BLOGOSFERA | A Reportagem da SIC

Durante a semana andei um pouco a leste relativamente ao que se passou no mundo televisivo mas ontem, quando cheguei a casa e me deparei com dezenas de publicações carregadinhas de indignação, fiquei curiosa com uma reportagem que tinha sido transmitida no Jornal da Noite da SIC e que tinha dado origem a críticas constantes. Hoje vi a reportagem (aqui) e não hesitei em partilhar convosco a minha opinião.

E começo por perguntar algo bastante simples: como é que seis minutos de vídeo e três entrevistas conseguem deixar tanta gente indignada? Ou melhor, como é que há tanta gente a perder tempo com consternações sobre algo tão simples? Para quem não viu, a reportagem em questão aborda a profissionalização dos blogues, a comercialização dos mesmos e as vantagens financeiras para quem os gere. Usando as experiências de Cláudio Ramos (Eu, Cláudio de 2006), Ana Gomes (A Melhor Amiga da Barbie de 2011) e Vanessa Martins (Frederica de 2013) como exemplos, a peça da SIC reforça a ideia de que é possível ter rendimentos elevados através dum blogue e dá a conhecer alguns dados estatísticos e aliciantes. Só isso.

Se havia outras pessoas para entrevistar e outros blogues para dar a conhecer? Claro que sim. Mas as pessoas gostam de estar familiarizadas com aquilo que vêem na televisão e se tivesse sido eu a dar a cara na entrevista provavelmente a reportagem não teria tido o mesmo impacto por uma razão muito simples: só os blogues grandes que toda a gente conhece é que ganham algo digno de notícia. Se é ridículo alguém dizer que em Portugal não existem bons blogues? Sim, é. Há muitos blogues de qualidade que não são mais conhecidos exactamente por causa deste complexo de inferioridade que dita que projectos estrangeiros são melhores e é absurdo que no meio de milhões de blogues sobre tudo e sobre nada - porque, sejamos sinceros, qualquer pessoa tem um blogue e eu não vejo isso como algo negativo - haja alguém capaz de dizer que não encontrou UM que se enquadrasse nos seus gostos e interesses. Mas são gostos e gostos não se discutem.

Se a Vanessa Martins pode ser considerada blogger apesar de ter uma equipa completa (escritor, fotógrafo, maquilhadora...) a trabalhar para ela? Pode. Lá fora, os blogues verdadeiramente importantes funcionam dessa forma, toda a gente sabe disso e ninguém se importa (conhecem o The Blonde Salad da Chiara Ferragni?). Não sei se a Vanessa irá conhecer todas as coisas positivas de ter um blogue que é fruto do nosso próprio trabalho desde o primeiro dia mas se pode investir numa equipa e se pretende utilizar o blogue como recurso para a sua carreira, porque não? Nem toda a gente utiliza o blogue como um espaço pessoal ou de opinião. Para algumas pessoas - e isto é importante salientar - um blogue é uma ferramenta de trabalho que gera contactos e dinheiro e é uma obrigação que liga marcas e consumidores. Nem toda a gente olha para o blogue como um espaço simples onde pode escrever meia dúzia de parvoíces e trocar experiências. Nem toda a gente olha para o blogue como um espaço de desabafos e registos. Se a Vanessa quer seguir a vertente profissional e se um blogue pode proporcionar-lhe isso, qual é o problema?

Se a Ana e o Cláudio têm mérito pelo que atingiram? Sem dúvida. Criaram um blogue de raíz e, apesar de eu não ser fã de nenhum dos dois - porque não me identifico minimamente com os conteúdos ou o tipo de escrita - reconheço-lhes o valor assim como reconheço a muitos outros que merecem palmas pelas marcas que criaram, pela exposição que passaram a ter e pelo império de fãs que estabeleceram. E será que a Vanessa tem mérito pelo blogue que tem? Talvez não. Mas isso não dita a qualidade do espaço ou a sua estratégia. Simplesmente seguiu um rumo diferente. Como disse, um blogue não é apenas um espaço pessoal e a Vanessa não será nem a primeira nem a última a criar um blogue para fins puramente profissionais e comerciais.

