Thirteen

ATUALIDADE | Os Refugiados e o Estado Islâmico

Tenho algumas reservas relativamente à entrada massiva de refugiados na Europa - como toda a gente tem independentemente da sua posição, penso - mas nenhuma delas está relacionada com o Estado Islâmico.

Se entre os milhares de refugiados podem estar pessoas com intenções menos positivas? Podem. Mas, segundo o que sei, também podem estar entre os milhares de passageiros que chegam aos nossos aeroportos todos os dias, nos barcos que chegam aos nossos portos, nos carros que passam as nossas fronteiras, nos comboios que chegam às nossas estações. Se quiserem chegar, eles chegam, e não precisam de enfrentar a morte numa travessia complexa para tal acontecer. Negar a vida a alguém pelo medo que é gerado pelo preconceito - porque nem todos os muçulmanos e árabes são terroristas, apesar de muita gente achar que sim - não pode sequer ser uma opção a considerar. O Estado Islâmico vê o abandono do seu território como uma das violações mais graves à lei islâmica, como um pecado, como uma traição. Será, então, que os seres humanos que sobrevivem às condições adversas duma travessia difícil são defensores dessas ideologias extremistas?

Não digo que não são necessárias medidas de segurança porque são, obviamente. Seria absurdo deixar entrar toda a gente só porque sim, sem revistas ou burocracias. Há certos protocolos que se revelam essenciais numa situação deste calibre e seria de uma irresponsabilidade tremenda não controlar entradas. Mas essa é uma questão que deve preocupar os Governos e as Forças de Segurança, que deve ser avaliada e escrutinada por quem está treinado para tal. Inundar as redes sociais com comentários xenófobos extremos não é solução.

Existem muitos outros pontos que podem ser discutidos e que podem ser determinantes para a criação duma opinião sólida - a favor ou contra, não importa - mas a questão do terrorismo não pode ser utilizada como argumento quando estamos focados numa das maiores crises humanitárias dos últimos tempos. Infelizmente, os ataques terroristas são planeados com detalhe e acontecem todos os anos independentemente da quantidade de refugiados que conseguem chegar ao continente europeu.

8 comentários:

  1. Não considero que todos sejam terroristas... Considero que virão muitos terroristas camuflados no meio dos pobres coitados.

    ResponderEliminar
  2. Nem mais. É óbvio que é uma maneira fácil dos terroristas entrarem na Europa... Mas não foi isso que os parou antes. Não podemos ir por aí.

    ResponderEliminar
  3. Tens toda a razão ;) já, agora, aconselho-te a ver este vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=RvOnXh3NN9w

    ResponderEliminar
  4. estava mesmo à espera que fizesses um post sobre o tema, adoro ouvir a tua opinião
    como sempre, concordo contigo, não podemos usar o argumento de "terroristas" porque é simplesmente estupido mas a verdade e que esta "invasão" vai provocar danos a longo prazo e essas consequências tem de ser previstas e contidas para que não tenhamos graves problemas no futuro

    beijinhos
    http://umacolherdearroz.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  5. Tens toda a razão! (: Concordo contigo e com este texto.
    Beijinho*

    ResponderEliminar
  6. Eu também penso assim, pena é a maior parte das pessoas que pensa assim não conseguir ver as coisas desta maneira, mesmo que se tente explicar da maneira que expuseste aqui.

    ResponderEliminar
  7. É vergonhosa a raiva e o ódio com que algumas pessoas têm reagido ao acolhimento de quem quer apenas manter-se vivo.

    ResponderEliminar