Thirteen

QUOTIDIANO | Palavra-Chave: Estreia

Quando a contagem decrescente terminou eu abracei a minha avó com toda a força do mundo e parti um prato na varanda com a mesma vontade. Eu sabia que estava a começar um ano de novidades e de mudanças e sabia que tinha de desejar um ano incrível com todo o meu coração. Quando 2016 decidiu aparecer, eu sabia que o fim da Licenciatura se aproximava, sabia que tinha um Estágio Curricular pela frente, sabia que ia baptizar os meus (agora) afilhados, sabia que ia chorar baba e ranho na Serenata, sabia que ia ter muito para registar neste blogue, sabia que ia estar presente em diferentes eventos e sabia que o mundo estava à minha espera, para o bom e para o mau. E 2016 foi, sem dúvida alguma, um ano de pontos finais e de estreias.

Se em Janeiro me dissessem que eu iria ser tão ou mais feliz como em 2015, provavelmente eu não acreditaria, sobretudo porque perdi o meu amigo de quatro patas logo no primeiro mês do ano (se 2016 começara dessa forma, como poderia esperar um ano incrível?). Enfrentar o mercado de trabalho, aprimorar o meu estilo pessoal, continuar a escrever no blogue e ainda continuar feliz ao lado de quem me faz tão bem? Parecia-me complicado numa época de transição pessoal, profissional e académica. E agora aqui estou eu, pronta para partilhar convosco mais umas quantas conquistas. Com uma particularidade: à semelhança daquilo que aconteceu com os textos que publiquei na altura do meu aniversário, os parágrafos que se seguem foram escritos ao longo do ano e ganharam uma dimensão ainda mais pessoal. Porque se este blogue guarda tesouros, então eu quero que o último texto do ano retrate todos os sentimentos, todos os arrepios, todos os sorrisos e todas as lágrimas. Como se tudo tivesse acontecido há dois minutos atrás - com a emoção mais genuína e os sentimentos à flor da pele.

No que diz respeito ao blogue, 2016 foi mais um ano de muitas partilhas. Registei as minhas escapadinhas, dediquei-me mais, partilhei projetos solidários, fui referida noutros blogues, escrevi sobre os filmes que vi e os lugares que visitei, iniciei uma rubrica mais focada em mim, registei as minhas conquistas e dúvidas, mantive a postura que idealizei, deixei uma mensagem na fita da Inês, abordei o tema da ansiedade de uma forma muito mais intensa, descobri novos blogues e consegui fazer publicações frequentes apesar de todas as minhas ocupações, tarefas e preocupações. O blogue sofreu algumas (enormes) mudanças e ficou para trás em alguns momentos - porque só assim faz sentido - mas não ficou esquecido em momento algum e isso confere-me conforto. Este é o meu projeto e eu continuo deste lado, com vontade de crescer.

Em 2016 tive a minha primeira experiência profissional a tempo inteiro. Depois da reunião final, da assinatura do Protocolo, da definição dos objetivos e da escolha da Orientadora... comecei o meu Estágio Curricular. De Março a Junho tive direito a um horário de trabalho convencional numa empresa que cresce um bocadinho mais a cada dia que passa e a experiência, para além de ter sido um passo importante na minha carreira (mais sério e decidido), foi brutal. Tão brutal que, um mês depois de ter iniciado o meu percurso profissional ainda com um pé na Faculdade, recebi uma proposta irrecusável: ficar na empresa depois do Estágio Curricular e fazer um Estágio Profissional no mesmo local. O sonho de qualquer Finalista, certo? Iniciei-o assim que recebi o meu certificado e assim continuo, com um salário assegurado no fim do mês e num ambiente que adoro, a fazer aquilo que gosto. 

E, como Carolina que sou, cresci. Evoluí. Arrisquei mais. Comprei peças de roupa irreverentes. Usei saltos altos mais vezes mas percebi que é possível construir coordenados elegantes se optarmos (quase sempre) pelos rasos. Aprendi a acordar cedo para aproveitar o dia desde o seu começo. Construí um estilo (ainda mais) feminino e cuidado. Cuidei mais de mim. Namorei muito, passeei muito, comi muito (e muito bem!). Em 2016 eu celebrei os meus 21 anos e aplaudi o sopro das velas das pessoas que me são mais queridas. Consegui (finalmente!) usar pauzinhos em vez de talheres, fui surpreendida de manhã à noite no Dia dos Namorados, batalhei contra a cadeira de Análise de Projetos de Investimento, vi o DiCaprio a ganhar o Oscar de Melhor Ator, fiz competições de consola, mantive a minha agenda organizada, recebi um convite de casamento quase inesperado que me deixou muito muito feliz, vi o meu SC Braga a ganhar a Taça de Portugal, vi a Seleção Nacional a dar cartas em França num EURO 2016 muito sofrido que acabou por vencer (com muitos pontapés, rasteiras e encontrões à mistura), acompanhei os meus atletas favoritos através das transmissões dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro e vi o David Fonseca ao vivo no Theatro Circo.

Em 2016 eu fui ao casamento da Joana e do Edgar e, duas semanas mais tarde, fui ao casamento do João e da Natacha. E apesar de terem sido os dois absolutamente maravilhosos, percebi que o mundo ganha um significado diferente quando são os nossos amigos a casar. Num ano de tantas mudanças, este segundo casamento lembrou-me (uma vez mais) do quanto cresci. Porque um ano faz toda a diferença e rodear-me pelas pessoas certas é meio caminho andado para ser muito feliz. 

