Thirteen

INSTAGRAM | Outubro 2017

A maior vitória de Outubro foi a compra do meu apartamento e a verdade é que não podia deixar de começar esta publicação de reflexão sem uma referência a este passo. Outubro simbolizou, em 2017, o meu crescimento e o início da minha independência, com grandes responsabilidades a nível pessoal e profissional.

Em Outubro surpreendi pessoas que me são muito queridas, estive presente em momentos muito especiais e trabalhei muito para concretizar objetivos que me fazem continuar a trabalhar dia após dia (mesmo quando os resultados não são imediatos). Fui a Lisboa duas vezes na mesma semana, fotografei pouco - mas fui fotografada algumas vezes -, conheci o pequeno Artur (o cão fofinho da  sétima fotografia), apaixonei-me por móveis e eletrodomésticos e andei mais atenta às promoções do IKEA. Outubro trouxe-me o concerto dos The National, o aniversário da minha mãe, o Baby Shower da pequena Maria e o início da formação em Email Marketing (em breve começarei a comunicar convosco para testar aquilo que estou a aprender e partilharei alguns conteúdos exclusivos e/ou em primeira mão - fiquem atentos!).

Este mês voou e foi intenso e apaixonante e ainda que tenha sido angustiante em alguns momentos, premiou-me com momentos incríveis e momentos maravilhosos ao lado das pessoas que querem o melhor para mim e com quem tenho a honra de trabalhar. Todos os dias maus são mais fáceis quando assim é.

Falta uma semana para o meu aniversário!

BABY TALK | My First Confidant

Esta semana, a marca portuguesa que tem conquistado os corações de mães um pouco por todo o mundo - incluindo algumas bem famosas tais como Patricia Chang, Paola Alberdi ou Ione Omena Rangel - lançou uma edição limitada muito especial. "My First Confidant" inclui a roupa para menino (calções) ou para menina (vestido e tapa-fraldas) e ainda um boneco muito especial, com roupa a combinar e as iniciais do bebé gravadas no peito. Para celebrar a edição e torná-la ainda mais exclusiva, juntamente com o produto, a Tierno Portugal envia uma aguarela pintada por Catarina Zimbarra nos mesmos tons da coleção e que ficará perfeita no quarto do bebé.

Limitada a 20 corações, esta coleção tem detalhes verdadeiramente apaixonantes e delicados: o algodão orgânico, a personalização d'O Primeiro Confidente, o bordado a fio de ouro no rosto do boneco, a renda valenciana utilizada nos detalhes da versão para menina e, claro, o facto de cada boneco estar numerado, tornando-o ainda mais exclusivo e especial. A ideia é que O Primeiro Confidente possa ser passado de geração em geração e que, um dia, os filhos e netos destes vinte bebés possam receber, dos seus pais ou avós, um amigo que lhes fará companhia no berço e que levarão consigo quando deixarem a casa dos pais.


Fotografia: Victoria K. L.

"Vou contar-te um segredo: estarei sempre aqui para ti... Sempre!"

O APARTAMENTO | Chave na mão!

Após sete meses (que pareceram 7 anos!) posso finalmente dizer-vos: "O Apartamento" é meu! Já tenho as chaves comigo e já posso começar a pensar na parte gira (remodelações, pinturas, móveis...). Neste momento sinto-me aliviada - foi um processo muito desgastante e longo - mas não posso deixar de admitir que este foi um enorme passo para mim. Caramba, eu comprei um apartamento!


Esta blusa já mora cá em casa. Estou apaixonada pelo detalhe dos laços nas mangas!

O APARTAMENTO | Visita Pré-Escritura

O processo do crédito-habitação pode ser demorado (no meu caso demorou meses, chega a ser absurdo) e é importante que tenhamos a opção de visitar o  imóvel novamente antes da escritura. Há muita gente que descura este passo mas, a meu ver, este é um momento imprescindível uma vez que se trata de uma última oportunidade de verificarmos o estado do imóvel e se surgiu algum problema desde a última vez que ali entrámos.

É possível que, na primeira visita, o imóvel ainda estivesse habitado e/ou decorado consoante o gosto da pessoa que ali vivia anteriormente e, nesta segunda visita (normalmente na semana anterior à escritura), é possível ver o espaço sem móveis ou objetos de terceiros e ter uma perspetiva completamente diferente do espaço e das condições das paredes e do chão. Só assim temos a certeza que podemos construir, ali, a nova etapa da nossa vida.

