Thirteen

AMOR | O que aconteceu aos encontros?

Sinto-me grata por muitas coisas na nossa relação mas uma das que mais me orgulho é a de termos sido capazes de nos conhecermos um ao outro à moda antiga. Sem redes sociais, sem fotografias de fases de vida que tinham terminado, sem ecrãs a transformarem-nos em seres humanos mais corajosos do que aquilo que somos na verdade.

Nós conhecemo-nos entre frases sobre nós próprios enquanto comíamos gelados no carro com vista para as luzes da cidade. Nós descobrimos os gostos um do outro entre filmes, passeios, cafés e concursos de fotografia. Nós percebemos que tínhamos personalidades compatíveis graças a conversas longas, histórias engraçadas e jogos de perguntas. Sem darmos conta, deixámos as redes sociais de lado e vivemos o momento como ele deve ser vivido: naturalmente. 

Com quantos casais isto ainda acontece? Quantas pessoas conhecemos do zero, sem recurso a redes sociais? Quantas relações evoluem graças ao romantismo dos encontros, dos lugares novos, dos piqueniques, do fogo-de-artifício e das surpresas? É quando penso nestas pequeninas grandes coisas que percebo: eu sou uma sortuda.

12 comentários:

  1. Tão verdade! Atualmente é tudo por redes sociais, conversam mais por lá do que em encontros! A essência do romance está se a perder um pouco, é pena. Feliz daqueles como tu e eu, que a vivemos!
    Beijinho, Ana Rita*

    ResponderEliminar
  2. tao verdade! perde-se tanto do romance por trás dos ecras :/

    TheNotSoGirlyGirl // Instagram // Facebook

    ResponderEliminar
  3. Todas as minhas relações também começaram e foram alimentadas através de encontros. Conheci pelas tardes no café, a tocar música num piano, a desabafar em miradouros, a passear nas ruas, a visitar castelos ou a comer travesseiros. E não podia ser de outra forma, na minha opinião. É assim que criamos os laços, é assim que conhecemos um pouco mais o outro, entre olhares, sorrisos corados, gargalhadas e conversas cara-a-cara. A melhor fórmula da cumplicidade ainda é esta :)

    ResponderEliminar
  4. Sem dúvida que és. Cada vez mais as relações são construídas online, perdendo-se um pouco a magia do que é conhecer alguém de uma forma mais natural e, a meu ver, romântica.

    ResponderEliminar
  5. Na minha opinião, uma história de amor só faz sentido quando é assim e, por experiência, posso dizer que amar só faz sentido quando é assim :)

    ResponderEliminar
  6. Tristemente é esta a realidade.
    Eu, neste momento, evito sequer manter uma conversa online.
    Sou muito objectiva porque pretendo apenas resolver um assunto e pronto.
    Mas se me convidam para um café... Ui, não me calo. É aí que sei ser... eu.

    ResponderEliminar
  7. Ainda bem que ainda existe pessoas que conseguem desligar das redes sociais. Felizmente eu tive a sorte de o fazer no inicio da minha relação e fico muito feliz por isso.

    ResponderEliminar
  8. É por histórias como a tua que eu não desisto de ver as oportunidades do meu dia-a-dia e de conhecer pessoas aleatoriamente. Porque, acredito vivamente que, embora possa ajudar, não são as redes sociais que me vão apresentar verdadeiramente alguém :)

    ResponderEliminar
  9. Pois ainda não tinha pensado nisso, e obrigada por mo lembrares. Eu e o meu namorado estamos juntos à oito anos e vivemos exatamente essa forma de nos conhecermos. É tão bonita e desnudada. O agora é tão mais desleal...

    ResponderEliminar
  10. Posso dizer que também sou uma sortuda :)

    ResponderEliminar
  11. Tão bom ^^ Posso dizer que também sou uma dessas sortudas. Eu gosto da magia do à moda antiga. Eu gosto de me ter perdido nas horas nas nossas primeiras saídas. Gosto das longas conversas, dos jogos, dos passeios. E gosto ainda mais de hoje ainda manter tudo isso e de chegar a casa de coração cheio!

    ResponderEliminar