Thirteen

TEMPO DE ANTENA | "Não se deixem levar pelo falso optimismo"

"Incomoda-me quando as pessoas dizem que davam tudo para estar no meu lugar e que estou a viver uma experiência incrível. Quando me dizem isto a única coisa que me apetece fazer é pedir para que se calem e que não me mintam. Acredito que se quisessem de facto viver uma experiência como a minha, isto é, viver noutro país, já teriam feito tudo o que estivesse ao seu alcance para que tal se realizasse. Claro que poderiam no final não reunir as condições necessárias para tal, mas ao menos teriam tentado fazer aquilo que dizem ser "o seu sonho". 

O meu sonho nunca passou por sair de Portugal. Sonhava com viagens porque sempre desejei visitar novos países e conhecer cidades e culturas diferentes da minha. Sonhava em poder viajar sem data para voltar. Sonhava em abrir o meu próprio negócio. Sonhava com muita coisa, mas nunca sonhei viver num país que não o meu com uma certeza de 99,9% de que não voltarei a viver em Portugal nos próximos anos a não ser que a vida dê uma volta muito grande. No entanto, aqui estou eu. A viver no Reino Unido. A viver o sonho de um número considerável de pessoas. 

A decisão de me mudar para aqui foi fácil. Arrisco-me a dizer que foi das decisões mais fáceis que tomei. Tinha acabado de concluir os meus estudos, o meu contracto de trabalho como professora explicadora tinha também chegado ao fim e o meu namorado tinha acabado de receber a confirmação de que tinha sido aceite no programa doutoral a que se tinha candidatado aqui no Reino Unido. No fundo, encontrava-me naquela situação em que não tinha nada a perder, por isso, por que não arriscar? Arrisquei tudo. Não me arrependo de tê-lo feito apesar de ainda não ter ganho nada que me faça sentir preenchida e realizada profissionalmente. 

Na verdade, o que me irrita no meio de todo o discurso proferido pelas pessoas que afirmam entre suspiros que adorariam estar a viver em Inglaterra (ou noutro local do Mundo) é o facto de este estar recheado de um falso optimismo. Percebo que só gostem de falar do lado bom da mudança, ignorando tudo o resto. É o mais fácil a fazer, mas o mais fácil nem sempre é o mais correcto e uma decisão deste tipo requer que se pense quer nos pontos positivos quer nos negativos. Não é uma decisão que se tome de ânimo leve e se disse anteriormente que a decisão de me mudar para o Reino Unido foi fácil, com tal não quis dizer que foi tomada sem que eu pensasse antes nos prós e nos contras. Por isso, se estão a pensar em arregaçar as mangas e arriscar tudo o que há para arriscar num país que não o vosso pensem bem se estão dispostos a fazê-lo tendo em conta todos os contras que irão encontrar na vossa lista. 

Ao viver "longe" dos que me aquecem a alma descobri duas coisas. Descobri que sou muito mais forte do que aquilo que julgava ser e que o mais difícil é não se estar imediatamente lá, em Portugal, para as pessoas que nos são importantes, quando algo de realmente mau acontece."

Untitled | via Tumblr

8 comentários:

  1. Eu quero mudar de país porque assim sou quase "obrigada".. Não encontro trabalho em Portugal.. acabei de arranjar um estágio de 6 meses que me disseram logo que me iria embora no final e sei que investigação me Portugal não dá me nada. Já pensei muito, e o mais certo é ir sozinha.. Mas tenho de arriscar

    ResponderEliminar
  2. Sair do país, da nossa casa é sempre complicado, temos de encarar a situação com coração e espírito de desafio. Fortalecer e cuidar dos laços que deixamos noutro lugar de todas as formas que podemos e fazer por criar novos na nossa nova base porque, caso contrário, a solidão é angustiante. Mas ter o apoio da família, o amor do nosso lado e um novo país para dominar é uma aventura sem fim :)

    ResponderEliminar
  3. Que fantástico texto. Muito verdadeiro.

    ResponderEliminar
  4. Um dos textos mais crus e verdadeiros que li nos últimos tempos na blogosfera. Percebo as pessoas que querem sair e aquelas que, não querendo, saem porque há falta de oportunidades. Mas acho que a maioria das pessoas não tem noção do quão dificil é e da quantidade de obstáculos e momentos maus que a experiência de ir para fora acarreta. Não deixa de ser, em grande parte dos casos, fantástica, mas é das coisas mais dificeis pelas quais podemos passar.

    ResponderEliminar
  5. Viver fora tem os prós como tem os seus contras.É o mesmo que viver no país de origem.

    ResponderEliminar
  6. Eu gostava de morar no Reino Unido mas, efetivamente, se fosse natural de lá!

    ResponderEliminar
  7. Subscrevo. Apesar de ter emigrado para estudar, ou seja, decisão minha, custa e se calhar se soubesse à priori que me iria custar tanto, teria esperado. Tinha apenas 19 anos, já lá vão quase 5 anos, e sinto que fui obrigada a crescer demasiado rápido. Foi bom, não me arrependo, mas falar de emigração não é só maravilhas. Por viver em Paris, nem imaginam as coisas que ouço que estão recheadas de falsos optimismos e brilhos cintilantes...

    ResponderEliminar
  8. As pessoas acham-se sempre no direito de comentar aquilo que não conhecem, mandar bitaites sobre as acções dos outros. Se ficasses falavam, se fosses falavam, o que se há de fazer...

    ResponderEliminar