Thirteen

CORPO | Small Boobs? Big Boobs? Healthy Boobs!

Durante muito tempo eu senti-me mal comigo mesma por causa do tamanho do meu soutien. Durante anos recusei-me a usar soutiens sem aro, vivi enfiada em soutiens push-up e detestava comprar biquínis porque saía sempre frustrada dos provadores. Não fui abençoada com umas mamas grandes e, durante muito tempo, isso incomodou-me.

Durante muito tempo senti-me menos mulher por não vestir uma copa C - ou maior. Porque "uma mulher real tem curvas" (na parte da frente e na parte de trás, de preferência). Porque até as mulheres magras das revistas têm mamas e rabo. Porque não vestir - no mínimo! - uma copa C "é parecer um rapazinho". E quando ouvimos estes comentários muitas vezes, começamos a acreditar neles.

Aos poucos, esqueci-me de gostar do meu corpo e de tirar o melhor partido dele através daquilo que vestia e da atitude que assumia; interiorizei a ideia de que havia realmente algo de errado em mim (e nunca coloquei em cima da mesa a hipótese de que o erro poderia estar, na verdade, nos padrões que a sociedade foi definindo ao longo das décadas).

Hoje, em paz comigo mesma, vario mais nos modelos de soutien e reconheço uma data de vantagens neste antigo-problema de ter pouco peito: posso usar roupas com decotes nas costas sem me preocupar com a falta que o soutien me faz, posso usar qualquer decote sem ter medo que uma mama salte ou saia do sítio, posso dormir de barriga para baixo sem incómodos e, melhor ainda, posso escolher não usar soutien quando a peça de roupa e a ocasião mo permitem (com a garantia de que não ficarei com dores de costas no final do dia).

Hoje, em paz comigo mesma e com os meus soutiens sem aro e/ou sem enchimento, sei que o tamanho do meu peito não define a minha sensualidade nem tão pouco define se sou mais ou menos mulher. Não uso uma copa D, é verdade, mas tenho um corpo proporcional que só faz sentido assim. Se às vezes gostava de ter umas mamas maiores? Sim. Se isso ainda me faz confusão? Não. As minhas mamas são pequenas, é verdade... e muito saudáveis também!

11 comentários:

  1. Para ser sincera, eu nunca tive grandes complexos com o meu peito. Eu sabia que tinha mamas pequenas, mas honestamente não me preocupava nem me sentia menos mulher. Mas magoava-me muito os comentários que faziam e ficava revoltada. Lembro-me de, na minha pré-adolescência (onde pouca ou quase nenhuma mama tinha), um rapaz virar-se para mim e dizer "quando é que deixas de ser uma tábua?" ou de ouvir comentários de tias distantes da família como "a tua prima X já tem um peito grande e é mais nova que tu! Isso é que é ser mulher". Não percebia por que razão condenavam o meu peito e teciam comentários como se eu pudesse decidir o crescimento delas. Só nesses momentos é que o assunto me perturbava.
    Já é difícil sairmos de um corpo de meninas para entrarmos num corpo de mulher. Ouvir estes comentários certamente não ajuda. Mas, felizmente, sempre fui muito "descolada" em relação a isso, especialmenre porque os desportos que praticava na altura (Taekwondo e Basquetebol) acabaram por me mostrar que eu, a "tábua", me safava melhor. E esta perspectiva salvou-me sempre de pensamentos tóxicos sobre essa região do meu corpo. Gosto muito do meu peito, acho que é proporcional em mim e não deixo que o meu tamanho me limite de usar as peças que quero ou os decotes com que me sinta confortável para usar :)

    ResponderEliminar
  2. Sou uma miúda ainda e tenho muito que crescer mas sinto que também vou ter sempre o peito pequeno - não só por ser atleta mas também por genética e por me ser proporcional - e não tenho qualquer problema com isso, sou-te sincera! Também, tal como a Inês, sofri muito de comentários desagradáveis mas sempre bola para a frente que há mais que interesse do que a opinião alheia! Sinceramente eu sou feliz com o corpo que tenho e posso tomar partido dele de variadíssimas formas tal como apontas-te e até acrescento uma: os bralletes mais giros assentam melhor em mamas pequenas ;)
    Fico mesmo feliz por finalmente estares em paz contigo mesmo apesar de teres demorado tempo a senti-lo, comigo foi rápido e estou mesmo muito grata por isso!

