Thirteen

QUERIDO PAI NATAL | The Boyfriend

Não uso muitos acessórios - menos é mais, para mim - mas há algo que nunca falha nos meus coordenados: o relógio (haverá acessório mais útil e elegante?). E já que o Natal está aí à porta - falta menos de um mês, acreditam? -, apresento-vos The Boyfriend, um relógio que surge de uma parceria fantástica entre a Eletta e a Maria Guedes - que, na minha opinião, tem bom gosto e um sentido estético muito apurado.

Gosto do relógio exatamente como está na fotografia - com a bracelete em aço prateado e o aro branco - e não me imagino a usá-lo doutra forma porém, para quem prefere relógios mais invulgares, existe também a opção da bracelete em silicone branco e o aro azul: cada relógio traz as duas versões, para que possamos trocar sempre que nos apeteça variar. Giro, certo?


Fotografia: Maria Guedes.

COOL BLOGGERS EM BRAGA | Bom Jesus do Monte

Depois de receber a Carolina, a Marta, a Helena e a Daniela e de lhes indicar os seus quartos no maravilhoso Hotel do Parque - o meu hotel favorito na cidade -, partimos à descoberta do Bom Jesus do Monte, um local maravilhoso que ganha um encanto ainda mais especial durante o Outono. Este é um ponto turístico de renome mas é também um espaço feliz na memória dos bracarenses por todas os momentos magníficos que promove. 

Conhecem a expressão “ver Braga por um canudo”? O “canudo” – que é, na verdade, um monóculo – está no Bom Jesus do Monte e proporciona-nos uma vista ainda mais detalhada sobre Braga. Porém, essa não é a única relíquia do espaço; existem grutas para descobrir, pontes, um lago onde podemos andar de barco e, claro, um elevador movido a água que utiliza um sistema de contrapeso (o primeiro da Península Ibérica e, atualmente, o mais antigo do mundo). O fim de semana "Cool Bloggers em Braga" não poderia ter começado noutro local.

FORMAÇÃO | Content Marketing: Copywriting e Blogging

Quando optei por não fazer Mestrado imediatamente a seguir à Licenciatura, comprometi-me a não deixar de aprender e a procurar cursos, conferências, aulas e formações que me ajudassem a saber mais sobre os mais diversos temas tendo em conta a minha (falta de) experiência nas áreas em que estou a trabalhar.

Nesse sentido, optei por frequentar um Curso de Content Marketing focado em copywriting e blogging - perfeito não só para a minha vida profissional mas também para este projeto que recebe a minha dedicação desde 2013. O tema cativou-me de imediato - tinha tudo a ver comigo! - e tinha tão boas referências da formadora (que trabalhou lá na empresa durante vários anos) que não havia como não corresponder às minhas expectativas. Superou-as, na verdade.

Pessoalmente, tenho apenas uma coisa negativa a apontar: soube a pouco. O Curso de Content Marketing dado pela Monica Aragão é constituído por quatro sessões de 3h e eu acredito que, se aumentassem o número de sessões, este seria ainda mais proveitoso - eu senti realmente que estava naquela sala com um propósito e que, no final de cada aula, eu saía com novas ideias e novas motivações.

Para além de ter aprendido muito sobre criação e rentabilização de conteúdos para as mais diversas plataformas, identifiquei-me muito com a formadora, adorei os exemplos que ela escolheu para ilustrar cada matéria e achei-a uma profissional dedicada. Esta não foi "apenas mais uma formação". Pelo contrário: o facto de ser uma turma pequenina permitiu uma maior partilha de conhecimentos e permitiu que recebêssemos comentários individuais sobre cada um dos exercícios que realizávamos sempre no final da aula. Ouro.

Toda a equipa do Factory está de parabéns não só pelos cursos que proporciona mas também pelo ambiente que ali se vive, pelo coffee-break sempre delicioso e pela confiança depositada em cada um dos formandos. Foi como se estivesse em casa e vou definitivamente voltar para mais um curso, workshop ou formação um dia mais tarde.


