Thirteen

TEMPO DE ANTENA | São as diferenças que nos aproximam

"Os opostos atraem-se, sempre ouvi dizer. E é o que a minha curta experiência de vida me tem mostrado. No meu antigo relacionamento éramos iguais. Gostávamos de fazer as mesmas coisas, íamos sempre aos mesmos sítios, tornou-se uma rotina. Agora, é tudo diferente. Nós somos completamente diferentes um do outro. Não nas ideias principais de um futuro a dois, mas em coisas mais práticas e simples do dia-a-dia.

Ele é extrovertido, vê sempre o copo meio-cheio, sabe sempre o que dizer e gosta de falar com toda a gente. Já eu, sou tímida, vejo o copo meio-vazio e não tenho muito jeito com as pessoas. Ele gosta de comida saudável, adora ir a festas tipicamente portuguesas e a sua estação do ano favorita é o Verão. Já estão a ver que comigo é o oposto.

Todas estas diferenças que nos podiam afastar, fizeram com que nos aproximássemos ainda mais. Nós fizemos isso acontecer. O facto de cada um gostar de uma coisa diferente faz com que a nossa relação não caia na rotina. Se hoje vamos comer um bacalhau no forno e dançar numa festa do rancho, para a próxima vamos ao McDonald's e dançar numa discoteca.

Perguntam vocês: mas porque é que fazem coisas que à partida não vão gostar? Porque gostamos de ver o outro feliz. É claro que no início não era assim tão fácil. Pensei muitas vezes em não fazer isto ou aquilo só porque ele gostava. Mas com o passar do tempo percebi que aquilo até nem é assim tão mau, e que me posso divertir e gostar de outras coisas. É claro que continuo a preferir as minhas batatas fritas, mas um bacalhau no forno também é uma refeição bem agradável. E quem diz isto, diz tantas outras coisas. Na nossa relação, nenhum de nós deixou de ser quem era. O truque é estarmos abertos a novas experiências, aprender a arriscar e a não ter medo do incerto. É fazer com que as diferenças estejam lá, mas aprendermos a viver com elas."

Likes | Tumblr

3 comentários:

  1. Acho que este conceito vai depender imenso de como somos ou com quem estamos. Por exemplo, eu e o meu ex-namorado encaixávamo-nos perfeitamente neste texto, na definição. Gostos diferentes com algumas particularidades semelhantes mas acima de tudo, diferentes. E apesar dos esforços para nos integrarmos nos gostos um do outro, essa cedência levou a cansaço e a desdém pelos interesses da outra pessoa. Claro que a culpa é dos integrantes da relação e como é óbvio não estou a dizer que é o que vai acontecer na relação aqui descrita, espero mesmo que resulte até porque o texto está cheio de ternura, mas a generalização dos "opostos que se atraem" já não faz o mesmo sentido que fazia para mim há uns anos. Será que pessoas diferentes atraem-se, respeitam-se e interessam-se pelos gostos do parceiro assim tanto?

    ResponderEliminar
  2. Desde que as diferenças não afastem as pessoas, tudo bem. O problema é que às vezes é complicado lidar com as mesmas, principalmente se estão relacionadas com estilos de vida, moral e formas de pensar. É óptimo não haver rotinas numa relação, mas se ambos não têm os mesmos ideais, mais tarde ou mais cedo alguém tem que ceder ou então a coisa corre mal.

    ResponderEliminar
  3. Penso que este texto caracteriza tal e qual a minha relação. Mas o truque por vezes é a comunicação e olhar todos os dias um para o outro com olhos de ver. O dar é sempre maior, mas vale a pena. Beijinho, Gostei imenso do teu blogg.

    http://giselapascoal.blogspot.pt/

    ResponderEliminar