Thirteen

O APARTAMENTO | Crédito-Habitação

Pedir um empréstimo e saber que vamos pagá-lo durante muito tempo é assustador, especialmente se somos jovens e vivemos na incerteza que o nosso país, infelizmente, ainda promove. E é antes de pedirmos o empréstimo ao banco que pensamos verdadeiramente na compra do imóvel, que nos questionamos sobre tudo aquilo que queremos para o nosso futuro e que colocamos todas as hipóteses e cartas em cima da mesa.

Quando finalmente decidimos que sim, que é isto que queremos, começa a aventura. O crédito-habitação pressupõe um processo chato e demorado que nem sempre acaba da melhor forma. Se vos disserem que há imensos apoios para os jovens que desejam ficar no país e adquirir um imóvel, não acreditem - são tretas. Se têm menos de 30 anos e se (ainda por cima) não estão efetivos na empresa onde trabalham (o que é bastante provável), vão precisar de fiadores, de declarações da empresa, de comprovativos de vencimento e de mil e um outros documentos. E quando acharem que está tudo, ainda vão precisar de apresentar mais qualquer coisa. Regra geral, o processo do crédito-habitação (bem sucedido) divide-se em três passos: 1) solicitação do empréstimo, 2) avaliação do imóvel e 3) disponibilização do dinheiro.

Solicitação do empréstimo. É aqui que tudo começa. Recomendo que peçam simulações em diferentes bancos - no vosso e em, pelo menos, mais um ou dois - para poderem fazer comparações de taxas e valores apresentados. Desta forma, ficarão logo a saber 1) qual o banco que apresenta a melhor proposta para o vosso caso em particular, 2) o valor aproximado da mensalidade com a qual terão de se comprometer durante os próximos anos (sendo que poderão também confirmar se a compra daquela habitação é viável) e 3) se aquele banco vos concede, ou não, o crédito. Esta fase do processo não implica custos.

Avaliação do imóvel. Caso sejam candidatos viáveis, podem fazer o pedido de avaliação do imóvel para que tenham noção do valor que o banco irá cobrir. Regra geral, os bancos emprestam 75% ou 80% do valor da avaliação do imóvel. Se uma moradia for avaliada em 100 000€, o banco (salvo algumas excepções) concede um empréstimo de 75 000€ ou 80 000€. Isto significa que, para o banco, o valor pedido pelo proprietário do imóvel é absolutamente irrelevante (e caso a avaliação seja mais baixa do que o necessário para que os 75% ou 80% correspondam, na verdade, ao valor total pedido pelo proprietário, o custo terá de ser coberto pelo comprador).

Após a avaliação do imóvel, cabe ao cliente/comprador aceitar formalmente as condições apresentadas pelo banco e fazer contas para perceber se é capaz de cobrir o valor da diferença entre o empréstimo e o preço do imóvel. Depois de mais duas dezenas de rubricas, assinaturas e autorizações, a escritura da casa pode ser marcada com a certeza de que o montante do crédito-habitação estará disponível na data combinada.

8 comentários:

  1. Mais um post muito útil :). Obrigada por estares a fazer este tipo de posts :). Não há nenhuma publicação aqui na net que explica as coisas de forma tão clara e direta como tu.
    Bem, isso do crédito-habitação é uma trabalheira. Tem que se ponderar muito bem antes de pedir um empréstimo desses.
    Beijinhos,
    Cherry
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
  2. Confesso: para já fui para o arrendamento precisamente por não querer arriscar ter que passar por todo este processo para depois perceber que não era bem aquela a casa que queria. Tinha a ideia das tretas que referes e, lá está, parece que se confirma - infelizmente! A ver se daqui a uns anos me meto nestas andanças...e nessa altura vou pedir-te conselhos! :)

    ResponderEliminar
  3. Aprendo tanto contigo!!! Ainda hoje estava a perguntar-me como seria tal processo e eis que venho aqui e me deparo com tal explicação, tão detalhada e directa que não restam espaços para dúvidas. Sei que ainda vou demorar uns longos anos a tomar uma decisão destas, porém, vou estar mais informada, sem dúvida.

    ResponderEliminar
  4. Não sei se algum dia irei comprar casa mas é sempre bom saber como funciona tudo :)

    ResponderEliminar
  5. Gostava de te colocar uma questão que me surge quando ouço casos semelhantes aos teus mas claro que respondes se quiseres. Se recorreste a crédito à habitação, vais ficar a pagar a casa durante muito tempo. Sendo tu uma jovem que, provavelmente, pretendes constituir família, essa casa é já a pensar nessa situação? Ou sabes à partida que vais deixar a casa antes de a pagar?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sei que não vou ficar neste apartamento toda a vida :) Nos próximos anos a constituição de família não está nos meus planos e, para mim, não fazia sentido comprar um apartamento maior pois seria uma despesa desnecessária nesta altura e nos próximos anos :)

      Eliminar
    2. Basicamente não respondeste à questão mas na boa :)

      Eliminar
    3. Vou deixar de morar neste apartamento quando chegar a altura de constituir família - mas não será nos próximos anos (não está nos planos, pelo menos). Talvez não tenha sido tão explícita :)

      Eliminar