SAÚDE | 3 Dicas Para Combater a Ansiedade

Quando escrevi o texto sobre os problemas de ansiedade e os ataques de pânico (aqui) confirmei algo que já sabia: as pessoas não falam sobre este assunto e não sabem ao certo como devem lidar com ele. Têm medo da crítica e do julgamento e deixam andar algo que acaba por se transformar num factor limitativo do seu quotidiano. Também eu já fui assim. Contudo, recebi uma wake-up call que me abriu os olhos e passei a cuidar mais de mim e a dar maior importância aos alertas que o meu organismo me fornece. Aos poucos fui chegando a alguns truques que, no geral, me ajudam a combater a ansiedade. Hoje deixo-vos as três dicas mais básicas que conheço.

Respirar fundo de forma controlada, com a ajuda disto. A oxigenação do cérebro deixa-nos mais calmos e o sistema de inspirar/expirar num ritmo certinho ajuda-nos a reduzir os níveis de ansiedade. Isto porque a ansiedade é gerada por medos e, ao recorrer a um sistema deste tipo, somos obrigados a concentrarmo-nos na nossa própria respiração deixando de pensar naquilo que nos apoquenta. Há quem prefira recorrer a um saco de papel ou até quem prefira deitar-se, fechar os olhos e colocar um livro em cima da zona do diafragma. Seja como for, respirar controladamente (para encher o saco de papel, para fazer o livro subir e descer ou para seguir um ritmo específico contando até oito, por exemplo) é o que devemos tentar fazer assim que sentimos a respiração acelerada ou pouco profunda.

Canalizar a adrenalina para algo produtivo. Quer acreditem quer não, comecei a escrever esta publicação com as mãos a tremer e o coração a mil. Agora estou mais calma e acho que esta dica deve, sem qualquer dúvida, ser partilhada também. É quando estou mais ansiosa que escrevo as minhas publicações mais detalhadas exactamente porque tento direccionar o nervosismo para algo útil que me faça distrair. Escrever no blogue, praticar desporto ou conduzir é óptimo porque são actividades que exigem concentração e que nos impedem de pensar nos nossos medos e inseguranças, mais ou menos como acontece com o controlo da respiração mas num nível superior.

Comunicar. É a dica mais difícil de cumprir, pelo menos para mim. Tenho grandes dificuldades em expressar-me e não o faço com qualquer pessoa porque este é um tema que exige um grau de confiança muito específico. No entanto, a comunicação está na base das relações pessoais e, se não conseguimos controlar a nossa ansiedade, se precisamos de alguém que nos tranquilize e que nos dê segurança relativamente aos nossos próprios medos, esta é uma atitude essencial. Os problemas de ansiedade são complexos não só para quem lida com eles mas também para as pessoas que nos rodeiam e falar sobre o assunto com alguém que nos quer compreender acaba por nos dar uma estabilidade que não encontramos sozinhos. Custa um bocadinho, deixa-nos vulneráveis e frágeis, mas ajuda. E se não for com alguém conhecido, então que seja com um especialista da área. O importante é não guardar as sensações negativas que nos deixam as mãos frias e as pernas fraquinhas.

15 comentários:

  1. Já tive e muitas vezes ainda tenho problema de ansiedade , e isto é um ótimo post :)

    ResponderEliminar
  2. São dicas valiosas e para lembrar nos momentos de aperto. Vamos ser todos fortes! :)

    ResponderEliminar
  3. eu julgava-me a pessoa mais ansiosa e nervosa do mundo! sou de tal forma que tenho certos comportamentos de TOC, ou não dormir na véspera de testes e exames, entrar em pânico com tudo e com nada. Concordo com estas 3 dicas pq são mais ou menos o que eu faço e resultam (vá, às vezes :p)... e ainda concordo mais quando dizes que este é um tema dificil! temos de ser todas fortes!!! :)

    ResponderEliminar
  4. São dicas muito muito muito importantes! Obrigada por partilhares :)

    ResponderEliminar
  5. Obrigada pelas dicas querida, vão dar mesmo jeito!
    xoxo
    BLOG // FB PAGE

    ResponderEliminar
  6. r: concordo plenamente contigo, mas a parte em que digo que sou casmurra é mais a introduzir o tema, que tive uma "discussão" , e sim, devia ser mais flexível :)

    ResponderEliminar
  7. Outra dica, vá subdica... tens 3 tipo de respiração: Peitoral, Abdominal e pulmonar mas a que tem efeito calmante mais rápido é a abdominal ;) Sem duvidas boas dias... eu uso-as quase todas para tornar isto mais suportavel.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esses tipos de respiração estão incluídos nos exemplos que mencionei (daí as situações do livro, do saco e da imagem funcionarem de forma diferente e daí a preferência de diferentes pessoas) :)
      Mais dicas em breve! :)

      Eliminar
  8. Boas dicas que, quando postas em prática, funcionam mesmo!

    ResponderEliminar
  9. Excelentes conselhos, Carol! Parabéns pela coragem que tens para abordares este assunto!
    Beijinho*

    ResponderEliminar
  10. Acho que nunca tive numa situação realmente preocupante mas se acontecer vou ter em conta estas dicas :)

    ResponderEliminar
  11. Infelizmente sofro do mesmo mal... E também tenho feito rubricas mensais sobre o assunto é como lidar melhor com isso!
    Não é fácil... Mas vamos aprendendo a lidar com a ansiedade!
    Diliciousblush

    ResponderEliminar
  12. Já me senti algumas vezes mal quando, na escola, especialistas iam falar sobre doenças e afins. Houve uma vez, aliás, que uma aluna de uma antiga turma minha fez uma apresentação sobre a doença que tinha e eu comecei logo a "bater mal". Não sei se são ataques de pânico, mas suspeito que sim. Ultimamente não tem acontecido, mas se voltar quero ver se me informo melhor.

    ResponderEliminar