Em 2016, apesar dos afazeres profissionais intermináveis que não me permitiram ter férias, viajei mais um bocadinho, ainda que mais perto e por menos tempo do que o habitual. E viajei bem, em boa companhia! Depois de um ano letivo atribulado e antes de entrar na ansiedade da Defesa do Relatório de Estágio, passei um fim-de-semana em Aveiro com o Gui. Foi a nossa forma de comemorar o nosso segundo aniversário de namoro e não podia ter sido mais bonito. Nunca tinha conseguido apreciar a cidade com calma e a verdade é que aquele fim-de-semana nos proporcionou memórias bonitas num lugar aqui tão perto e no meio de semanas complicadíssimas. E 2016 trouxe-me também um dia passado em Vigo, outro em Arouca para finalmente fazer o percurso dos Passadiços do Paiva, um fim de semana com os amigos de sempre em Verim e outro com a minha mãe e irmã em Lisboa.

Em 2016 a minha ansiedade atingiu uma dimensão assustadora, como há muito eu não sentia. E o mundo revelou ser um lugar feio vezes demais. O terrorismo não parou, a segurança que sentimos enquanto cidadãos do mundo diminuiu e o planeta ficou mais triste, com muitas feridas complicadas e profundas para curar. O meu mundo é bonito - sou uma sortuda - mas houve muitas alturas em que a minha ansiedade não me permitiu ser a miúda positiva que sou e que consigo ser; percebi que precisava de apostar mais em mim e na minha saúde: procurei novas ajudas e fiz algo que nunca tinha feito - comecei a tomar medicação para o meu problema. Foi um passo difícil para mim mas foi também muito importante.

Se em 2015 saí da minha zona de conforto, em 2016 distanciei-me dela. Saí de casa dos meus pais, estive presente na Semana da Engenharia Informática da Universidade do Minho (quem diria?!), fotografei o II LIRA, experimentei restaurantes novos (incluindo aqueles que privilegiam a gastronomia japonesa), ri muito nos jantares de Faculdade, fiz telefonemas de trabalho, despedi-me da turma que me viu crescer ao longo de três anos, arrisquei nas compras, estive presente no evento "Keep Chic and Be Woman", fiz uma sessão fotográfica para a Josefinas e entrei num pequeno vídeo para a mesma marca, fui à despedida de solteira da Joana, passei um fim-de-semana com a Carolina Santiago, a Daniela Gandra, a Helena Martins e a Marta Sobral graças ao "Cool Bloggers em Braga", regressei às aulas de ballet, estive presente numa Masterclass relacionada com o Instagram, participei na Parada de Natal da cidade, fiz uma formação no âmbito do atendimento ao cliente, inscrevi-me num mini-curso de Content Marketing e comecei uma nova formação em Marketing Digital.

Em 2016 a minha família cresceu mais um pouco, com a chegada das gémeas. O Gui conheceu finalmente a minha avó e acompanhou-me em eventos familiares (e vice-versa), passei tempo de qualidade com os meus primos, celebrei os aniversários das pessoas que nunca me falham, tive um Natal absolutamente maravilhoso e, muito importante, valorizei cada bocadinho passado com aqueles que me fazem bem.

Foi também em 2016 que terminei a minha Licenciatura. Baptizei a Julieta e o Uriel, acompanhei-os no Julgamento e na compra do Traje, vivi intensamente (talvez até demasiado) as tarefas da Comissão de Praxe, chorei baba e ranho - como seria de esperar - nas Cerimónias de Finalista, fiz um discurso como representante do Curso e recebi os elogios mais amorosos de professores, funcionários, colegas e amigos. 2016 foi o ano em que escrevi mais fitas de Finalista e o ano em que pedi que escrevessem as dedicatórias mais sinceras nas minhas. Escolhi poucas pessoas, mas escolhi-as com o coração e não podia ter ficado mais enternecida com as palavras mais amorosas, genuínas e sinceras que recebi. Rasguei a capa do Mota e do Gui em dois momentos diferentes e especiais de maneiras distintas e pisei capas que nunca pensei pisar (obrigada João; obrigada Gilinho). Em 2016 eu fui muito feliz.

E a verdade é que os pontos mais negativos do meu ano - que não faço questão de registar - me trouxeram SEMPRE algo de bom; começo agora a ser uma Carolina mais tranquila, mais segura das minhas capacidades, mais Carolina, mais adulta.

Por isso sim, 2016 foi um ano de estreias, de desafios, de novidades. Não estava enganada: 2016 foi um ano que me pôs à prova e que exigiu muito de mim. Mas chego ao fim de coração cheio por saber que alcancei todos os objetivos que fui definindo com o passar dos meses e por sentir que derrubei barreiras que me pareciam tão altas e assustadoras antes de iniciar este caminho. O saldo de 2016, apesar dos momentos menos felizes, é positivo e estou preparada para um 2017 ainda mais desafiante. Estou totalmente exausta e um pouco receosa com aquilo que ainda está para vir mas admito: a fasquia está alta.


PUBLICIDADE | A Parvoíce do Solinca

O empowerment feminino está na moda e os anúncios publicitários tentam passar confiança aos espectadores demonstrando que qualquer um de nós é capaz de concretizar os seus sonhos e objetivos desde que trabalhemos para tal. No entanto, por outro lado, o Solinca resolveu seguir o caminho oposto com uma campanha que pretende demonstrar que todas as razões são válidas para ir ao ginásio - mesmo que isso signifique promover e aplaudir a insegurança que todos sentimos de vez em quando.