Haverá uma nova edição deste Mini-Curso em Março de 2017. Vejam tudo aqui.

Começo a semana com uma pergunta: em que redes sociais estão presentes?

O APARTAMENTO | Adeus aspirador?

Tenho uma opinião muito rígida sobre as tarefas domésticas: gosto de ter sempre a casa limpa e arrumada até ao mais ínfimo detalhe - e faço por isso - mas, ao mesmo tempo, acredito que devemos aproveitar o (pouco) tempo livre que temos para fazermos aquilo que realmente nos dá prazer.

Vivo num apartamento grande que adoro mas estou condicionada pelo horário de trabalho e pelo facto de raramente estar em casa durante o dia. Arrastar móveis ou utilizar o aspirador é impossível durante a semana por causa do barulho, por exemplo. E, nesse sentido, pedi um orçamento a uma empresa dedicada a limpezas de manutenção - sem qualquer custo ou compromisso -, apenas para tentar perceber se esta poderia ser uma opção vantajosa para mim.

E sabem que mais? O preço que me foi apresentado é (muito) mais baixo do que eu previa e, no meu caso em particular, compensa (especialmente porque inclui o trabalho de duas pessoas e todos os produtos e eletrodomésticos necessários para limpar todas as divisões). Durante esta semana poderei avaliar o trabalho da equipa que ficará responsável pelo meu apartamento e depois, sim, poderei tomar uma decisão. Será que é desta que largo os panos e os detergentes?

BLOGOSFERA | Aonde (não) estou

Um dos poucos blogues de viagem que acompanho é o "Aonde (não) estou". Conheci-o por acaso, quando a Ana - a autora - comentou o meu Thirteen, mas rapidamente me encantei com a fluidez da sua escrita e com os temas abordados. Este é um blogue temático, sim, mas é suficientemente abrangente para me ter como leitora assídua.

A escrita da Ana é informal, descontraída, próxima dos leitores. O "Aonde (não) estou", por sua vez, é pertinente, versátil dentro do possível, cativante, entusiasmante e - muito importante - transparente. Não são muitos os blogues temáticos que sigo mas este recomendo sem hesitar. Afinal, como não ficarmos encantados com todos os lugares bonitos que nos são apresentados ou que temos a oportunidade de rever?

THIRTEEN | Obrigada 💙

Porque não deixam de passar por cá, porque deixam palavras bonitas e de força, porque me perguntam se está tudo bem se eu não publico durante uns dias, porque alinham nas minhas ideias, porque me acompanham em todas as redes sociais e mais algumas, porque me acompanham desde o início, porque me fazem sentir que a criação deste blogue foi uma das melhores decisões que tomei. Obrigada por continuarem desse lado dia após dia, publicação após publicação. As portas desta casa estão sempre abertas para vos receber. É uma honra escrever para vocês.


Sem dúvida que o blogue me ajudou a definir o meu percurso académico e profissional.

PASSATEMPO | Thirteen & Oh! Não

A Oh! Não nasceu em Outubro de 2015 com o objetivo de divulgar a cultura portuguesa. A ideia surgiu quando a Mafalda, criadora da marca, iniciou o último ano da sua Licenciatura e decidiu que queria personalizar blocos de notas. Tendo como principal inspiração a sua avó, começou a utilizar os provérbios tradicionais e as expressões populares para colocar em prática essa ideia. 

Cada ilustração é rigorosamente pensada, cada encomenda é tratada com amor e, quando conversamos com a Mafalda, percebemos que ela gosta daquilo que faz e que merece todo o sucesso que tem estado associado à Oh! Não. Da ilustração ao envio, tudo é pensado com detalhe. Os padrões e cores são inspirados nas tendências do design, pressupõem muita pesquisa e recebem um toque especial - o da Mafalda. Existem muitas marcas que produzem artigos de papelaria mas a Oh! Não é diferente, portuguesa e especial - é muito mais do que os blocos A6 e canetas que vende.