O APARTAMENTO | Crédito-Habitação

Pedir um empréstimo e saber que vamos pagá-lo durante muito tempo é assustador, especialmente se somos jovens e vivemos na incerteza que o nosso país, infelizmente, ainda promove. E é antes de pedirmos o empréstimo ao banco que pensamos verdadeiramente na compra do imóvel, que nos questionamos sobre tudo aquilo que queremos para o nosso futuro e que colocamos todas as hipóteses e cartas em cima da mesa.

Quando finalmente decidimos que sim, que é isto que queremos, começa a aventura. O crédito-habitação pressupõe um processo chato e demorado que nem sempre acaba da melhor forma. Se vos disserem que há imensos apoios para os jovens que desejam ficar no país e adquirir um imóvel, não acreditem - são tretas. Se têm menos de 30 anos e se (ainda por cima) não estão efetivos na empresa onde trabalham (o que é bastante provável), vão precisar de fiadores, de declarações da empresa, de comprovativos de vencimento e de mil e um outros documentos. E quando acharem que está tudo, ainda vão precisar de apresentar mais qualquer coisa. Regra geral, o processo do crédito-habitação (bem sucedido) divide-se em três passos: 1) solicitação do empréstimo, 2) avaliação do imóvel e 3) disponibilização do dinheiro.

Solicitação do empréstimo. É aqui que tudo começa. Recomendo que peçam simulações em diferentes bancos - no vosso e em, pelo menos, mais um ou dois - para poderem fazer comparações de taxas e valores apresentados. Desta forma, ficarão logo a saber 1) qual o banco que apresenta a melhor proposta para o vosso caso em particular, 2) o valor aproximado da mensalidade com a qual terão de se comprometer durante os próximos anos (sendo que poderão também confirmar se a compra daquela habitação é viável) e 3) se aquele banco vos concede, ou não, o crédito. Esta fase do processo não implica custos.

Avaliação do imóvel. Caso sejam candidatos viáveis, podem fazer o pedido de avaliação do imóvel para que tenham noção do valor que o banco irá cobrir. Regra geral, os bancos emprestam 75% ou 80% do valor da avaliação do imóvel. Se uma moradia for avaliada em 100 000€, o banco (salvo algumas excepções) concede um empréstimo de 75 000€ ou 80 000€. Isto significa que, para o banco, o valor pedido pelo proprietário do imóvel é absolutamente irrelevante (e caso a avaliação seja mais baixa do que o necessário para que os 75% ou 80% correspondam, na verdade, ao valor total pedido pelo proprietário, o custo terá de ser coberto pelo comprador).

Após a avaliação do imóvel, cabe ao cliente/comprador aceitar formalmente as condições apresentadas pelo banco e fazer contas para perceber se é capaz de cobrir o valor da diferença entre o empréstimo e o preço do imóvel. Depois de mais duas dezenas de rubricas, assinaturas e autorizações, a escritura da casa pode ser marcada com a certeza de que o montante do crédito-habitação estará disponível na data combinada.


@carolinanelas

Feliz aniversário, Mamã!

CORPO | Nova luta!

Uma das coisas que me incomoda neste momento é o meu peso. Não o número que a balança marca - porque isso, para mim, é absolutamente irrelevante - mas sim o espelho que mostra uma Carolina diferente, a luta matinal, a surpresa de encontrar (mais) uma peça de roupa que não serve, a diminuição da confiança que tinha subido antes de entrar num período negro de ansiedade e medicação. Não estarei a mentir se disser que, em 2017, engordei dez quilos em menos de três meses - e é a primeira vez que o digo assim, abertamente.

Como consequência, (bem) mais de metade da minha roupa não me serve e a minha autoestima anda pelas ruas da amargura. Este ano não está a ser fácil e se inicialmente isso se refletiu na minha ansiedade, agora reflete-se também na minha insegurança, nas minhas ancas e nas minhas peças de vestuário favoritas. Debato-me agora com uma nova missão: trabalhar para voltar a gostar de mim e do meu corpo e definir novamente a maneira como me apresento diariamente. Não tenho sido a Carolina que se orgulha de si própria e isso tem-me deixado ainda mais ansiosa.

SOLIDARIEDADE | Uma árvore pela floresta!

Em Outubro e depois do susto da semana passada em todo o país, só fazia sentido falar-vos do "Uma Árvore pela Floresta", um projeto desenvolvido pela Quercus e pelos CTT que tem como objetivo a plantação de árvores de espécies autóctones em terrenos de todo o país. 

