SWEET CAROLINE | 19 Momentos Incríveis que Vivi com 19 Anos

1. Londres. A primeira viagem a dois e, para além disso, a primeira viagem que tive inteiramente à minha responsabilidade. Londres ficará para sempre marcada como a cidade cúmplice; como a cidade que nos ensinou que qualquer lugar do mundo pode ser romântico e desafiador desde que caminhemos pelas suas ruas ao lado da pessoa certa; como a cidade dos reencontros; como uma ode à amizade. Londres foi a única viagem que fiz com 19 anos e seria absurdo não a incluir nesta lista. A semana vivida em Terras de Sua Majestade foi uma prova de fogo que superámos com sucesso. 

2. 20. Ética e Responsabilidade Social foi uma unidade curricular interessante na qual tive nota máxima. Apesar de ter entrado na sala de Exame com confiança nos meus conhecimentos e apontamentos, não estava à espera de conseguir um 20 - muito menos no Exame Final e tendo em conta as características do Professor, muito conservador e sábio. Mas consegui. E fiz uma dança da vitória imediata quando vi a pauta. A sensação de missão cumprida é impagável e esta vitória académica foi importante não pela subida de média mas porque me deixou orgulhosa numa época de pouca motivação e ânimo.

3. Baptismo e Enterro da Gata 2015. Serenata. Cortejo. Imposição de Insígnias. Sinto que tenho vivido as minhas etapas académicas duma forma muito intensa e própria e o Enterro da Gata foi mais uma prova, assim como o meu segundo Baptismo - que não faria sentido doutra forma. Chorei muito mas por motivos felizes e experienciei um misto de emoções que não sei sequer como descrever. Foi a minha primeira verdadeira semana académica e se por um lado pude festejar, dançar e dormir pouco, por outro as cerimónias solenes originaram momentos marcantes que dificilmente irei esquecer: a despedida dos Finalistas, a emoção de estar do outro lado, os pedidos para traçar capas, os elogios, os abraços apertados e os sorrisos sinceros.

4. Dias de Sol. Não gosto de chuva nem de dias cinzentos e sinto que durante este último ano fui capaz de aproveitar os (muitos) dias de sol que vivi. Para passear, para fotografar, para esplanadar, para ser feliz. Sozinha, com os amigos, com o namorado, com a família. Cada vez mais aplaudo esta minha capacidade de valorizar as pequeninas coisas da vida e os dias de sol originaram, sem dúvida, boas conversas, bons passeios e bons momentos.

5. Agenda Finalizada. Pela primeira vez na vida, comecei e terminei uma agenda. E sinto que essa atitude é sinónimo de organização, crescimento e maturidade. Talvez este ponto seja até um pouco metafórico mas o facto de ter escrito diariamente e de terminado uma agenda - quando isso me parecia impensável até então - é, a meu ver, uma prova da minha evolução, tanto pessoal como académica e profissional. Estou mais consciente dos meus objectivos e das etapas que tenho que superar para os alcançar e essa é uma vantagem que levo comigo para a vida.

6. Carta de Condução. Sem dúvida um marco importante não só no meu ano mas também na minha vida. A liberdade de pegar no carro e sair - com ou sem destino -, de cantar as músicas da rádio umas a seguir às outras enquanto viajo numa estrada sem trânsito, de ter os vidros abertos e o vento a afastar-me o cabelo da cara... Há melhor? Não há.

7. Valorização do Património. No último ano fiz algo que já não fazia há muito tempo: regressei aos museus que tinha visitado quando ainda era criança. Para além de ter tido dias distintos, pude observar os tesourinhos que me rodeiam com outros olhos e conhecer os espaços turísticos com uma bagagem diferente, promovida pelo meu curso. Foi uma excelente decisão.

8. Estágio. Talvez este ponto seja um pouco paradoxal mas não podia deixar de registar a minha primeira experiência no mercado de trabalho. Se gostei? Não. De todo. As agências de viagens não são para mim e fugirei delas imediatamente se puder fazê-lo. Mas foi um momento incrível porque me ensinou mais sobre a minha área, sobre o contacto com os operadores, os turistas e os estabelecimentos hoteleiros, sobre a resolução de problemas, sobre os meus objectivos e sobre mim mesma. Apesar de não ter gostado do trabalho que desempenhei, olho para o meu estágio como uma experiência (muito) enriquecedora e valorizo-a.

9. Casamento da Lili e do Filipe. Momentos familiares têm sempre um lugar cativo no meu coração e o primeiro casamento com idade suficiente para reparar nos detalhes e aproveitar o dia sem aborrecimentos foi absolutamente maravilhoso. Família reunida entre comida deliciosa, vestidos bonitos, fotografias e fogo-de-artifício para celebrar o amor das pessoas que nos dizem tanto... Não há melhor.

10. Dia de Praia. Só tive direito a um, é certo, mas foi incrível por tudo o que significou para mim e pelo sol que me beijou a pele sempre acompanhado pela brisa que o tornava agradável. Fugir às semanas infernais num Verão difícil para conseguir um dia a dois, ter alguém que enfrenta a areia e a água gelada e ignora o telemóvel... Valeu por todas as ausências e distâncias até então.

