Thirteen

VIDA ACADÉMICA | Carolina Turista (?)

Se estivesse hoje em posição de tomar decisões académicas pelo meu futuro provavelmente não escolheria o curso em que estou. E antes que as más línguas venham opinar sobre a minha reflexão eu deixo alguns pontos bem assentes: gosto da minha faculdade, gosto das pessoas que me rodeiam, gosto das matérias que abordo e gosto de (quase) todos os professores. Se me imagino a trabalhar no sector do Turismo um dia mais tarde? Não. Da mesma forma como não imagino nada que vá para além do próximo mês. Mas adoro aquilo que aprendo e tenho alguns sonhos utópicos que um dia gostaria de cumprir ainda que não estejam directamente relacionados com a área que escolhi.

Hoje lido com esta frustração aos poucos enquanto tento descobrir o que raio quero eu fazer daqui para a frente e por agora espero apenas que seja uma descoberta rápida e feliz. Mesmo que seja numa temática completamente diferente daquela para onde direcciono os meus estudos.

18 comentários:

  1. O curso é como um trampolim... tu saltas e tens fé que aterres no tapete, uns com mais jeito que outros, uns com tudo estudados, outros meios trapalhões e outros e fecham os olhos e seja o que Deus quiser. Tolo é aquele que acredita que tiras o curso e tens um trabalho directo sobre o que estudaste. A vida dá voltas, dá-te oportunidades e o curso são as ferramentas. Podes fazer algo totalmente diferente mas vale sempre a pena. Já me tentaram fazer a vida negra por ter escolhido um curso que não me diz nada de mais... só porque não havia melhor opção mas até agora tenho honrado a instituição e quero um curso que me dê o numero máximo de oportunidades possíveis. Sem restrições do tipo ah tás em direito vais ser advogado ou em medicina tens és medico... como se não houvesse todo um outro mundo em que essas ferramentas dão trabalhos brutais e totalmente diferentes e importantes.

    ResponderEliminar
  2. Eu continuo a ter esta teoria de que somos estupidamente imaturos e novos para escolhermos o que queremos fazer para o resto da vida. Ou "empancamos" com um sonho qualquer ou estamos tramados e de dedo apontado por "não sabermos o que queremos da vida"...

    ResponderEliminar
  3. Acho compreensível e esta pode ser também só uma "fase". Quem sabe, mais à frente, não voltes a ganhar aquele gosto especial e queiras novamente tentar algo nessa área no que diz respeito ao trabalho. E ainda és nova, tens a vida inteira pela frente para escolher o que é melhor para ti :)

    ResponderEliminar
  4. Acho natural porque, como já aqui disseram, somos muito novos para escolher e condicionar todo o nosso futuro! Mas fiquei mesmo curiosa, não te ves na area pelo que já aprendeste até aqui ou simplesmente não tens aquele "bichinho"? Turismo sempre foi (na minha inocencia de quem praticamente não sabe nada sobre a area) um dos cursos que mais me motivou, alias, só não segui turismo pela estupidez de no Porto, não existir em nenhuma faculdade publica, se não, seria sempre a minha primeira opcao :)
    E provavelmente ainda tens varias saidas que não te obriguem a lidar diretamente com o turismo... Dedicada como és vais encontrar :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nunca soube exactamente que curso queria seguir porque nunca soube responder à mítica pergunta "o que queres ser quando for grande?". Escolhi o curso pelas cadeiras e pelas matérias porque é uma área que me desperta muito interesse e continuo a gostar do que aprendo e aprendi mas simplesmente não consigo enquadrar-me nela no âmbito mais profissional e menos académico. Sei que, se vier a trabalhar - e a trabalhar de forma feliz - na área será porque consegui conciliá-la com outros interesses :)

      Eliminar
  5. É normal isso acontecer. No meu caso, ainda tenho a hipótese de escolher o que estudar antes de me meter em algo, mas mesmo assim, não sei mesmo o que quero. Por isso, só resta esperar!

    ResponderEliminar
  6. Eu também não faço ideia do que quero fazer depois de acabar o curso. Sempre tive certezas com a área, mas nunca soube ao certo o quê. E tenho medo de estar a gostar da parte teórica e depois odiar trabalhar nesta área... O futuro é sempre uma incerteza, mesmo depois de todas as certezas que vais criando na tua cabeça :)

    ResponderEliminar
  7. Concordo com o que as meninas disseram anteriormente, até fiquei a pensar que ia dizer o mesmo que elas, mas na verdade, concordo com a parte da imaturidade, e eu pessoalmente, até mudei de curso 2 vezes até ir artes, de tão indecisa que era a minha escolha!