O que eu retiro deste vídeo é que não há nada de bom no Solinca. Não há nada que se possa destacar, não há máquinas XPTO, não há acompanhamento personalizado, não há vantagens.. Nada. Porque, se houvesse, a marca não escolheria usar esta premissa para se promover.

Se eu já não sou fã de ginásios, uma coisa é certa: se um dia me lembrar de realizar uma inscrição num, não será neste. Esta campanha demonstra uma falta de respeito tremenda e uma falta de noção absurda. Enquanto mulher, admito que me senti desprezada e diminuída por uma marca que incita a inveja e as atitudes que nos levam a viver a vida na sombra de terceiros.


Foi assim o "Cool Bloggers em Braga".

NATAL 2016 | Os Presentes Que Ofereci

Este foi o primeiro Natal em que comprei presentes com o meu salário e não graças às minhas poupanças e isso tornou-o ainda mais especial. Poder finalmente viver sozinha, fazer as minhas compras, poder oferecer presentes melhores... 2016 representou uma grande mudança para mim e a compra dos presentes de Natal também o demonstra. Estes foram os miminhos que escolhi oferecer:

Para a Mamã | As Josefinas Lisboa Vermelho. O Natal pede presentes especiais e esta surpresa não podia ter sido mais querida. Afinal, vermelho é a cor desta época e as sabrinas em verniz, acompanhadas pela mensagem mais bonita, foram a escolha ideal. O embrulho elegante da marca foi o toque final perfeito (obrigada Joana!).

Para o Papá | Uma camisola azul, quentinha, comprada numa loja local. O meu pai é muito simples na sua forma de vestir - tem um estilo muito descontraído e gosta das peças mais típicas: calças de ganga, camisas às riscas, camisolas, sobretudos (...) - por isso não vale a pena inventar muito. Oferecer-lhe uma boa camisola que possa usar no seu quotidiano é sempre uma boa escolha, especialmente quando aquelas que tem há anos já precisam de ser excluídas do seu dia-a-dia.

Para a Irmã | "Fantastic Beasts and Where to Find Them" de J.K.Rowling e um unicórnio cor-de-rosa. A minha irmã adora ler e quando foi lançado este livro eu soube que seria o seu presente de Natal. Julgo os livros pelas capas (literalmente) e quando vi esta versão, azul e dourada, decidi que seria a prenda mais indicada para este dia. O unicórnio cor-de-rosa de peluche foi apenas o bónus, em tom de brincadeira.

Para a Avó e para a Tia | Fotografias e chocolates. Eu podia ter comprado qualquer presente mas sei que elas darão muito mais valor a estes. Afinal, a minha avó é tão gulosa como eu e, como todas as avós que conheço, gosta de ter fotografias dos netos espalhadas pela casa. Como ela e a minha tia vivem juntas, achei que o ideal seria oferecer-lhes uma moldura que incluísse duas fotografias minhas, ao lado de cada uma delas. Um clássico de Natal que nunca passa de moda e que tem sempre muito significado (tanto para quem oferece como para quem recebe).

Para o Namorado | Um Ferrero Rocher gigante e um bilhete para o NOS Alive. Quando "The Weeknd" anunciou a sua vinda ao NOS Alive, eu corri para a FNAC. Eu e o Gui temos gostos musicais muito diferentes e por isso, quando aparece uma banda ou um artista que ambos apreciamos, aproveitamos ao máximo. No dia 06 de Julho, lá estaremos para ver "The Weeknd", "Alt-J" e "The XX".

Para o Namorado da Irmã | Dois posters do Star Wars - para a casa nova, é claro. Sou suspeita porque, agora que mudei de casa, adoro receber fotografias, posters, molduras e afins mas sabia que acertaria no presente se juntasse essa necessidade de preencher as paredes brancas do novo apartamento ao seu gosto pelo Star Wars. Acabei por escolher duas ilustrações: uma do Han Solo e outra do Chewbacca.

Para uma Amiga | Uma bolsinha da Lovely Streets. Porque ela gosta tanto de Lisboa - e de viajar - como eu. Porque para além de ser um presente extremamente útil para qualquer mulher, faz referência a todos os pequenos detalhes que nos apaixonam na cidade das sete colinas. O significado que este presente carrega é maior do que o seu tamanho.

Para a Maria e para a Juanita |  Brinquedos de borracha, comprados na Tiger. Nenhuma das duas tem o hábito de destruir as nossas coisas mas se há coisa que estas cadelas adoram é destruir os seus próprios brinquedos. E porque os animais de estimação também fazem parte da família, os escolhidos foram o Pai Natal e o Pinguim, ambos extremamente natalícios - e baratinhos (porque, afinal, iriam ser destruídos em meia dúzia de horas).


Instagram: @carolinanelas

INSTAGRAM | Dezembro 2016

Comecei o mês com um peso nos ombros e termino-o com a sensação de dever cumprido, apesar das incertezas, do cansaço e dos receios. Dezembro trouxe-me uma visita a Lisboa, um Natal em família, novas tarefas profissionais, novos objetivos para o blogue, uma Parada de Natal, a recuperação de uma ideia para uma nova rubrica e alguns miminhos especialmente escolhidos para mim.

Em Dezembro celebrei - e ainda vou celebrar, nos dias que restam - aquilo que existe de melhor no mundo: os aniversários, o amor, a amizade, a família, o carinho, a dança. Risquei alguns itens da minha wishlist, comprei e ofereci os presentes de Natal (e de aniversário) mais amorosos e soube apreciar aquilo que a vida tem de mais bonito. Em Dezembro não aprendi a desacelerar (não, ainda não foi desta) mas aprendi que não faz mal julgar os livros pela capa (no sentido literal) e definir objetivos bem concretos, ainda que toda a gente me diga o contrário. 

