Thirteen

SWEET CAROLINE | 20 Momentos Incríveis que Vivi

Fugas: Lisboa, Aveiro, Verim. 1) Ainda em 2015 passei uns dias em Lisboa com a minha irmã e a sua Madrinha Académica. E com tanto sol em pleno Novembro não havia como não gostar. Numa época complicada e de muito trabalho, fugir à rotina num local que nunca tinha explorado com maturidade e calma foi maravilhoso. As viagens - independentemente da sua duração ou distância - enriquecem-me duma maneira inconfundível e eu sinto que não podia ter entrado nos vinte de melhor forma. Foi um óptimo presente de aniversário. 2) Sou a primeira a defender a beleza do nosso país e quando a oportunidade surgiu, imediatamente fiz a reserva. Aveiro recebeu-nos num fim de semana em Maio e fortaleceu-nos enquanto casal numa comemoração atrasada. A nossa caixinha ficou um pouco mais cheia e Aveiro ganhou um encanto diferente aos meus olhos: é muito mais do que ovos moles e barquinhos. Aveiro é também um símbolo de amor, de compreensão e de amizade. 3) Foi em Verim que celebrámos o aniversário da Sarinha e foi lá que passámos dois dias de sol, rio, bolo de chocolate, jogos de tabuleiro e conversas. Verim fica na Póvoa de Lanhoso e é uma zona rural, com uma população envelhecida, um rio limpo e uma área verde cuidada. É uma zona calma e é também a prova de que não é preciso ir muito longe para fugir à rotina. Num ano sem direito a férias e com pouca margem de manobra para viagens e escapadinhas, estes dois dias longe do computador e do trabalho mostraram-me como é bom ser feliz sem wi-fi.

"Vamos Falar de Turismo?". Em Dezembro de 2015 fomos postos à prova: todo o trabalho que tínhamos desenvolvido até então teria que ser apresentado ao público um mês após o meu aniversário. E depois de muitas burocracias, algumas chatices e uma dose generosa de preocupação... o "Vamos Falar de Turismo?" foi um verdadeiro sucesso. Apesar de se inserir numa obrigação académica, o evento que co-organizei ensinou-me muito e inspirou-me duma forma que eu não esperava.

Detalhes e Surpresas. Chocolates escondidos no carro e na mala do computador, lanches inesperados, mimos, elogios que chegam nas situações mais improváveis, abraços, jantares em semanas difíceis, mensagens oportunas, o Dia dos Namorados mais cuidado de sempre, flores, balões, um pedido de apadrinhamento planeado com detalhe, um convite para antecipar o Estágio Curricular, refeições em família - com a minha e com a dele -, cafés marcados no último segundo, dias de praia (...). As pequenas grandes surpresas da vida são sempre incríveis e eu faço questão de me lembrar delas sempre que possível.

Afilhados. Nos meus dois primeiros anos de Faculdade eu fui baptizada em duas circunstâncias diferentes e com dois significados distintos e, no meu último ano, baptizei aqueles que me escolheram como Madrinha e que viveram a Praxe duma forma que me deixa orgulhosa - sem faltas ou desistências, alinhando em todas as brincadeiras e sem nunca dizerem que não. Como Madrinha tive a vida facilitada; não me deram chatices nenhumas e cumpriram tudo aquilo que lhes pedi e exigi - foi uma honra baptizá-los. Foi uma honra ter sido escolhida por eles de forma tão imprevisível e é uma honra acompanhá-los todos os dias, saber como eles estão, ajudá-los na compra do Traje e nos momentos de maior aflição, viver com eles as etapas mais pertinentes da vida académica que vai para além das aulas, das frequências e das propinas - mesmo longe. "Flechas Duracel 2.0" e "Pára-quedista", espero que saibam que a Madrinha está aqui para vocês.

Estágio Curricular. Fui recebida de uma forma simpática e imediatamente comecei a trabalhar nas minhas próprias tarefas e desafios. Aprendi muito, conheci pessoas fantásticas, trabalhei a sério num ambiente fabuloso e percebi algo que me tranquilizou logo na primeira semana: a minha escolha foi a mais acertada. No meu Estágio Curricular eu não fui tratada - nunca! - como estagiária. Fui sempre tratada como uma colega e trabalhei todos os dias num ambiente onde é normal passar por todas as salas só para dizer "bom dia" ou "até amanhã", onde as pessoas gostam daquilo que fazem, onde os colaboradores são jovens, criativos e bem sucedidos. Fantástico!

18 de Abril. Eu e o Gui celebrámos dois anos de namoro numa segunda-feira de trabalho. E entre conversas, sorrisos, presentes inesperados, palavras bonitas e muito amor, eu tive direito a tudo o que há de bom no mundo. Não é fácil celebrar uma data especial depois dum dia intenso e atarefado - sobretudo quando esse dia define o início de mais uma semana ocupada - mas nós conseguimos e eu guardo aquele jantar no coração, assim como guardo os elogios que ele me direciona todos os dias e o seu sorriso sempre sincero e dedicado.

