Thirteen

BLOGOSFERA | "O que os olhos não vêem, o coração sente."

Apesar de eu gostar muito de escrever textos de opinião e publicações sobre museus, fotografia, restaurantes, cosméticos e cinema, eu sinto que são as publicações mais pequeninas que me levam a registar aquilo que de melhor eu tenho e que transformam este blogue num espaço com o qual vocês se podem identificar. Independentemente do número de visitas diárias, o meu blogue guarda momentos e é isso que me faz continuar por aqui.

Modéstia à parte, eu sinto que o L13 segue uma linha muito própria e organizada. Aconteceu por acaso em 2013 mas esta minha forma de intercalar publicações de diferentes tamanhos acabou por se transformar numa imagem de marca que gosto de cumprir. Tenho espaço para divagações mais simples e mais complexas e não me privo de partilhar algo por me faltarem as palavras para o desenvolver. Não é bom? Para quê escrever três parágrafos se posso dizer tudo o que quero numa só linha? Ou para quê compactar uma opinião inteira numa linha se posso escrever um número infinito de parágrafos com argumentos bem fundamentados? Para quê colocar cinquenta imagens a ilustrar um detalhe tão simples? Ou para quê guardar as fotografias da minha viagem só para mim se vos posso dar uma perspetiva ainda mais personalizada sobre os locais? 

Eu guardo aquilo que de melhor eu tenho e nenhum outro espaço me identifica tão bem. Quando leio uma publicação minha, independentemente do seu tamanho, eu relembro imediatamente o seu propósito, aquilo que sentia quando a escrevi e o que me levou a escrevê-la. Porque este blogue não é um diário - nem pretende ser - mas, na minha vida, é o que se assemelha mais rapidamente a esse conceito. E, na minha inocência, penso que sou capaz de fazer uma boa gestão de emoções, conteúdos e partilhas.

Sinto que as pessoas cada vez mais implicam com o tamanho das publicações e com a quantidade de fotografias que são utilizadas em cada uma delas. Como se fossem essas coisas a ditar a qualidade dum blogue - não são. E penso realmente que é apenas uma questão de gostos, interesses, personalidades, estilos de escrita. Volto a dizer aquilo que referi quando surgiu a polémica dos blogues comerciais: não existe um só tipo de blogue e nem todas as publicações fazem sentido em todos os blogues. No meu, para mim, faz sentido - pelo menos por agora - misturar diferentes tipos de temas, de textos, de frases, de imagens, de publicações. Faz sentido dizer muito em poucas palavras (mesmo que seja "muito" apenas para mim) e dizer muito em muitas palavras. 

E sabem que mais? Tinha escrito este texto até este ponto quando lancei, no Twitter, um desabafo que despoletou uma polémica engraçada. Era apenas isso - um desabafo espontâneo a propósito da publicação que estava a escrever - mas rapidamente se transformou num ponto de partilha de opiniões entre vários bloggers, destacando dois grupos: 1) aqueles que não se revêm nas publicações mais pequeninas, que só publicam quando têm algo bem estruturado e fundamentado para partilhar (independentemente de ser planeado ou não) e que utilizam outras redes sociais para divagações mais simples e 2) aqueles que democratizam um pouco mais as publicações no próprio blogue e que não se inibem de publicar uma frase apenas pela (pouca) quantidade de caracteres utilizados.

Eu faço parte do segundo grupo e sinto que as minhas "publicações de uma linha" fazem todo o sentido no blogue que quero construir e que construo todos os dias. Sou melhor blogger do que aqueles que só partilham parágrafos inteiros? Não. Sou pior? Também não. Porque não há prémios, não há distinções. Diferentes blogues cativam diferentes leitores e o nosso sucesso individual em nada determina o fracasso do vizinho do lado.

Pessoalmente, não me revejo em blogues puramente comerciais e não me identifico com blogues demasiado românticos e pessoais. Dou preferência a blogues generalistas mas também sigo alguns blogues temáticos e acompanho um conjunto de espaços bastante diversificado - mais simples, mais complexos, femininos, masculinos, culturais, científicos (...). São gostos. Escolhas. Prefiro blogues pessoais que vão para além dos sentimentos mais íntimos. Prefiro viagens, cosméticos, restaurantes, filmes, livros, música, moda, partilha. Prefiro amor no seu sentido mais puro, fotografia, conteúdo. E será que o conteúdo tem de chegar seeeeempre em formato de texto longo? Não pode chegar numa fotografia que já diz tanto? Não pode aparecer através duma frase que me faz sentir empatia pela pessoa que a escreveu? Não pode surgir nas três palavras que me levam a identificar-me com o autor? Não pode chegar na pergunta que promove opiniões, conhecimento e inspiração?