    ResponderEliminar
  8. Em nova queria ser enfermeira. Porém deu me na veia que talvez não seria a melhor opção, tirei curso de psicologia, mestrado em psicologia clínica e da saúde, agora estou com um dilema, gosto do que faço, aliás amo. Mas falta-me algo e só em psiquiatria é que encontro o que me completa. Por isso entendo te perfeitamente. E como já disseram, somos muito novos para decidir o que fazer seja o que for para o nosso futuro. E ou gostamos ou andamos aos trambolhões. Boa sorte.

    ResponderEliminar
  9. Ainda és nova, tens imenso tempo para perceberes aquilo que queres. :) Mesmo que não te vejas a nível profissional no curso de turismo, acredito que tenhas outras opções e que consigas concilia-las.
    Sei de uma pessoa que vai na 3ª licenciatura e tem o mundo em aberto devido a tudo o que aprendeu nos 3 cursos diferentes, porque lá está, foi-se apercebendo melhor do que lhe interessava e optou por relacionar áreas que, de algum modo, se complementam.
    Isto tudo para dizer que para termos sucesso ou estarmos profissionalmente satisfeitos, não é necessário que saibamos logo aquilo que queremos. Temos de ir pelo que gostamos e no fim juntar as peças todas. x)

    ResponderEliminar
  10. Nós temos de decidir o que queremos muito antes de podermos saber o que realmente queremos.. Acho que estágios nas férias no secundários nos ajudariam imenso..

    ResponderEliminar
  11. Sabes?Mesmo tendo um curso já tirado ainda não sei se é nisto que quero trabalhar. E acho que é isso que me descrever, querer fazer varias coisas na vida, ser varias coisas. E, não falta é tempo...depois com vontade e dedicação tudo se consegue! ♥

    xoxo, Sofia Pinto
    Morning Dreams | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  12. Hoje estive a pensar em algo do género.
    Sempre quis ser jornalista mas acho que foi porque me habituei a dizer que queria ser jornalista. Gosto do sítio onde estou e das pessoas (algumas, vá :p). Também fico muito agradecida por já ter aprendido tanta coisa aqui mas não me vejo jornalista. Aliás, até agora fico quase derrotada sempre que um trabalho envolve fazer reportagens ou notícias... gosto de algumas coisas do jornalismo mas nada que me faça dizer que é jornalismo que quero da vida.
    Sonho muito, é verdade, mas sei que quando acabar o curso vou trabalhar e não me imagino a fazê-lo na minha área... até porque nem quero. Enfim, dilemas que davam para muitas linhas :)

    ResponderEliminar
  13. És tu e eu. Cheguei a estar bastante desanimada mas agora quero terminar as disciplinas que me faltam - apenas 3 - e seguir em frente. Estamos nos 20´s Carolina, o mundo é nosso =)

    ResponderEliminar
  14. Eu tive a sorte de me aperceber que era no Turismo que eu quero trabalhar e sinto-me tão bem :)

    ResponderEliminar
  15. Hás de encontrar algo com que te identifiques e que te faça feliz :)

    ResponderEliminar
  16. Esses sentimentos têm tanto de bom como de mau. Demonstra que és alguém que sabe bem o que quer (não escolheste o curso pelo curso em si mas sim pelas disciplinas - muito pouca gente faz isso e devíamos ser muito mais.) mas ao mesmo tempo apesar de gostares das disciplinas podes ter de trabalhar numa profissão que não te agrade. No entanto, como sabes bem o que gostas será mais fácil procurar o teu lugar. Tenho a certeza que o teu curso tem imensas opções profissionais e haverá alguma que gostes. :)

    ResponderEliminar
  17. Ainda hoje me questiono sobre a mesma situação, claro está — aplicada a mim. O bom desta vida é isso mesmo: amanhã não se sabe, depois quem saberá? As coisas mudam e ainda bem. E felizmente vivemos com imensas facilidades em sermos mutáveis entre várias áreas, fazendo várias coisas, tocando vários instrumentos...como se fossemos nós próprios uma só orquestra :)

    Por isso boa sorte. E não penses muito!

    Sara Cabido | Little Tiny Pieces of Me

    ResponderEliminar