Sessão fotográfica para a Josefinas. Novos ambientes trazem-nos novas oportunidades e novos projetos e eu aceitei o convite para ser fotografada pela marca a fim de promover um dos produtos que iam lançar na altura - as Josefinas Marie Antoinette. Foi um desafio, confesso, mas foi também muito divertido e adorei a experiência. Eu já gostava (muito) da marca portuguesa antes de descobrir que esta estava sediada em Braga - prova disso são as publicações antigas sobre as diversas coleções e produtos! - mas a Josefinas ganhou um lugar especial no meu coração depois de conhecer as pessoas que lhe dão vida e que a tornam num verdadeiro sucesso. Deixar um bocadinho de mim no seu percurso foi uma verdadeira honra (e uma genuína surpresa). Ser convidada para ser figurante num pequeno vídeo de apresentação duma edição especial foi um bónus igualmente divertido.

Fitas de Finalista. É difícil descrever o que senti ao ler cada uma das frases que as minhas pessoas escreveram nas minhas fitas azuis e amarelas. E essas são palavras que guardo com carinho porque, mais do que o finalizar de uma etapa, são a prova de que estou rodeada pelas pessoas certas. O meu namorado, os meus amigos de infância, os meus amigos de Faculdade, os meus familiares, os meus colegas, os meus professores, os meus colegas de trabalho... Todos guardaram uns minutos para escrever nas minhas fitas e o resultado não poderia ter sido mais amoroso, divertido, personalizado e pormenorizado. Ler cada um dos textos em cada fita foi absolutamente maravilhoso e ter sido escolhida para decorar com as minhas palavras as fitas deles foi fantástico. Despedi-me da minha Licenciatura de coração cheio, com um pin especial na pasta e fitas que só poderiam ser minhas.

Cerimónias de Finalista. A Serenata, mesmo que não tenha sido aquela que eu idealizei. A despedida da Faculdade que me acolheu nos últimos três anos. O Traçar da Capa da Afilhada. As lágrimas infinitas. As famílias, de sangue e de Praxe. A Imposição de Insígnias. Os Afilhados trajados. O discurso (CHORA! CHORA! CHORA!). As cartolas e bengaladas. O almoço em família. A Bênção de Finalistas, mesmo com toda a chuva. O Enterro da Gata. O Cortejo. Maio foi um mês muito especial para mim por tudo o que simbolizou e despedi-me da forma mais bonita, ao lado das pessoas que esta etapa fabulosa me trouxe. Impagável.

O rasgão da Amizade. O maior sinal de amizade - ou a maior importância que podemos atribuir a alguém - é o rasgar de uma capa que nunca mais será a mesma. É definitivo. No fim da minha Serenata de Finalista, eu rasguei a capa de uma das pessoas mais incríveis que conheço. Teve um valor indiscritível. Foi um pedido totalmente inesperado e eu sorrio sempre que penso em tal gesto. Obrigada. Por tudo e pelo que ainda aí vem. Foi uma honra, Mota.

Ser convidada para pisar as capas do Gilinho e do João. O maior sinal de respeito no meio de tantas tradições académicas é estender a capa aos pés de outra pessoa convidando-a a pisá-la. Sei que muita gente vê este gesto como algo banal mas, para mim e para eles, sei que é algo que vale muito; que não é um convite que se faça a qualquer pessoa. Aliás, conto pelos dedos das mãos o número de pessoas que pisaram a minha capa nos últimos três anos (foram, precisamente, quatro pessoas). E, apesar da surpresa inicial e das lágrimas óbvias de quem sente grandiosamente estas pequeninas coisas, não podia ter sido mais incrível. Obrigada aos dois. Pela amizade, por serem amigos do coração, por me ensinarem tanto, por estarem presentes, por nunca me negarem ajuda. São fantásticos e eu sou uma sortuda por ter sido Praxada por vocês. Serão sempre o meu eterno Dux e o meu Veterano favorito mas, mais do que isso, são uns amigos fabulosos que quero preservar entre muitos jantares e cafézinhos.

O rasgão do Amor. Na minha primeira serenata o Gui pediu-me que rasgasse ao meio a capa dele e eu recusei. Por muito que gostasse dele, pareceu-me precipitado. Por muito que quisesse acreditar que sim, não sabia se ia correr bem, se íamos ser capazes de ultrapassar as adversidades. No entanto, Finalistas e depois de tantos altos e baixos, pareceu-me (ou pareceu-nos) inevitável. Rasgámos a capa um do outro com cuidado e com a emoção à flor da pele antes daquele que foi o nosso último Cortejo. E foi lindo, apesar da minha hesitação inicial. Independentemente do que possa acontecer daqui para a frente, o Gui marcou a minha passagem pelo Ensino Superior e, se a minha capa representa a minha vida académica, então não fazia sentido não o demonstrar desta forma. 