Por muitos anos que passem, há expressões que continuam a fazer sentido, que continuam a motivar-nos nos dias mais difíceis, que continuam a retratar a nossa realidade e que continuam a ser utilizadas no nosso quotidiano. Porque não aproveitar isso? Valorizar o que é nosso e não deixar as nossas frases tão típicas cair no esquecimento são os desejos da Mafalda e é isso que faz a diferença.

Em parceria com a Oh! Não, tenho para oferecer um dos blocos: "O Amor Cura Tudo". O passatempo começa hoje e durará até às 23h59 do dia 18 de Dezembro de 2016. Para a vossa participação ser válida precisam apenas de seguir as indicações que vos apresento de seguida.


Fotografia: Oh! Não

Regras de participação obrigatórias:
- Ser fã do Thirteen no Facebook (AQUI)
- Ser fã da Oh! Não no Facebook (AQUI)
- Partilhar publicamente o passatempo numa rede social à escolha
- Preencher o formulário (permitida apenas uma participação por endereço de email)

Regras de participação facultativas (entradas extra):
- Deixar um comentário no Thirteen com o provérbio favorito e dizer porquê (+1)
- Seguir o Thirteen e a Oh! Não no Instagram (@carolinanelas e @oh_naoo) (+1)

 

O vencedor será anunciado na Página de Facebook do Blogue e contactado por email. Boa sorte a todos!

FOTOGRAFIA | Presentes de Natal

Comprar presentes de Natal é difícil. Eu tenho alguma facilidade em comprar presentes ao longo do ano mas, no Natal, tudo o que é giro desaparece. Esta semana, o Braga Cool lançou um artigo com algumas sugestões de presentes - sendo que algumas delas podem ser compradas online ou noutras cidades - e eu fiquei muito contente com o resultado final. Os presentes serão acrescentados ao longo dos próximos dias (estejam atentos!) e a variedade é muita - há presentes para homem, mulher e criança. E, modéstia à parte, quão gira é a fotografia principal do artigo?


WEBSITE | Help a Reporter Out

Help a Reporter Out (HARO) é um website com um conceito muito simples que nos permite oferecer informações e conhecimentos a jornalistas de todo o mundo. Hoje em dia qualquer pessoa pode ser uma fonte - se é credível ou não já será outra questão - e num planeta ligado pela tecnologia, faz todo o sentido aproveitar isso. A título profissional já respondi a três ou quatro pedidos de jornalistas e acredito que este website possa ser vantajoso para todos os que nele participam.

Os pedidos são enviados três vezes por dia e podemos selecionar aqueles que queremos responder, sem compromissos, consoante os nossos conhecimentos e dicas. Os jornalistas procuram pessoas das mais diversas áreas, mais ou menos influentes, de diferentes países e cidades. Num dia podemos receber um pedido sobre dicas simples de poupança ou arrumação e no dia seguinte podemos receber um pedido sobre neurocirurgia ou mecânica. É todo um mundo para descobrir, com a vantagem de que podemos selecionar as categorias que mais nos interessam.


Este fim-de-semana vou estar num evento muito especial. Já me seguem no Instagram?

QUOTIDIANO | 5 Dicas de Poupança

Não tenho dificuldades em poupar. Desde cedo fui ensinada a não gastar tudo o que tenho, a colocar de parte algum dinheiro, a prever os imprevistos, a poder fazer uma compra mais pesada de vez em quando e a estar preparada para as surpresas. Poupar é algo natural para mim e não uma coisa que faço porque tem de ser. No entanto, reconheço que este possa não ser o caso de muitas pessoas - e isto não depende exclusivamente do estilo de vida ou do ordenado que se recebe, ao contrário do que se possa pensar. Há quem precise de objetivos específicos para a poupança, de hábitos mais rigorosos, de um autocontrolo superior. Para mim, estas são as dicas mais importantes que posso oferecer a quem não poupa de forma automática.