Dezembro é sempre sinónimo de frio, de família, de sol de Inverno (e que bom que é!), de mantinhas e chá e, em 2016, isso não foi excepção. Enfrentei cada dia o melhor que consegui e sei que as adversidades me motivaram a definir objetivos para um Janeiro bonito e igualmente solarengo.


O Pai Natal trouxe-me as minhas primeiras Josefinas... e eu adoro-as!

COOL BLOGGERS EM BRAGA | Capela Árvore da Vida

A Capela Árvore da Vida, vencedora do prémio ArchDaily 2011 para edifício religioso com a melhor arquitetura, pode ser visitada apenas à sexta-feira - das 17h às 18h - e não é visível da rua por isso acaba por não ser muito conhecida ou popular apesar da sua aparência singela e construção peculiar.

A Capela Árvore da Vida pertence ao Seminário (é uma capela privada) e representa tudo aquilo que os espaços religiosos deveriam representar: simplicidade, calma, reflexão, refúgio. Todos os detalhes arquitetónicos significam mais do que aquilo que observamos e as visitas guiadas têm uma razão de ser: direcionam a nossa atenção para a simbologia de cada pormenor e mostram-nos que a simplicidade deve ser valorizada e privilegiada.

O Livro em cima da mesa ilumina o espaço quando aberto, todos os objetos utilizados na missa foram feitos à mão por artesãos cuidadosos e toda a estrutura da Capela foi estrategicamente criada de forma a não serem necessários pregos ou dobradiças. Foram necessárias cerca de 20 toneladas de madeira para criar esta obra e acredito que só compreenderão integralmente o seu sublime sentido se a visitarem.

NATAL 2016 | Para o ano há mais!

Apesar de o ter feito noutras redes sociais, não tive oportunidade de vos escrever uma publicação para vos desejar um feliz Natal. E agora que o domingo está a terminar (apesar de ainda haver tempo para mais uma refeição em família e alguns filmes em casa da avó), espero do fundo do coração que estes dois dias tenham sido ainda melhores do que aquilo que vocês ansiavam. 

Com o passar dos anos noto que o Natal cada vez passa mais rápido mas, ao mesmo tempo, discordo completamente quando me dizem que "só é mágico para as crianças". Afinal, o Natal só deixa de ser mágico se nós assim desejarmos e, mesmo sem crianças à volta da mesa, é possível ser feliz e ter um Natal igualmente alegre, animado e carinhoso (como toda a gente deveria ser e ter).

O Natal sempre foi especial para mim e sinto que, independentemente dos anos que passem, viverei sempre esta época com a mesma intensidade e satisfação. Afinal, como não gostar destes dias passados em família? Como não gostar de ver a mesa recheada? Como não gostar dos sonhos? Como não gostar da oportunidade de estar em frente à lareira a assistir ao "Música no Coração" e ao "Sozinho em Casa",  a abrir os presentes com euforia, a cantar, a ver os clássicos da Disney, a jogar jogos de tabuleiro...? Como não gostar dos momentos que registamos? O Natal não perdeu a sua magia para mim e duvido que algum dia perca. 

Espero genuinamente que estejam a ter um Natal tão bom como o meu, junto das pessoas que amam e que vos amam de volta, com presentes estrategicamente pensados para vocês, com muitos chocolates, doces e mimos. O Natal pode ser tudo aquilo que nós queremos que seja (assim como a vida) e eu escolho ter momentos felizes. Sempre.

COOL BLOGGERS EM BRAGA | Casa de Pasto das Carvalheiras

A Casa de Pasto das Carvalheiras fica no centro histórico da cidade e é o restaurante perfeito para amigos que gostam de ficar na conversa e de pedir vários pratos a fim de transformar uma simples refeição numa verdadeira experiência gastronómica. N'A Casa de Pasto das Carvalheiras promove-se a partilha dos pratos e a diversidade - que se pode observar não só nos ingredientes escolhidos mas também em toda a decoração, que me fascina em cada detalhe. Tudo é diferente mas tudo combina e resulta.

A Casa de Pasto das Carvalheiras é um restaurante com personalidade e muita cor. E a ementa, que varia consoante os meses do ano, fica à altura do ambiente: todos os pratos são feitos com rigor e todos os ingredientes são frescos e de alta qualidade (gostei de tudo o que provei e tenho pena de não ter fotografias dos pratos e sobremesas para partilhar convosco). Mais um restaurante com selo de aprovação da Carolina, sem margem para dúvidas!



O mundo divide-se entre as pessoas que vão comprando os presentes e as que compram tudo de uma vez.

THIRTEEN | Flash Interview

No meu primeiro blogue - criado em 2009 e eliminado em 2012 - eu tinha um conjunto de rubricas que acabaram por ficar esquecidas no tempo e que, às vezes, voltam a dar sinal de vida no meu pensamento. E depois de ter recuperado as publicações nas quais partilho convosco aquilo que gosto de vestir (ainda que sejam mais escassas do que aquilo que eu gostaria), decidi recuperar uma rubrica focada noutras pessoas.

A rubrica "Flash Interview" (re)começará em 2017 e será mensal. As perguntas e a aparência de cada entrevista variarão consoante a pessoa convidada e o mês. A primeira entrevistada será a Inês Vivas e as suas respostas chegarão logo no início de Janeiro, para começarmos o ano com uma novidade. O que acham da ideia? Alguém se lembra dessa rubrica e do seu conceito?

