Thirteen

CINEMA | I Am Sam [2001]

Apesar de ser um filme totalmente irrealista e previsível com uma história que nunca terminaria assim no mundo em que vivemos, "I Am Sam" é um filme bonito e esperançoso. Procura facilmente a lágrima do espectador em alguns momentos mas também nos diverte e encanta com uma banda sonora cuidada que encaixa perfeitamente em cada uma das cenas apresentadas.

"I Am Sam" conta a história de um homem mentalmente incapacitado que, apesar de autónomo, tem a inteligência de um miúdo de sete anos. Sam - interpretado de forma soberba por Sean Penn (com todos os tiques e linguagem específica) - é pai solteiro mas essa custódia é seguida de perto pela proteção de menores que, a certo ponto, decide que o protagonista, apesar do seu empenho, carinho e dedicação, não tem condições nem capacidades para educar uma criança.

O filme retrata todas as aprendizagens, audiências de tribunal, pressões, dificuldades e lutas entre advogados mas consegue, simultaneamente, focar tarefas simples do quotidiano e não dispensa uma mensagem forte que se alia a meia dúzia de momentos cómicos e amorosos: apesar das suas limitações, os deficientes mentais são capazes de grandes feitos e conseguem ter um trabalho e uma vida independentes.

Como disse inicialmente, este é um filme irrealista que não deixa de transmitir esperança ao espectador. E é isso que o torna num bom filme. A moral da história reúne um conjunto de valores bonitos e equilibra-se com uma fantasia cinematográfica mas a mensagem não deixa de ser poderosa, sobretudo porque foca questões que vão para além da discriminação e das doenças mentais: a família, a traição, a amizade, o trabalho, a carreira, a atenção, a sociedade, as decisões. Este é um filme que nos mostra que por vezes não existe um lado bom e um lado mau mas sim um lado certo e um lado errado. Vale pela intenção, pelas interpretações brilhantes, pela banda sonora, pela reflexão que nos provoca: será que, na vida real, a história teria o mesmo fim? Ou será que a forma certa e justa de lidar com a situação seria, na verdade, a mais custosa e complexa?


Os interessados poderão ver o filme ainda esta tarde, na Fox Life Portugal.

Publicação escrita em parceria com a FOX Life Portugal.

4 comentários:

  1. Já vi o filme há alguns anos e é sem dúvida um filme bonito e ternurento

    ResponderEliminar
  2. Eu adorei este filme, pela intensidade, por ser comovente, por saber que dificilmente o desenlace seria este na realidade. Mas acima de tudo pela soberba interpretação do Sean Penn, que desde que vi este filme não me é nada indiferente. Acabei por acompanhar com mais atenção a sua carreira depois de ter visto isto.

    ResponderEliminar
  3. Já vi este filme, concordo com tudo o que escreveste.

    ResponderEliminar
  4. Este filme é tão bom. Soberbo papel do Sean Penn!

    ResponderEliminar