Thirteen

TURISMO | 13 Razões para visitar Braga

Nasci, cresci, estudei, trabalho e vivo em Braga. Esta é a minha cidade do coração e sei que falo dela sempre com paixão no olhar. Sou fã de viagens - e considero-me uma sortuda por poder fazê-lo todos os anos, para mais ou menos longe - mas não há nada como a minha casa e Braga é, sem dúvida alguma, a cidade para onde regresso sempre e onde me sinto plena e tranquila. Precisam de razões para conhecer a antiga Bracara Augusta? Aqui têm 13.

O Centro Histórico | O centro de Braga é tranquilo e animado em simultâneo e acho que esta é uma característica dominante nesta cidade que me acolhe há tantos anos. Por aqui temos as lojas que vendem as melhores marcas e que estão sempre a par das últimas tendências e, em simultâneo, temos as igrejas onde muita gente encontra paz interior; temos os bares e cafés mais alternativos e, por outro lado, temos a arquitetura tradicional que continua a ser valorizada e os jardins cuidados. Não fazia sentido não fazer referência a uma parte tão importante de Braga, que junta miúdos e graúdos num ambiente seguro e feliz, especialmente quando a meteorologia convida a passeios.

Hotel do Parque | Para mim, o melhor hotel da cidade. O Hotel do Parque foi remodelado nos últimos anos e é agora um boutique hotel moderno e cheio de luz que, para além daquilo que lhe associamos imediatamente, reúne também serviços de SPA, uma loja de venda de produtos locais, um bar e uma esplanada. E é ainda mais especial devido à sua localização. O Hotel do Parque está perfeitamente inserido nos jardins românticos do Bom Jesus e é o local perfeito para uma estadia calma e tranquila. Quem, assim como eu, gostar de espaços com muita luz, ficará encantado logo na entrada.

Casa de Pasto das Carvalheiras | A Casa de Pasto das Carvalheiras fica na freguesia da Sé e é o restaurante perfeito para amigos que gostam de ficar na conversa e de pedir vários pratos a fim de transformar uma simples refeição numa verdadeira experiência gastronómica. N'A Casa de Pasto das Carvalheiras promove-se a partilha dos pratos e a diversidade - que se pode observar não só nos ingredientes escolhidos mas também em toda a decoração, que me fascina em cada detalhe. Tudo é diferente mas tudo combina e resulta. Este é, sem dúvida, um restaurante com personalidade e muita cor. E a ementa, que varia consoante os meses do ano, fica à altura do ambiente.

Atelier Fusion | Sou fã do comércio tradicional, das lojas de rua e do atendimento personalizado e, junto ao Café A Brasileira - na Rua de São Marcos - encontram uma das minhas lojas favoritas: a Fusion. Num ambiente pequenino e intimista, esta loja vende peças bastante diversificadas e versáteis que com certeza se enquadrarão no estilo de muitas das minhas leitoras.

Michizaki | Se me dissessem que eu iria colocar um restaurante japonês na minha lista de favoritos, provavelmente eu ria-me. Mas aqui está ele! O Michizaki é um izakaya, um tipo de bar japonês que privilegia as refeições partilhadas e os petiscos no final de um dia de trabalho. A carta do restaurante varia de estação para estação e o restaurante oferece muito mais do que sushi. É muito pequenino e está sempre cheio (percebem porquê, certo?) mas vale muito a pena. Para além dos pratos maravilhosos, o Chef Guilherme é extremamente atencioso e os funcionários são todos muito simpáticos e cuidadosos, fazendo com que a experiência seja ainda mais positiva. Deixo-vos apenas um conselho: façam reserva, sobretudo para jantar.

Bom Jesus | Um local maravilhoso que ganha um encanto ainda mais especial durante o Outono. Este é um ponto turístico de renome mas é também um espaço feliz na memória dos bracarenses por todas os momentos magníficos que promove. Conhecem a expressão “ver Braga por um canudo”? O “canudo” – que é, na verdade, um monóculo – está no Bom Jesus do Monte e proporciona-nos uma vista ainda mais detalhada sobre Braga. Porém, essa não é a única relíquia do espaço; existem grutas para descobrir, pontes, um lago onde podemos andar de barco e, claro, um elevador movido a água que utiliza um sistema de contrapeso (o primeiro da Península Ibérica e, atualmente, o mais antigo do mundo). Para os mais aventureiros, a subida pelos escadórios até ao topo vale muito a pena.

Mosteiro de Tibães | Antiga Casa-Mãe da Congregação Beneditina Portuguesa, o Mosteiro de Tibães foi fundado em finais do século X e reconstruído no último terço do século XI, tendo sido nessa altura transformado num dos mais ricos e poderosos mosteiros do Norte de Portugal. E, na verdade, o Mosteiro de São Martinho de Tibães é mais do que um Mosteiro. Apesar da sua história ter dado muitas voltas (sabiam que uma parte do Mosteiro foi vendida após a extinção das ordens religiosas e que houve um incêndio na zona do refeitório, por exemplo?) este é um Mosteiro lindíssimo que merece uma visita sem pressas. Pelos seus jardins encantadores que nos colocam em sintonia com a Natureza e que reúnem diversas fontes e um lago, pelos corredores, quartos, cozinha e salas que nos transportam para outros tempos e que escondem outras divisões e, claro, pela igreja de estilo rocócó que nos surpreende assim que vemos o ouro de 24K a cobrir as suas paredes. Cada detalhe do Mosteiro deve ser apreciado com calma e, ainda que este seja um dos poucos museus e monumentos que não se encontram no centro histórico da cidade de Braga, o Mosteiro de São Martinho de Tibães é um espaço que merece ser visitado. Os tetos, as paredes, as janelas, os claustros, as peças de mobiliário e de vestuário... Tudo é uma surpresa à espera de descoberta.