DECORAÇÃO | A Bela Adormecida da Nó Projectos Lx

Descobri a Nó Projectos Lx acidentalmente num mercadinho no Príncipe Real mas imediatamente tive vontade de visitar o website e de descobrir quais as restantes ilustrações disponíveis para venda. Como (muito provavelmente) sabem, mudei de casa há pouco tempo e apesar de todas as divisões estarem mais ou menos compostas, ainda sinto que falta "qualquer coisa" nas paredes dos corredores e do quarto. Descobri a Nó Projectos na altura certa.

Nesse mercadinho que visitei no Príncipe Real havia, entre outras, a ilustração da Bela Adormecida (que acabou por ser um presente de Natal antecipado). Ainda não sei exatamente onde a vou colocar (preciso de mais dois do mesmo tamanho se quiser colocá-la no corredor, caso contrário não fará sentido) mas mal posso esperar por tê-la n'O Apartamento, devidamente emoldurada! É tão gira! Adoro pessoas talentosas e referências especiais aos nossos clássicos. Este poster já é meu!


O mundo divide-se entre as pessoas dizem "árvore de Natal" e as que dizem "pinheiro de Natal".

VIDA PROFISSIONAL | É Natal!

Quem me conhece sabe que, ainda que seja verdadeiramente fã desta época, evito jantares de Natal. No entanto, este ano, havia um que não podia perder: o da empresa. É o jantar mais importante do ano, é feito no apartamento que nos acolhe todos os dias e o ambiente familiar do quotidiano sobressai entre sobremesas. Não há amigos secretos ou trocas de presentes, apenas conversas, gargalhadas, piadas, bom humor, música, improvisos e boa comida - porque só assim faz sentido.

Estou nesta empresa desde Março e todos os dias me sinto grata por isso. Adoro poder dizer que trabalho com uma equipa que privilegia determinados valores, que quer aprender mais e que é constituída por pessoas genuínas que se preocupam umas com as outras e que nunca se esquecem que o trabalho não aparece feito por milagre.

CINEMA | Dior & I [2014]

As grandes marcas fascinam-me pela sua história, pela sua preocupação com o detalhe e pela sua capacidade de inovar sem perder os valores que vão passando de geração em geração. Há milhares de processos escondidos atrás de uma peça de roupa, há toda uma equipa dedicada, disposta a trabalhar intensivamente.

Não sou a maior fã de desfiles, reconheço, mas adoro perder-me entre documentários, livros e reportagens sobre o assunto. Os editoriais, as coleções, a escolha das cores, a inspiração para o conceito, a confeção de cada peça, a seleção dos modelos, e, por outro lado, as dificuldades, os erros, os "isso não está bem, começa de novo" (...). Tudo faz parte e eu aproveito todas as oportunidades para ter um vislumbre do backstage. Todas as marcas são criadas por pessoas que determinam o seu sucesso ou fracasso e o lado humano de cada uma delas inspira-me a batalhar contra os monstros que se atravessam no meu caminho.

"Dior & I" é um documentário que foca um período decisivo para a Casa Dior: as oito semanas que passaram desde a chegada de Raf Simons até à apresentação da sua primeira coleção enquanto diretor criativo da marca. Tendo como principal referência os diários de Christian Dior, "Dior & I" convida-nos a regressar ao passado e a reparar nos detalhes que ainda hoje são privilegiados nas passerelles.

De uma forma muito humana e verdadeira, o documentário retrata fidedignamente o processo de preparação de uma coleção determinante para a carreira de Raf e mostra-nos todos os seus receios, conquistas, lágrimas e preocupações. "Dior & I" é um documentário obrigatório para quem, assim como eu, fica fascinado com o backstage das grandes marcas de luxo.

QUERIDO PAI NATAL | Siena Glass

Ainda estou a tempo? Fica mais uma sugestão para este Natal: umas sapatilhas personalizadas da Mint & Rose. Sou apaixonada por detalhes e quando vi as Siena Glass nos pés da Maria Guedes, decoradas com as suas iniciais, fiquei encantada. Discretas e numa cor tão suave, são perfeitas para um dia de sol e para um sem número de coordenados. Gosto de peças personalizadas, únicas e (quase) exclusivas e adoro que as marcas estejam, cada vez mais, a apostar nestas opções. 


Fotografia: Maria Guedes.

FAMÍLIA | 5 Coisas que a minha mãe me ensinou

"Não gastamos dinheiro que não temos". Sou muito consciente com as minhas compras e poupanças e sei que isso se deve, em grande parte, à minha mãe. Não uso cartões de crédito, abomino falcatruas e não vivo acima das minhas possibilidades. E sou feliz assim. Não sou impulsiva na hora de gastar dinheiro, não compro tudo o que quero, coloco sempre dinheiro de parte para uma emergência e consigo sempre arranjar forma de comprar algo para mim ou para as pessoas que me rodeiam sem que isso implique gastar dinheiro que não tenho.

Nada é mais importante do que a minha saúde. A nossa saúde é o bem mais precioso que temos e não há dinheiro nenhum no mundo que pague a tranquilidade que sentimos quando vemos os resultados dos exames e temos a garantia de que tudo está bem. Não há nada que justifique a atitude que nos leva a colocar a nossa saúde em risco.

Ninguém tem o direito de me intimidar. Sou obrigada a respeitar hierarquias mas nunca, em momento algum, devo aceitar uma intimidação, uma ameaça, um dedo apontado. Ainda que haja outras pessoas a exercer cargos e posições superiores à minha, ninguém me é superior e ninguém tem o direito de me insultar, de me faltar ao respeito, de ser mal educado.

