TURISMO | "É demasiado popular."

Há uns anos conheci uma rapariga que, apesar de adorar viajar e de visitar com frequência cidades portuguesas e além fronteiras, se recusa - e esta é mesmo a palavra correta, não é um eufemismo - a visitar atrações tipicamente turísticas. Quando esteve em Paris, não visitou o Louvre. Quando foi a Nova Iorque, não subiu ao Empire State Building. Quando foi a Roma, não visitou o Coliseu. Quando esteve em Lisboa, ignorou a zona de Belém.

E quando lhe perguntei por que razão se recusava a conhecer espaços tão significativos para a cidade quando estes lhe despertam curiosidade, respondeu-me que não gosta de pontos turísticos e que, para conhecer esses monumentos e zonas, pode perfeitamente fazer uma rápida pesquisa em alguns motores de busca. Acredito que seja um pouco contraditório para alguém que é, simultaneamente, apaixonada por aviões, aventuras, mochila às costas e viagens de carro.

Esta miúda viaja todos os anos, conhece uma grande parte da Europa e da América, já esteve na Austrália e visitou até um pouco da Ásia mas quando falamos com ela sobre os lugares que toda a gente associa aos destinos que ela teve a oportunidade de conhecer, responde que não esteve lá, que não entrou, que não visitou, que não observou com os seus próprios olhos. Esta miúda tem um preconceito tão enraizado na sua mentalidade que só a ideia de ser considerada turista a deixa aterrorizada - mesmo que, inegavelmente e por muito que lhe custe, o seja.

E se por um lado eu compreendo a necessidade de realizar uma viagem personalizada e única que vá  (muito) além daquilo que os guias turísticos nos proporcionam, por outro não posso deixar de estranhar esta necessidade de ser diferente a toda a força e de, consequentemente, perder a oportunidade de conhecer realmente lugares tão fantásticos.

Não sou pessoa de excursões, de roteiros delineados ao pormenor ou de horários rígidos enquanto viajo nem tão pouco visito todas as atrações turísticas duma cidade ou deixo que a minha viagem se limite a elas. Mas sou alguém que quer sempre conhecer o melhor de cada cidade e de cada região. E, na minha inocência de turista que quer sempre descobrir mais, reconheço que, às vezes, esses lugares são extremamente populares. Vou deixar de visitar, de conhecer e de me encantar só porque toda a gente visita e conhece? Não! Se me interessa, eu vou também. E elimino da minha lista de prioridades algumas atrações que não me dizem assim tanto sempre que viajo mas nunca, em momento algum, as retiro dos planos só porque são populares. Cada um tem a sua forma de viajar e de conhecer o mundo mas esta ideia de deixar de ir só porque toda a gente vai faz-me confusão.

10 comentários:

  1. Eu gosto de ir a sítios aconselhados, já conhecidos, míticos até. Mas percebo quem não encontre nisso qualquer fascínio e queira fazer a sua própria rota e descobertas!

    ResponderEliminar
  2. Não sou extremamente viajada mas por exemplo em Londres não fui ao London Eye nem ao Madame Tussauds mas havia outras prioridades (que por acaso eram grátis!) e por isso não fomos para além de não serem o que mais nos faria desfrutar da cidade, penso eu! Só me arrependo mesmo de não ter ido à Tower of London e ao sky garden, mas a viagem foi extremamente bem aproveitada e conheci muito. Este ano já disse, não saio de Paris sem ir a Versalhes e ao Louvre e nem é por terem muitos turistas, é por ter mesmo interesse nos locais e por sonhar com eles há muito, mas não acho que vá subir à torre eiffel, para além de já ter subido, há muito mais para fazer! Até que podemos ir, mas não acredito muito, dispensava totalmente e gastaria o meu tempo noutros locais! Portanto acho que depende muito das perspectivas de todos! Eu não vou a alguns sítios mais badalados se vir que vou somente por ir e que não há interesse da minha parte ou dos meus companheiros. Não vou por ter muitos turistas ou não, eu vou pela minha cultura e pelo meu interesse [espero mesmo ter sido compreensível] :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Leonor, referiste exatamente o que eu mencionei no texto: escolhes os locais consoante o grau de interesse que tens neles e visitas tanto locais tipicamente turísticos como outros menos conhecidos (como eu também faço, para ter "o melhor dos dois mundos").
      No entanto, a rapariga do texto não o faz - e viaja desta forma por preconceito; a partir do momento em que um local é considerado "popular" ou "atração turística", ela corta-o imediatamente da sua lista e recusa-se a conhecê-lo. Não é por não ter interesse nos locais - confessou-me que gostava de ter ido ao MET mas que não foi porque se enquadrava nessa categoria de "locais a evitar" - é por sentir uma necessidade exagerada de ser diferente.
      Como refiro no final do texto: "cada um tem a sua forma de viajar e de conhecer o mundo mas esta ideia de deixar de ir só porque toda a gente vai faz-me confusão". E, se me permites acrescentar, o mesmo se aplica aos que vão só porque toda a gente vai apesar de não terem qualquer interesse no local (e aqui não me refiro às cedências que fazemos quando viajamos com outra(s) pessoa(s), obviamente.

      Eliminar
  3. Não entendo o porquê mas, pelos vistos, para ela isso faz sentido. Eu cá não iria perder a oportunidade de ver com os meus próprios olhos.

    ResponderEliminar
  4. Concordo plenamente contigo :) Para ela faz sentido e respeito, contudo eu não era capaz de visitar certas coisas pois quero vê-las com os meus próprios olhos (a não ser que não tenha dinheiro ou tempo para tudo, como é obvio e como disseste, também temos que fazer escolhas).

    ResponderEliminar
  5. Não concordo totalmente com a tua abordagem.O que entendo é que esses pontos, ainda que turísticos, não lhes despertam interesse e que não considera que os deva visitar apenas porque são atrações turísticas e, consequentemente, muitas pessoas os visitam. Mas posso ter feito uma interpretação errada :)

    ResponderEliminar
  6. Entretanto apercebi-me que esclareceste a minha questão na resposta ao comentário da Leonor.. :)

    ResponderEliminar
  7. Também percebo que te faça confusão, a mim também faz! Há locais maravilhosos aos quais não podemos deixar de ir só porque são populares...

    ResponderEliminar
  8. Eu acho que visitar esses pontos turísticos é importante e, não deixaria de o fazer só porque posso obter muitas informações sobre eles com um clique. :) *

    ResponderEliminar
  9. Esse tipo de mentalidade hipster é completamente absurdo. Tal como disseste, vamos deixar de visitar um local só porque toda a gente o conhece? Ridículo! Nunca me deparei com ninguém assim, mas nem sei qual seria a minha reacção.

    Ricardo, The Ghostly Walker.

    ResponderEliminar