Colocar de parte o dinheiro das despesas fixas. Uma atitude que me permite poupar sem sequer dar conta é colocar imediatamente de parte o dinheiro que vou precisar para cobrir as despesas fixas mensais. Faço-o apenas de forma imaginária porque não transfiro o dinheiro para outra conta - o que poderá ser uma estratégia a adoptar para quem não controla bem os orçamentos que define - porém, dessa forma tenho total consciência dos valores que irei obrigatoriamente gastar e fico imediatamente com uma noção daquilo que poderei - ou não - poupar.

Estipular um valor de poupança mensal. Para mim, é importante definir um valor mínimo de poupança, valor esse que varia consoante o mês e a época do ano. É irrealista pensar que vou poupar mais no mês de Dezembro, por exemplo, e por isso gosto de definir um valor de poupança específico no início do mês. As necessidades - e custos associados - não são sempre os mesmos todos os meses e os níveis de poupança também variam consoante isso. Adaptar a nossa carteira e as nossas poupanças às situações que temos pela frente e que já podemos prever é essencial - se, no final, conseguirmos poupar mais, melhor ainda.

Controlar as despesas, receitas e transferências. Como já vos disse, eu utilizo o Boonzi - que tem uma versão gratuita mais básica e uma versão paga que inclui outras funcionalidades - para controlar as minhas despesas. E anoto tudo. Receitas, despesas, transferências... todos os cêntimos. Porque é mais prático e porque é uma forma mais rápida de ter acesso a todas as minhas contas. Faço a sincronização entre o telemóvel e o computador e mantenho o meu perfil atualizado. Esta é uma atitude que exige algum rigor - se nos esquecermos de anotar uma despesa, os valores já não vão bater certo e perde-se todo o propósito do programa - mas é, sem dúvida alguma, uma mais-valia para mim.

Fazer uma lista de compras. E cumpri-la. Pessoalmente continuo a ser fiel ao papel colado no frigorífico mas para quem prefere aplicações, há imensas para diversas necessidades, mais ou menos completas. Quando faço uma lista de compras, defino o que é prioridade e o que não é. E incluo nesta lista tudo aquilo que podem imaginar: alimentos, detergentes, peças de roupa, objetivos decorativos, livros, ferramentas... tudo! Saber o que preciso de comprar é o primeiro passo para não comprar coisas desnecessárias.

Definir objetivos. Para quem não tem muita facilidade em poupar, definir objetivos poderá ser o empurrão necessário - afinal, quem não fica feliz por atingir um objetivo? Como não ficar motivado por ver a linha da meta cada vez mais próxima? Independentemente da finalidade da poupança, poupar com um objetivo poderá ser o truque para ganhar o hábito da poupança.

PUBLICIDADE | 25m2 of Syria

Todos conhecemos os típicos cubículos do IKEA que retratam ambientes familiares e nos dão novas ideias para aquela divisão que ainda não sabemos bem como pretendemos decorar. Mas... e se entrássemos numa loja IKEA e um desses cubículos representasse uma família de refugiados sírios? Como seria?

Esta questão foi respondida numa loja da marca sueca e representa uma campanha de sensibilização relativa ao tema dos refugiados sírios. Os 25 m2 representam fidedignamente a casa de uma família síria e as etiquetas dos produtos foram substituídas pelas histórias das pessoas que ali habitam. E, se me permitem o comentário, o mundo precisa de ver este vídeo.


Hoje começo uma nova formação: esta. Estou entusiasmada!

SOLIDARIEDADE | Little Princess Trust

Em 2013 fiz uma doação de cabelo ao IPO (alguém se lembra?) e recebi imensas mensagens sobre esse tema. Porém, uma vez que o IPO rapidamente deixou de ter capacidade para tratar o cabelo que recebia, achei que não se justificava escrever uma publicação sobre a minha experiência em particular e o processo de doação que lhe estava associado. 

Contudo, sempre que esse assunto surge, eu noto que ainda existe muita gente que não sabe que pode fazer doações de cabelo. Foi por isso que decidi apresentar-vos, em Novembro, a "Little Princess Trust", uma organização que nos mostra que é possível e que custa muito pouco proporcionar um sorriso a uma criança.