Para mim, neste momento, faz sentido usar uma publicação apenas para vos fazer uma pergunta que pode até nem parecer nada de especial, faz sentido escrever que "os abraços são a melhor coisa da vida", que "gosto do cheiro a mar" ou que "quero visitar o Japão". Porque são coisas que fazem parte de mim e porque este blogue é isso mesmo: uma compilação das pequeninas coisas que me transformam naquilo que sou. Porque é que uma opinião sobre um tema da atualidade ou uma crítica a um filme vale mais do que um simples interesse meu? Não vale - nem mais, nem menos.

Para mim, neste momento, faz sentido manter a estrutura do L13. E espero do fundo do coração que vocês gostem tanto dos vossos blogues como eu gosto do meu, independentemente daquilo que escolhem mostrar e do tamanho das publicações que preferem partilhar.

15 comentários:

  1. Também prefiro blogues que falem de tudo um pouco. Generalistas mas pessoais. Que falem do que a pessoa sente ou pensa. Gosto muito da maneira como o teu esta organizado e como o geres! Beijinho

    ResponderEliminar
  2. Concordo com a tua opinião e também eu faço parte do 2º grupo!

    ResponderEliminar
  3. Já dizia o outro que quem fala assim não é gago - neste caso, quem escreve! Concordo plenamente contigo e também pertenço ao 2º grupo. O meu blogue, antes de ser escrito para os outros, é escrito para mim - a realidade é essa... E saber que tudo o que lá está significa muito para mim - ainda que os leitores não possam perceber o valor de todas as publicações (especialmente as mais pequenas e íntimas) - deixa-me orgulhosa.
    Beijinho*

    ResponderEliminar
  4. As pessoas são loucas e desocupadas se perdem tempo em aborrecer-se e implicar com o tamanho das publicações dos outros. Cada blogger sabe aquilo que funciona no seu blog melhor do que ninguém.

    ResponderEliminar
  5. Eu estive a par desse debate no twitter e apesar de se tratar de um assunto "sério" nesta área, não deixou de ter a sua piada pelo simples facto de incluir bloggers que são muito amigos e que apesar de terem opiniões diferentes, respeitam-se uns aos outros.
    Eu não acho que o tamanho de uma publicação importe. Penso que aquilo que define um blogue é, essencialmente, a qualidade da escrita e aquilo que o seu autor estava a sentir naquele momento. E se há coisa que eu adore no teu blogue são essas pequenas divagações e essas pequenas frases que vêm acompanhadas de fotografias que as ilustrem bem. Da minha parte, eu acho que seria completamente impossível eu deixar-me ficar por um frase porque enfim, sou eu (e isso confirma-se no tamamho dos meus comentários), mas vai muito de pessoa para pessoa e do tema que ela queira tratar. Também posso afirmar que muito dificilmente eu seguiria um blogue em que só existissem publicações de uma frase, pois gosto de saber as opiniões dos outros bloggers acerca de um assunto, mas lá está, tu consegues conjugar publicações enormes com outras mais simples mas de igual qualidade.
    E apesar das diversas opiniões que possam existir acerca da imagem do L13, só tu é que podes decidir acerca da tua cria e se continuas com a mesma estrutura. Se te deixa orgulhosa, é continuares sempre em frente. Se pensas que devas mudar algo, só tu sabes o que é. Simples!

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo! Ate porque somos todos diferentes e há quem precise de muitas palavras para se expressar enquanto que outros o conseguem fazer de forma mais breve. De qualquer maneira, tambem acho que o tamanho das publicaçoes nao esta, de forma alguma, relacionado com a sua qualidade.

      Eliminar
    2. Exato. Eu sou do tipo de pessoa que gosta de usar muitas palavras por não conseguir expressar-me com pouco. Mas a Carolina consegue dar uso dos dois e quando publica uma frase, quem lê sente o que ela sentiu e isso é de louvar!

      Eliminar
  6. Concordo contigo Carolina. Tudo depende do tipo de blog que estamos a falar mas para mim tem tanto valor um post enorme como um post pequeno.