11. Festivais de Tunas e Concertos. CELTA, FITU, LIRA. David Fonseca. Toda a gente sabe que o meu coração tem uma gavetinha dedicada aos concertos, aos grupos académicos, às Tunas e aos Festivais por isso não podia deixar de mencionar os três festivais bracarenses em que estive presente, o concerto do David Fonseca no S. João de Braga, as actuações de rua e os espectáculos mais simples. As capas negras, os amigos e namorado em palco, as melodias... Festivais de Tunas são Festivais de Tunas (e são sempre brilhantes!) e o David Fonseca não desilude nunca (muito menos depois de algodão doce e fogo-de-artifício).

12. Discussões de Esplanada. Normalmente as pessoas associam as discussões a zangas feias, pratos voadores, murros na mesa e chatices entre amigos mas a verdade é que, à medida que crescemos, as conversas de esplanada também vão evoluindo para algo mais diversificado. Tenho um grupo de amigos com quem sou capaz de discutir temas mais simples ou assuntos mais polémicos e delicados e isso é de valor. Neste último ano estas discussões foram mais frequentes e eu não pude deixar de me sentir agradecida por ter os amigos que tenho.

13. 100€ na Raspadinha. O que há para dizer sobre isto? Muito pouco. Ter a sorte de conseguir 100€ numa raspadinha de 1€ merece registo! Dança da vitória para mim uma vez mais, que não esperava, de todo, ser presenteada com um símbolo correspondente a um prémio tão elevado. Estou um bocadinho mais perto de comprar um computador novo.

14. 18 de Abril. O primeiro aniversário de namoro, com muitos imprevistos e pouco tempo a dois mas com aquele sentimento único e indescritível que caracteriza esta relação. Não me vou alongar sobre este tópico - porque não faz sentido - mas registo o empenho, o esforço, o amor e o carinho que partilhamos todos os dias. Porque é uma daquelas datas importantes que simbolizam mais do que aquilo que conseguimos concretizar num só dia.

15. 95 Anos. Mais um momento familiar: o 95º Aniversário da minha avó, que reuniu toda a família (e somos taaaantos) e que promoveu uma noite descontraída numa casa que transbordava amor. Entre fotografias, cantorias, crianças a correr e boa comida - como não podia deixar de ser -, a família uniu-se para festejar uma data importante não só na vida da pessoa que mais orgulho tem em nós mas também de todos os que a rodeiam.

16. Comissão de Praxe. Tem sido a maior dor de cabeça graças à junção das Faculdades - e ainda estamos no princípio! - mas eu sinto que esta nova tarefa (se é que lhe podemos chamar isso) me tem trazido muitas coisas boas, principalmente no que diz respeito às pessoas que provavelmente não conheceria doutra forma e ao meu envolvimento (ainda mais acentuado) no ambiente académico. Apesar das chatices que lhe estão inerentes, este é um projecto que me dá o maior gozo ainda que também me roube muito do meu tempo livre.

17. Gala de Fim de Ano e Ceia de Natal. Desculpas perfeitas para jantar em ambientes diferentes, mais elegantes e cuidados. Desculpas ideais para fugir ao ambiente académico num tom mais descontraído ao lado de quem parte do meu universo universitário - amigos, colegas, funcionários, professores - valorizando aquilo que nos une: a Universidade. Eventos em que faço questão de estar presente todos os anos porque promovem sempre as melhores memórias e recordações.

18. Cartas de Amor. "Quem as não tem?" Eu tenho. E o meu coração cresce um pouco mais sempre que recebo um coração de cartolina, um post-it escrito à pressa ou uma frase num guardanapo. No último ano recebi muitos miminhos que guardo com o maior dos carinhos e a minha caixinha de recordações não podia ter crescido mais. Estou rodeada de pessoas bonitas e tenho o namorado mais dedicado (que nunca se esquece de mim e que cumpre sempre as promessas que me faz).

19. Pedidos de Apadrinhamento. Quando comecei esta lista - há cerca de uma semana - não pensei sequer que este ponto pudesse estar aqui. Foi algo surpreendente que me trouxe uma responsabilidade nova e que, ao mesmo tempo, conseguiu derreter uma parte do meu coração. Foi um momento incrível e qualquer tentativa de explicar a mistura de sentimentos que experimentei naquele momento seria um falhanço. Tentarei transmitir todas as tradições e regras e estarei presente como outras pessoas estiveram - e estão - para mim. É a melhor maneira de agradecer tal honra.

cailfornie:

indie/fashion/boho

6 comentários:

  1. Mas que momentos incríveis! Que os 20 (já?!) sejam muito mais incríveis e espetaculares!

    ResponderEliminar
  2. isso foi um ano em cheiiiiiio! fico feliz :)

    ResponderEliminar
  3. Que belo ano ! :)
    Que os 20 sejam ainda melhores querida ! :)

    ResponderEliminar