Thirteen

POLÍTICA | Mas isto é a sério?!

Donald Trump é o 45º Presidente dos Estados Unidos da América e eu, como muitos de vocês, questiono-me como é que uma pessoa assim consegue chegar à Presidência. Como?

Se no início acreditava que os americanos não podiam ver potencial no homem que foi eleito, com o passar das semanas e dos meses percebi que talvez as coisas não estivessem tão desequilibradas quanto isso. A corrida à Casa Branca foi renhida e, no fim, ganhou Donald Trump, o homem que ao longo de toda a campanha - e de toda a vida - defendeu ideais completamente absurdos e retrógrados. Hoje, há uma incerteza assustadora no ar - o que vai acontecer daqui para a frente? - e a certeza de que os americanos preferiram votar contra os direitos das mulheres, contra o casamento homossexual, contra o ObamaCare, contra os emigrantes, contra a liberdade, contra os direitos humanos. Quão perigoso é isto?

Num país que se afirma como um dos mais avançados do mundo, como é que se passa de um Obama para um Trump? O 44º Presidente (que adoro) tinha vindo a perder a sua popularidade no último ano de mandato mas - repito - como é que se passa de um Presidente próximo das pessoas para outro que as despreza? Como?

Hoje, o racismo, a xenofobia e o narcisismo venceram. Hoje, os Estados Unidos da América começam a escrever uma história que aplaude os abusadores em vez de os castigar e, pior, que os elege para representar uma nação. Que mensagem é passada às vítimas e a todos aqueles que foram maltratados e rebaixados por Trump? Que mensagem é passada a todos os que lutam e trabalham exaustivamente por uma vida melhor?

Clinton não era uma boa escolha - claro que não - mas era uma escolha melhor do que esta. E o que sinto neste momento é revolta e incredulidade. Todos os valores que defendo foram espezinhados nos Estados Unidos e ver um homem que chega a Presidente apenas por ter uma conta bancária recheada, que diz o que lhe apetece e que não sabe que a nossa liberdade termina quando começa a dos outros é um murro no estômago para mim, que acreditei até ao fim que os americanos iriam ter dois dedos de testa e perceber que as eleições não são uma brincadeira.

Para o ano há eleições na França e na Alemanha e eu espero genuinamente que a vitória do Trump seja uma lição e não um empurrão para vitórias baseadas nas mesmas faltas de respeito e ideologias ridículas. A maior ironia? Hoje comemora-se o 27º aniversário da Queda do Muro de Berlim.

10 comentários:

  1. Acreditei mesmo que o Trump nunca ganharia, sei que gente como ele existe aos pontapés mas nunca pensei que fosse assim tanta ao ponto de o fazer vencer as eleições. Estou mesmo muito assustada com isto, afecta o mundo inteiro e o facto de agora termos um Hitler 2 a comandar um país tão potente como os USA faz pensar numa Terceira Guerra Mundial. Quanto a França, o partido da extrema direita tem cada vez mais apoiantes e isso é caso para começarmos a nos preocupar (ainda mais)...

    ResponderEliminar
  2. Não sei, Carolina...honestamente, acho que isto vai legitimar ainda mais as posições extremistas e de extrema-direita que têm vindo a ganhar força um pouco por toda a Europa. Hoje não tenho muita esperança no futuro. Tenho vontade de falar, lutar, fazer o que posso, mas esperança, nem por isso...

    Jiji

    ResponderEliminar
  3. embora desde sempre tivesse previsto isto, tinha uma certa esperança que não fosse acontecer!

    ResponderEliminar
  4. Eu ainda estou incrédula, perdi a fé na humanidade.

    ResponderEliminar
  5. Carolina, parece que isso é uma crescente no mundo, no Brasil ocorreu um impeachment sem que nada contra a presidente fosse provado, na Argentina elegeram Macri e pela primeira veza direita chega ao poder pela via democrática e não por intervenção militar, A Grã-Bretanha saiu da UE, e agora Trump. Sabe aqueles livros distópicos em que o mundo estava ruim e então veio alguém que disse que mudaria para a melhor e então a coisa toda degringolou? Isso me lembra The Hunger Games, Witch and Wizards, Shatter-me. Que isso não aconteça!
    Bjus
    Fabi
    www.fabianacorrea.com

    ResponderEliminar
  6. Ainda nem acredito. Muito sinceramente espero que o nosso velho continente se mantenha fiel aos seus valores, às suas conquistas e que não volte atrás no tempo como os americanos decidiram fazer. A mentalidade avançada deles, ou que supostamente era avançada, conseguiu com esta eleição trazer ao de cima os podres de grande parte da América. E isto é assustador.
    Se ainda tenho esperança num mundo melhor? Pouca, mas tenho.

    let's do nothing today

    ResponderEliminar
  7. Isto não me dá esperança nenhuma. A extrema-direita está a ganhar posição e isso revolta-me. Revolta-me ainda mais saber que os partidos populistas e super conservadores podem ganhar terreno nas grandes potências europeias já em 2017 quando forem as eleições da França e da Alemanha. É a nossa geração que tem que mudar as coisas, mas para isso temos que ter oprotunidade para tal e eu espero que um dia consigamos mudar toda esta confusão que anda por este mundo.

    ResponderEliminar
  8. Acho que já há demasiadas opiniões iguais, desfavoráveis ao Trump, mas aqui na Europa é o normal. Eu próprio nunca pensei que isto fosse acontecer e acho mesmo que vai prejudicar a Europa toda, tirando a Rússia que deve estar contente com esta situação. O pior é haver tanta crítica interna nos Estados Unidos da América, isso não se percebe. O que acho estranho e rídiculo. Afinal de contas foi o candidato com mais votos e mesmo assim ninguém o apoio, nem os próprios republicanos! Como é possível haver mais população feminina que masculina, haver latinos, haver pessoas de raça negra e outras raças e mesmo assim haver parte dessas pessoas a votar nele? Isso é que não entendo. As pessoas viram um palhaço a falar, acharam piada e visto que não percebem as consequências pronto votaram nele. Os efeitos já se notam, a bolsa nunca esteve tão baixa. Já houve responsáveis de Tóquio em reuniões de última hora, porque enfim. Há que dar mérito também ao FBI que quis que o Trump ganhasse estas eleições, sabe-se lá porque razão... Mas também ironicamente dar os parabéns aos democratas que elegeram uma candidata cheia de podres e mandaram o Bernie Sanders embora. Enfim! Venha a possível 3ªa guerra mundial que há tanto já se espera. Espero é que seja longe.

    limaomaisuva.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  9. É um mundo estranho este em que vivemos.
    Esperamos mesmo que as coisas não sejam realmente tão más como parecem, mas as ideias extremistas têm vindo a ganhar muita força... é difícil prever o que aí vem.
    Mas nós ainda queremos acreditar que vêm coisas melhores.

    x
    @ 104

    ResponderEliminar