LONDRES, INGLATERRA | Pelos Olhos da Carolina

Sou incapaz de planear exaustivamente uma viagem ou de cumprir roteiros e, quando percebi que ia passar uma semana de férias culturais em Londres, isso não se modificou. Sou apologista das visitas espontâneas e das férias sem horários por isso não me cabia sequer no pensamento estabelecer horários rígidos para todos os nossos passos. O planeamento passou apenas pelo avião, pelos transportes dentro da cidade e pelo Museu de Cera - porque online era significativamente mais barato - e o nosso roteiro foi feito por etapas de poucas horas consoante o tempo, o clima e os nossos desejos.

Calçado confortável - porque as cidades conhecem-se a pé -, livros turísticos, roupa quentinha, máquinas fotográficas e muito amor foram suficientes para formar uma visão romântica de Londres e para nos ensinar a colmatar as falhas alheias enquanto procurávamos encaixar as nossas vontades e os nossos interesses um no outro. E conseguimos.

Londres fica-me no coração como a nossa primeira viagem a dois, como um voto de confiança e como um salto de fé. Ensina-me que seis anos são mais do que suficientes para olhar para o mundo duma forma totalmente diferente e que uma viagem feita durante o Ensino Básico em nada se compara a uma viagem feita durante o Ensino Superior da mesma forma como esta última em nada se comparará a uma viagem feita daqui a dez anos. E nós queremos regressar um dia mais tarde. Os dois. Outra vez.





Uma viagem de sete dias não pode ser comparada a uma viagem de quatro e por isso acredito que não possas ver tudo aquilo que eu vi ou experienciar tudo aquilo que eu experienciei não só porque cada pessoa adapta a sua viagem a si mesma mas também porque tens menos horas à tua disposição. No entanto, uma viagem mais reduzida pode, efectivamente, ser uma viagem bem aproveitada e um banho de cultura e diversão. Se quando falas em "locais emblemáticos" te referes aos pontos tipicamente turísticos (um par de museus, zonas específicas, monumentos de postais...) penso que sim, três ou quatro dias são suficientes para os conhecer e nesse tempo consegues ainda descobrir alguns locais novos como restaurantes e lojas ou babar de fofura com os esquilos dum parque ou outro. Contudo, três ou quatro dias não chegam para visitar tudo aquilo que eu visitei nem são suficientes para gastar o tempo que eu gastei em alguns desses mesmos locais. É normal. O importante é que, mesmo que não planeies a viagem ao pormenor, definas aquilo que queres visitar de forma prioritária para que as tuas expectativas não saiam defraudadas. Londres tem uma diversidade cultural fantástica, actividades para todos os gostos e toneladas de "locais emblemáticos" por isso há sempre coisas novas para ver e novidades para conhecer independentemente de te receber pela primeira ou pela décima vez. A minha primeira viagem a Londres durou quatro dias e não me desiludiu minimamente mas este ano pude ver a cidade duma forma distinta e, para além de ter repetido os locais da primeira visita (porque o Gui era principiante por terras londrinas), ainda consegui ir a vários sítios completamente novos que também me encheram as medidas. Numa viagem - seja de que duração for - o truque está em estabelecer prioridades sabendo que não vai dar para tudo (porque nunca dá e é perfeitamente normal).


Em locais muito movimentados - e frequentados especialmente por turistas - convém estarmos atentos (como devemos estar em todo o lado, até na nossa própria cidade) mas nunca, em momento algum, me senti exposta ou insegura. Talvez por haver muito policiamento, Londres revelou ser uma cidade muito agradável e extremamente segura (tanto no metro em horas de ponta como em ruas menos frequentadas ao anoitecer). Relativamente à beleza da cidade, acredito que cada pessoa a observe de forma distinta. Eu acho que Londres é uma cidade verdadeiramente encantadora e acredito que as fotografias não sejam capazes de lhe fazer jus - não as minhas, pelo menos - porque nada funciona melhor do que os nossos olhos. Londres mistura o tradicional e o moderno em quase todas as suas vertentes e essa sua característica deixa-me fascinada.




