Thirteen

TEMPO DE ANTENA | Ensino Superior: Ciências da Comunicação

"Visto que na blogosfera sou uma “ilustre desconhecida”, convém dizer que o meu nome é Sara e tenho 19 anos. Acabei este mês o segundo ano no curso de Ciências da Comunicação na Universidade do Minho e, se tudo correr bem, para o ano, por esta altura, estarei licenciada (será caso para dizer yey ou glup?). 

Para mim a escolha do curso não foi nada fácil. A média não era problema e estive na dúvida entre Direito e Ciências da Comunicação durante imenso tempo. Por fim, acho que tomei o caminho mais certo e inscrevi-me em Ciências da Comunicação na Universidade do Minho. Até agora não me arrependo. Sou de Braga e o meu curso - diz-se por aí - é dos melhores do país. 

Se Ciências da Comunicação na UM é o melhor curso de comunicação do país, não vos sei dizer, simplesmente porque não conheço os outros. O que eu sei é que gosto muito do meu curso. Exceto, claro, quando tenho uma pilha de trabalhos para entregar. É que em qualquer semestre, depois do início, é praticamente impossível encontrar uma semana sem um teste ou um trabalho para entregar ou apresentar. Se estão a pensar seguir esta licenciatura porque é fácil – como se vai ouvindo - não o façam. Não vou dizer que é um curso difícil, mas é extremamente trabalhoso e, se não gostarem da área, vão sentir-se muito mal. 

O primeiro semestre do primeiro ano é, apesar das mudanças, o mais leve e acreditem que, na altura, não pensei vir a dizer isto! Os dois semestres seguintes já apertam bastante mais connosco, uma vez que para além das cadeiras teóricas normais, começamos a ter o Atelier de Comunicação e Informação. E o que é isso? – perguntam vocês. Pois, o Atelier é uma única unidade curricular mais prática, dividida em três módulos e que, assim, consiste basicamente em três cadeiras. Cada módulo corresponde a uma das áreas da Comunicação: Jornalismo e Informação, Publicidade e Relações Públicas, e Audiovisual e Multimédia. Mas não se preocupem, futuros caloiros que possam estar por aí, que a partir do próximo ano letivo, cada módulo será uma cadeira individual, o que, parecendo que não, ajudará a equilibrarem as coisas. Agradeçam aos alunos mais antigos que sempre se queixaram deste e outros factos, levando a uma boa reestruturação do curso a entrar em vigor em 2015/2016, sim? 

Depois, a meio do curso, vem a altura ansiada pela maioria: a altura em que podemos (e temos) de escolher a área da Comunicação em que nos queremos especializar. Para mim, essa parte não foi muito divertida! O stresse tomou conta de mim por uns dias, mas lá me decidi pelo jornalismo. Embora tenha tomado essa decisão, podia igualmente ter optado pela Publicidade e Relações Públicas, porque é também uma área da qual eu gosto mesmo muito. A opção pelo jornalismo ficou a dever-se a paixões mais antigas e também ao facto de, na minha opinião, ser essa a área que mais nos consegue preparar para sermos versáteis no futuro. 

Seguindo a especialização de jornalismo, somos obrigados a escrever bem, a saber ouvir, ver e falar – num sentido mais profundo, claro -, somos obrigados a lidar com vários tipos de software e ainda com gravadores e câmaras de filmar. Durante o 2º semestre do 2º ano e 1º do 3º ano, aprendemos como fazer jornalismo para imprensa, rádio, televisão e web. Ou seja, é como digo, somos obrigados a adaptar-nos e a ser versáteis, algo que me parece que será muito útil no mercado de trabalho, ainda que não trabalhe em jornalismo ou até numa das áreas da Comunicação. 

Não sei o que o futuro me reserva. Não sei sequer se quero mesmo ser jornalista. Gosto muito da área e do trabalho que faço. Mas, lá está, não sei mesmo o que futuro me reserva. Se tudo correr bem, daqui a um ano, estarei licenciada não em jornalismo, mas em Ciências da Comunicação, o que significa que posso vir a trabalhar em qualquer uma das três áreas. Potenciais futuros colegas, nunca se esqueçam que o curso de Ciências da Comunicação, mesmo com a especialização, vos torna aptos, pelo menos teoricamente, para trabalharem em jornalismo, publicidade e audiovisual. É, portanto, um curso com saídas diversas. Mesmo que entrem a pensar seguir determinada especialização, preparem-se para uma possível mudança de ideias. Aconteceu com amigos meus. E preparem-se também para muito estudo e trabalho, independentemente da área que escolherem. Contem com teoria e prática. Não vão escapar a muita Sociologia, a alguma Psicologia e a imensas teorias de toda a ordem. Nem vão escapar-se de se aventurarem um pouco pelo teatro, de fazer uma curta-metragem e de escrever alguns relatórios, análises críticas e notícias. A vossa criatividade será posta à prova, assim como a vossa capacidade de trabalhar sobre pressão. E, como não podia deixar de ser, não se vão escapar a muitas horas em frente ao computador, a trabalhar em vários softwares da Adobe, que utilizarão para editar som, fotos, vídeos e até para darem alguns passos no Design Gráfico. 

Resumindo e concluindo, se seguirem Ciências da Comunicação na Universidade do Minho, terão muito trabalho pela frente, mas sairão de lá com uma mente mais aberta e uma capacidade de adaptação muito maior que a maioria das outras pessoas. Isto, claro, se se deixarem envolver pela área e se prestarem atenção a alguns dos professores fantásticos que há para encontrar por lá."

add a caption

Sara, Aluna do Segundo Ano da Licenciatura em Ciências da Comunicação na Universidade do Minho.

[Se tiverem dúvidas ou questões podem deixá-las na caixa de comentários. A Sara irá responder às vossas perguntas no mesmo espaço assim que possível.]

4 comentários:

  1. Sou licenciado em Ciências da Comunicação e da Cultura e revi-me bastante no teu texto. Felizmente sempre tive uma ideia do que queria seguir, portanto não tive problemas na escolha da especialização (optei por jornalismo). Graças à variedade de cadeiras, o meu primeiro estágio acabou por ser na área de design. É como dizes, quem optar por CC "terá muito trabalho pela frente" :)

    Ricardo, The Ghostly Walker.

    ResponderEliminar
  2. Qual media para entrar em Ciências da Comunicação?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na UM, está quase no 16. No ano em que entrei ficou em 15,88. Nas outras universidades, já não tenho bem presente qual é a média, mas podes ver isso tudo neste link: http://www.dges.mec.pt/guias/
      Aí podes pesquisar os cursos que mais te interessam e saber a sua média em cada instituição de ensino.

      Eliminar