O programa de "apadrinhamento de árvores" foi lançado em Julho e está previsto até 31 de Dezembro. Para contribuir é muito simples: basta ir a uma loja CTT aderente e oferecer uma árvore por 3€ que revertem inteiramente para o financiamento do projeto. Não existe um limite de árvores apadrinhadas por cada pessoa por isso podemos contribuir com o valor que desejarmos (desde que seja múltiplo de 3€). Para ser ainda mais simples, a contribuição também pode ser feita através do seguinte email: lojaonline@ctt.pt.

No momento da compra, ficamos com uma árvore de cartão e um código que nos permitirá saber a espécie da árvore e o local onde foi plantada, assim como também nos permitirá acompanhar, no site oficial do projeto, a sua evolução. Entre as 28 espécies disponíveis, não estão os famosos eucaliptos - a ideia é (re)criar bosques autóctones que, para além de serem mais resistentes na propagação dos incêndios, contribuam para a diversidade e para a proteção da nossa paisagem que, este ano, sofreu alterações terríveis.

SWEET CAROLINE | 15 Coisas que Aprendi com 21 Anos

A vida ensina-nos a reinventar as nossas capacidades. Eu sabia que tinha uma boa capacidade de adaptação mas nunca pensei que fosse capaz de trabalhar em projetos tão diferentes uns dos outros e tão exigentes individualmente. A cada passo eu descubro algo sobre mim que me proporciona uma nova dose de confiança e que me retira um pedaço de insegurança e isso é absolutamente maravilhoso.

Eu julgo os livros pela capa. No sentido literal. E, até aos 21 anos, eu nunca me tinha apercebido disso. Numa biblioteca ou livraria, os meus olhos fogem sempre para as edições especiais, para os livros de capa dura, para as cores que melhor combinam entre si. Acredito que muitos livros me passem ao lado apenas porque a capa não me cativa minimamente mas, felizmente, as edições que me têm apaixonado pelo design têm sido, ao mesmo tempo, boas surpresas em termos de conteúdo.

O mundo da moda não é glamoroso. De todo. Estamos habituados a ver o resultado final das purpurinas, dos vestidos esvoaçantes, dos desenhos que nos fazem cair de amores apenas com um vislumbre e das fotografias maravilhosas mas a verdade é que, por detrás disso, há muitos valores trocados, muita ambição desmedida sem olhar a meios.

Os presentes que oferecemos ganham uma importância ainda maior quando são fruto do nosso trabalho. Com vinte e um anos eu finalmente pude comprar os presentes de Natal mais especiais para cada uma das minhas pessoas e a sensação foi absolutamente impagável. Fiz as compras graças ao meu salário (e não por ter poupado durante meses e meses) e essa ação representou algo muito importante para mim: a minha independência financeira.

Os contactos são tudo. Continuo a acreditar na meritocracia e no prémio que tem por base a capacidade do indivíduo porém, em simultâneo, compreendo a necessidade de não desperdiçar oportunidades, de manter boas relações com as pessoas que conhecemos e de sermos sempre educados e terra-a-terra. No mundo em que vivemos, os contactos são tudo e se trabalhamos e nos esforçamos, faz todo o sentido que o nosso nome seja dito quando chega a hora de contratar mais uma pessoa, de fazer mais um convite ou de começar uma nova história.

Quando o teu trabalho é feito 100% online, o conceito de fim-de-semana acaba por ser relativo. O mundo digital tem mais coisas positivas do que negativas (eu acredito mesmo nisto e sou apaixonada pelo online!) mas também veio complicar a separação entre trabalho e lazer e quando gerimos redes sociais - ou uma loja online - essa linha acaba por ser ainda mais ténue. Ainda não aprendi a ser mais desligada e regrada - tenho muito medo de falhar a nível profissional e quero estar sempre atenta a tudo - mas já percebi que não consigo descansar em pleno ao fim-de-semana e que, a longo prazo, isso não é sustentável.

A minha formação académica não me condiciona. O meu pai sempre me disse que não ia ser uma Licenciatura a definir o meu futuro mas agora que trabalho numa área completamente diferente (e completamente a minha cara!), percebo que ele tinha - e tem - razão. Sabem o que é que o meu trabalho atual tem a ver com a minha formação académica? Nada! Sou pior profissional por isso? Nem pensar!

Eu também tenho um limite. Finjo que sou forte, que aguento muitas horas por dia durante muitos dias, que sou capaz de sair tarde do trabalho e de trabalhar em casa mas a verdade é que já apanhei alguns sustos que me lembraram que toda a gente tem um limite - eu incluída.