Esta é uma organização que se dedica à produção de perucas para crianças que perderam o seu cabelo (normalmente devido a uma doença grave e aos tratamentos que são necessários para a tratar). A "Little Princess Trust" utiliza cabelo verdadeiro em todas as perucas e, por isso, aceita donativos internacionais, desde que estes cumpram determinados critérios (o comprimento mínimo do cabelo - 17 centímetros - é apenas um deles). Podem ver todas as informações AQUI.


GUARDA-ROUPA | Josefinas Burel Couture

A nova coleção de Josefinas é nitidamente inspirada no Inverno rigoroso da Serra da Estrela. São dois pares de sapatilhas e dois pares de botas criadas com um tecido que ficou esquecido no tempo mas que foi recuperado por uma mulher num pequenino atelier - o burel. Em 2016, este material naturalmente impermeável (usado tradicionalmente pelos pastores) ganha uma nova vida nos quatro cantos do mundo.

Ice Flower, Oak Pearl, Snow Swan e 5 Pearls são os nomes que constituem a coleção Burel Couture da Josefinas e eu não posso deixar de aplaudir o apoio dado a empresas geridas por mulheres, a importância dada a tradições tão nossas e o cuidado tido não só com o produto final mas com todos os detalhes durante o processo de criação. Burel Couture é, sem dúvida, uma coleção portuguesa (mesmo que não seja uma das minhas coleções favoritas).

QUERIDO PAI NATAL | Capture Your Style

Aimee Song é uma das bloggers mais conhecidas a nível internacional e o seu "Capture Your Style: How To Transform Your Instagram Images, Showcase Your Life, And Build The Ultimate Platform" está no meu pensamento desde que foi lançado. Os blogues - e as redes sociais no geral - vieram para ficar e estão aí para lançar tendências... faz todo o sentido aprender com as melhores! Pai Natal?

PUBLICIDADE | Estamos realmente atentos ao que nos rodeia?

O vídeo foi gravado em Lisboa e fiquei presa ao ecrã logo nos primeiros segundos (não só por ser em português mas porque retrata uma realidade que me é tão familiar). A verdade é que estamos tão atentos ao nosso próprio umbigo que nos esquecemos do que está à nossa volta. E este anúncio da Lipton mostra exatamente isso.

Será que as nossas palavras e promessas são compatíveis com os nossos comportamentos e atitudes? Será que as necessidades dos outros nos passam ao lado, ainda que de forma inocente? Este é um anúncio para ver com atenção.


O mundo divide-se entre as pessoas que lavam a loiça à mão e as que a lavam na máquina.

QUERIDO PAI NATAL | Josefinas Personalizadas

A Josefinas acaba de lançar mais uma novidade gira: Josefinas personalizadas. Esta opção está disponível para três produtos diferentes - sabrinas, sapatilhas e carteiras - e cada um tem o seu limite de letras dependendo do espaço disponível para a personalização (façam experiências no site!).

No caso das sabrinas - o produto que, a meu ver, resulta melhor quando é personalizado - podemos escolher até cinco letras para cada sapato. Tive a oportunidade de ver umas "rosa frágil" com letras bordeaux ao vivo e fiquei encantada mas acho que o meu voto vai para as "preto saudade" com letras brancas pela intemporalidade que lhes associo. Quanto à frase... Não poderia ser outra: stay cool é a minha escolha. Ao contrário de muitas mulheres, não me imagino com as minhas iniciais nos pés. Pai Natal?



POLÍTICA | Mas isto é a sério?!

Donald Trump é o 45º Presidente dos Estados Unidos da América e eu, como muitos de vocês, questiono-me como é que uma pessoa assim consegue chegar à Presidência. Como?

