Thirteen

VIDA ACADÉMICA | Vamos lá desmistificar o meu curso.

Duas das maiores confusões no mundo académico do Turismo são 1) a não diferenciação de cursos com nomes semelhantes e 2) a existência de cursos profissionais em áreas que se sobrepõem. E isso interfere nas escolhas dos alunos que não pesquisam aprofundadamente sobre o assunto, desvaloriza o sector e interfere também na afirmação do curso em Portugal uma vez que a sociedade em geral ainda não reconhece a importância do Turismo para a economia, para a comunidade e para a evolução do país. Para lá caminhamos.

A verdade é que não é necessário um curso superior para trabalhar em Turismo. Não é e é exactamente isso que descredibiliza a área. Servir às mesas num restaurante, fazer as camas num hotel, trabalhar no balcão do bar da praia, abrir uma loja de souvenirs, conduzir uma camioneta de transporte de passageiros... Tudo isso é Turismo. E pode não ser necessário um curso superior para trabalhar num hotel e progredir na carreira ou para desempenhar o papel de guia turístico num museu - concordo plenamente! - mas uma licenciatura na área é inegavelmente uma vantagem se preferirmos trabalhar no backstage, na promoção, nas estratégias de investimento, na política, na economia, na gestão, no marketing, na comunicação, na imagem do destino e por aí além. É uma vantagem se quisermos ir mais longe, se quisermos uma formação multidisciplinar. Garanto-vos: não há nenhum destino - nenhum! - que sobreviva se não houver uma base forte a suportar as profissões que contactam directamente com o turista e é isso que muitas vezes falha no nosso país (e noutros também). O Turismo, quer gostem quer não, vive da imagem que é passada ao consumidor e das políticas que o gerem; o curso profissional - com equivalência ao ensino secundário - é perfeito para quem pretende seguir a vertente da hotelaria ou da animação turística, por exemplo, mas não basta para quem tem intenção de enveredar pela parte mais teórica do sector.

Existem várias licenciaturas dentro da área do Turismo - "Turismo, Lazer e Património", "Hotelaria e Restauração", "Turismo e Hotelaria", "Gestão de Actividades Turísticas", "Turismo", "Informação Turística", "Produção Alimentar em Restauração", "Gestão do Lazer e da Animação Turística", "Gestão Turística", "Direcção e Gestão Hoteleira" (...) - mas todas são diferentes e todas nos direccionam para áreas distintas. Os planos curriculares são normalmente feitos à medida da sua instituição e região e no nosso país não existem dois cursos iguais mesmo que tenham o mesmo nome. O truque reside exactamente em avaliar unidades curriculares (cadeiras; disciplinas) e fazer comparações. Foi assim que cheguei à minha decisão final de consciência tranquila e totalmente informada. Acreditem: não havia nada que eu não soubesse sobre estes cursos - tanto na Pública como na Privada - quando fiz a minha candidatura.

Estive indecisa até ao último momento entre Ciências da Comunicação e Turismo mas achei que, se escolhesse Turismo - que era o que fazia o meu coração bater mais forte naquela altura - podia perfeitamente aliar as duas áreas se assim desejasse mais tarde. E não me enganei. Quando finalmente optei por Turismo e avaliei os planos curriculares de TODAS as instituições que tinham o curso que eu pretendia, escolhi a Universidade Católica Portuguesa em Braga por dois motivos: 1) plano curricular e 2) proximidade. Quero - ou pelo menos penso que quero - enveredar pela parte comunicativa e promotora do Turismo e sinto que o meu curso, na UCP, me preenche nesse sentido. Foram essas as cadeiras que pesaram mais na minha balança na hora da decisão apesar de, nessa altura, ainda não ter ideia do que seria mais indicado para mim.

Outro ponto essencial para mim foi a existência de um estágio no plano curricular. Nem todas as instituições permitem aos alunos um semestre de estágio e esta, para mim, foi uma razão de peso. Fugi a cadeiras de Museologia e Património doutras instituições e abracei a oportunidade de poder estagiar em qualquer vertente do Turismo à minha escolha (a Universidade tem protocolos com várias entidades desde Câmaras Municipais a hotéis mas nós podemos escolher o local onde pretendemos estagiar desde que o nosso estágio seja aceite por ambas as partes).

Se é tudo bom aos olhos de toda a gente? Não. Na minha turma há muita gente desiludida e arrependida com a licenciatura que escolheu e penso que isto se deve aos objectivos profissionais de cada um. Como as minhas metas nunca passaram pelas áreas de contacto directo com o turista, o curso da Universidade Católica Portuguesa preenche-me completamente e é adequado àquilo que eu pretendo. Tive apenas uma cadeira desnecessária - inglês (que foi demasiado básica e ridícula por causa do desnível entre elementos da turma) - mas, de resto, não tenho nada de muito grave a dizer. Reconheci algumas falhas ao longo destes dois anos mas as minhas queixas foram ouvidas, tidas em conta e resolvidas de forma quase imediata pelos professores e coordenadores de curso (coisa que eu, honestamente, não esperava). Bónus.

