Thirteen

SWEET CAROLINE | "Como ser feliz?"

"Como ser feliz?" e "O que fazer quando nos sentimos sozinhos?" são duas questões que ocupam o pódio nas pesquisas efetuadas pelos portugueses ao longo de 2015. E isto preocupa-me. Num mundo onde existem tantas partilhas, tantas fotografias em grupo, tantas opiniões, tantos lugares bonitos, tantas facilidades... Como é que estas perguntas chegam ao topo das pesquisas? Há assim tanta gente a procurar ajuda num computador? Há assim tanta gente infeliz, tanta gente a sentir-se só?

Talvez seja apenas uma consequência irónica do nosso estilo de vida mas não deixa de ser assustador e preocupante. As pessoas dão tanto valor às redes sociais e às estatísticas que depois, na hora da verdade, se esquecem de estabelecer relações reais, de sair de casa, de aproveitar o sol, de descobrir novos restaurantes, de escrever postais, de debater assuntos diferentes, de se mimar, de se perder, de apanhar o avião, de decorar a casa, de fotografar. Quão triste é? Ou melhor, o que leva alguém a limitar a sua felicidade a um computador e a um par de contas de correio eletrónico? Custa-me a perceber, confesso, e não o digo em jeito de crítica.

Estou presente em várias redes sociais, estou (quase) sempre contactável, leio as notícias nos jornais  e revistas online e faço parte da geração da internet. Registo as minhas viagens neste blogue, fotografo muito, comunico através dum teclado e envio mensagens em menos de nada. E, ao mesmo tempo, não sou capaz de dispensar a oportunidade de estar frente-a-frente com quem gosta de mim, os jantares, as gargalhadas, as discussões, os abraços, o tempo que guardo só para mim, os passeios. Porque estar sozinha e sentir-me só são coisas distintas e eu não esqueço essa diferença.

O truque para a felicidade está no equilíbrio e isso passa não só por conseguir combinar os opostos mas também pelo cuidado com os detalhes e pela apreciação das pequeninas coisas da vida. Ser feliz não é uma meta, é uma forma de viver cada dia com orgulho e ambição. A minha definição de "felicidade" passa por aí, pelo menos. E sou feliz. Todos os dias.

7 comentários:

  1. "
    Estou presente em várias redes sociais, estou (quase) sempre contactável, leio as notícias nos jornais e revistas online e faço parte da geração da internet. Registo as minhas viagens neste blogue, fotografo muito, comunico através dum teclado e envio mensagens em menos de nada. E, ao mesmo tempo, não sou capaz de dispensar a oportunidade de estar frente-a-frente com quem gosta de mim, os jantares, as gargalhadas, as discussões, os abraços, o tempo que guardo só para mim, os passeios. Porque estar sozinha e sentir-me só são coisas distintas e eu não esqueço essa diferença."

    Isto, sem tirar nem pôr!
    Beijinho grande Carolina, adoro sempre ler-te <3

    ResponderEliminar
  2. O contacto com as outras pessoas é aquilo que nos deixa mesmo felizes! :)

    ResponderEliminar
  3. É muito importante viver mos fora da internet e dos smartphones e aproveitarmos as pessoas, os dias, os momentos. Eu sou realmente feliz e sinto que consigo balançar bem os dois mundos!

    ResponderEliminar
  4. As pessoas perdem-se tanto com aquilo que parecem que se esquecem de cultivar aquilo que verdadeiramente são é absurdo. Depois têm de pesquisar no google como ser felizes, é triste realmente

    ResponderEliminar
  5. "Ser feliz não é uma meta, é uma forma de viver cada dia com orgulho e ambição. A minha definição de "felicidade" passa por aí, pelo menos. E sou feliz. Todos os dias." - tão isto!!! E tens razão, o facto de tantas pessoas efetuarem essas pesquisas é realmente triste e preocupante...
    Beijinho*

    ResponderEliminar
  6. Juro-te hoje fui finalmente passear uma tarde inteiro com o meu namorado, o luxo dos luxos neste tempo de exames e projectos e fomos a carcavelos que tava um dia espectacular e ficamos sentados no paradão a ver o mar e os canitos a saltar e um por do sol daqueles de derreter bla bla bla bué romântico e tal mas era só ver casalinhos a tirar fucking selfies. Que raiva... o dia tava para se aproveitar para estar com quem gostamos, abraçar e estar ali simplesmente a absorver o dia e a tranquilidade. E tá gente a tirar fotos e selfies... como é que raio esta gente aproveita as coisas se só esta preocupada a meter fotos no instagram?! Quando se viaja tu queres captar o mais possível de memorias sejam elas tuas, numa fotografia... mas quando se está em casa há que aproveitar em vez de fotografar!

    ResponderEliminar
  7. Estou completamente de acordo contigo! Vejo pessoas que passam a vida agarradas a um computador e só vivem para o que aparentam ser nas redes sociais. E a realidade? Onde ficam os passeios em família, as noitadas em casa dos amigos, os encontros inesperados, etc? Para mim isso é o verdadeiro sinónimo de felicidade: estar com os meus. Se tiver que abdicar de tempo passado na Internet, nem penso duas vezes. E o blog é a prova disso: tenho aproveitado para estar com os meus e tenho dedicado menos tempo a este mundo...

    ResponderEliminar