Se no início acreditava que os americanos não podiam ver potencial no homem que foi eleito, com o passar das semanas e dos meses percebi que talvez as coisas não estivessem tão desequilibradas quanto isso. A corrida à Casa Branca foi renhida e, no fim, ganhou Donald Trump, o homem que ao longo de toda a campanha - e de toda a vida - defendeu ideais completamente absurdos e retrógrados. Hoje, há uma incerteza assustadora no ar - o que vai acontecer daqui para a frente? - e a certeza de que os americanos preferiram votar contra os direitos das mulheres, contra o casamento homossexual, contra o ObamaCare, contra os emigrantes, contra a liberdade, contra os direitos humanos. Quão perigoso é isto?

Num país que se afirma como um dos mais avançados do mundo, como é que se passa de um Obama para um Trump? O 44º Presidente (que adoro) tinha vindo a perder a sua popularidade no último ano de mandato mas - repito - como é que se passa de um Presidente próximo das pessoas para outro que as despreza? Como?

Hoje, o racismo, a xenofobia e o narcisismo venceram. Hoje, os Estados Unidos da América começam a escrever uma história que aplaude os abusadores em vez de os castigar e, pior, que os elege para representar uma nação. Que mensagem é passada às vítimas e a todos aqueles que foram maltratados e rebaixados por Trump? Que mensagem é passada a todos os que lutam e trabalham exaustivamente por uma vida melhor?

Clinton não era uma boa escolha - claro que não - mas era uma escolha melhor do que esta. E o que sinto neste momento é revolta e incredulidade. Todos os valores que defendo foram espezinhados nos Estados Unidos e ver um homem que chega a Presidente apenas por ter uma conta bancária recheada, que diz o que lhe apetece e que não sabe que a nossa liberdade termina quando começa a dos outros é um murro no estômago para mim, que acreditei até ao fim que os americanos iriam ter dois dedos de testa e perceber que as eleições não são uma brincadeira.

Para o ano há eleições na França e na Alemanha e eu espero genuinamente que a vitória do Trump seja uma lição e não um empurrão para vitórias baseadas nas mesmas faltas de respeito e ideologias ridículas. A maior ironia? Hoje comemora-se o 27º aniversário da Queda do Muro de Berlim.

GUARDA-ROUPA | A minha caixa de Pandora

Quem me acompanha há mais tempo sabe que há anos que sonhava com o dia em que iria receber uma pulseira da Pandora. Era um daqueles desejos consumistas que nunca comprei para mim própria porque acreditava que só faria sentido tê-la no meu pulso se ela chegasse em jeito de presente - não pelo preço que lhe está associado mas pelo gesto, pelo tipo de acessório que é e pelo conceito que o envolve.

Pouco depois da meia-noite, no dia do meu 21º aniversário, os meus olhos brilharam enquanto as minhas mãos desapertavam o laço cor-de-rosa que o pequeno saco branco trazia. Esta pulseira chegou até mim da forma mais imprevisível e provocou uma reação genuína e feliz que muito dificilmente iremos esquecer - é muito mais do que uma pulseira.

A minha Pandora tem um fecho em formato de coração e não precisa de contas. É prateada, intemporal, delicada, elegante, tem tudo a ver comigo e faz-me sorrir sempre que olho para ela - é tudo o que há de bom no mundo dos presentes de aniversário. Obrigada!

SWEET CAROLINE | 21!

De ano para ano ganho mais confiança em mim e nas pessoas que escolho ter ao meu lado e de ano para ano percebo que não podia ser doutra forma - as pessoas tóxicas têm de ficar para trás. Depois do entusiasmo do fim de semana e depois da maravilhosa segunda-feira com direito a bolo e presentes no trabalho, eu chego a casa e, apesar de cansada, sinto-me grata. Estou de coração cheio.

Eu sinto-me grata. Genuinamente grata. Pelos jantares maravilhosos que a minha família preparou para mim, pela companhia dos meus amigos, pela dedicação dos meus pais, pelas mensagens bonitas que vocês me deixaram, pelos presentes estrategicamente pensados para mim, pelos abraços genuínos, pela proteção e segurança que sinto sempre que as minhas pessoas me desejam um feliz aniversário, pelo olhar ternurento que a minha avó me direciona, pelo piscar de olho que só o meu namorado sabe fazer, pelos esforços que os meus convidados fazem para estarem presentes num dia que sabem ser tão especial para mim.

