Thirteen

SAÚDE | Ansiedade ou Nervosismo?

Quando comecei a escrever sobre ansiedade e ataques de pânico este era um tema que, pelo menos nos blogues que eu acompanhava e acompanho, não era muito debatido ou abordado. As doenças de foro psicológico ainda eram - e ainda são - um tabu para a sociedade portuguesa e eu senti que a minha abordagem - na primeira pessoa, sem falinhas mansas mas, ao mesmo tempo, sem focar particularmente os meus problemas - se transformou numa mais-valia para quem me lê. Foi esse o feedback que recebi, pelo menos. E dizerem-me que procuraram ajuda depois de terem lido as minhas publicações foi o maior prémio que eu poderia ter recebido pois nunca tinha imaginado que os meus textos pudessem ter um impacto tão significativo na vida de quem me acompanha. Continuei a escrever.

No entanto, se por um lado sinto que este tema tem vindo a ser desmistificado ao longo dos meses - não só por mim mas também por muitas outras pessoas que se sentiram confortáveis o suficiente para o admitir e para partilhar o seu testemunho de forma transparente - por outro sinto que tem havido uma confusão nítida entre duas coisas: ansiedade - a doença propriamente dita - e nervosismo/ansiedade natural. 

Eu não sou especialista no assunto, estou longe de me debruçar academicamente - ou profissionalmente - sobre a área das doenças de foro psicológico (ou da medicina em geral, convenhamos) e tudo o que eu sei sobre esta temática advém dos (muitos) anos de luta, de informação que me foi transmitida e de auto-conhecimento a que tive direito mas, simultaneamente, reconheço que o stress, a ansiedade e o nervosismo fazem parte do ser humano. E isto é importante salientar: o nervosismo, o stress e a ansiedade são reações naturais e positivas desde que não atinjam proporções exageradas, desde que não nos limitem ou condicionem. A ansiedade e o stress servem para nos alertar - e é óptimo que o nosso corpo nos proporcione estes sinais! 

Viver com ansiedade não está na moda (fico parva - e furiosa - quando palavras destas me chegam aos ouvidos!). A ansiedade é uma doença cada vez mais frequente - e é preciso reconhecê-la, identificá-la e tratá-la atempadamente - mas o nervosismo e o stress são reações naturais do organismo perante situações com as quais não estamos familiarizados. Ficar mal disposta antes duma apresentação importante, sentir um nervoso miudinho antes dum encontro ou ficar com as mãos geladas antes duma entrevista de emprego não é necessariamente mau; é positivo e significa que estamos conscientes da seriedade do acontecimento que se aproxima. Se a tua ansiedade não te condiciona - e se se traduz apenas nos nervos que te deixam o estômago embrulhado - não há nada de errado contigo. Há uma linha muito ténue que separa uma reação natural duma reação exagerada; o truque está em saber de que lado nos posicionamos e como podemos contornar essa dificuldade (seja ela qual for).


8 comentários:

  1. Já tinha uma pequena ideia desta diferença e eu não tenho ansiedade como uma doença mas reconheço que sou muito stressada e nervosa ( o que como referis-te, é normal)!

    (gosto muito destas tuas publicações que ajudam as pessoa, muito porreiro da tua parte! :))

    ResponderEliminar
  2. Concordo completamente :) muitas vezes sinto-me algo bloqueada quando estou sob muita pressão e nervosismo, mas tenho sempre conseguido ultrapassar essas alturas e não me sinto condicionada pela ansiedade. No entanto já presenciei de perto ataques de pânico e sei bem o quão paralisante eles podem ser. É nesses casos que se torna mesmo necessário procurar ajuda de psicólogos e são cada vez mais frequentes estes casos. Não é vergonha nenhuma e tem de se acabar com o tabu :)

    ResponderEliminar
  3. Infelizmente com os níveis de stress que vivemos actualmente, com o que é exigido de nós o que cria em nós um imensa pressão. E faz com que os casos de ansiedade sérios seja mais graves do que se vivêssemos noutro tipo de sociedade. E há muita mistura dos nervos com ansiedade (e eu sofro dos dois ahahah) Nervos são genéticos, ansiedade não! E quando se juntam ui xD
    Os meus ataques de pânico não são directamente causados pela minha ansiedade, como tenho problemas respiratórios devido a alergias há alturas em que o meu nariz fecha completamente devido ao inchamento dos cones nasais e não passa pinga de ar. E começo a entrar em pânico, fico ansiosa, deixo de controlar a respiração e entro em pânico. Parece que estou a sufocar e tenho os sintomas todos mas é tudo psicológico. É super complicado tirar-me desse estado. E não estou em mim e quando finalmente me acalmam estou toda negra, arranhada, chego a desmaiar. É algo que não desejo ao meu pior inimigo. E controlar-me para não chegar a este ponto é uma luta diária!

    ResponderEliminar
  4. Excelente post. Acho que é importante a distinção entre as duas realidades, porque o stress natural é bom, é o nosso instinto a funcionar - é quase uma reacção animal que garante a nossa sobrevivência, se quiseres. Não distinguir as duas coisas é o que leva ao preconceito, porque acaba por fazer com que muita gente menospreze a verdadeira ansiedade-doença, tomando-a como um capricho. Felizmente não sofro desse problema, mas tenho amigos que o têm e sei que não é fácil. Força!

    Jiji

    ResponderEliminar
  5. Sou uma pessoa muuito nervosa mas nunca sofri mesmo de ansiedade - ou seja, nunca me bloqueou nem alguma vez tive ataques de pânico (felizmente). Não creio que seja "moda" - aliás, este tipo de afirmações têm sempre uma conotação negativa -, mas o ritmo a que vivemos suscita este tipo de problemas que, como escreveste, são cada vez mais frequentes. Importa identificá-los e, no caso de não existirem, importa evitá-los. Bom post :)

    ResponderEliminar
  6. Este texto parece-me necessário, Carol. Até porque tal como tu, tenho vindo a perceber essa mistura de conceitos. Eu própria já tive reações naturais de ansiedade, mas não lido com o problema diariamente. Não sou uma vítima dele. E acho que as pessoas precisam de se auto-analisar e perceber bem o que é uma coisa e outra.

    ResponderEliminar
  7. Fazer esta distinção é tão importante!! Incomoda-me imenso quando vejo pessoas a misturar dois conceitos tão parecidos aos seus olhos e tão diferentes na realidade

    ResponderEliminar
  8. eu chego mesmo a evitar jantares e sitios com muita gente..
    Eu no dia da minha defesa cheguei mesmo a vomitar no final com os nervos.
    Estou mesmo a ser seguida no psicólogo e já se anda a chegar à razão da minha ansiedade.
    O que mais me enerva é dizerem que isto é fácil de controlar e que somos exageradas

    ResponderEliminar