Parece-me um pouco ingrato colocar num pódio os locais que visitei porque todos são incrivelmente especiais. A minha viagem marcou-me pela diversidade de experiências e de locais e eu não conseguiria, de todo, salientar apenas um sítio. No entanto, se tiver mesmo de ser, digo que adorei a arquitectura do Museu Britânico, a imponência e os dinossauros do Museu de História Natural, o ambiente giro de Camden e o maravilhoso edifício da Estação de St. Pancras. Porém, a verdade é que também não posso deixar de mencionar Covent Garden - que continua a ser uma das minhas zonas de eleição -, a diversão em Abbey Road, os parques verdes com esquilos simpáticos, os portões do Buckingham Palace e a história da Tower of London. Londres vale a pena pelo conjunto de coisas fantásticas que tem e seria injusto eleger apenas um local para debatermos. Se essa pergunta for direccionada ao Gui, ele responderá que adorou o metro.


Costumo dizer que quem afirma que a Victoria's Secret é para ricos e que só tem peças de fazer chorar as carteiras não sabe do que fala mas a verdade é que também sei que o conceito de caro ou barato varia muito de pessoa para pessoa e que nem vale a pena discuti-lo. Porém, na minha opinião e pelo que vi nas lojas que visitei (Londres e Nova Iorque), a Victoria's Secret é, efectivamente, uma marca que democratiza os seus artigos. Há realmente muitas peças que não estão acessíveis aos comuns mortais - eu incluída, que me apaixonei por duas peças de três dígitos, para minha tristeza - mas também há muita coisa que está ao nível duma Intimissimi, por exemplo. Lingerie mais trabalhada, exclusiva e detalhada é mais cara do que outros artigos de colecções mais básicas, logicamente. Porém, há alternativas igualmente bonitas e sorridentes para os nossos porquinhos-mealheiros. Apesar de ter ficado com a ideia de que os preços dos artigos da marca, no geral, eram ligeiramente superiores na loja de Londres quando comparados com outras localidades (talvez pela diferença de moeda e pela adaptação ao estilo de vida dos consumidores locais), continuo a achar que os há para todos os gostos e contas bancárias (e há sempre promoções em todos os tipos de produtos).




Sei que esta não é, muito provavelmente, a resposta mais esperada mas a verdade é que fiquei agradavelmente surpreendida com a forma como eu e o Gui lidámos com a viagem. Nunca tínhamos viajado juntos nem nunca tínhamos passado tanto tempo lado a lado por isso confesso que temia o pior (até combinámos que, se fosse necessário, iríamos um para cada lado sem dramas excessivos). Contudo, o que é certo é que correu tudo lindamente e não precisámos de nos afastar nem por um par de horas. Não nos zangámos, fizemos as cedências que achámos que devíamos fazer e que funcionaram, fomos o refúgio um do outro em variados momentos e eu ainda tive direito a comentários de encher o coração e a confissões maravilhosas que ficam só para mim. Foi a maior surpresa, admito.


Em todas as viagens ficam sempre coisas por ver e Londres não foi excepção. Esta é uma cidade enorme que se completa pelos cantos e recantos incríveis por isso seria impossível de conhecer numa só semana. Com muita pena minha - apesar de ter ficado contente com tudo aquilo que visitei - faltou a tour pelos Estúdios do Harry Potter, o passeio pelo mercado de Portobello e a visita ao Victoria and Albert Museum. Numa próxima visita (quando formos os dois repetentes na cidade maravilha), quero visitar estes locais, ver outras partes do Museu Britânico e do Museu de História Natural e ainda tomar o pequeno-almoço no Cereal Killer Café (fiquei incuravelmente desiludida por não termos conseguido encontrá-lo).