Entro nos 21 sabendo que a minha vida deu uma reviravolta enorme num só ano e que fui corajosa o suficiente para abraçar as mudanças e transformá-las na melhor parte dos últimos doze meses. Encontrei o início do meu caminho profissional, mudei de casa, dei uma nova vida ao blogue, cuidei da minha saúde. Os 20 ensinaram-me muita coisa e elevaram a fasquia mas... estou pronta para os desafios e prémios que os 21 reservaram para mim.

O APARTAMENTO | O que devemos ter em conta quando procuramos o apartamento ideal?

Acho que esta vontade de ter casa própria acaba por ser natural, mais cedo ou mais tarde, para a maioria das pessoas - umas porque querem constituir família, outras porque precisam do seu próprio canto. Contudo, tenho a perfeita noção de que a crise e o desemprego têm travado este tipo de mudanças na vida de muitos. Felizmente, o meu caminho está a ser traçado sem muitos percalços e tudo está a correr bem.

Não tive que procurar um apartamento – um alívio! – mas reconheço que essa não seja uma tarefa propriamente fácil para a maioria dos jovens que querem sair de casa dos pais. As dúvidas são muitas e a decisão final tem que ser tomada com consciência. Se estão nesta etapa da vossa vida, eu aconselho-vos a analisar o seguinte conjunto de situações:

Arrendar ou comprar? Relativamente a este dilema, creio que o mais sensato é pensar na finalidade do imóvel, ou seja, se é para ser habitado temporariamente ou por largos anos. Esta decisão vai diretamente conduzir à escolha do tipo de contrato. Será que vale a pena investir tantos anos numa casa que nunca chegará a ser totalmente nossa? Ou não será melhor arrendar um apartamento e não levar com os encargos do condomínio, do IMI e das obras, caso estas sejam necessárias? Coloquem estas hipóteses na balança e vejam para que lado ela pende.

Localização. Sabemos que, em teoria, os apartamentos que estão situados dentro das cidades são mais caros comparativamente aos que se localizam na periferia. Por outro lado, ter os transportes públicos, a praia ou as zonas verdes por perto pode, em certos locais, aumentar o valor da habitação. Portanto, aqui o importante é perceber o que é dispensável e do que não abrem mão.

A área e o número de divisões. Este é um fator que pesa imenso na escolha de um apartamento. Há quem não possa pagar uma casa com mais de um quarto e comece a vida num T0 ou num T1, desde que as divisões tenham áreas minimamente aceitáveis. Há quem não consiga pagar mais do que um T0, mesmo que seja um autêntico “cubículo”. Por outro lado, há ainda quem pense que a compra de um T2 ou mesmo de um T3 é uma prioridade, sobretudo quando já se pensa em filhos. No fundo, para além da questão orçamental, esta decisão também está diretamente relacionada com os objetivos futuros de cada um.

O preço e as condições do imóvel. O preço que pedem – que pode, ou não, ser exagerado - e as condições do imóvel – o seu estado de conservação e o recheio – são mais dois fatores a ter em conta. Um apartamento equipado e mobilado faz aumentar os valores, especialmente os de venda. O mesmo acontece quando existem divisões complementares, como uma varanda ou uma suíte. Portanto, o mais aconselhado neste caso é comparar as condições que acham mínimas com as que são apresentadas na oferta, assim como os valores que pedem com aquilo que acham ser justo, colocando também os gostos, as prioridades, o bom senso e a capacidade financeira em cima da mesa.

Eu não passei pela procura do apartamento e imagino que não teria sido tão simples e rápido para mim se tivesse sido obrigada a passar por esse processo de seleção. Sou uma sortuda e reconheço-o (não sei até que ponto teria vontade para tomar uma decisão tão definitiva que implica tanto esforço, tempo e dedicação, mesmo que a colocasse nas mãos de uma imobiliária) porque, na verdade, nunca ouvi alguém dizer que fazer este tipo de mudanças é simples ou fácil. 

