AMIZADE | Até Sempre, Professor!

Na quinta-feira, por volta da hora do almoço, recebi uma mensagem dum antigo colega de escola - o nosso Professor de Educação Física tinha falecido nessa manhã. Cancro. A doença conseguiu derrubar um homem de quase dois metros em meia dúzia de meses e eu continuo sem perceber como.

Não tive reação. Agradeci a mensagem e, como o meu colega tinha pedido, adicionei à conversa os outros colegas que, assim como eu, talvez quisessem ir ao funeral do nosso antigo Professor de Educação Física. Era o mínimo, tendo em conta a paciência que ele sempre demonstrou na nossa turma e a sua energia incansável - ninguém diria que uma doença o iria derrubar.

Ao contrário de alguns dos meus colegas, eu nem sequer sabia que ele estava doente e, por isso, foi uma notícia totalmente inesperada que me atingiu como uma bomba. Como é habitual, só me caiu a ficha uns minutos mais tarde, quando saí da empresa para almoçar e quis contar ao meu pai que o meu Professor tinha falecido. Não contive as lágrimas. Não as contive quando comecei a escrever este texto. O cancro venceu mais uma vez depois de uma luta que foi com certeza dolorosa e, tendo sido um dos professores que mais acreditou em mim e nas minhas capacidades e que mais me marcou, me fez rir e me desafiou ao longo do meu Ensino Secundário, a notícia foi - e está a ser - difícil de digerir. Ainda não sei se terei capacidade emocional para ir ao funeral, confesso.

9 comentários:

  1. Os meus sentimentos :( .
    Mantêm-te forte e junto daqueles que gostas. É sempre difícil perder alguém que conhecemos e admiramos.

    http://myblogtwtme.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  2. Raios. Lamento. Esta doença está a tornar-se uma epidemia, e infelizmente em muitos casos não há mesmo nada a fazer...força <3 guarda o que de bom ele te deu.

    Jiji

    ResponderEliminar
  3. Força, Carolina! Infelizmente esta doença está a derrubar muita gente. E nunca contenhas as lágrimas. Nestes momentos é preciso chorar, descarregar tudo. Mais uma vez, muita força!

    ResponderEliminar
  4. R: Gosto imenso dos teus posts acerca destes problemas, já que os partilho e, para além disso, os textos estão sempre muito bem escritos.Acho que já os li a todos. Parece-me que me interpretaste mal, o que quis dizer foi que nós não conseguimos controlar quando e onde temos um ataque de ansiedade não que eles em si não são controláveis.

    http://myblogtwtme.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  5. Estou com o mesmo sentimento. A minha tia também está em fase terminal. Sempre foi o meu suporte. Não sei como vai ser.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Desejo-te a maior força! Aproveita os momentos que ainda vos restam...*

      Eliminar
  6. Força, Carol! Como já te disse a doença tem vencido muitas mais vezes do que o aceitável mas acredito que um dia a vamos vencer. Juntos. Um beijinho <3

    ResponderEliminar
  7. Lamento muito. Força, Carolina :). Ainda iremos conseguir vencer esta doença.
    Beijinhos,
    Cherry

    ResponderEliminar