SWEET CAROLINE | "Tu estás onde tu queres estar."

Se em tantos dias digo que o que queria mesmo era largar a Faculdade e viajar pelo mundo entre mimos e mochilas atoladas em memórias, de máquina fotográfica ao ombro e pausas noturnas para escrever sobre todos os lugares maravilhosos, noutros cai-me a ficha e percebo: esta foi a vida que eu escolhi para mim. Ninguém me obrigou. Ninguém me disse que eu não podia trabalhar ou viajar em vez de estudar. Ninguém me empurrou para uma Licenciatura. Ninguém me disse que o caminho certo era este. Não. Eu escolhi gastar dinheiro num bilhete para um espectáculo em vez de poupar para (mais) uma viagem. Eu escolhi comprar uma máquina fotográfica e um computador de sonho em vez de me perder entre comboios e passaportes. Eu escolhi não ir a um concerto porque havia uma data especial para celebrar noutro lugar, com outras pessoas. Eu entrei nos desafios, eu testei-me, eu escolhi como queria viver e encarar a vida. Eu estou onde eu quero estar. E tu? "Estás onde tu queres estar?"

Há alturas em que questiono as minhas decisões - quem não o faz? - mas raramente coloco em causa o meu estilo de vida. Será que seria mais feliz a viajar sozinha pelo mundo? Será que devia ter dito que não àquela oportunidade de estágio? Será que, em vez da experiência e da aprendizagem, devia ter escolhido um salário fixo e um passaporte muito carimbado? Não faço ideia. Mas não equaciono sequer essas hipóteses porque as minhas decisões fizeram sentido para mim na altura em que as tomei e porque o meu estilo de vida é aquele que me permite experimentar tudo aquilo que me torna na Carolina que sou. Eu escolho as soluções para os problemas, as oportunidades que quero aproveitar e as mudanças que quero abraçar.

E por isso sim, eu estou onde eu quero estar. Mesmo que daqui a dois meses a minha vida sofra uma reviravolta inacreditável, neste momento eu estou onde eu quero estar. E daqui a dois meses - ou dois anos, ou vinte - eu também vou estar onde eu quero estar. Porque quando estou em paz comigo mesma, eu sei que estou no lugar ideal. E vou sempre estabelecer como prioridade essa sensação. Afinal, o que nos impede?


Obrigada, Rafael Polónia por nos teres inspirado no "Vamos falar de Turismo?" e por me teres levado a refletir sobre mim própria com o maior dos orgulhos e uma segurança que raramente aparece. Eu estou onde eu quero estar. E espero que as pessoas que me lêem sintam o mesmo.

7 comentários:

  1. Sinto exatamente o mesmo que tu... Tens custos de oportunidade em cada decisão que tomas, mas se as tomaste, por alguma razão foi. E eu também estou exatamente onde quero estar e acrescento mais: com quem quero estar :)

    ResponderEliminar
  2. Que bom de ler, Carolina. E agora foste tu que me fizeste reflectir...tenho os mesmos pensamentos que tu. Mas depois também paro e penso exactamente o mesmo - fui eu que escolhi. Ok, as expectativas condicionam-nos, certo, mas não obrigam. Se podia ter escolhido outro curso? Sim. Se seria mais feliz? Não sei, porque o que me vem à cabeça não me daria estabilidade e eu gosto de estabilidade. Oh well. Não vale a pena chorar sobre o molhado. É olhar com esperança para a frente!

    Jiji

    ResponderEliminar
  3. Apesar de também estar onde quero estar, não concordo que nada nos impede de estar onde queremos estar. Porque, no meu caso, se eu quisesse estar a viajar e não onde estou, não podia por não ter dinheiro para isso. Se, além de estares onde queres estar, tinhas hipóteses de estar noutro lugar (como viajar, como referiste), é muito bom.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Leonor, tinha a opção de trabalhar em vez de ter escolhido prosseguir com os meus estudos. Tinha a opção de viajar ininterruptamente se trocasse trabalho não só pelo salário (que até poderia ser mais reduzido) mas também por alojamento e alimentação que compensariam os custos de viagem, por exemplo, como tanta gente faz (e é uma prática cada vez mais comum). Ou podia optar por um trabalho noutro país ou cidade. É uma questão de perspetiva e de objetivos pessoais. Eu neste momento não tinha a hipótese de estar noutro lugar porque não criei as condições ideais para tal, escolhi um estilo de vida que me "obriga" a estar aqui mas que na verdade não é uma obrigação porque, lá está, fui eu que o escolhi. Nada me impede de criar condições para abraçar outra forma de viver (com viagens mais frequentes do que as que posso fazer de momento, por exemplo). No entanto, outras coisas ficariam para trás. É sempre uma questão de escolhas e prioridades pessoais, como em tudo na vida. Por isso sim, eu estou onde quero estar :)

      Eliminar
  4. Obrigada por me remeteres a esta reflexão! Eu estou onde quero estar, sem sombra de dúvidas!

    ResponderEliminar
  5. Todas as pessoas deviam se sentir que estão no lugar certo :)

    ResponderEliminar
  6. Que reflexão tão bonita! Apesar de por vezes surgirem dúvidas, eu também estou onde quero estar! Obrigada por me fazeres perceber isso com este belo texto!
    Beijinho*

    ResponderEliminar