Casamento da Joana e do Edgar. Casamento do João e da Natacha. Eu não fazia ideia que gostava tanto de casamentos mas algo me diz que, sempre que houver um, estará na lista de momentos do ano. 1) A verdade é que ver um casal que conhecemos tão bem a celebrar o seu amor numa festa tão bonita é sempre motivo de muitos sorrisos e, quando são familiares próximos, a festa é ainda mais divertida, descontraída e animada. Com uma coreografia de primos (e vários ensaios antes do grande dia!), surpresas, muitas fotografias e a presença do Gui, o casamento da Joana e do Edgar está, com todo o mérito, no meu TOP 20. 2) Por outro lado, o João é uma das minhas pessoas favoritas por tudo o que me ensina, por estar sempre presente para mim e por representar uma fase muito importante da minha vida - e acho que ele não sabe disso muito bem - e a Natacha é uma miúda tão simpática, apaixonada e amorosa que não dá para dizer que não foram feitos um para o outro. Guardo o convite de casamento com carinho por nos ter sido direcionado enquanto casal e guardo toda a cerimónia e copo de água com um sorriso no coração por ser de alguém tão importante. Quando são os nossos amigos a casar, estes dias têm um impacto diferente em nós. E estes casamentos marcaram-me muito mais do que o que eu imaginava, por razões distintas.

Oficialmente Licenciada! Foram três anos incríveis que, no fundo, não queria que terminassem mas que só fizeram sentido por terem sido vividos neste período de tempo com a intensidade e a emoção que os caracterizaram. Em 2013 era uma miúda cheia de incertezas e dúvidas e foi óptimo ter chegado ao fim com a certeza de que todas essas dúvidas me levaram ao caminho que hoje piso. O meu Estágio Curricular foi o fim perfeito para os três anos fabulosos que vivi ao lado de pessoas tão complexas e fascinantes e sou hoje uma pessoa diferente - e melhor! - por ter escolhido percorrer estas estradas. Com a emoção à flor da pele e sem capacidade para descrever o sentimento, uma coisa eu sei: não podia ter pedido um fim melhor para o meu Primeiro Ciclo de Estudos no Ensino Superior. Nunca vou esquecer o momento em que finalmente me disseram que estava licenciada.

EURO 2016. Sempre vivi intensamente os jogos da nossa Seleção e, em 2016, voltei a comprová-lo. Os jogos de Portugal foram sofridos, sim, mas os resultados foram incríveis e vencer a França na final - dura e injusta - foi a cereja no topo do bolo que nos fez esquecer o desastre grego de 2004. Vi também vários jogos das outras equipas e acho que, no geral, houve bons jogos e bons jogadores em campo. Houve falhas, claro, mas foram horas bem passadas com o bónus das refeições deliciosas e as celebrações épicas rodeada pelas minhas pessoas favoritas.

Estágio Profissional. O sonho de qualquer finalista, certo? Numa época de tantas dificuldades, fui alvo de um convite irrecusável. Escolhi esta empresa por tudo o que simboliza e adorei o meu Estágio Curricular por isso senti-me verdadeiramente honrada quando me disseram que queriam que continuasse por cá - mesmo que isso implicasse, uma vez mais, não ter férias. Quando nos esforçamos, o mundo colabora e eu iniciei a minha vida profissional sem passar pelo desespero do desemprego no final da Licenciatura. Sinto-me extremamente grata pela oportunidade.

Passadiços do Paiva. O passeio pelos Passadiços do Paiva em Arouca estava prometido desde que foram construídos pela primeira vez. Em 2015 os Passadiços arderam na semana em que tínhamos planeado ir até lá e em 2016 não deixamos passar a oportunidade. Semanas depois, os Passadiços do Paiva e a paisagem envolvente arderam de novo e eu não posso deixar de expressar dois sentimentos diferentes: 1) revolta, pela destruição de uma área tão bonita que só promove coisas positivas e  2) gratidão, por ter tido a oportunidade de viver esta experiência ao lado da minha mãe quando a paisagem ainda era verde e de cortar a respiração.

Miguel Araújo e António Zambujo no Coliseu do Porto. David Fonseca no Theatro Circo. Foram, para mim, os concerto do ano. O primeiro aconteceu em Fevereiro e estava planeado desde Outubro, o segundo foi mais impulsivo e aconteceu em Setembro. E estes dois concertos foram a prova de que há boa música em Portugal, que podemos ter bons momentos ao lado das pessoas que mais gostamos enquanto assistimos aos concertos dos nossos artistas de eleição. Obrigada aos meus pais e ao Gui por me acompanharem nestas aventuras musicais.