Se o meu curso me forma para ser guia turística? Se me dá ferramentas para trabalhar numa Agência de Viagens ou para construir uma carreira no âmbito da Hotelaria? Parcialmente se me limitar às unidades curriculares e totalmente se optar por realizar o meu estágio numa dessas áreas. Se me forma - pelo menos teoricamente - para a comunicação/promoção turística, a administração, a gestão e afins? Sem dúvida.

A Licenciatura em Turismo da UCP é preferencialmente direccionada para quem pretende perceber o funcionamento e desenvolvimento do Turismo nas suas diversas vertentes (da Economia ao Marketing, do Direito às Tecnologias da Informação e da Comunicação, da Política à Cultura, da Gestão à História, das Operações Turísticas à Organização de Eventos ou à Psicologia e por aí em diante através de cadeiras versáteis, diversificadas e complementares). Não é um curso prático mas não desilude porque a pessoa que o escolhe conscientemente não espera que ele o seja. O meu curso não se limita ao contacto directo com o turista e forma-me num sentido mais teórico, mais estratégico, mais administrativo. E se vocês pretendem algo mais prático ou se têm a vossa profissão bem idealizada no âmbito das visitas guiadas, da hotelaria ou da restauração, eu recomendo-vos com sinceridade outras instituições.

Estudo numa Faculdade pequena onde os professores sabem quem nós somos e ouvem as nossas sugestões, onde temos turmas reduzidas que permitem debates e participações diárias nas aulas e onde convivemos num ambiente muito mais familiar onde é possível estar sentada na esplanada do bar ao lado de professores, funcionários e alunos doutros cursos. Existe Praxe, sim, mas ninguém é excluído de nenhuma actividade de convívio se escolher não fazer parte das actividades praxísticas. Há tunas, há associativismo jovem, há cadeiras para fazer, noites académicas, exames e propinas, como em todo o lado.

Tive dúvidas muitas vezes ao longo destes dois anos. Não sei se é normal ou se sou só eu e a minha incapacidade de idealizar o futuro. O que é certo é que compreendi os objectivos do curso depois de um ano bastante difícil e finalmente consegui começar a delinear o meu lugar. Não sei o que o futuro me reserva, não sei se irei realmente ter uma profissão no Turismo. O que eu sei é que a licenciatura me tem trazido conhecimentos valiosos nas áreas que mais me interessam - dentro e fora do Turismo. Ao contrário de alguns dos meus colegas, eu não me arrependo de ter escolhido a UCP nem me arrependo de ter escolhido Turismo. E, num ápice, estou prestes a entrar no terceiro ano. Carolina Finalista?! Como assim?!

Photography ♥ - 109752751652957035962 - Album Web Picasa

11 comentários:

  1. Gostei e que te corra muito bem neste 3 ano :)

    ResponderEliminar
  2. Boa sorte :) E o que interessa é sentirmo-nos felizes seja a fazer o quer que seja

    ResponderEliminar
  3. É um curso pelo qual me interesso particularmente, ainda falta muito tempo, mas é bom começar já a pensar!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E interessas-te por alguma área em particular? :)

      Eliminar
    2. Ainda ando a explorar, mas gosto da área de guia turística, e o marketing e publicidade também me parecem igualmente interessantes, assim como o jornalismo de viagem (não sei bem se tem a haver com turismo, mas pronto.)

      R: a mim correu bem, mas ainda não vi o geral, ainda não vi videos e não consegui falar com a minha treinadora. A parte má: para algumas de nós (não é o meu caso) foi o ultimo sarau em grupo por motivos como faculdade ou lesões :\

      Eliminar
  4. Gostei de ler este post, fiquei a saber mais sobre o teu curso. Fico feliz por saber que continuas entusiasmada, que seja sempre assim! :)

    ResponderEliminar
  5. r: Acredita que é um elogio mil vezes melhor para mim também :D

    ResponderEliminar
  6. r: Também não acontece com frequência por aqui mas quando acontece fico super chateada por ter sido tão impulsiva.

    ResponderEliminar
  7. r: Queria algo que estivesse relacionado com o Turismo...

    Que coincidência! Gostei imenso de ler este post. Que corra tudo bem neste 3 ano! :)

    ResponderEliminar
  8. "Pos"t interessante :)

    http://trapeziovermelho.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  9. Estou em Turismo, mas Turismo e Gestão de Empresas Turísticas e sei bem o que é as pessoas lançarem aquele olhar quando digo em que curso estou porque acham que é muito fácil e andamos a "pastar", mas são as mesmas pessoas qque estão enganadas e que não pensam na importância do turismo para o(s) país(es)...
    Parabéns e força para este último ano, que te corra tudo muito bem!!

    ResponderEliminar