Thirteen

CORPO | Nova luta!

Uma das coisas que me incomoda neste momento é o meu peso. Não o número que a balança marca - porque isso, para mim, é absolutamente irrelevante - mas sim o espelho que mostra uma Carolina diferente, a luta matinal, a surpresa de encontrar (mais) uma peça de roupa que não serve, a diminuição da confiança que tinha subido antes de entrar num período negro de ansiedade e medicação. Não estarei a mentir se disser que, em 2017, engordei dez quilos em menos de três meses - e é a primeira vez que o digo assim, abertamente.

Como consequência, (bem) mais de metade da minha roupa não me serve e a minha autoestima anda pelas ruas da amargura. Este ano não está a ser fácil e se inicialmente isso se refletiu na minha ansiedade, agora reflete-se também na minha insegurança, nas minhas ancas e nas minhas peças de vestuário favoritas. Debato-me agora com uma nova missão: trabalhar para voltar a gostar de mim e do meu corpo e definir novamente a maneira como me apresento diariamente. Não tenho sido a Carolina que se orgulha de si própria e isso tem-me deixado ainda mais ansiosa.

12 comentários:

  1. Vamos sempre a tempo de mudar algo.
    Pode ser que a medicação não ajude. Mas mudar algumas rotinas pode ser tão bom para a perda de peso como para a mente. :)

    Experimenta.

    ❥ Biju da Ju,
    juvibes.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  2. Querida, és tão linda, os quilos a mais vão desaparecer, não fiques ansiosa, bjs

    ResponderEliminar
  3. Acho que devia ser dito mais abertamente e frequentemente que alterações corporais ocorrem ao longo da nossa vida toda. Ouve-se muito isso durante a puberdade - e é essencial que assim seja - mas, ao longo da nossa vida, o nosso corpo também se vai transformando e a nossa fisionomia habitual sofre alterações (algumas que nos agradam mais do que outras). As medicações, a nossa rotina alimentar/física durante um determinado período de tempo, o stress ou as mudanças, gravidezes, o próprio envelhecimento, tudo isto se reflecte no nosso corpo e acredito muito que se falássemos mais abertamente sobre isso, conseguiríamos ajudar mais pessoas com falta de auto-estima, enquanto lutam por um corpo mais saudável. Muitas pessoas sentem-se erradas ou menos bonitas por essas mudanças e não o são.
    Sei que é difícil encararmos o espelho e fazermos exercícios de confiança e amor próprio quando tudo em nós parece errado (acredita que sei de coração o que acabei de escrever) e fica difícil abraçarmos a nossa identidade quando achamos que o que está por fora não nos representa, mas não desistas nem duvides de ti. Sei que não o farás e que és absolutamente consciente do teu corpo e do que é melhor para ti, mas também sei que não é fácil e não somos sempre invencíveis 24h por dia. Então, não desistas de ti nem consideres que deixas de ser menos Carolina só porque o teu corpo reagiu a uma mudança. Tu conheces-lo como mais ninguém e sei que irão voltar a estar em harmonia. Entra nessa luta sem duvidas de que és uma miúda absolutamente COMPLETA, interessante e bonita (por dentro e por fora). E digo-o sem qualquer necessidade de fazer simpatia de circunstância :)
    Espero que consigas fazer as pazes com o teu corpo. Fiz, há muito pouco tempo, as pazes com o meu e a sensação é de alívio e vitória. Não tenho a menor dúvida de que te sentirás assim também. Há tantas coisas encantadoras em ti. Força, miúda! <3

    ResponderEliminar
  4. Carol, preocupa-me que a cura esteja a criar um novo problema, porém, sei como também te tem feito bem ao problema inicial.
    De qualquer forma, não sou especialista nisto, mas sou preocupada contigo. Como a Ju disse, mudar rotinas e estares disposta a mudar pode ter boas influências neste novo objectivo.
    Afinal, tu podes tudo e já te tens provado isso muitas vezes <3

    ResponderEliminar
  5. Que post corajoso. Parabéns Carolina, por falares abertamente de um assunto que te é com certeza muito sensível. Desejo-te força, paciência e persistência; do pouco que conheço de ti aqui pelo Thirteen, acho que tens tudo o que é preciso para voltares a ter uma boa relação com o teu corpo! :)

    ResponderEliminar
  6. Sabendo a pessoa extremamente inteligente, sábia e madura que és, sei perfeitamente que não preciso de te dizer que aquilo que aparentamos no espelho não reflete aquilo que realmente somos. Mas faz parte, obviamente. E não nos sentirmos bem, afeta o nosso dia-a-dia, os nossos pensamentos e as nossas emoções.
    Tive um período este ano em que também passei pelo que estás a passar agora - não engordei muito mais, mas engordei alguns kgs, devido à fase que estava a passar na altura. Ao contrário do que seria de esperar, porque trabalhava e estudava ao mesmo tempo, andava de um lado para o outro, o stress não me fez emagrecer e eu nunca conseguirei perceber mas sei que foi a reação do meu corpo, na altura. E mexeu comigo durante algum tempo.
    Agora que voltei a fazer as pazes com o meu corpo e que, finalmente, consigo respirar de alívio quando olho para ele, sabendo que não é perfeito mas sabendo, igualmente, que os corpos perfeitos não existem, tenho noção de que talvez na altura eu tenha sido mais afetada pelas minhas emoções do que efetivamente pelo meu corpo em si. Ou seja, o que quero dizer é: muitas vezes o problema não está no corpo, mas na mente. Eu andava mais stressada, insegura e ansiosa e isso refletiu-se na minha relação com o meu corpo. Se calhar nem era um problema assim tão grande ou nem era uma diferença tão grave, assim e toda a gente com quem falei sobre isso me disse, efetivamente, isso.
    Entretanto, consegui "reaver" a sintonia e empatia comigo mesma. E sei que tu também conseguirás! Acima de tudo, o melhor conselho que te posso dar, se o quiseres ouvir é: não deixes que esta questão se transforme num monstro na tua mente, porque não o é. Tu tens o poder de o controlar e de o manter pequeno, como é. Porque tudo tem uma solução e nada é permanente. E assim será a tua relação com o teu corpo, neste momento!
    Tenho a certeza que vais conseguir voltar a gostar do teu corpo, quando olhares ao espelho e sentires-te em sintonia contigo mesma, em todos os aspetos. Se estabeleceres objetivos ou formas de o atingir, sei que conseguirás lutar por eles e alcançá-los. Acima de tudo, olha sempre para ti e acredita que tudo o que vês, interior e exterior, tem muito valor. Lembra-te sempre que és uma rapariga espetacular e lindíssima! :)

