QUOTIDIANO | Palavra-Chave: Estreia

Quando a contagem decrescente terminou eu abracei a minha avó com toda a força do mundo e parti um prato na varanda com a mesma vontade. Eu sabia que estava a começar um ano de novidades e de mudanças e sabia que tinha de desejar um ano incrível com todo o meu coração. Quando 2016 decidiu aparecer, eu sabia que o fim da Licenciatura se aproximava, sabia que tinha um Estágio Curricular pela frente, sabia que ia baptizar os meus (agora) afilhados, sabia que ia chorar baba e ranho na Serenata, sabia que ia ter muito para registar neste blogue, sabia que ia estar presente em diferentes eventos e sabia que o mundo estava à minha espera, para o bom e para o mau. E 2016 foi, sem dúvida alguma, um ano de pontos finais e de estreias.

Se em Janeiro me dissessem que eu iria ser tão ou mais feliz como em 2015, provavelmente eu não acreditaria, sobretudo porque perdi o meu amigo de quatro patas logo no primeiro mês do ano (se 2016 começara dessa forma, como poderia esperar um ano incrível?). Enfrentar o mercado de trabalho, aprimorar o meu estilo pessoal, continuar a escrever no blogue e ainda continuar feliz ao lado de quem me faz tão bem? Parecia-me complicado numa época de transição pessoal, profissional e académica. E agora aqui estou eu, pronta para partilhar convosco mais umas quantas conquistas. Com uma particularidade: à semelhança daquilo que aconteceu com os textos que publiquei na altura do meu aniversário, os parágrafos que se seguem foram escritos ao longo do ano e ganharam uma dimensão ainda mais pessoal. Porque se este blogue guarda tesouros, então eu quero que o último texto do ano retrate todos os sentimentos, todos os arrepios, todos os sorrisos e todas as lágrimas. Como se tudo tivesse acontecido há dois minutos atrás - com a emoção mais genuína e os sentimentos à flor da pele.

No que diz respeito ao blogue, 2016 foi mais um ano de muitas partilhas. Registei as minhas escapadinhas, dediquei-me mais, partilhei projetos solidários, fui referida noutros blogues, escrevi sobre os filmes que vi e os lugares que visitei, iniciei uma rubrica mais focada em mim, registei as minhas conquistas e dúvidas, mantive a postura que idealizei, deixei uma mensagem na fita da Inês, abordei o tema da ansiedade de uma forma muito mais intensa, descobri novos blogues e consegui fazer publicações frequentes apesar de todas as minhas ocupações, tarefas e preocupações. O blogue sofreu algumas (enormes) mudanças e ficou para trás em alguns momentos - porque só assim faz sentido - mas não ficou esquecido em momento algum e isso confere-me conforto. Este é o meu projeto e eu continuo deste lado, com vontade de crescer.

Em 2016 tive a minha primeira experiência profissional a tempo inteiro. Depois da reunião final, da assinatura do Protocolo, da definição dos objetivos e da escolha da Orientadora... comecei o meu Estágio Curricular. De Março a Junho tive direito a um horário de trabalho convencional numa empresa que cresce um bocadinho mais a cada dia que passa e a experiência, para além de ter sido um passo importante na minha carreira (mais sério e decidido), foi brutal. Tão brutal que, um mês depois de ter iniciado o meu percurso profissional ainda com um pé na Faculdade, recebi uma proposta irrecusável: ficar na empresa depois do Estágio Curricular e fazer um Estágio Profissional no mesmo local. O sonho de qualquer Finalista, certo? Iniciei-o assim que recebi o meu certificado e assim continuo, com um salário assegurado no fim do mês e num ambiente que adoro, a fazer aquilo que gosto. 

E, como Carolina que sou, cresci. Evoluí. Arrisquei mais. Comprei peças de roupa irreverentes. Usei saltos altos mais vezes mas percebi que é possível construir coordenados elegantes se optarmos (quase sempre) pelos rasos. Aprendi a acordar cedo para aproveitar o dia desde o seu começo. Construí um estilo (ainda mais) feminino e cuidado. Cuidei mais de mim. Namorei muito, passeei muito, comi muito (e muito bem!). Em 2016 eu celebrei os meus 21 anos e aplaudi o sopro das velas das pessoas que me são mais queridas. Consegui (finalmente!) usar pauzinhos em vez de talheres, fui surpreendida de manhã à noite no Dia dos Namorados, batalhei contra a cadeira de Análise de Projetos de Investimento, vi o DiCaprio a ganhar o Oscar de Melhor Ator, fiz competições de consola, mantive a minha agenda organizada, recebi um convite de casamento quase inesperado que me deixou muito muito feliz, vi o meu SC Braga a ganhar a Taça de Portugal, vi a Seleção Nacional a dar cartas em França num EURO 2016 muito sofrido que acabou por vencer (com muitos pontapés, rasteiras e encontrões à mistura), acompanhei os meus atletas favoritos através das transmissões dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro e vi o David Fonseca ao vivo no Theatro Circo.