Esta viagem só foi possível porque as despesas de estadia foram nulas. É um facto. Dormi num sofá-cama extremamente confortável em casa duma amiga e, para dizer a verdade, não podia ter sido melhor. Ficámos em St. John's Wood num apartamento super queridinho, pequenino e decorado exactamente como eu gosto e aproveitámos a semana num ambiente mais familiar, internacional e divertido. Com boa companhia e uma cama confortável, o que poderíamos querer mais?


Como mencionei numa das publicações anteriores, o único restaurante tipicamente inglês onde jantámos foi um pub. Para poupar bastante dinheiro fizemos as refeições em casa e variámos alguns almoços entre as sandes que preparávamos de manhã e as comidas rápidas que íamos encontrando tanto em supermercados como no McDonald's. Não comemos fish and chips - toda a gente adora mas para mim não dá - mas a comida é comestível, sim. Sendo Londres uma cidade multicultural, é fácil encontrar vários tipos de comida (inglesa, portuguesa, italiana, indiana, chinesa, japonesa...) para todos os gostos e carteiras.


E assim me despeço desta cidade. Espero que tenham gostado das minhas respostas, partilhas e dicas.

14 comentários:

  1. Identifiquei-me com o seu relato sobre Londres. É uma cidade maravilhosa, cujo charme não deixa ninguém indiferente. Estive lá este ano e também falei muito desta cidade no meu blog sob o título "Deambulações londrinas".

    ResponderEliminar
  2. Gostei bastante das tuas descrições de Londres. Fez-me sempre lembrar a minha viagem e fiquei com mais vontade de lá voltar :)

    ResponderEliminar
  3. Horários também não diria mas temos que saber gerir bem o tempo para vermos tudo o que queremos. Parece tudo lindo! :)

    ResponderEliminar
  4. Gostei bastante. Espero um dia lá ir, deve ser espectacular. (:
    kiss na cheek

    ResponderEliminar
  5. Estes posts foram mesmo úteis, obrigada, estão a ajudar-me imenso a preparar a minha viagem! :D
    http://rustorstardust.blogspot.pt/ **

    ResponderEliminar
  6. Espero um dia passar pelos pontos que referiste durante as ultimas publicações. Se me pedirem ajuda sobre Londres, vou com certeza envia los ao Lucky 13!

    ResponderEliminar
  7. Obrigada por teres respondido à minha pergunta! E que venham mais viagens!

    ResponderEliminar
  8. Basta dizer que, com estes posts, fiquei com ainda mais vontade de visitar Londres :p

    ResponderEliminar
  9. Tenho a dizer que foi um excelente report! Se eu não tivesse lá ido duas vezes, iria por certo dar muito jeito. Parabéns e que venham mais viagens! :)

    ResponderEliminar
  10. Adorei as publicações sobre Londres! Ainda não li todas elas, mas pretendo fazê-lo, pois sei que me vão dar imenso jeito e não será tempo perdido. E fico tão feliz por ler este teu último resumo. Nota-se que aproveitaram estes dias da melhor maneira! Fico mesmo feliz por vocês! (:

    ResponderEliminar
  11. Adorei os teus posts sobre Londres, e fiquei ainda com mais vontade de visitar a cidade! :)

    ResponderEliminar
  12. E da próxima vez que cá vieres tens mesmo de ir ao HomeSlice :) Eu digo sempre que Londres tem a sua própria magia e eu não me imagino a viver em outro lugar xx

    ResponderEliminar
  13. R.: Sim, Carolina. Tenho lido as tuas publicações acerca de Londres e tenho a certeza que serão uma excelente ajuda nesta viagem, é quase como uma antevisão desta minha visita a Londres. Aliás, até te incluí nos meus planos de fim de semana lá no blogue. :)
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  14. gostei muito do post, a tua escrita é maravilhosa. obrigada pelas dicas!

    beijinho,
    Moi by Inês

    ResponderEliminar