Em toda a reportagem houve apenas um ponto que me fez confusão: o irrealismo como foi tratado o trabalho que um blogue exige. Acredito que, depois de terem visto a reportagem transmitida pela SIC, muitos jovens - e digo jovens porque são aqueles que se iludem mais rapidamente com o dinheiro fácil - ficaram a equacionar a hipótese de criação dum blogue comercial pelos possíveis patrocínios. E não podiam estar mais enganadinhos. Um blogue, se não formos conhecidos e se não fizermos uma festa de lançamento, é mais do que uma simples página e, nos primeiros meses (ou anos, em alguns casos), não nos dá retorno. As estatísticas são baixas e os comentários idem aspas. Há alturas em que pensamos que estamos a escrever para o boneco. E por isso achei que a reportagem falhou nesse sentido uma vez que deu a entender que qualquer pessoa consegue ter um blogue de sucesso com patrocínios, rendimentos e publicações encomendadas.

Um blogue dá trabalho, exige dedicação, cresce lentamente e provavelmente nunca nos permitirá viver dele. É preciso gostar muito de escrever, de fotografar, de partilhar, de opinar. E esse irrealismo foi a única coisa que, como pessoa que administra um blogue com todo o carinho, me causou desconforto. A forma como a Vanessa escreve (ou não escreve) ou dá a cara pelo Frederica pouco me interessa. Não quero é que as pessoas se iludam com o dinheiro fácil porque, havendo milhões de blogues por aí, a probabilidade de enriquecermos à custa do nosso é totalmente ilusório e irrealista. Só isso. Para dizer a verdade, continuo sem perceber o drama à volta da reportagem!

👌

18 comentários:

  1. Já tinha ouvido falar da entrevista, mas só agora a vi. Muito sinceramente, concordo com tudo o que disseste. As pessoas têm de saber separar os vários tipos de bloggers, porque na verdade não somos só nós. Não há só blogues pessoais, só blogues generalistas. E a reportagem da SIC focou-se especialmente naqueles que dão dinheiro, como é o caso de blogues de moda ou de celebridades; se a blogosfera é muito mais do que isso? Sim, claro que sim. E concordo contigo no último ponto. E tenho a certeza que muito boa gente vai pensar em criar um cantinho só e exclusivamente para ver se recebe algum. Eu continuo na minha: blogues pessoais e generalistas. São os meus favoritos, mas lá está, são apenas os meus gostos. Estou na blogo não só para escrever, mas para ler conteúdos que me interessam de pessoas que sabem transmitir o que sentem ou pensam através das palavras, seja de que maneira for. A publicidade na barra lateral não me incomoda minimamente se o conteúdo do blogue for bom. O importante é a essência estar lá, nas publicações. Suponho que no da Vanessa isso não se reflita, ao contrário da Ana, por exemplo. Mas isso agora não interessa nada... a blogosfera é um mundo.

    ResponderEliminar
  2. Concordo com o que disseste. A única coisa que eu não acho normal é o valor que se dá a blogues comerciais no seu início ou seja, acabadinhos de lançar e há logo uma imensa publicidade - ainda não há escrita, não há "sumo", praticamente nada mas o blogue já tem o valor garantido (ou quase). Fora isso, cada um é livre de utilizar as ferramentas que lhe são disponíveis conforme entender melhor para si, como disseste, há gostos para tudo.

    ResponderEliminar
  3. Concordo com tudo o que dizes. A nível profissional giro o blog de uma marca e não e de todo fácil pôr aquilo a render. Quanto mais um blog pessoal!

    ResponderEliminar
  4. Tenho a mesma opinião que tu. Acho que eles foram um bocadinho irrealistas!