Contudo, uma coisa é certa: a oferta que existe no mercado é mais do que muita por isso não se cansem de procurar e de visitar as casas que vos despertam interesse. E se me permitem um último conselho: façam negócio apenas quando estiverem convictos de que já encontraram o apartamento ideal. Porque ele existe (mesmo que pareça que não).


Publicação escrita em parceria com a Zaask.

EVENTO | Keep Chic and Be Woman

Quem me acompanha no Instagram (@carolinanelas) sabe que durante a tarde de ontem estive no Espaço Guimarães para o evento "Keep Chic and Be Woman" ao lado de outras meninas como a Anita da Costa, a Sofia Arruda e a Carolina Loureiro. Hoje das 15h00 às 23h00 podem passar pela Praça da Luz e tentar a vossa sorte - ainda há muiiiitas caixas de sapatos à vossa espera e os presentes do dia não têm de ser todos para mim. Deixo-vos as fotografias e desejo-vos muita sorte!


Entro nos 21 de coração cheio. Parabéns a mim!

O mundo divide-se entre as pessoas que dizem "alfabeto" e as que dizem "abecedário".

QUERIDO PAI NATAL | Lightbox A4

Para quem não conhece bem o conceito, a lightbox é uma caixa de luz - como o seu nome indica - muito minimalista e especial. Está disponível em vários tamanhos e inclui todas as letras do nosso alfabeto e muitos símbolos e ilustrações divertidas que permitem que adequemos a decoração do espaço à época do ano ou ao nosso estado de espírito.

E se eu já gostava de me perder em lojas e revistas de decoração antes, confesso que agora, com um apartamento só para mim, é difícil resistir a todas as coisas bonitas - umas mais úteis do que outras - que vou encontrando. Apesar de já ter visto esta lightbox A4 em milhares de fotografias, não consigo parar de pensar no quão bonitinha ficaria na minha nova casa (consigo imaginá-la em três ou quatro sítios diferentes). Pai Natal?


Fotografia: Happy Brunette

CINEMA | Before The Flood [2016]

Before the Flood cativou-me logo nos primeiros minutos. A comparação do mundo real com "O Jardim das Delícias Terrenas" de Hieronymus Bosch foi um ponto de partida inteligente e as referências à obra foram o gatilho para me prender de imediato. Before the Flood obriga-nos a pensar e desperta-nos para uma polémica que nem sempre está presente no nosso quotidiano - a das alterações climáticas - sem nos proporcionar uma lavagem cerebral.

Tinha grandes expectativas para este documentário e não fiquei desiludida. Before the Flood mantém as linhas gerais de um documentário National Geographic - com suporte científico - mas ao mesmo tempo envolve-nos de uma forma mais pessoal e pertinente. Não é apenas um documentário sobre o Planeta Terra, é um documentário sobre todos nós.

Leonardo DiCaprio, Mensageiro da Paz da ONU desde 2014, viajou durante dois anos para perceber o verdadeiro impacto das alterações climáticas. Recolheu testemunhos de líderes internacionais, visitou as zonas mais afetadas do planeta e protagonizou um documentário com produção executiva de Martin Scorsese que nos mostra os dois grandes lados da situação - o lado económico e o lado ambiental - sem esquecer aquilo que todos podemos mudar no nosso quotidiano e aquilo que os líderes mundiais devem não só ambicionar mas realizar (agora!).

Na minha opinião, os documentários ambientais recorrem muitas vezes às ações irrealistas que a população ainda não está preparada para aceitar e Before the Flood mostra-nos os factos e apresenta-nos soluções nada fundamentalistas que podemos verdadeiramente aplicar (sim, estou a falar da questão da carne).

Before the Flood é um abre-olhos e, mais do que isso, é um documentário brilhante com testemunhos interessantes, factos muito curiosos, imagens surpreendentes e uma linha condutora muito bem estruturada. Palmas.


Planos para o feriado: limpar a casa e passar a ferro. Faz parte.