Thirteen

BLOGOSFERA | A Indignação Carteirística

Há uns meses - e antes de eu cancelar a opção de comentar em anónimo por aqui para não ter que ler barbaridades maldosas sobre outros bloggers e sobre as pessoas que me são mais queridas - havia alguém - sem nome, pois claro - que me perguntava constantemente quanto tinha custado aquele produto, quanto é que eu tinha pago pelas férias em tal sítio e quanto tempo é que eu tinha poupado para comprar determinado artigo. Não havia cá diferenças entre produtos maravilhosos ou artigos de merda. Essa pessoa aparecia aqui para saber preços. Só. Preços. Mas se eu respondesse às suas questões era automaticamente insultada pela ousadia. Porque havia pessoas a morrer à fome, porque vivíamos num país de desempregados e porque eu devia ter vergonha de gastar o MEU dinheiro em coisas que gosto ou preciso. 'Tá certo. Eu também odeio ser bipolar mas adoro.

E, para dizer a verdade, esta estupidez constante serviu para que eu chegasse a uma conclusão pertinente: as pessoas gostam de ficar indignadas com a vida dos outros como se os seus próprios problemas não bastassem. E não importa se estão a ler um texto sobre pacotes de bolachas, telemóveis ou viagens às Maldivas. O importante é ficar indignado com as etiquetas e atirar ao ar a posta de pescada mais original. O QUÊ?! NÃO TENS VERGONHA DE EXPÔR OS PREÇOS NO BLOGUE?! NÃO TENS VERGONHA DE ME RESPONDER DE FORMA TÃO DIRECTA?! COMO ASSIM?! 

Nunca cheguei a compreender o drama. Afinal querem saber os preços dos produtos porque equacionam a compra, querem saber os preços dos produtos para se indignarem com o facto de alguém poder comprá-los ou querem saber os preços dos produtos porque gostam de mandar bitaites sobre as carteiras alheias? Mistérios da vida. A verdade é que ainda é difícil para muita gente compreender que o conceito de caro é muito relativo ou que cada um faz do seu dinheiro aquilo que quer. E é triste. Eu, pelo menos, não conseguiria viver obcecada com as aquisições doutra pessoa. Relaaaaaaxem, senhores! Afinal de contas que diferença - positiva (!) - é que essa indignação faz nas vossas vidas?

10 comentários:

  1. Ahahah. Acho que quanto mais cedo percebermos que as pessoas vão criticar quer façamos o bem ou mal, melhor para nós.
    Em pleno século XXI há imenso para mudar, e a inveja alheia está longe de ser um problema resolvido.
    Enfim.

    ResponderEliminar
  2. Enquanto uma pessoa não roubar para comprar essas coisas, ninguém tem nada a ver com isso, que raio -.-

    ResponderEliminar
  3. Se tivessem ao menos coragem de se identificarem corretamente... De certeza que eram apenas crianças sem mais nada que fazer.

    ResponderEliminar
  4. Mas se te perguntaram os preços não vejo o problema de os dizeres.. Ai meu deus que gentinha..
    Rancorosos serão sempre rancorosos.

    ResponderEliminar
  5. A mim fizeram isso quando comprei o Iphone. Não me perguntaram o preço mas imediatamente criticaram e julgaram a minha escolha e o que paguei, fora os insultos todos que se seguiram durante a semana. Enquanto os autores dos comentários não forem gestores ou patrocinadores da minha carteira eu não vou compreender este tipo de comportamentos...

    ResponderEliminar
  6. Ora nem mais! Juro que não entendo. Mesmo!

    ResponderEliminar
  7. Nunca me aconteceu (também não costumo falar de produtos que compro), mas achei ridículo o comportamento dessas pessoas. Tu sabes o que fazes com o teu dinheiro e mais ninguém tem a haver com isso, pronto.

    ResponderEliminar
  8. Aposto que essas pessoas são as que menos caridade fazem.

    ResponderEliminar
  9. És presa por ter cão e por não ter... Basicamente.
    Mas caga nisso, acreditos que muitos dos que comentam assim são uns frustados na vida real e vêm para aqui arranjar confusão, descarregar em cima dos outros de maneira a se sentirem melhor.

    ResponderEliminar