"Não há almoços grátis". A minha mãe sempre me disse que "nesta vida tudo se paga" e que "ninguém dá nada a ninguém". E apesar de eu confiar facilmente nas pessoas que me rodeiam, aprendi a ficar de pé atrás em algumas situações mais sérias. Se tudo se paga nesta vida, então eu escolho como.

O "não" está garantido. O que tenho eu a perder? A minha mãe ensinou-me a arriscar, a colocar os medos de parte, a tentar a minha sorte. O "não" está garantido e todos os "sins" que receber serão oportunidades que abraçarei com toda a garra e determinação.


Instagram: @carolinanelas

Estou a preparar uma nova rubrica mensal para 2017. Palpites?

COOL BLOGGERS EM BRAGA | Michizaki

Se me dissessem que eu iria colocar um restaurante japonês na minha lista de favoritos, provavelmente eu ria-me. Não como vegetais, não como sushi... como poderia eu sair satisfeita do Michizaki - um restaurante tipicamente japonês? E a verdade é que saí de estômago feliz e com vontade de voltar. Não, não me rendi ao sushi nem aos vegetais. Mas fiquei a conhecer mil e um pratos bonitos e deliciosos que mal posso esperar por repetir.

O Michizaki é um izakaya, um tipo de bar japonês que privilegia as refeições partilhadas e os petiscos no final de um dia de trabalho. A carta do restaurante varia de estação para estação, o que significa que dentro de dias a ementa mudará para a versão de Inverno, porém não podia deixar de o referir. O Michizaki oferece muito mais do que sushi e recomendo TUDO o que provei, incluindo o maravilhoso chá de gengibre que acompanhou a minha refeição. Foi uma agradável surpresa e mal posso esperar por regressar (porque sim, é possível fazer uma refeição tipicamente japonesa sem ter que comer ingredientes que evito a todo o custo).

O restaurante é muito pequenino e está sempre cheio (percebem porquê, certo?) mas vale muito a pena. Para além dos pratos maravilhosos, o Chef Guilherme é extremamente atencioso e os funcionários são todos muito simpáticos e cuidadosos, fazendo com que a experiência seja ainda mais positiva. Deixo-vos apenas um conselho: façam reserva, sobretudo para jantar.

COOL BLOGGERS EM BRAGA | Livraria Centésima Página

A chuva não perdoou e o passeio pelo centro histórico bracarense ficou adiado para o dia seguinte mas a Casa Rolão recebeu-nos ao final da tarde para que as nossas convidadas pudessem conhecer algumas lojas invulgares e muito convidativas. O edifício tem uma arquitetura barroca e tem sido remodelado para receber marcas e pessoas com alma, que apreciam os detalhes e que valorizam aquilo que de melhor se faz em Portugal e no Mundo.

A loja mais antiga? A Livraria Centésima Página - uma livraria que é mais do que uma livraria e que já me recebeu para muitas horas de estudo ao longo dos anos. Com uma ala inteiramente dedicada aos mais novos, uma cafetaria, um espaço perfeito para leituras demoradas e bebidas quentes e uma esplanada num jardim convidativo em dias de Primavera e Verão, a Livraria Centésima Página é para ser visitada com tempo não só por quem adora perder-se entre páginas e palavras mas também por aqueles que gostam de artesanato, de espaços bonitos, de artigos de papelaria, de chá e de bolos caseiros.



Até que ponto os passatempos são importantes num blogue?

LISBOA, PORTUGAL | Cidade Natalícia

Nunca tinha estado em Lisboa na altura do Natal mas adorei ver a cidade repleta de luzes e montras alusivas à época. Foram só dois dias longe da rotina mas foram dois dias que serviram perfeitamente para passear, para observar uma faceta diferente da nossa capital, para conhecer novos espaços e para criar memórias em família. Foi um fim-de-semana de compras, de passeio, de museus e de gordices - como só assim poderia ser. E, claro, regresso agora a casa com vontade de vos mostrar alguns dos lugares bonitos que me receberam (com uma particularidade: desta vez a Matilde ficou em Braga e por isso não tenho muitas fotografias para partilhar).


CINEMA | London Has Fallen [2016]

"London Has Fallen" - "Assalto a Londres", em português - é a continuação de "Olympus Has Fallen" - "Assalto à Casa Branca", em português - e foca a dificuldade do principal segurança do Presidente dos Estados Unidos da América em defendê-lo.

Desta vez, os problemas surgem durante uma viagem de última hora até Londres para o funeral do Primeiro Ministro Britânico, que é morto estrategicamente para reunir todos os líderes mundiais naquele local. Objetivo: matar o presidente dos Estados Unidos. Dificuldade: Mike Banning.

"London Has Fallen" é, inegavelmente, um filme de ação no seu formato mais puro. Porém, ao mesmo tempo, consegue manter o lado humano, os dilemas pessoais de alguém que adora o que faz mas que vai ser pai em breve, os valores da amizade. Com alguns momentos de humor estrategicamente colocados nos diálogos e diversos momentos mais fortes e tensos, "London Has Fallen" é uma boa escolha para quem gosta de explosões. Com um bónus: Morgan Freeman também entra nesta longa metragem (e não faz o papel de Deus).


Podem participar no passatempo em parceria com a Oh! Não até dia 18 de Dezembro.

SOLIDARIEDADE | Preferia Beirão?

