul ciano e do tijolo está o caldo entornado.

Consigo entender perfeitamente a necessidade de acrescentar "escuro" ou "claro" à definição da cor em questão mas confesso que não vejo utilidade na parafernália linguística que vai para além disso. Se não trabalhamos numa loja de tintas... de que nos serve a informação? Para quê a complicação, senhores? São nomes de código? Admito que nunca me tinha apercebido de que era tão naba a perceber idiomas do género mas esta semana caiu-me a ficha: sou um desastre. Não sei o que é rosa-chá.

13 comentários:

  1. Li este texto três vezes mas não me consegui abstrair da ideia que vinha à cabeça de um "rosa chá". Só pensei em rosas normais com black tea.

    ResponderEliminar
  2. Há cores que para mim não fazem sentido nenhum mas há outras que fazem todo o sentido como destinguir o mostarda do amarelo. (eu abomino amarelo mas o mostarda já me faz menos especie), distinguir o brick do vermelho e do laranja. Porque são mesmo cores diferentes com conjugações diferentes. Agora isso do rosa chá? isso é o que? roxo? chá de perpétua roxa? Aquela cena que se toma para a voz? ou o marsala que é puramente bordeaux desbotado? xD Naaaa xD

    ResponderEliminar
  3. Tenta um curso de pintura e vais perceber que esta parafernália linguística vai muito para além das cores. xD haha

    ResponderEliminar
  4. Eh pah achei um piadão ao post :)


    tarasemanias.pt

    ResponderEliminar
  5. Se não fossem todos esses nomes para descrever cores (que pessoalmente, nem sabia que existiam) a pantone não tinha um leque tão grande para escolher "a cor do ano". ;)

    ResponderEliminar
  6. Faz falta para quem trabalha com isso diariamente :)

    ResponderEliminar
  7. Eu sou do tipo de pessoa dos milhentos azuis em que nenhum é igual a outro, sou mesmo assim!

    ResponderEliminar
  8. ahahahha sou exatamente igual, qual ciano qual índigo, qual preto fosco....uso os básicos e já vao com sorte xD

    beijinhos
    http://umacolherdearroz.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  9. Por razões técnicas (como o exemplo de trabalhar numa loja de tintas ou para trabalhos de design) é necessário...mas bolas, concordo que fora isso, para quê? O exemplo da "cor do ano", a Marsala...sou a única a achar que aquilo é bordeaux, cor que sempre existiu no vocabulário como sendo a típica "cor de vinho"? É preciso inventar novas terminologias para quê?

    Eu cá, tirando vá o Bordeaux e o Bege, que são cores diferentes, o resto utilizo "claro" e "escuro" e as cores básicas. E já vão com sorte, como diz a Ivânia Barbosa! ;-)

    Blog

    ResponderEliminar