Thirteen

SAÚDE | O Susto!

Sendo um tema tão pessoal e delicado, hesitei antes de começar a escrever esta publicação. Até que me caiu a ficha e percebi: isto pode servir como chamada de atenção para os meus leitores; este tema merece ser abordado; o mundo precisa de deixar de ter vergonha de falar neste tipo de assuntos.

Numa bela quinta-feira de Dezembro, acordei com uma dor estranha na mama esquerda (e sim, vamos chamar as coisas pelos nomes). Achei que podia estar dorida do soutien novo, que tivesse ido contra qualquer coisa (acontece!), que talvez me tivesse magoado a carregar as infinitas caixas de fraldas na empresa - na verdade, pensei imediatamente que fosse uma dor muscular. No entanto, a dor intensificou-se durante o dia e, à noite, a minha mama não só estava muito mais dorida como também estava inchada. Fiz a palpação mamária - que alerto já que deve ser feita com frequência! - e reparei em algo que não estava ali antes.

Às 8h15 da manhã do dia seguinte estava no consultório. Queria tirar as teimas o mais rápido possível. A médica detetou, realmente, algo de errado - um quisto que não deveria estar ali e uma inflamação - e, apesar de me ter descansado logo com o diagnóstico das alterações hormonais provocadas pelo stress, pediu que fizesse exames para confirmar que, realmente, não estava ali nada de grave. 

Exames feitos e resultados na mão: tratava-se apenas de um nódulo provocado por alterações hormonais, como ela previa. Não passou de um susto. Porém, aquilo que foi só isso mesmo - um susto - poderia ter sido algo diferente e serviu para me fazer pensar sobre as verdadeiras prioridades da minha vida. 

Nada deve sobrepor-se à nossa saúde e cada vez mais sinto necessidade de alertar para a importância de estarmos atentos ao nosso corpo e de não ignorarmos sintomas. Se não for nada de especial (como aconteceu comigo) melhor ainda - não será, nunca, uma preocupação excessiva ou uma perda de tempo. O diagnóstico precoce é essencial.

8 comentários:

  1. Olha, fizeste bem em ir verificar.. Se fosse algo mais grave, uma detecç ão precoce é muito importante. Ainda bem que não foi nada :)

    ResponderEliminar
  2. Tive um susto muito semelhante em 2016 e percebo totalmente o significado da tua mensagem. Obrigada e parabéns pela coragem de partilhares. Mesmo um susto eu compreendo a dificuldade que é falar nestas coisas.

    ResponderEliminar
  3. Imagino que tenha sido mesmo um grande susto, ainda bem que não era nada mais grave. A nossa saúde é mesmo o mais importante e devemos estar sempre atentos, obrigada partilha :)

    ResponderEliminar
  4. Ainda bem que não foi nada demais. As alterações hormonais com a ansiedade é uma coisa tão chata.

    ResponderEliminar
  5. A nossa saúde é bastante importante, nisso concordo perfeitamente contigo! E ainda bem que tudo não passou de um susto!

    ResponderEliminar
  6. Tenho uma história parecida contudo o resultado não é idêntico ao teu. Eu tenho vários quistos sebáceos no peito que tenho que ir controlando e que, infelizmente, um deles, está a crescer demasiado e, como tal vou ter que o retirar mas claro, poderia ser muito mais grave e, por isso, também aconselho a todas as raparigas irem verificando de tempo em tempo porque pode nem ser nada de grave mas que pode necessitar de vigilância médica!

    Beijinhos!!
    Black Rainbow / Instagram

    ResponderEliminar
  7. Fizeste mesmo bem em partilhar connosco a tua experiência. Aquilo que foi um susto para ti pode bem servir como alerta para nós e no final do dia isso vale imenso.
    Ainda bem que não foi nada mais grave no teu caso, beijinhos.

    ResponderEliminar
  8. Durante 1 ano deixei a minha saúde de lado mesmo já sabendo da doença e quando dei por mim estava ainda mais doente e tive de estar 4 meses de baixa e acabei por me despedir e ainda estou a sofrer as consequências do meu acto irresponsável. Por essa mesma razão concordo contigo a 10000% !
    Fico feliz que não tenha sido nada de grave ❤️

    ResponderEliminar