A vida é uma incógnita. Há um ano eu não fazia ideia que iria estar aqui, nesta fase, com estas pessoas. O que é certo é que nunca sabemos o dia de amanhã e aprendi isso à força ao longo do último ano. Foi uma lição dura, que me tirou o tapete várias vezes e que aprendi da pior forma mas que guardo com força porque me obriga a aproveitar o momento presente mais do que alguma vez aproveitei.

O Pinterest só é realmente relevante na tua vida quando tens uma casa para decorar. A verdade é que esta rede social nunca foi verdadeiramente relevante para mim. Utilizava-a para colecionar imagens bonitas dentro de diferentes temáticas e algumas dicas relacionadas com redes sociais e marketing mas quando decidi comprar uma casa a sua importância cresceu. Dei por mim a gastar alguns minutos do meu dia a procurar imagens de casas bem decoradas e detalhes imprevisíveis que fazem todo o sentido.

Comprar um apartamento é absolutamente desgastante e desesperante. Sobretudo quando tens menos de 30 anos (ou 25) e/ou não estás no quadro da empresa. Eu escolhi o meu apartamento com relativa facilidade e, mesmo assim, o processo foi demorado, desgastante, chato e cansativo. Estamos sempre a ouvir que há imensos apoios para os jovens que querem, realmente, ficar no país mas, sem meias palavras, são tretas.

As pessoas que admitem que não sabem tudo são as que aprendem mais. Este é o primeiro passo para crescermos intelectualmente, profissionalmente, culturalmente. Eu não sei tudo - nunca vou saber - mas esforço-me todos os dias para saber um pouco mais, para crescer, para ser mais competente no meu trabalho, para aprender com aqueles que têm mais experiência e muito para me ensinar.

Não há dinheiro no mundo que justifique a decadência da nossa saúde e bem-estar. A saúde é o bem mais precioso que temos e, com vários sustos (dois deles fatais) este ano, esta afirmação ganhou uma nova força. A nossa saúde deve estar SEMPRE em primeiro lugar porque, sem ela, não somos capazes de alcançar os nossos objetivos ou de trabalhar pelos nossos sonhos.

As redes sociais não mostram nem 1/3. Quando escrevemos num blogue, quando temos um canal de youtube ou quando temos muitos seguidores no Instagram, as pessoas - mesmo que seja sem querer - assumem que a nossa vida está ali. E isso não é, de todo, verdade. Há muita coisa que não partilhamos, muita coisa que fica só para nós, muitas publicações que ficam por escrever. Nós sabemos disto mas quando olhamos para a história da Tuula e da sua filha Ru, cai-nos a ficha: não sabemos nada sobre as pessoas que acompanhamos. Só sabemos o que elas nos querem mostrar.

Adoro ser Community Manager! Descobri em 2017 que sou feliz a trabalhar em e-commerce e que as lojas online, o apoio ao cliente e a produção de conteúdo são a minha praia. Inicialmente estava com medo de não ser capaz, de não corresponder às expectativas, de não saber lidar com clientes menos simpáticos ou possíveis reclamações; hoje sei que estou a fazer o que me faz feliz e que me esforço para melhorar e para promover o crescimento dos projetos em que estou inserida. É fantástico!



[Esta publicação foi escrita ao longo do ano e as aprendizagens estão, sempre que possível, por ordem cronológica.]

Gostavam de acompanhar a decoração do novo apartamento?

CINEMA | Interstellar [2014]

Vi o "Interstellar" pela primeira vez este mês (obrigada SIC!) e, confesso, tive que me obrigar a pensar com afinco antes de escrever esta publicação porque a única palavra que me ocorre quando penso no filme é "wow!". Podemos dizer que não sou a maior fã de filmes passados no Espaço - sobretudo porque, na maioria das vezes, são demasiado irrealistas e fantasiosos - mas "Interstellar" fez-me ficar colada ao ecrã com pena de não o ter visto no cinema em 2014.

Um grupo de investigadores, cientistas, engenheiros e astronautas da NASA avalia três planetas que parecem promissores na missão de encontrar um novo local que garanta a sobrevivência da espécie humana. Fantasioso? Talvez. Porém, o filme está tão bem construído e com detalhes tão lógicos e objetivos que nos apresenta os princípios da física e nos faz refletir sobre mil e uma questões.

