BLOGOSFERA | Há lugar para todos. Desde que haja bom senso.

Graças ao meu tipo de escrita - que nem sempre é suficientemente explícito - foram várias as pessoas que interpretaram de forma errada o texto que publiquei anteontem, que pensaram que eu estava a fazer referência à evolução do mundo dos blogues e que assumiram que a diferença entre pessoal e íntimo era referente aos diversos tipos de textos que vão  surgindo pela blogosfera em geral. Nenhum desses pontos está correcto e não era minha intenção - de todo! - criticar ou julgar tipos de blogues. Esse tema não me diz respeito nem tão pouco me interessa. Os blogues baseiam-se em preferências e, como tal, não podem ser escalonados.

A diferença entre pessoal e íntimo não se prende com os blogues-diários que vivem dos longos textos carregadinhos de emoção nem tão pouco está relacionada com a (falsa) superioridade de blogues com conteúdos mais diversificados. De todo. A diferença reside apenas na forma como são ditas as coisas. E, nesse sentido, há quem saiba ter um blogue-diário sem se expôr demasiado e há quem seja demasiado íntimo. Da mesma forma como há quem tenha um blogue generalista e não saiba separar as águas. Independentemente do tipo de blogue, é essencial que se defenda o bom senso e é importantíssimo ter presente que é possível escrever um texto pessoal sem destacar detalhes da nossa intimidade. E existem bloggers que registam desabafos, sentimentos bonitos e arrufos mantendo sempre a distância que nos protegem e dão segurança mas também existem outros que não fazem essa distinção e que correm alguns riscos lá fora

Focando uma opinião mais pessoal, não me sinto confortável a ler um blogue demasiado íntimo (em que a pessoa retrata tuuuuudo o que acontece na sua vida; mesmo as coisas que ninguém precisa de saber e que a fragilizam) porque sinto que estou a explorar um campo delicado que não me diz respeito. E uma miúda de 15/16 anos que descreve tudo o que faz com o namorado ou que escreve textos raivosos sobre as discussões (aparentemente injustas aos seus olhos) com os pais irá, com certeza, arrepender-se um dia mais tarde. Há certas coisas que não devem estar na Internet e se nunca sabemos quem está do outro lado, então é ainda mais importante manter a distância, ter bom senso e não escrever de cabeça quente. A diferença entre pessoal e íntimo - que muita gente não assume como verdadeira - reside neste ponto. Só. Não se exponham demasiado. Sejam críticos perante a vossa própria escrita.

6 comentários:

  1. Acho que tens razão. Há um limite de exposição que não devia ser ultrapassado... *

    ResponderEliminar
  2. Não li o texto anterior, pelo que leio neste concordo contigo. É preciso ter cuidado com o que se quer expor. Das duas uma, ou a pessoa vai ter capacidade de lidar com o feedback (positivo ou negativo) desses manifestares de sentimentos...Ou então, vai estar bem tramada.
    (agora vou ler o outro xD)

    Beijinho.
    Teoria de Tudo Sobre Nada

    ResponderEliminar
  3. Concordo contigo. Eu tenho um blog onde falo de tudo um pouco, mas foco-me bastante nas minhas experiências e opiniões sobre certos temas. Ainda assim, há partes da minha vida demasiado íntimas que nunca me passaria pela cabeça partilhar, há pormenores que são só nossos e que devem ser evitados nos blogs, até pq o que não falta por aí são pessoas dispostas a fazer comentários maldosos ou a interpretar mal tudo o que dizemos. Mas também acho que é normal que uma pessoa de 15 não tenha esta noção tão clara como uma pessoa de 18/29/20.

    ResponderEliminar
  4. Li os teus dois textos sobre este tema e concordo contigo. Apesar de ter um blog em anónimo, nunca escrevo coisas demasiado íntimas, há coisas que são só minhas e ponto. E tal como tu, não consigo ler blogues muito íntimos, na verdade faz-me imensa impressão como alguém consegue escrever coisas tão íntimas para qualquer pessoa ler :s

    ResponderEliminar
  5. Não li o que escreveste anteriormente mas é de facto perigoso expor a vida nesses termos, precisamente porque nunca se sabe quem poderá vir a ler o que se escreve. Um blogue não significa necessariamente que tenhamos de contar em pormenor tudo o que nos acontece no dia a dia - e quem diz blogue diz qualquer rede social - e existem muitos miúdos que infelizmente não conseguem compreender isso nem mesmo com 20 anos. Eu pessoalmente nem tenho paciência para blogues assim, nem tão pouco para os que publicam várias vezes ao dia, uma vez que não tenho tempo de passar o dia na blogosfera e acabo por não conseguir seguir o blogue como deve ser.

    ResponderEliminar
  6. Concordo contigo! Boa semana xoxo

    ResponderEliminar