    ResponderEliminar
  7. Determinada como és, vais conseguir alcançar o que pretendes! Basta força de vontade, motivação e trabalho! Estarei aqui a torcer por ti! <3

    ResponderEliminar
  8. Compreendo muito bem a tua luta, Carolina. Por mais que saibamos que o mais importante seja mantermo-nos saudáveis, é difícil quando assistimos a mudanças que não nos agradam. O nosso corpo é a nossa primeira imagem, aquela que marca uma primeira impressão, mas sei que estás mais do que consciente de que o que permanece são as acções e aquilo que somos por dentro. E nesse campo tens sido capaz de mostrar que tens as munições necessárias para dar conta desta fase menos positiva para ti. As mudanças exteriores são, muitas vezes, reflexo do que se passa por dentro e é importante que estejas a trabalhar para te manter mentalmente sã. Depois tudo o resto será restabelecido em harmonia. Um grande beijinho e uma dose de força enorme, Carolina! :)

    ResponderEliminar
  9. Eu subscrevo inteiramente os comentários da Inês e da Mariana. Há alturas da nossa vida que o nosso corpo muda e por vezes olhamo-nos ao espelho e não gostamos daquilo que vimos - acredita que passei por isso a minha vida toda e achava que não havia solução por ter consultado os especialistas errados. Mas o que importa realmente é que sejamos capazes de ver o quão bonitas somos (por dentro e por fora) e que sentirmo-nos bem connosco não é só a parte física, mas principalmente a psicológica.
    Eu tenho muitas inseguranças com o meu corpo e tenho trabalhado imenso para as combater. O caminho não é fácil, mas como uma mulher madura e sensata que sei que és, acredito que irás conseguir :) Beijinhos

    ResponderEliminar
  10. Percebo perfeitamente como te sentes. Devido a um problema hormonal quando era mais nova passei quase para o triplo em cerca de 1 ano. Deixei de usar calções e roupa que gostava porque odiava as minhas coxas e passei mesmo alguns anos sem ir à praia. A coisa mais difícil foi aprender a olhar-me ao espelho e não me sentir nauseada com o meu aspeto.
    Hoje ainda não tenho o espelho como meu melhor amigo mas estou a tentar ao máximo gostar de mim por mim e não pelo meu aspeto exterior. Eu sei que é mais fácil falar do que realmente fazer, mas já que vamos viver neste corpo para sempre e a vida é tão curta não devemos deixar que isto nos impeça de viver a melhor vida que conseguirmos.
    Os nossos corpos estão sempre a alterar-se, ganhamos e perdemos peso, faz parte. Não deixes que esta questão tome conta da tua vida, a Carolina que as pessoas gostam é muito mais do que a imagem que o espelho mostra.
    Um grande beijinho e continua a ser a Carolina linda por dentro e por fora que és!

    ResponderEliminar
  11. Concordo e subscrevo com o que já foi sendo dito por aqui. Sei o quanto difícil olharmos para o espelho e este não refletir a imagem que nós desejaríamos ter, mas o nosso corpo vai mudando ao longo da vida, e estas oscilações fazem parte. Não deixes que estas oscilações de peso te façam optar por caminhos menos saudáveis. Mas com a força de vontade que tu tens, tenho a certeza que vais conseguir atingir os teus objetivos e voltares a sentir-te bem na tua própria pele :).

    És uma mulher linda, por dentro e por fora, não deixes que as vozes da tua cabeça te digam o contrário.
    Beijinhos,
    Cherry
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
  12. Oh Carol. Não vou repetir aqui tudo o que já te disseram, porque sei que sabes perfeitamente que continuavas a ser uma mulheraça - in and out - até com mais 50 kg em cima. Mas percebo-te bem...tenho sentido mais ou menos o mesmo (talvez de uma forma menos "brusca" porque o meu aumento de peso foi mais gradual). E é mau. Não pelo que a balança possa dizer, mas pelo que vemos, e isso de a roupa deixar de servir é sempre uma facada no ego, porque afinal de contas é reflexo do nosso corpo a mudar e nós a ter de mudar com ele, e isso nem sempre acontece ao mesmo ritmo. Mas se há coisa que tenho a certeza, é que vais conseguir encontrar um ponto de equilíbrio entre os teus objectivos e a realidade presente. O que importa é que te ames sempre pelo caminho - e se não estiver fácil, por favor não te demores no que não te estiver a fazer feliz! Um grande beijo!

    ResponderEliminar