Adoro quando um filme me obriga a refletir sobre mim própria, sobre as minhas relações, sobre as ações que testemunho e sobre o mundo em que vivo e a verdade é que "Interstellar" me permitiu fazê-lo com o coração a palpitar e uma concentração excecional. A banda sonora torna a experiência ainda mais completa e imersiva. Adorei a imprevisibilidade, a surpresa, a ciência, a teoria da relatividade explicada de uma forma nunca antes vista (pelo menos por mim). Recomendo.

BABY TALK | O Primeiro Presente para a Maria

A pequena Maria já é a miúda mais amada do mundo e já transforma dias maus em dias fantásticos só por estar ali, na barriga da mãe. O João e a Natacha foram os meus primeiros amigos a casar (o primeiro casal que me fez chorar num casamento!) e, daqui a nada, serão pais (já são, na verdade). E isso é especial. Não só porque são amigos a sério - mesmo que não estejamos juntos tantas vezes assim - mas também porque têm um coração de ouro e um amor que se vê do outro lado do planeta. A pequena Maria vai crescer num ambiente maravilhoso e estamos todos ansiosos por conhecê-la.

No início da semana, comprometi-me a encontrar o presente ideal. Para além de bonito, eu queria que o presente fosse verdadeiramente útil e que diminuísse as preocupações dos pais nas primeiras semanas de vida da pequena Maria. E, com isto em mente, acabei por escolher a mala de maternidade ABCDerm da Bioderma e as fraldas Nunex. Fiz a encomenda, juntei uma mensagem muito especial e marquei a entrega no local de trabalho do João. Surpresa!

Eu podia ter escolhido um presente mais amoroso ou mais divertido - e, confesso, estive quase a ceder na Laranjinha e na Knot (todo um mundo de roupa maravilhosa para os mais novos) - mas a verdade é que um bebé exige muito mais do que roupas queridas e nem sempre os amigos mais próximos se lembram disso na altura de felicitar o casal. A pequena Maria vai gastar muitas fraldas e muitos cremes e eu acredito que, mais do que útil, este presente mostra à Natacha e ao João que estamos aqui desde o primeiro instante, para ajudar no que for preciso. 

O APARTAMENTO | Contrato de Promessa de Compra e Venda

Por muito que vos surpreenda, escolher "O Apartamento" foi a parte fácil. Apesar de ter visto dezenas - ou centenas! - de anúncios, visitei apenas um imóvel e imediatamente percebi que aquele T1 cumpria os meus critérios (sobretudo em termos de localização, estado e preço). Após ponderar e discutir essa possibilidade com os meus pais e namorado, decidi avançar para a compra através da agência imobiliária e assinei o "Contrato de Promessa de Compra e Venda" uns dias depois da visita.

Este é um contrato que protege tanto o comprador como o vendedor. Por um lado, obriga-nos a assumir um compromisso com o proprietário e, por outro, protege-nos de possíveis imprevistos. Este documento inclui todas as informações e condições relativamente ao apartamento e deve ser redigido - e (re)lido - com muita (muita!) atenção. Se a escritura depende de um crédito-habitação, por exemplo, o "Contrato de Promessa de Compra e Venda" deve incluir uma cláusula de desistência condicionada pela reprovação do empréstimo. Se o apartamento precisa de ser pintado e se o proprietário assume esse custo, essa decisão deve também ficar escrita. Todas as condições devem estar bem explícitas, sem espaço para dúvidas ou segundas interpretações.

O "Contrato de Promessa de Compra e Venda" tem validade - normalmente de 30 ou 60 dias - mas pode ser redigido novamente se o processo demorar mais do que o esperado ou se as condições se alterarem (anulando-se o anterior). Normalmente, a agência imobiliária já tem um contrato-padrão que inclui as principais cláusulas (que podem ser alteradas consoante a vontade dos outorgantes) e os intervenientes precisam apenas de garantir que as suas exigências estão claras.


Não tenho palavras para expressar a aflição de ver o fogo a aproximar-se. Foi uma noite verdadeiramente infernal.

SAÚDE | Sim, tomo antidepressivos.

A medicação ainda é um assunto delicado para quem luta contra a ansiedade e a depressão. Não é fácil admitir a necessidade de recorrer a químicos e terapias para controlar a própria sanidade mental - é um facto - e eu própria demorei algum tempo a convencer-me de que precisava, realmente, de dar o passo e marcar uma consulta num especialista em psiquiatria para, finalmente, ter a ajudar extra de que precisava (e preciso).