Em 2016 eu fui ao casamento da Joana e do Edgar e, duas semanas mais tarde, fui ao casamento do João e da Natacha. E apesar de terem sido os dois absolutamente maravilhosos, percebi que o mundo ganha um significado diferente quando são os nossos amigos a casar. Num ano de tantas mudanças, este segundo casamento lembrou-me (uma vez mais) do quanto cresci. Porque um ano faz toda a diferença e rodear-me pelas pessoas certas é meio caminho andado para ser muito feliz. 

Em 2016, apesar dos afazeres profissionais intermináveis que não me permitiram ter férias, viajei mais um bocadinho, ainda que mais perto e por menos tempo do que o habitual. E viajei bem, em boa companhia! Depois de um ano letivo atribulado e antes de entrar na ansiedade da Defesa do Relatório de Estágio, passei um fim-de-semana em Aveiro com o Gui. Foi a nossa forma de comemorar o nosso segundo aniversário de namoro e não podia ter sido mais bonito. Nunca tinha conseguido apreciar a cidade com calma e a verdade é que aquele fim-de-semana nos proporcionou memórias bonitas num lugar aqui tão perto e no meio de semanas complicadíssimas. E 2016 trouxe-me também um dia passado em Vigo, outro em Arouca para finalmente fazer o percurso dos Passadiços do Paiva, um fim de semana com os amigos de sempre em Verim e outro com a minha mãe e irmã em Lisboa.

Em 2016 a minha ansiedade atingiu uma dimensão assustadora, como há muito eu não sentia. E o mundo revelou ser um lugar feio vezes demais. O terrorismo não parou, a segurança que sentimos enquanto cidadãos do mundo diminuiu e o planeta ficou mais triste, com muitas feridas complicadas e profundas para curar. O meu mundo é bonito - sou uma sortuda - mas houve muitas alturas em que a minha ansiedade não me permitiu ser a miúda positiva que sou e que consigo ser; percebi que precisava de apostar mais em mim e na minha saúde: procurei novas ajudas e fiz algo que nunca tinha feito - comecei a tomar medicação para o meu problema. Foi um passo difícil para mim mas foi também muito importante.

Se em 2015 saí da minha zona de conforto, em 2016 distanciei-me dela. Saí de casa dos meus pais, estive presente na Semana da Engenharia Informática da Universidade do Minho (quem diria?!), fotografei o II LIRA, experimentei restaurantes novos (incluindo aqueles que privilegiam a gastronomia japonesa), ri muito nos jantares de Faculdade, fiz telefonemas de trabalho, despedi-me da turma que me viu crescer ao longo de três anos, arrisquei nas compras, estive presente no evento "Keep Chic and Be Woman", fiz uma sessão fotográfica para a Josefinas e entrei num pequeno vídeo para a mesma marca, fui à despedida de solteira da Joana, passei um fim-de-semana com a Carolina Santiago, a Daniela Gandra, a Helena Martins e a Marta Sobral graças ao "Cool Bloggers em Braga", regressei às aulas de ballet, estive presente numa Masterclass relacionada com o Instagram, participei na Parada de Natal da cidade, fiz uma formação no âmbito do atendimento ao cliente, inscrevi-me num mini-curso de Content Marketing e comecei uma nova formação em Marketing Digital.

Em 2016 a minha família cresceu mais um pouco, com a chegada das gémeas. O Gui conheceu finalmente a minha avó e acompanhou-me em eventos familiares (e vice-versa), passei tempo de qualidade com os meus primos, celebrei os aniversários das pessoas que nunca me falham, tive um Natal absolutamente maravilhoso e, muito importante, valorizei cada bocadinho passado com aqueles que me fazem bem.

Foi também em 2016 que terminei a minha Licenciatura. Baptizei a Julieta e o Uriel, acompanhei-os no Julgamento e na compra do Traje, vivi intensamente (talvez até demasiado) as tarefas da Comissão de Praxe, chorei baba e ranho - como seria de esperar - nas Cerimónias de Finalista, fiz um discurso como representante do Curso e recebi os elogios mais amorosos de professores, funcionários, colegas e amigos. 2016 foi o ano em que escrevi mais fitas de Finalista e o ano em que pedi que escrevessem as dedicatórias mais sinceras nas minhas. Escolhi poucas pessoas, mas escolhi-as com o coração e não podia ter ficado mais enternecida com as palavras mais amorosas, genuínas e sinceras que recebi. Rasguei a capa do Mota e do Gui em dois momentos diferentes e especiais de maneiras distintas e pisei capas que nunca pensei pisar (obrigada João; obrigada Gilinho). Em 2016 eu fui muito feliz.

E a verdade é que os pontos mais negativos do meu ano - que não faço questão de registar - me trouxeram SEMPRE algo de bom; começo agora a ser uma Carolina mais tranquila, mais segura das minhas capacidades, mais Carolina, mais adulta.

