Thirteen

LISBOA, PORTUGAL | Oceanário de Lisboa

Visitámos o Oceanário de Lisboa apenas quando éramos crianças e sabíamos que se o visitássemos novamente iríamos aproveitá-lo duma forma diferente e muito mais detalhada por isso comprámos o bilhete de acesso às duas exposições (permanente + temporária) com desconto de estudante (15,50€ se não estou em erro) e (re)descobrimos cada aquário com cuidado.

A Exposição Temporária referia-se às Florestas Submersas e era indubitavelmente maravilhosa pela música de Rodrigo Leão que a acompanhava e pelo tratamento inigualável de cada espécie, tanto de plantas como de peixinhos. Era realmente um mundo à parte, perfeitamente tranquilo e pensado com detalhe. Sentámo-nos num dos bancos escuros e ficámos por ali algum tempo, a absorver toda a informação e a sentirmo-nos sortudas por podermos viver num mundo onde existem tantas coisas bonitas, tanto ao nível da Natureza como da Humanidade.

A Exposição Permanente, por sua vez, famosa pelos tubarões, lontras e pinguins, não podia ser mais completa, - tanto na sua forma de organização como na quantidade de espécies e de espécimes em cada aquário. O Oceanário é muito mais fascinante do que aquilo que eu me lembrava mas tive exatamente a mesma reação quando vi os protagonistas da atração a meio metro de distância.

Não sou a maior especialista em Biologia e portanto há espécies que não reconheço com facilidade mas achei realmente que os aquários vinham acompanhados de informações pertinentes que facilitam a visita e a aprendizagem de leigos como eu. E apesar de cada sala ser muito semelhante à anterior (não dá para variar muito entre modelos de aquários, correto?), nunca o é. O chão em frente ao aquário principal convida a que nos sentemos para apreciar as raias espalmadas contra o vidro e os bancos ao longo do percurso assim como o vídeo na sala multimédia obrigam-nos a fugir à correria tão típica das crianças que querem ver tudo num instante tal é a euforia que as envolve.

O Oceanário é um mundo e merece visita não só quando somos crianças mas também quando crescemos. Cada fase da vida será propícia a novas descobertas, histórias e pormenores e cada visita será diferente da anterior. Se visitaram o Oceanário de Lisboa com cinco ou seis anos, regressem e percam-se entre peixinhos e lontras amorosas. O bilhete é caro? Sim. O Oceanário é propício a visitas anuais? Talvez não. Vale a pena? Sem dúvida. O preço do bilhete compensa pela bagagem de conhecimento que nos oferece e por todas as sensações maravilhosas que promove.



4 comentários:

  1. Visitei em miúda e ando com ideias de lá voltar. Em criança já se sabe é "Uau" e passa a frente.

    ResponderEliminar
  2. Já lá fui duas vezes, uma era pequena e outra devia ter para aí 12, mas ainda assim, acho que se fosse agora iria aproveitar ainda mais. Quando somos mais crescidos sabemos aproveitar os detalhes e o que nos rodeia de uma forma diferente.

    ResponderEliminar
  3. Quero muito tentar ir ao oceanário no próximo ano, a última vez que lá rive tinha só 5 anos!

    ResponderEliminar
  4. Já lá fui e adorei! Era mais pequena e digamos que vi tudo em modo relâmpago é verdade. Eu queria era ficar junto ao aquário gigante, a ver a manta a passar e o peixe Lua. A próxima vez que vá terei de ver tudo com muita calma. :)

    ResponderEliminar