Foi em Agosto do ano passado - mais coisa menos coisa - que marquei a primeira consulta de Psiquiatria. Foram-me receitados ansiolíticos (fraquinhos) para ver se a minha ansiedade se controlava dessa forma. Não resultou. Senti melhorias significativas no primeiro mês mas, depois disso e em momentos de maior pressão, era como se não estivesse a tomar nada. Os primeiros antidepressivos foram-me receitados há cerca de um ano.

E o problema dos medicamentos é que, ao contrário do desinfetante de feridas - que desinfeta sempre - não resultam da mesma forma em toda a gente. O nosso organismo é único e fascinante pela sua individualidade mas também tem este problema - não existe uma fórmula perfeita de medicação que resulte com todos. Inicialmente resulta, depois deixa de fazer efeito, depois resulta mas provoca efeitos secundários, depois não resulta de todo. E andamos nisto - e nas mudanças de humor - até encontrarmos, finalmente, o antídoto perfeito para os nossos picos de ansiedade. Não é fácil - e é preciso falar disto sem medo de sermos julgados como doidos.

Desde Junho deste ano que encontrámos a medicação que resulta comigo e desde Junho que a tomo, impreterivelmente, todas as manhãs: um antidepressivo e meio ansiolítico (com a certeza de que poderei recorrer à outra metade se me sentir mais ansiosa no resto do dia - coisa que já fiz várias vezes). Isso faz de mim uma pessoa louca? Não. Faz de mim uma pessoa deprimida? Não. Pelo contrário: está a fazer de mim uma pessoa mais forte, que não desiste de si nem da sua saúde. Hoje, tenho a certeza que uma das melhores decisões que tomei em 2016 foi marcar a consulta de Psiquiatria. Eu precisava disso - hoje sei que sim.

Para mim, a medicação não representa uma desistência - de todo. Por vezes, a ajuda que precisamos (para além do desporto, do controlo da alimentação, da acupuntura, dos momentos a sós connosco mesmos) pode estar num componente químico. Tenho a sorte de viver numa parte do mundo que nos permite ter acesso à evolução da medicina - eu só seria louca se não me valesse dessa minha oportunidade para melhorar e me sentir bem e plena (e preciso de me lembrar disto mais vezes).


Queres aprender a comunicar melhor nas redes sociais? Participa no Passatempo AQUI.

BABY TALK | Colheres Kizingo

Quando eu era pequenina e estava na fase de aprender a comer sozinha, usava uma colher adaptada aos meus movimentos. Era muito semelhante aos talheres dos adultos, com a particularidade de possuir um ângulo mais fechado entre o cabo e a parte côncava. Essa colher ainda sobrevive - e tenho um amigo particularmente fã dela (não é, Acácio?) - mas reparei recentemente que não é tão fácil assim encontrar talheres de transição para os pequeninos que estão a tentar ser mais autónomos. Existem as colheres com ponta de silicone mas, na maior parte das vezes, os bebés passam para os talheres comuns logo que começam a (tentar) comer sozinhos.

As crianças pequeninas agarram os objetos de uma forma diferente e são mais autónomas nas suas tarefas quando esses objetos seguem os seus movimentos intuitivos. Para a hora da refeição, a partir dos nove meses, existe uma colher absolutamente genial - e muito gira! - que facilita a aprendizagem: a colher Kizingo

A marca criada por mães apareceu no Shark Tank e ganhou notoriedade graças ao programa americano mas a verdade é que a colher kizingo - disponível em imeeeeensas cores - acaba por ser uma ajuda preciosa para os pequeninos: evita frustrações - dos bebés e dos pais! - e, estando disponível para destros e para esquerdinos, faz com que as crianças (a partir dos nove meses, tendo em conta as suas proporções) aprendam mais rápido a utilizar os talheres. "Parenting is hard. Mealtime shouldn't be."

FORMAÇÃO | Email Marketing & Automation

No próximo dia 23 de Outubro vou começar mais uma formação. O tema do "email marketing" é um tema que me fascina mas que, infelizmente, ainda não tive oportunidade de explorar com detalhe. Acompanho a criação de um email ou newsletter do início ao fim - e eu própria faço parte do processo muiiiiitas vezes - mas a verdade é que não sei fazê-lo autonomamente do início ao fim (preciso sempre da ajuda de um designer ou de um programador) e quero muito modificar isso. 

Tenho expectativas altas para esta Formação de Email Marketing & Automation e estou particularmente curiosa com a parte da construção da base de dados (e de todas as questões legais envolvidas) e com o lado prático da formação.