Theatro Circo | Mesmo que não possam ver um espetáculo no Salão Nobre do Theatro Circo, podem fazer a visita guiada e encantar-se logo que dão os primeiros passos e observam a sua decoração em tons de vermelho e dourado. O Theatro Circo é imponente e magnífico e, para quem gosta de fotografia e/ou de arte, é um local de visita obrigatória. Centenário, o Theatro Circo é uma das casas de espetáculos mais bonitas do país e proporciona mil e um momentos diferentes - há, até, sessões de cinema todas as semanas. Não há como não ficar encantado com os bastidores, com a simpatia de quem ali trabalha e, claro, com o fabuloso candelabro que decora a sala principal.

Retrokitchen | "Estamos em casa de alguém?". É esta a sensação com que ficamos quando entramos no Retrokitchen, um restaurante retro situado na Rua do Anjo. Não é muiiiito fácil identificar o espaço - as portas fechadas passam despercebidas numa rua tão estreita - mas a atenção redobrada proporciona-nos uma refeição despretensiosa num ambiente acolhedor. A Tânia e o Rui são atenciosos, abrem-nos a porta com um sorriso, recebem-nos com palavras simpáticas e fazem-nos sentir em casa. O "Retrokitchen" é um espaço que está longe de ser um restaurante tradicional. E isso é bom! Oferece-nos a comida da avó - e as suas doses generosas - a um preço simpático e saímos encantados, satisfeitos e com vontade de regressar. Como não gostar?

Domus 26 Guesthouse | Numa zona privilegiada do centro histórico da cidade surgiu uma guesthouse elegante e acolhedora que recebe hóspedes de todo o mundo. Chama-se Domus 26 Guesthouse – B&B e oferece aos visitantes a melhor vista sobre a Sé Catedral de Braga, a mais antiga do país. A Domus 26 Guesthouse – B&B está inserida num edifício do século XIX, restaurado em 2015, e garante uma experiência inesquecível na cidade dos arcebispos a quem procura uma casa longe de casa. Combina o conforto com a elegância e não esquece o mais importante: a vontade de conhecer de quem escolhe Braga para passar uns dias. Os quartos são quatro - Bom Jesus, Catedral, Bracara e Porta Nova – e são decorados individualmente para proporcionar a cada hóspede uma experiência única, familiar e muito especial. Para uma estadia mais central, esta é a minha recomendação.

Best of Living | Para quem gosta de decoração, esta recomendação poderá valer ouro. A Best of Living, na Rua dos Capelistas, tem peças para todas as divisões da casa sempre com um toque muito especial e um tanto ou quanto irreverente. Entre velas, cadeiras, brinquedos para os mais novos, almofadas, relógios e chávenas de café, há muito mais para descobrir com a certeza de que nos iremos apaixonar por mais um item e que a nossa lista de desejos irá crescer.

Livraria Centésima Página | Uma livraria que é mais do que uma livraria e que já me recebeu para muitas horas de estudo ao longo dos anos. Com uma ala inteiramente dedicada aos mais novos, uma cafetaria, um espaço perfeito para leituras demoradas e bebidas quentes e uma esplanada num jardim convidativo em dias de Primavera e Verão, a Livraria Centésima Página é para ser visitada com tempo não só por quem adora perder-se entre páginas e palavras mas também por aqueles que gostam de artesanato, de espaços bonitos, de artigos de papelaria, de chá e de bolos caseiros.

Spirito Cupcakes & Coffee | A fama não é em vão. Quando entramos na Spirito a parte difícil é mesmo escolher o que pedir. Abriu em 2011 com o objetivo de inovar o conceito de café e pastelaria tão apreciado pelos bracarenses e conseguiu. Entre gelados artesanais, bolos deliciosos e bebidas que chegaram à cidade em jeito de novidade, a Spirito ganhou um lugar cativo no meu coração e foi capaz de chegar também aos corações das redondezas. A parte difícil é mesmo escolher o que pedir mas, se me permitem, a sugestão, o Red Velvet Cupcake ou o Gelado de Kinder Barritas são sempre escolhas seguramente deliciosas.

6 comentários:

  1. Acabei de acrescentar Braga na lista de cidades a visitar!
    http://sunflowers-in-the-wind.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. Apesar de ser o meu distrito e não ficar assim tão longe daí, conheço muito pouco de Braga, mas o que conheço adorei. O Bom Jesus é um sítio incrível, com uma vista ainda melhor.
    Fiquei curiosa em relação a alguns dos outros sítios que enumeraste, quem sabe não tentarei fazer uma visita em breve.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  3. Não há como não adorar a nossa cidade :) Tenho que experimentar alguns dos restaurantes que mencionas!

    ResponderEliminar
  4. Visitei Braga apenas uma vez e é daqueles sítios a que tenho de regressar brevemente! Mas, sendo do Baixo Alentejo, é TÃÃÃÃO longe. Ir num dia e voltar noutro é absolutamente desgastante. Seja como for, quando decidir ir novamente, estas serão sem dúvidas umas excelentes razões para tal ;)

    ResponderEliminar
  5. A última vez que fui a Braga só fui ao Bom Jesus mas espero voltar e ter tempo para passear pelo centro histórico também.

    ResponderEliminar