Por isso sim, 2016 foi um ano de estreias, de desafios, de novidades. Não estava enganada: 2016 foi um ano que me pôs à prova e que exigiu muito de mim. Mas chego ao fim de coração cheio por saber que alcancei todos os objetivos que fui definindo com o passar dos meses e por sentir que derrubei barreiras que me pareciam tão altas e assustadoras antes de iniciar este caminho. O saldo de 2016, apesar dos momentos menos felizes, é positivo e estou preparada para um 2017 ainda mais desafiante. Estou totalmente exausta e um pouco receosa com aquilo que ainda está para vir mas admito: a fasquia está alta.


12 comentários:

  1. Parece-me que tiveste um ano bom e preenchido! Que 2017 seja ainda mais surpreendente :)


    A Sofia World

    ResponderEliminar
  2. obrigada carolina por nos trazeres sempre textos e reflexões escritos com tanto amor! que 2017 seja incrivelmente incrível :D

    ResponderEliminar
  3. De tudo o que acompanhei por aqui, notou-se bem que cresceste. Tornaste-te mulher, adulta, independente e super curiosa pelo mundo. 2016 foi mesmo excelente :D
    Que 2017 seja assim tão bom! :D

    let's do nothing today

    ResponderEliminar
  4. Que ano em grande, Carolina :) e se me permites, levo daqui inspiração para 2017. Não há nada melhor do que nos inspirarmos no crescimento de quem nos inspira! Que venha daí um excelente 2017!

    Jiji-GIVEAWAY NYX

    ResponderEliminar
  5. Que ano maravilhoso Carolina :)
    Que 2017 te reserve mais e melhor!

    ResponderEliminar
  6. Tudo o que está para vir irá ser recompensador no final como tem sido até agora. O tempo é uma coisa magnífica. A forma como ele brinca com as nossas vidas e as comanda. É lindo de se ver Carol. E este ano foi em cheio para a tua formação, personalidade e crescimento. Acompanhei cada passo com atenção especial e sorri quando sorriste, lacrimejei quando te senti mais em baixo, preocupei-me quando houve momentos para isso.
    Carol! Tu consegues algo que poucas pessoas conseguem: uma empatia e reacções verdadeiras aos teus sentimentos.
    Se estivesse de tricórnio posto, tirá-lo-ia e acenava-te com ele em jeito de felicitar. Tu vais ser enorme! Prevejo um futuro sorridente para ti. Não poderá ser doutra forma com o coração que tens.
    Que 2017 te traga outras estreias, igualmente boas.
    Um beijo enorme 😙

    ResponderEliminar
  7. Foi mesmo um ano em cheio para ti Carolina! Que 2017 seja ainda melhor!

    ResponderEliminar
  8. Tiveste um ano em grande, mas acredito que mereceste as coisas boas e trabalhaste muito para as ter!

    É incrível ver os bloggers que seguimos há vários anos crescer e somar vitórias. Boa sorte para 2017 ;)

    ResponderEliminar
  9. Tantas coisas boas! E, como dizes, mesmo as menos boas trouxeram aprendizagens que devem ser retiradas e valorizadas :) Que venha 2017, um bom ano!

    ResponderEliminar
  10. Tiveste mesmo um ano em cheio, cheio de bons momentos e conquistas! Não consegui adivinhar a palavra que ias escolher, mas agora que a escolheste, realmente faz todo o sentido!
    Foi uma honra e um orgulho enorme poder acompanhar o teu crescimento este ano, os teus momentos, experiências e conquistas. Não te conheço pessoalmente ( embora queira, não te esqueças do nosso lanchinho!) , mas pelo blog mostra ser uma pessoa com uma personalidade fantástica, positiva na maior parte das vezes ( porque todos nós temos os nossos altos e baixos), lutadora e persistente. Adorei acompanhar o teu blog este ano, e estarei aqui para o ano para continuar a lê-lo.
    Um feliz 2017 para ti, Carolina, recheado de mais bons momentos e conquistas :).
    Beijinhos,
    Cherry
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
  11. Ohh, fico tão contente por ver ali a referência à minha Fita, não estava nada à espera! Obrigada pelo miminho :)
    Sem dúvida que este foi o teu ano, Carolina! Mesmo que não tenha sido um ano perfeito ou repleto de boas notícias, foi um ano que te fez desenvolver a nível pessoal e profissional e onde "deste o pulo". E foi incrível acompanhar a tua evolução, mês após mês. Compreendo - porque também é a minha política - que não tenhas partilhado TUDO no teu blogue (especialmente coisas mais íntimas e/ou menos boas) mas foi incrível acompanhar este pedacinho da tua vida, cheio de novas etapas, desafios e lições vencedoras. Que 2017 esteja à altura e supere tudo o que de bom 2016 te ofereceu! :)

    ResponderEliminar