FAMÍLIA | 5 Coisas que o meu pai me ensinou

Tu nunca sabes com quem estás a falar. Assumir que as pessoas sabem tudo - ou que não sabem nada - é um erro. E por isso há duas coisas que nunca devemos fazer: armarmo-nos em Chicos Espertos e fingir um conhecimento que não temos - porque só nós vamos parecer ridículos - ou, por outro lado, assumir que sabemos mais do que os outros e tentar fazer deles parvos (estou-me a lembrar, por exemplo, de um funcionário de uma operadora que tentou dar uma solução estapafúrdia ao meu pai e que não sabia onde se esconder quando ele lhe revelou a sua profissão).

Compras online são uma maravilha. Foi o meu pai que me introduziu o maravilhoso hábito de comprar pela internet - e de verificar sempre se não existe mais barato noutras partes do país e do mundo.

Só não falha quem não tenta. Por muito que me cause confusão, frustração e transtorno, eu sei que ele tem razão: eu vou falhar muitas vezes. Por uma simples razão: eu mexo-me, eu tento, eu quero fazer muito, aprender mais ainda e ser melhor. E se arrisco, há uma grande probabilidade de falhar (e de ser bem sucedida também). Uma coisa é certa: quem fica parado não falha mas também não se supera.

Quando estás doente, bebe muita água - e quando não estás também. Manter o corpo hidratado é essencial e desde muito pequenina que o meu pai faz questão de me relembrar que devo beber muita água. Quando estou doente, essa sugestão é repetida mais vezes ainda e claro, tento cumpri-la porque o meu organismo está em esforço e mantê-lo hidratado é imprescindível.

Trabalhar fora da nossa área de conforto é fantástico. Quando eu era mais nova nunca sabia responder quando me perguntavam qual era a profissão do meu pai. Ainda hoje tenho alguma dificuldade. Isto porque ele trabalha tanto e em tantos projetos diferentes, que fica difícil arranjar uma só profissão para o descrever. E foi com ele que aprendi que não temos de nos limitar a uma só área, a um só tema, a um só projeto. Porque, afinal, aprendemos muito mais quando saímos da nossa área de conforto (e profissionalmente isso também se aplica).

11 comentários:

  1. Dos exemplos que referes, partilhamos o primeiro "Nunca te armes em Chico Esperto" e "Só não falha quem não tenta". Sem dúvida ensinamentos essenciais e que todos nós devíamos manter presentes no nosso dia-a-dia, mesmo que nos faça confusão. O único ponto que diverge na totalidade é o das compras online. Para o meu pai a internet é um bico-papão e tem imenso medo que nos roubem dados pessoais and so on haha.

    Ricardo, The Ghostly Walker.

    ResponderEliminar
  2. "Só não falha quem não tenta", algo que o meu pai também me ensinou. Lembro-me sempre disso quando o medo em falhar surge :)

    ResponderEliminar
  3. Sem dúvida conselhos sábios e que toda a gente devia ouvir! Gostei muito do post!

    Um beijinho,
    Bia do Bookaholic.

    ResponderEliminar
  4. É incrível o que aprendemos no conforto dos braços dos nossos pais. Coisas simples como «Às vezes é preciso cair para saber qual a melhor maneira de nos levantarmos» ou «Há sempre alguém que te vai achar a pessoa mais especial do Mundo». Parecem aprendizagens pequeninas, mas crescem connosco e fazem de nós quem somos hoje. É tão bom ler este tipo de publicações e ver o amor que somos capazes de nutrir pelos nossos entes queridos.
    Adoro que escrevas com o coração Carol.
    Beijo gigante fofinha :)

    ResponderEliminar
  5. Os pais têm sempre os melhores conselhos :) A maior parte das coisas que aprendi, foram transmitidas pelo meu pai!

    Beijinhos
    Andreia, ALL THE BRIGHT PLACES

    ResponderEliminar
  6. Todas lições tão valiosas! Guarda-as bem contigo!
    Beijinho*

    ResponderEliminar
  7. Ensinamentos bem necessários, eu tive de aprender alguns deles sozinha :)

    ResponderEliminar