    ResponderEliminar
  7. Eu acho que tens toda a razão, e mais uma vez concordo com tudo o que dizes! Uma pessoa não é melhor blogger do que outra porque tem textos maiores ou mais pequenos! Acho que o importante é gostarmos do nosso blogue, afinal ele é nosso e não dos outros.
    Eu gosto imenso do L13, tal e qual como está. É, sem dúvida alguma, um dos meus blogues preferidos! E dá para perceber muito bem que tu também gostas dele assim, até porque já não é a primeira vez que o dizes (mesmo que seja indiretamente) :)

    ResponderEliminar
  8. Por acaso eu estive a ler o debate que se gerou no twitter por causa desta questão que tu colocaste.
    Bem, geralmente a minha opinião costuma ser esta: posts com 1 frase dão deveriam ser posts, para isso existe o Twitter. Por acaso acho que no teu blog e no da Inês ( Bobby Pins), a estrutura de posts com uma frase resulta muito bem e eu até gosto bastante de ler, por isso não alteres a estrutura do blog.

    No entanto, na maior parte dos blogs, posts com uma linha não resultam muito bem e até me aborrecem imenso. Muitos bloggers fazem posts do tipo " Hoje foi um dia muito bom" ou " Levei o meu cão a passear na rua" ou ainda põe o título " Bom dia" e uma imagem com uma citação no post ( e muitas vezes essa é a única publicação do dia). Dá vontade de lhes gritar " Criem um twitter, por um blog não é para isto".

    Mas mais uma vez reforço que, no teu caso, posts com uma frase resultam muito bem, porque tens o dom de conseguires capturar um certo momento que muitas vezes passa despercebido à maior parte das pessoas, e torná-lo num grande momento. Mas nem toda a gente tem esse talento ( como eu), por isso os posts com uma frase não resultam. No caso do meu blog, posts com uma frase nunca resultariam.

    Quando comecei o meu blog, fazia muitos posts com uma frase, mas rapidamente me apercebi que não estavam a resultar no meu blog, que só estavam a afastar os meus leitores.
    Beijinhos,
    Cherry
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. " Criem um twitter, por um blog não é para isto"

      Para ti, um blog não é para isto e, se pensas assim, acho muito bem que não o faças. Mas porque é que achas que toda a gente tem de seguir essa tua opinião? Sinceramente irrita-me um bocadinho as pessoas que dão ideias de como um blog deve ser para elas como se fossem verdades universais.

      Desculpa Carolina este aparte!

      Gosto muito do teu blog e, de facto, acho que o tamanho das publicações não interessa nada.

      Eliminar
  9. Gosto bastante do teu blog, Carolina. :)

    ResponderEliminar
  10. Eu acho que um blog deveria ser um espaço livre onde o autor escreve sobre aquilo que mais gosta..confesso que me faz confusão as críticas cada vez mais ferozes só porque um blog é assim ou assado...acho que a blogosfera está a tornar-se como que uma competição nada saudável e não deveria ser assim...

    ResponderEliminar
  11. Mas que excelente texto! Embora no meu blog até hoje só tenha publicado post mais estruturados, porque honestamente é o que gosto mais de fazer (uso o Facebook para os desabafos), concordo plenamente contigo: a ideia é estes espaços serem um reflexo de nós mesmos, dos nossos gostos, whatever. Então, se nos apetece partilhar uma frase, só isso, porque não? Uma boa parte dos meus blogs preferidos têm muitas publicações desse estilo - e tu sabes fazê-las tão bem!

    Keep up the great work!

    Jiji

    ResponderEliminar
  12. No meu blog também é assim: curtas e textos estrturados convivem sem discutir. Há leitores que prefrem as curtas, outros que preferem os textos estruturados e quem goste da alternância. Para mim, é tão simples como isto: o blog é o meu espaço de partilha diária e há coisas que basta um punhado de palavras para partilhar.

    Aliás a minha rubrica mais badalada ( Sou a blogger menos in do pedaço: http://www.mariadaspalavras.com/tag/a+blogger+menos+in+do+peda%C3%A7o ) vive de curtas e o primeiro post desta rubrica dizia só "Não gosto de sushi" e foi dos que chegou a mais gente e obteve mais reação nesses primeiros tempos.

    Resumindo e baralhando: devemos manter-nos fiéis à nossa forma de escrever e comunicar. Mesmo que isso não seja seguir as regras de boa educação formuladas por uma qualquer Paula Bobone da blogosfera.

    ResponderEliminar