CINEMA | Saving Mr. Banks [2013]

"Saving Mr. Banks" é amor. A sério. É um filme simpático, daqueles que nos trazem recordações bonitas e nos deixam com um sorriso no rosto. "Saving Mr. Banks" é um filme para ver em família e cantar em uníssono. Tem todos os elementos dum verdadeiro filme Disney - fantasia na medida certa, uma boa banda sonora e uma moral relacionada com o amor, a superação e a amizade - e funciona. As histórias relacionadas com os bastidores do mundo do cinema fascinam-me mas parece-me que "Saving Mr. Banks" pegou nesse fascínio e levou-o para um patamar inocente e ainda mais bonito.

"Saving Mr. Banks" conta-nos a história da venda dos direitos cinematográficos de Mary Poppins a Walt Disney e o argumento da longa metragem segue uma linha muito específica, com duas histórias complementares - separadas por uns bons anos - contadas em simultâneo. Ao contrário de muita gente, não senti que a analepse provocasse qualquer tipo de confusão no espectador e achei até que conferia uma dinâmica interessante ao filme uma vez que as mudanças de cena e de época são abruptas.

"Saving Mr. Banks" é construído por personagens fortes e um argumento sólido que nos marca pela positiva. O elenco é brilhante (Emma Thompson e Tom Hanks são a dupla ideal) e ainda que algumas personagens não tenham sido suficientemente desenvolvidas (como é o caso de Walt Disney - que com certeza não era apenas sonhador e lutador e que obviamente foi retratado duma forma muito mais branda do que aquilo que seria se o filme tivesse sido feito por outra empresa que não aquela que utiliza o seu nome), "Saving Mr. Banks" resulta porque reúne tudo aquilo que é defendido pela marca dos parques temáticos: diversão, positivismo, felicidade, genuinidade. Todo o filme se desenvolve em redor das cedências e exigências que a dupla de protagonistas vai fazendo com humor, elegância e uma postura quase intemporal e a apresentação final é verdadeiramente inspiradora.

Ir buscar uma história icónica com quase vinte anos foi um risco mas, ao mesmo tempo, foi um passo inteligente. Abordar um livro e um filme que fizeram parte da infância de diferentes gerações e explorá-los duma forma inovadora foi uma boa estratégia. Eu fiquei tão encantada com as questões técnicas e com os pormenores de referência à fabulosa Mary Poppins que nem me preocupei com os diálogos ou as transições de cenas menos agradáveis. Os detalhes valem ouro neste filme e "Saving Mr. Banks" é uma longa metragem com muita luz e muitas mensagens bonitas.

"Saving Mr. Banks" apresenta-nos uma nova versão duma história que já conhecemos tão bem. Não concordo que seja um filme biográfico e também não concordo que seja um filme pobre, vazio em conteúdo. De todo. Talvez Mary Poppins merecesse um argumento mais trabalhado - com destaque especial para alguns pormenores - mas parece-me que, caso tal acontecesse, todo o objetivo do filme se perderia. "Saving Mr. Banks" é uma lufada de ar fresco. É um filme para recordar a infância entre papagaios de papel e uma mala florida.

2 comentários:

  1. Tenho um rascunho no meu blogue deste filme desde 2014 mas nunca o cheguei a terminar... Faltam-me ainda as palavras para caracterizar este filme, que gostei tanto :)

    ResponderEliminar
  2. Gosto tanto desse filme não só pela história mas pelos atores fantásticos(Tom Hanks e a Emma Thompson ).

    ResponderEliminar