Se quiserem vir comigo - e, ainda por cima, ver tudo em primeira mão com um desconto de 20% no curso - indiquem o código #Factory Braga13 quando preencherem o formulário AQUI! Quem alinha?


Participem também no passatempo que irá transformar um de vocês num Master das Redes Sociais!

Publicação escrita em parceria com o Factory Braga.

CORPO | Bomba de Banho: Frozen

Começar o dia com um banho azul é o melhor conselho que vos posso dar quando se sentirem ansiosos ou mais em baixo. Fi-lo no último feriado e, no meio de dias tão atarefados, stressantes e com tantas novidades pelo meio, foi como se tivesse saído da banheira completamente renovada.

Adoro o conceito da Lush e tenho vários produtos à espera do verdadeiro tempo de antena aqui no Thirteen mas confesso que as bombas de banho da Lush são um dos meus produtos favoritos (por todas as razões e mais algumas). Falei-vos da "Sex Bomb", cor-de-rosa e com um aroma mais floral e hoje partilho convosco a "Frozen" (let it goooo!), que tem um cheirinho mais suave e que transforma a água da banheira num verdadeiro mar privativo. Os ingredientes-chave? Ácido cítrico, perfume, óleo de toranja, óleo de rosa, creme de tártaro e purpurinas (entre outros).

O resultado no meu corpo (e mente!) foi semelhante ao da experiência anterior: no final do banho a minha pele estava nitidamente recuperada e mais hidratada, eu senti-me mais preparada para enfrentar as tarefas que o dia me reservava e os meus músculos estavam mais relaxados. Sou apologista de guardar um bocadinho dos dias de folga para cuidar de mim e, apesar de não o fazer com frequência, um banho de imersão é sempre uma opção revigorante.



Depois de meses sem me sentar ao volante, ontem voltei a conduzir.

O APARTAMENTO | Estou preparada!

À medida que as semanas e os meses vão passando, percebemos que os nossos objetivos, vontades e opiniões mudam com o tempo e compreendemos como as nossas experiências influenciam o nosso futuro. A vida dá muitas voltas e as nossas escolhas e decisões adaptam-se à montanha russa dos momentos de uma forma absolutamente extraordinária. Crescemos e colocamos novas cartas em cima da mesa. Abrimos horizontes e tomamos decisões que não imaginávamos tomar há um ano.

Se há um ano me dissessem que a Carolina de 2017 ia querer comprar um apartamento, eu pensaria que vocês tinham perdido toda a vossa sanidade mental; comprar um imóvel não estava, de todo (!), nos planos da Carolina de 2016. Na cabeça da Carolina de 2017, isso faz todo o sentido e espero que aconteça em breve.

O processo está a ser demorado (muito mais do que aquilo que eu desejaria) mas precisava de dar este passo, de ter um espaço só meu e de levar a minha independência para um novo patamar. Voltar a viver sozinha deixa-me nas nuvens e partilhar esta novidade convosco torna-a ainda mais real. Agora... continua a luta nas burocracias!

PASSATEMPO | Queres ser um Master das Redes Sociais?

Toda a gente é capaz de gerir uma rede social. Mas será que toda a gente sabe exatamente o que publicar em cada uma delas, quais as tendências do momento ou como analisar e avaliar os dados de cada plataforma? Os algoritmos são modificados com frequência e por isso é importante estarmos a par das novidades. Um vídeo tem mais impacto do que uma imagem? Uma comunicação (in)formal é adequada? Como posso aumentar o meu número de seguidores? Que programas e websites me permitem gerir todas as minhas redes sociais em simultâneo? Que programas e websites me permitem criar conteúdo profissional se não tenho conhecimento em design? Que tipo de conteúdos são mais valorizados pelos algoritmos de cada rede social? Criar conteúdo é importante mas fazê-lo de forma estratégica é tão ou mais importante.

Assim - e porque no mundo dos blogues é necessário estar sempre um passo à frente (ou, pelo menos, estar a par daquilo que melhor resulta!) - tenho para vos oferecer, em parceria com o Factory Braga, a inscrição num curso que eu própria frequentei: o curso de Redes Sociais (vejam aqui a minha opinião).

