Thirteen

AMOR | O Amor, por si só, não basta.

Normalmente as pessoas não compreendem esta minha posição mas eu acredito profundamente que o amor, por si só, não basta. Há muitos outros factores e muitas outras variáveis que influenciam o sucesso duma relação e parece-me absurdo acreditar que "tudo se resolve desde que exista amor". Não. Tudo se resolve desde que exista paciência, ambição, vontade, dedicação, saudade, determinação, motivação, estímulo, sintonia. Tudo se resolve se ambos estiverem dispostos a contrariar o mundo e a criar tempo onde ele não existe. Não basta amar, é preciso agir.

Quantas relações não acabam porque o amor, por si só, não foi suficiente? Quantos casais não se separam porque as novas fases de vida lhes trouxeram incompatibilidade nas rotinas e nos horários? Quantos pares não se dividem e seguem caminhos diferentes porque as responsabilidades profissionais ou o número de quilómetros se meteram pelo meio? Significa, então, que deixou de haver amor? Nem sempre. Há alturas em que sentimos o amor a transbordar em todos os centímetros do nosso corpo e nas lágrimas da outra pessoa e, ainda assim, decidimos que seguir caminhos diferentes é a melhor opção. Não porque o amor desapareceu mas porque as circunstâncias não colaboraram. E se o amor bastasse, as cartas não estariam sequer em cima da mesa.

Parece-me que será óbvio dizer que uma relação sem amor está condenada logo à partida mas será tão óbvio assim dizer que uma relação está garantida desde que o sentimento esteja lá? Não me parece. O Amor, por si só, não basta. Precisa de vir acompanhado de atitudes dedicadas, surpresas, contacto, entrega, comunicação, mimos, estabilidade emocional, esforço contínuo. E conseguir o equilíbrio entre todas as componentes duma relação é o maior prémio durante os dias difíceis e as semanas complicadas.

15 comentários:

  1. Concordo plenamente contigo! O respeito e a confiança, por exemplo, são tão importantes quanto o amor.

    ResponderEliminar
  2. Tenho exactamente a mesma opinião que tu. Aliás, acho que pensar que só o amor basta é um pouco ingénuo. Há uma série de coisas que não dependem de nós e que podem correr mal e uma série de acções que temos que tomar, não basta gostar muito de alguém e não fazer nada para remediar certos desencontros ou problemas. Como em tudo na vida, é preciso também um bocadinho de sorte e muita acção e determinação para que uma relação resulte.

    ResponderEliminar
  3. Disseste tudo... acho que aprendi isso na ultima relação que estive. Ambos chegamos a essa conclusão quando dissemos "adeus" com sabor a um "amo-te mas não isto não chega". O amor tem destas coisas!

    ResponderEliminar
  4. Era bom que não tivesses razão, isso significaria que só o amor chega. Mas não, nem sempre chega. A sintonia é tão, mas tão importante. As pessoas nem sempre têm noção disso, mas bastam coisas "pequenas" como horários incompatíveis ou trabalhos terríveis. Isso afecta-nos, e é preciso ter muita força para que isso não afecte a relação. Se acabar por afectar, é aí que entra a sintonia, dedicação e paciência, como disseste e bem. Como se costuma dizer, se uma relação fosse fácil, toda a gente a tinha (e eram duradouras!).

    ResponderEliminar
  5. Eu não tenho essa definição assim tão linear, Carolina. Eu acho que quando vocês dizem que o amor por si só não basta atropelam-se um bocado em coisas que eu acho que não fazem sentido (encontro algumas nos teus parágrafos) mas por outro lado ainda é uma opinião que, reconheço, não a consigo exprimir na totalidade da forma que eu penso.
    Por enquanto fico-me por apontar que não concordo a 100% e fico-me por ser chata e abanar alguns argumentos quando essa discussão vem à mesa entre amigos. Quando me sentir segura na exacta definição daquilo que penso, partilho. Um dia :)

    ResponderEliminar
  6. Penso tal qual como tu, acho que é ingénuo pensar que só o amor faz tudo resultar. Num mundo ideal, sem responsabilidades nem pressões, eventualmente. Acho que sem uma grande cumplicidade, amizade, confiança, respeito... o amor não "triunfa". Tu por mais que ames não consegues estar com quem não confias ou com quem não consigas ter uma relação dita saudável. O amor é 60% mas não é os 100%. Tu não consegues estar sempre bem, não não consegues não ter defeitos, tu não consegues estar ao nível de 100% das expectativas da outra pessoa. E é preciso muita vontade, amor, flexibilidade, respeito, estar para o outro mesmo quando ele não sabe que precisa de apoio, saber pedir desculpa, saber agradecer... Para algo se encaminhar e a relação evoluir.

    ResponderEliminar
  7. Já pensei mais como tu, mas neste momento não concordo tanto! É difícil explicar-me. Porque quando acreditei que o amor não era suficiente, ele mostrou-me que eu estava enganada. E talvez isso não aconteça só comigo. São experiências (:

    ResponderEliminar
  8. podia ter sido escrito por mim. Por experiência própria sei que o amor não basta. E não basta por mil e uma razões. Para se ter uma relação é preciso muito mais do que gostar.

    ResponderEliminar
  9. Agree. Isto considerando que o amor é "só" o "gostar". Mas correndo o risco de parecer uma romântica incurável, que não sou, acho que o verdadeiro amor traz agarrada a vontade, o empenho, a compreensão, tudo isso. E mesmo isso às vezes não é suficiente. Caso interpretemos o amor como "gostar" de alguém, não é garantia que uma relação funcione. Há tantos outros factores pelo meio, e dá tanto trabalho manter uma relação, que "gostar" não basta!

    Jiji

    ResponderEliminar
  10. Muitas vezes converso sobre este tipo de temas com a minha namorada, e felizmente somos da mesma opinião que tu. Qualquer pessoa comprometida sabe que o amor não é o suficiente para manter uma relação. É como dizes, existem inúmeros factores agregados, como a (extremamente importante) paciência, dedicação e claro, confiança. Se estas coisas não importassem, nunca existiam separações.

    Ricardo, The Ghostly Walker.

    ResponderEliminar
  11. Eu confesso que este foi um ensinamento que 2015 me trouxe. Na minha maior ingenuidade sempre achei que o amor bastava, mas agora entendo bem o porquê dessa expressão e sei que já não é bem assim que as coisas acontecem. Apesar disso, sem dúvida nenhuma que o amor é das componentes, senão a maior componente necessária.

    ResponderEliminar
  12. Concordo contigo, e desde sempre que tenho a mesma opinião.
    Tens tanta razão quando dizes que "Normalmente as pessoas não compreendem esta minha posição"... acontece-me o mesmo!

    ResponderEliminar
  13. Se o amor não chega e eu concordo contigo, também acho que pode trazer muita coisa do que dizes: compreensão, respeito, vontade de agir. Não sei se me fiz entender...

    ResponderEliminar