Mudanças significativas no blogue. Cada vez mais acho importante ter um blogue que me acompanha nas diversas fases da minha vida e que se vai enquadrando na evolução dos meus gostos. E, dessa forma, as mais recentes mudanças no blogue simbolizaram uma lufada de ar fresco e uma motivação diferente para escrever e partilhar os meus interesses convosco. Ter-vos desse lado continua a ser o melhor prémio mas ter um blogue com o qual me identifico é essencial para ter vontade de vos escrever.

O Apartamento. O momento mais surpreendente dos vinte; a mudança mais significativa do meu ano. Ainda não há muito para dizer - afinal, só dormi no meu apartamento uma noite e ainda não vivi verdadeiramente a experiência que todos anseiam - mas o primeiro passo foi dado esta semana e já é suficientemente significativo para constar nesta lista de momentos incríveis. Quão incrível é ter um apartamento só meu?



[Esta publicação foi escrita ao longo do ano e os momentos estão, sempre que possível, por ordem cronológica.]

12 comentários:

  1. E que momentos incríveis! Fico fascinada com o valor que dás a coisas tão simples. Devia existir mais gente como tu, mais versões da Carolina enorme que há em ti. Sinto cada vez mais que este é um lugar seguro, porque até com os teus momentos nós aprendemos. Um beijo enorme Carol, que continues a viver intensamente todas as fases da tua vida!

    P.S.- Não estou muito familiarizada com a tradição do rasgar a capa e pisar, não sei se o é na UMinho, porém, penso que percebo o significado que pode ter!

    ResponderEliminar
  2. Eu estava a ler o teu texto e a pensar a maturidade que tu já tens e o conhecimento que já adquiriste. Tens uma visão da vida muito adulta e diferente da maioria dos jovens da tua idade, encaras cada mudança com coragem e entregas-te de alma e coração a tudo o que fazes. E tens também uma gestão de tempo fantástica, para conciliar jantares, saídas, viagens e muito mais com o início de uma vida profissional obviamente muito ocupada.

    Gostei muito de ler o teu post, cheio de atividades e momentos marcantes :). Desejo que também tenhas muitos momentos especiais para partilhar connosco daqui a um ano.
    Beijinhos,
    Cherry
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
  3. Pude acompanhar te atarvés do blogue na maioria deste acontecimentos e foi um ano indiscutivelmente cheio e rico! Estás cada vez mais uma mulher madura e capaz e que de certeza que será muito grande no futuro!

    ResponderEliminar
  4. E quando se lê um texto de uma assentada só, sem vermos o tempo passar, isso apenas significa que valeu muito a pena! Aliás, ler o que escreves, ler parte do teu ser, vale sempre muito a pena!
    És uma mulher maravilhosa, uma pessoa que transpira amor, cuidado, genialidade, organização e todo um leque de coisas positivas que me convencem a cada dia que sim, tu fazes bem às pessoas, tu mereces todo o carinho que recebes, e sim!, as tuas experiências em 20 anos são, de facto, inspiradoras! Sinto-me uma sortuda por te poder acompanhar, por te poder ler e por poder aprender contigo a cada dia!
    Por mais experiências, coisas boas, desafios e muuuuuito amor para a tua vida!! És fantástica!

    A Vida de Lyne

    ResponderEliminar
  5. É tão bom poder olhar para trás e ver o quanto fomos felizes (:

    ResponderEliminar
  6. Momentos marcantes sem dúvida. A mudança de casa foi também a mudança mais significativa para mim este ano. Aliás, celebrei os meus 25 anos com os amigos aqui em casa como espécie de jantar de inauguração.

    Cátia ∫ Meraki

    ResponderEliminar
  7. Carol, tenho tanto gosto em acompanhar-te. És mesmo uma pessoa maravilhosa e este texto comprova-o. Fico tão feliz por poder aprender um bocadinho contigo todos os dias (e acredita que já aprendi algumas coisas). És uma miúda cheia de vida, de coragem e que, apesar de tudo, tenta encarar sempre a vida pelo lado positivo e isso é tão bom. Que eu possa continuar a ler-te durante muitos anos porque sou eternamente grata por te ter conhecido. Um xi! <3

    ResponderEliminar
  8. É bom sentir que também fiz parte de alguns desses momentos <3

    ResponderEliminar
  9. Espero que continues sempre a adicionar momento felizes a esta lista. :)

    ResponderEliminar
  10. Tantas memórias que tens e tão novinha que és! Momentos que irás para sempre recordar. Que mais momentos venham por aí e que continues a partilhá-los connosco :) Beijinhos

    ResponderEliminar
  11. tenho adorado imenso as tuas publicações! e esta não ficou atrás! encheu-me o coração! obrigada carolina :)

    ResponderEliminar