    ResponderEliminar
  3. Identifiquei-me tanto com isto, Carolina! Saí ao meu pai, no que diz respeito ao tamanho do peito e sempre olhei para baixo a desejar ter mais qualquer coisa para me preencher o soutien. Mas é verdade que há vantagens em ter um peito pequeno e enumeraste algumas delas. O importante é sentirmo-nos bem na nossa pele e encontrarmos encantos nas nossas diferenças :)

    ResponderEliminar
  4. Nem quando estava mais gordinha, tinha mais peito, nem me incomodava particularmente isso... os comentários maliciosos que ouvia era o que realmente chateava no facto de não ser copa C. Porque é óptimo correr sem ter as mamas a pesar e, realmente, dormir de barriga para baixo sem ficar com dores de costas é mesmo boooom.
    Mesmo bom ler este texto e perceber que encontraste o teu equilíbrio neste aspecto, que compreendeste que o importante é seres saudável e que há muita coisa que não podemos mudar, pois se trata de genética, tendo apenas de o abraçar da melhor forma possível!

    ResponderEliminar
  5. Comigo, aconteceu o contrário. Desde novinha que tenho o peito grande, mas também existiram comentários despropositados, como ser chamada de Pamela Anderson :p A minha tendência era para "esconder" o meu peito, com t-shirts largas, mas aprendi a gostar desta parte de mim e a sentir-me bem na minha pele!
    Comentários hão-de existir sempre, mas o que interessa é que estejamos bem connosco próprias e saudáveis!

    ResponderEliminar
  6. Identifiquei-me tanto com este post! Quando era mais nova, desejava ter o peito grande como algumas amigas minhas, sentia-me frustrada imensas vezes por as minhas serem pequenas e, em certas roupas, mal se notarem. Agora, aos 20 anos, adoro ter mamas pequenas, acho que, de certa forma, até é mais sexy, além de ter outras vantagen como tu referiste, como poder dormir confortavelmente de barriga para baixo, não ter medo de não usar soutien em certas ocasiões, entre outras coisas.
    O mais giro de termos mamas pequenas é que podemos somos sexys de forma diferente, porque as pessoas tendem a olhar para o nosso corpo, incluindo a cara, em vez de se focar só num sítio. Noto que as minhas amigas que têm peito grande têm dificuldades em ser levadas a sério, porque as pessoas olham muitas vezes, mesmo que inconscientemente, para as mamas delas, em vez de olharem-nas nos olhos e concentrarem-se no que elas estão a dizer.
    Mas o mais importante, acima de tudo, é sentirmo-nos bem com nós mesmas, independentemente do tamanho da copa :).
    Beijinhos,
    Cherry
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
  7. identifiquei-me mesmo com este post! às vezes ainda me sinto constrangida (não sei se é a palavra certa) por ter um peito mesmo pequeninho quando olho para as outras raparigas q parecem ter o corpo perfeito... enfim. depois lembro-me dos prós, que até são bastantes, e fico mais feliz com o que tenho!
    antes tinha imensos complexos com o meu corpo mas aos poucos estou a ultrapassar isso

    ResponderEliminar
  8. "Não sabes a sorte que tens por ter peitos pequenos", era o que me repetia vezes sem conta uma amiga há uns anos atrás. Na altura não acreditava. Não gostava de mim, do meu aspecto, do meu peso, do meu peito. Depois comecei a aceitar. Hoje recordo as palavras dela e admito que ela tem razão. Estou tão bem assim. Posso andar sem soutien à vontade, apesar de só o fazer em casa, nos momentos "I don't care". De resto acho desconfortável. Posso correr, saltar, dormir, etc, sem me preocupar com o meu peito. Não consigo andar com soutiens sem aro ou enchimento (mas sempre pouco), mas porque me é desconfortável. Antes só vestia camisolas sem decote, hoje adoro-os. E ao meu biquíni também.

    ResponderEliminar
  9. Creio muito que mais vale um peito proporcional... sou pequenina e magrinha e também não tenho muito peito, mas acho que é melhor assim...

    ResponderEliminar
  10. Tal como aqui já referiram, "não sabes a sorte que tens"! Eu tenho peito grande e é todo um trabalho dos diabos comprar um soutien que me assente bem, além de nem sequer poder colocar a hipótese de não usar soutien.

    http://cidadadomundodesconhecido.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  11. Eu sou bastante magra e tenho o peito pequeno e já vivi incomodada com isso. Quando andava no colégio e toda a gente andava igual e toda a gente lutava para ter qualquer coisa que nos diferenciasse, quando começou a aparecer o peito às meninas. Ai sim foi um bocado duro. Porque não me sentia bonita, feminina e tudo aquilo que queremos sentir. Agora já fiz as pazes comigo mesma! Tenho um peito perfeitinho mas pequenino. Agora não me sinto menos mulher por isso. Trás imensas vantagens como citaste!! E quando houve gravidezes e essas coisas o peito não vai pingar tanto nem vai pesar tanto... Acredito que temos sorte mas acho que na adolescência e a na fase da necessidade da aprovação não conseguimos ver isso.

    ResponderEliminar