    ResponderEliminar
  5. Fiquei somente agora a conhecer tal polémica com a reportagem. Fui ver e fiquei exactamente abismada com a sensação de facilidade com que falam. Parece-me que não se faz assim tanto dinheiro, e se sim, demora. Não é fácil.
    E depois acredito que seja muito difícil manter o equilíbrio entre a essência do blogue, que a meu ver é a pessoa que o escreve, e a vertente comercial. Apesar de ter começado aparentemente um blogue há cerca de um mês, já por aqui ando desde 2009 com um outro anterior blogue de maior visualização. Ou andamos à caça de leitores, pescando em outros blogues (quem tem tempo para tal? Só se viver somente disso!), ou com sorte... e uma boa rede social já sustentada.
    Concordo contigo no que escreveste!

    E já agora, foi o teu primeiro poste que li (:

    ResponderEliminar
  6. Uma reportagem tão importante a falar de alimentação e saúde que toca a TODOS e as pessoas revoltam-se é porque alguém escreve pela Vanessa Martins. Absurdo na minha opinião...

    ResponderEliminar
  7. Até aí tudo bem Carolina, mas o facto da Vanessa ter dito que nao se identifica com nenhum blog português... Oh por favor, vai-me a venda

    ResponderEliminar
  8. Eu não vi a reportagem.. Mas se dão essa ideia de facilitismo, vai começar a vir muita gente enganada.. Eu tenho o adsense no blog à mais de um ano e tenho lá 5€ xD só quando alcançar os 70€ é que posso ter o dinheiro

    ResponderEliminar
  9. R: Quem me dera ir ao da Índia. Para já vou à versão portuguesa, cá em Lisboa, Carolina. Será em Setembro e também vai haver outra edição no Porto a 6 de Setembro ;)

    Já vi um excerto dessa reportagem e uma das coisas que me intrigou foi realmente a ideia que passaram da facilidade em ganhar dinheiro com um blogue. Foi uma perspectiva irrealista.

    ResponderEliminar
  10. Concordo tanto contigo! Tudo depende do objetivo das pessoas!

    ResponderEliminar
  11. Temos que te agradecer por nos ajudares a ver as coisas de outra forma. Demos-te todo o mérito por isso e agradecemos-te aqui (http://elaeele-nos.blogspot.pt/2015/04/comentario-uma-reportagem-sobre-blogues.html).
    Aproveitamos para te parabenizar pelo trabalho desenvolvido.

    Ela e Ele.

    ResponderEliminar
  12. Só agora é que tive a oportunidade de ver a reportagem - nem sabia que tinha sido feita até ler o teu post - e concordo com tudo o que explicitaste. E em relação à Vanessa Martins, se ela tem uma boa imagem porque não usá-la como trunfo? Tudo bem que não é ela que escreve, ou que passa horas a editar as fotos ou o design, etc, mas as pessoas clicam no seu site por causa dela e isso basta-lhe.

    Esta confusão toda só lhe gerou mais visitantes e, por isso, mais dinheiro.

    ResponderEliminar
  13. Eu concordo plenamente com tudo o que disseste! De qualquer forma a reportagem chamava-se Ganhar Dinheiro com os Blogs ou algo do género. Talvez a sic ou os bloggers referidos precisem de boa publicidade. Penso que a sic deve-se realçar que para chegar a receber dinheiro ou não, é preciso muito trabalho árduo, por parte do blogger!

    http://zenvogue.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  14. Ter um blogue não é pêra doce, há quem consiga fazer negócio mas são poucos que cá andam pela paixão...

    ResponderEliminar
  15. Concordo totalmente com o que disseste.

    http://zenvogue.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  16. Sendo eu figura publica, tendo eu uma equipa tudo é facil ;) tudo é um sucesso... Olha que riquinho... xD Eu valorizo pessoas que começaram do zero e hoje são conhecidos pelo trabalho que fizeram com o blog... como a do blog da Carlota, minissaia, pipoca... agora o federica? Onde raio isso se enquadra no "diario na internet" (que é a definição de blog) ? Simplesmente não se enquadra. Quando se é conhecido tudo o que é marking é dado...Esses não vendem talento de escrita, vendem a imagem da pessoa. Mas acho que a reportagem está muito "olha como é facil ser rica com um blog, vou só ali escrever um post de 500€ e já venho!"

    ResponderEliminar
  17. Super de acordo! Não conhecíamos o teu blog, mas já somos fãs! Beijinhos

    ResponderEliminar