Para participarem, basta seguirem a minha conta no Instagram (@carolinanelas), assim como a do Factory (@factorybraga) e serem criativos! Publiquem uma fotografia que represente o tema "Redes Sociais" e identifiquem-nos (a mim e ao Factory) na imagem, para que possamos contabilizar a vossa participação. Podem explorar a temática da forma que desejarem mas o vosso perfil deve ser público. O curso arranca dia 19 de Outubro e o passatempo decorre até às 23h59 do dia 15, sendo que o vencedor será escolhido e anunciado dia 17. Mostrem-nos a vossa rede social favorita, explorem o impacto das redes sociais no vosso quotidiano, digam-nos como é que as redes sociais mudaram o mundo e ganhem um curso que certamente vos ajudará a crescer no mundo digital!


Passatempo promovido em parceria com o Factory Braga.

ROSTO | #25DiasEssentials

Fui desafiada pela Artistry (do grupo Amway) a utilizar, durante 25 dias, a sua nova gama de produtos essenciais. Constituída por quatro produtos básicos - toalhitas desmaquilhantes, gel de limpeza, loção leve hidratante e creme hidratante - a linha Essentials é indicada para todos os tipos de pele e satisfaz as necessidades diárias de hidratação do rosto. Os quatro produtos apresentam-se num formato muito prático (tanto para ter em casa como para levar em viagem) e são enriquecidos com extratos de vegetais naturais que, para além de não serem agressivos para a pele, permitem resultados em apenas alguns dias de utilização.

Sou péssima com rotinas de limpeza e cuidados de pele (especialmente antes de dormir!) mas este desafio veio mostrar-me que é possível ter uma rotina rápida que faz realmente a diferença na minha pele. Não conhecia a marca e estes produtos foram, sem dúvida, uma agradável e versátil surpresa (até porque os quatro produtos podem ser combinados entre si consoante as necessidades de cada pessoa e época do ano).

Dividi os produtos em dois momentos: rotina matinal e rotina noturna. De manhã, após o banho, utilizei (e continuo a utilizar) o creme hidratante e, ainda que o aroma me tenha feito confusão durante a aplicação nos primeiros dias (estava habituada ao creme de bebé da Mustela), a verdade é que fiquei descansada assim que percebi que o cheiro não perdurava nem se misturava com o meu perfume. Este é um creme hidratante de longa duração sem ser, em simultâneo, um creme que deixa o rosto pegajoso ou com um aroma agressivo por isso é perfeito para proteger o nosso rosto das impurezas a que estamos expostos diariamente.

À noite, a rotina é mais exigente mas, para minha surpresa, não me rouba mais do que três minutos de (possível) sono. Depois de vestir o pijama, prender o cabelo e lavar os dentes, as toalhitas desmaquilhantes entram em ação e promovem uma sensação de frescura graças à sua fórmula suave e delicada que contém vitamina E, camomila e extrato de chá verde (conhecido pelas suas propriedades antibacterianas). A embalagem prática, com tampa de plástico, faz com que as toalhitas fiquem mais protegidas e não sequem.

A seguir, o gel de limpeza (cuja sua fórmula é enriquecida com, entre outros, extrato de pepino e extrato de aloé vera) limpa de maneira eficaz e retira o excesso de oleosidade da pele, deixando-nos com uma sensação de limpeza intensiva e profunda. Senti diferenças logo na primeira utilização: a minha pele ficou logo muito mais suave e com menos brilho!

O último passo chega com a loção leve hidratante. Por ser de uso fácil e de rápida absorção opto por usá-la à noite (detesto sentir-me colada à almofada quando me deito e o creme hidratante é sempre mais espesso) e, uma vez que a sua fórmula contém antioxidantes, Vitamina E e extratos de camomila, assim como Zinco PCA (conhecido pelas suas propriedades antibacterianas), é perfeita para preservar o equilíbrio natural da pele.

Não sou o maior exemplo no que diz respeito aos cuidados de pele (já o disse várias vezes e faz sentido repetir) mas os #25DiasEssentials foram a prova de que não preciso de gastar muito tempo para conseguir resultados bonitos e saudáveis. E é tão bom quando guardo um bocadinho do meu dia para cuidar de mim..!


Instagram: @carolinanelas

*Publicação escrita em parceria com a Ipsis.

LOOKBOOK | Striped

"Os bons e os maus resultados dos nossos ditos e obras vão-se distribuindo, supõe-se que de uma maneira bastante uniforme e equilibrada, por todos os dias do futuro, incluindo aqueles, infindáveis, em que já cá não estaremos para poder comprová-lo, para congratularmo-nos ou para pedir perdão, aliás, há quem diga que é isto a imortalidade de que tanto se fala." - José Saramago.