Neste Natal, os presentes que recebes e com os quais não te identificas poderão ser trocados por uma garrafa de Licor Beirão e doados a uma IPSS. Onde? Aqui.

O processo é simples: recebes o presente, manténs as etiquetas e escolhes a IPSS a quem pretendes oferecer aquela peça de roupa que não te serve, aquele conjunto de lençóis que já não tens onde arrumar ou aquele serviço de jantar que não combina com a tua casa. Se a IPSS aceitar a troca, enviar-te-á uma garrafa de Licor Beirão como forma de agradecimento. 

Neste momento, as IPSS's estão a ser contactadas e brevemente serão anunciadas as instituições que farão parte desta iniciativa. A partir de 26 de Dezembro poderás submeter os teus presentes para troca, apoiando uma causa que te diz mais do que o presente que recebeste.

CINEMA | The Ides Of March [2011]

"The Ides of March", realizado por George Clooney - que é também um dos protagonistas -, é um filme que, através de um ponto de vista crítico, nos mostra o que acontece nos bastidores das corridas eleitorais americanas.

Os jogos estratégicos e as ações que desprezamos, o cinismo, o poder do dinheiro, a confiança, os ideais democratas, a dependência do petróleo, a preparação e o decorrer da campanha, as reações instantâneas, a gestão de conflitos, a defesa da imagem... podemos observar tudo isso em "The Ides of March" e, com um elenco de excelência (no qual destaco George Clooney e Ryan Gosling), este é um filme para ver com atenção e um sentido crítico apurado - até porque o próprio nome representa uma curiosidade que nos mostra que todos os pormenores e diálogos foram pensados com rigor de modo a representar algo maior.

"The Ides of March" apresenta-nos, através da transformação do personagem principal (que é acompanhada de uma forma brilhante pelos efeitos de imagem, que passam de cenários luminosos e românticos para outros mais escuros e sombrios), um forte retrato da política moderna. Nem todas as conversas e ações são claras mas todos percebemos quais as consequências de cada cena e eu acho isso fantástico (sobretudo porque leva a diferentes interpretações que podem mais tarde ser discutidas).

Confesso que nunca tinha visto um filme realizado por Clooney - e fiquei de pé atrás - mas reconheço: ele não só é bom actor como pode perfeitamente enveredar pela carreira da realização se assim desejar. Os planos foram perfeitamente pensados, o elenco e a equipa técnica foram nitidamente escolhidos a dedo, as críticas ao mundo político e à corrupção são fortes. Clooney retrata as coisas como elas são num mundo onde o aliciante e o sombrio andam de mãos dadas e faz um excelente trabalho em ambos os lados da lente.

EVENTO | Victoria's Secret Fashion Show 2016

Os anjos mais famosos do mundo voaram até Paris para mais um Victoria's Secret Fashion Show. Pela primeira vez na cidade do amor, o VSFS de 2016 foi colorido e marcante e contou com a presença de Lady Gaga, Bruno Mars e The Weeknd (pelo segundo ano consecutivo).

E se no ano passado vos disse que tinha ficado desiludida com o desfile, em 2016 tal não aconteceu - a Victoria's Secret regressou àquilo que me apaixona e que me faz sonhar:  segmentos de roupa interior trabalhada e sensual misturados com segmentos mais divertidos e jovens. E apesar de ter detestado o segmento Pink Nation (que ideia foi aquela?!), The Road Ahead, Secret Angels, Mountain Romance, Dark Angels e Bright Night Angels mostraram a verdadeira essência da Victoria's Secret e do espectáculo a que estamos habituados. 

Não gostei da postura de algumas das modelos escolhidas para o desfile deste ano (a Bella estava totalmente desenquadrada, por exemplo) e senti a falta da Candice e da Behati (e, uma vez mais, da Miranda e da Doutzen) mas adorei o primeiro desfile da Josephine enquanto Angel, achei que o Fantasy Bra foi bem entregue à Jasmine e gostei muito de ver a nossa Sara a dominar a passerelle das purpurinas ao lado de modelos tão icónicas como a Adriana e a Alessandra. Asas favoritas? Provavelmente as de Sara Sampaio em "Dark Angels". 



Poderão participar no passatempo em parceria com a Oh! Não até dia 18 de Dezembro.

Numa palavra, o Thirteen é...?

GUARDA-ROUPA | Primark: Sim ou Não?

Tenho uma opinião muito concreta sobre a Primark: acho que os preços das peças de roupa, no geral,  não compensam a confusão, o cheiro estranho, o tempo perdido e o barulho. 

Visito a loja apenas para comprar pijamas quentinhos e objetos para a casa e apesar de ter olho para bons negócios, a verdade é que não sei lidar com a desarrumação que caracteriza a Primark - entro e saio num ápice porque não me identifico com o conceito da loja.

O modelo de negócio da Primark resulta - e resultará cada vez melhor daqui para a frente - mas não me inspira confiança. É certo que não podemos pedir tecidos de excelência se pagamos tão pouco pela peça acabada - e eu sou a primeira a reconhecê-lo - mas a falta de profissionalismo e a respetiva desarrumação afastam-me imediatamente.

Aplaudo quem consegue ter paciência (e tempo!) para vasculhar a loja e encontrar peças bonitas com acabamentos aceitáveis e padrões e formatos originais mas confirmo aquilo que já sabia: a Primark não é a minha loja (nem mesmo nas horas menos confusas e populares).

