Thirteen

SAÚDE | (Mais) 3 Dicas Para Combater a Ansiedade

Praticar desporto. Nunca me tinha apercebido que o exercício físico me ajudava a reduzir os níveis de ansiedade até ter ficado um ano parada graças a incompatibilidades de horário. O desporto permite-nos abstrair dos nossos pensamentos mais obscuros e confere-nos uma sensação de relaxamento e bem-estar que, para além de nos beneficiar a muitos níveis, nos ajuda a estabilizar os problemas relacionados com o sono e os níveis de adrenalina. Por consequência, praticar desporto relaxa-nos. Mas não vale fazer uma caminhada apenas quando o rei faz anos. Para resultar, tem de ser um hábito, uma coisa frequente, uma rotina. Duas ou três vezes por semana, no mínimo. E não importa se é dança, corrida, basquetebol, ginástica, lançamento do peso ou caminhada. Vale tudo.

Estabelecer rotinas de sono. Ter horas para adormecer e acordar. Fazer exercícios de respiração e de relaxamento antes de adormecer. Tomar um chá calmante antes de ir para a cama ou até um banho quente, se ajudar a melhorar a qualidade das horas de sono. Enquanto dormimos produzimos hormonas que nos ajudam a andar mais tranquilos durante todo o dia e estabelecer uma rotina de sono (dormindo sempre as 7-8 horas necessárias ao nosso organismo) permite-nos descansar verdadeiramente sem abrirmos os olhos com aquela sensação de atropelamento.

Ouvir música e/ou ler. Foi uma dica que aprendi recentemente mas que funciona relativamente bem não só porque me distrai mas também porque, para além de me dar aquelas energias positivas que todos precisamos, me ajuda a ter tempo para mim e a relaxar sem sequer pensar em tal objectivo. Música clássica ou músicas mais calmas que (quase) todos os artistas têm são uma boa opção (eu prefiro os instrumentais mais ou menos mexidos enquanto faço outras coisas, por exemplo) e livros felizes, com histórias bonitas ou até mesmo livros informativos (gostam de moda? de fotografia? de decoração? de jardinagem? de informática?) também são boas hipóteses. Em épocas mais críticas evitem a música pesada ou os livros que mexem brutalmente com as nossas emoções e nos deixam em taquicardia.

4 comentários:

  1. Eu falho claramente no segundo ponto. E no primeiro!

    ResponderEliminar
  2. Adoro as tuas dicas para a ansiedade, porque eu também sofro bastante disso e não consigo controlar. Para mim, ouvir música e ler acaba por distrair só durante uns minutos, depois volto de imediato ao mesmo estado.

    ResponderEliminar
  3. No verão antes de entrar para a faculdade e mesmo nas primeiras semanas da faculdade tinha muitos problemas de ansiedade mas assustava-me muito porque só me acontecia na altura de adormecer, onde estava sozinha. Tinha muito sono mas quando estava quase a adormecer ficava sem ar e acordava sobressaltada, com o coração acelerado, dores no peito e cheia de medo. Cheguei a ligar à minha mãe a altas horas da noite porque não conseguia dormir e só queria alguém com quem falar e que me acalmasse. Demorei a perceber que tinha a ver com ansiedade. Agora já quase raramente me acontece mas ainda este verão me aconteceu e tenho quase a certeza que se devia ao ponto que referes da rotina do sono porque tinha passado uma semana de noites muito agitadas e mal dormidas. O ponto do exercício físico também faz muita lógica para mim porque quando comecei a ter mais desses episódios era na altura em que fazia mesmo exercício físico. Nunca fui a um médico porque não era muito grave e geralmente passava com uns comprimidos para dormir mas sei que aquelas sensações eram horríveis. Obrigada por estas dicas, dão muito jeito para prevenir que volte a acontecer :)

    ResponderEliminar