COOL BLOGGERS EM BRAGA | Tíbias de Braga

A chuva continuava a cair e o nosso lanche esperava-nos na porta ao lado. Terceira paragem: Tíbias de Braga - um espaço icónico recentemente remodelado para nos receber entre bebidas quentes e opções docinhas. A protagonista do espaço é a tíbia mas as montras coloridas, as tartes, os croissants, as fatias de bolo e os biscoitos tornam a escolha difícil. 

Eu optei pelo red velvet - como resistir? - e fiquei a saber que, nesta pastelaria, o bolo é feito da forma tradicional: em vez de ser adicionado corante à massa durante a sua confecção, esta ganha cor graças ao sumo da beterraba. Aprovadíssimo!


Fotografia: @danielagrandrac

Mais sobre o evento: Bom Jesus do Monte | Museu da Imagem

SOCIEDADE | Be Kind

As ações mais simples do nosso quotidiano dizem muito sobre as pessoas que somos. Como atendemos o telefone, se oferecemos o nosso lugar a uma pessoa idosa ou a uma grávida, como respondemos a quem nos atende na caixa do supermercado, se atiramos papéis para o chão ou se esperamos até encontrarmos o caixote do lixo mais próximo, como lidamos com os pedidos trocados no restaurante, se trabalhamos em equipa e se ajudamos um colega de trabalho... Tudo isso demonstra o nosso verdadeiro carácter e diz mais sobre nós do que sobre as pessoas que nos rodeiam.

Infelizmente, em 2016, ainda muita gente acredita que existe uma hierarquia social que lhes dá o direito de ser mal-educado com quem, supostamente, não tem habilitações literárias tão altas, um emprego tão ambicioso ou o mesmo tom de pele. E esquecem-se do mais importante: não há dinheiro nenhum no mundo que pague faltas de respeito.

CINEMA | Fantastic Beasts and Where to Find Them [2016]

"Fantastic Beasts and Where to Find Them" era um dos filmes mais aguardados do ano mas eu não quis agarrar-me à ideia de que seria mais um filme de Harry Potter porque a verdade é só uma: não poderia sê-lo. E, mesmo assim, J.K. Rowling foi capaz de criar todo um universo novo com referências inteligentes à saga que a tornou popular sem nunca comprometer o fascínio dos novos espectadores, que não viram Harry Potter mas que escolheram entrar nas salas de cinema para ver "Fantastic Beasts and Where to Find Them". 

O universo de Harry Potter não regressou neste primeiro filme - nem faria sentido dessa forma - mas as referências estão lá e servem para matar saudades da saga que nos acompanhou enquanto crescíamos. Com um bónus: para além dos feitiços e regras que já conhecíamos e dos valores que sempre nos foram apresentados - amor, amizade, entreajuda, solidariedade... - há momentos de humor estrategicamente pensados e uma maturidade diferente no argumento (talvez por causa da idade das personagens e da experiência dos actores escolhidos) que nos dá uma perspetiva diferente perante o mundo da feitiçaria.

"Fantastic Beasts and Where to Find Them" é um filme com muitas reviravoltas e surpresas que não deixam ninguém indiferente (como poderíamos adivinhar que o verdadeiro rosto do vilão seria aquele?). E ainda que não tenha sido o filme do meu ano - porque, no fundo, em alguns momentos, eu esperava mais - foi fantástico rever os detalhes que foram incluídos nesta longa metragem, ter a honra de assistir ao papelão de Eddie Redmayne e sentir aquele arrepio na espinha graças à banda sonora que nos acompanha ao longo de duas horas.


Ainda não aprendi a desligar do trabalho nas horas em que estou fora do escritório.

COOL BLOGGERS EM BRAGA | Museu da Imagem

Segunda paragem: Museu da Imagem. Braga não seria Braga se não chovesse torrencialmente em Novembro e o Museu da Imagem - ao lado do Arco da Porta Nova - foi o refúgio ideal. Entre uma coleção fabulosa de máquinas fotográficas antigas e exposições de diferentes artistas (que variam ao longo do ano), o Museu da Imagem é pequenino, gratuito e perfeito para quem gosta de espaços invulgares.

Nesta visita, fiquei particularmente encantada com as fotografias que se encontravam na entrada e que tinham sido editadas de forma a parecerem aguarelas - pareciam verdadeiros quadros.


Fotografia: @carolinanelas

Mais sobre o evento: Bom Jesus do Monte

INSTAGRAM | Novembro 2016

Se eu tivesse que escolher apenas uma palavra para descrever o mês de Novembro, essa palavra seria "intenso". Estou habituada a Novembros paradoxais e este não foi excepção. Apesar de ter sido um mês extremamente longo e cansativo - porque o foi, inegavelmente - foi também um mês que me permitiu festejar o meu aniversário durante três dias junto das pessoas que completam o meu quotidiano e que são verdadeiramente especiais para mim.

Em Novembro conheci outras bloggers, fiz um Curso de Content Marketing, lancei um passatempo (que ainda está a decorrer) em parceria com a Oh! Não, decidi que estava na altura de colocar as tarefas domésticas nas mãos de outras pessoas, recebi algumas visitas n'O Apartamento, fiquei com o coração apertado quando percebi que o Donald Trump tinha sido eleito Presidente dos Estados Unidos, preenchi um pouco mais o meu guarda-roupa (continuo a arriscar e a sair da minha zona de conforto!), senti o meu corpo a evoluir em aulas de ballet mais puxadas e exigentes, mudei de escritório e abracei novas funções e novas aprendizagens. Em Novembro eu apanhei um enorme susto e nem assim aprendi a desligar mas, confesso, estou a contar com um Dezembro mais calmo - espero que o seja, pelo menos.