Thirteen

VIDA PROFISSIONAL | Não trabalho na minha área de formação... e adoro!

Para quem me segue há mais tempo, isto não é novidade. Para quem acabou de chegar, um parágrafo para contextualizar o que se segue: sou licenciada em Turismo mas, neste momento, trabalho em Marketing Digital e E-Commerce. Quando comecei a minha vida profissional, trabalhei num projeto ligado à minha área de formação mas os meses foram passando, eu fui evoluindo, esse projeto acabou por ficar para trás e ultimamente tenho trabalhado 1) num E-Commerce de puericultura e 2) em algumas vertentes do Marketing Digital na área da moda. São dois mundos completamente diferentes que se misturam perfeitamente no meu quotidiano e que me fazem muito feliz.

Defendo muitas vezes que a nossa licenciatura não é limitativa - nem tão pouco define aquilo que vamos fazer toda a vida - e, quando o digo, a maior parte das pessoas rapidamente concorda comigo. No entanto, nos momentos do quotidiano e nas conversas de café, ainda sou muitas vezes julgada por trabalhar numa área que nada tem a ver com a temática da minha formação-base. Ainda há muitas pessoas que me apontam o dedo e que duvidam daquilo que fui e sou capaz de executar.

Será o certificado académico tão importante ao ponto de nos cegar para todas as oportunidades que o mundo oferece? Serão as licenciaturas limitativas ao ponto de bloquear todas as capacidades que temos para desenvolver? Estaremos mesmo a roubar o lugar a outra pessoa quando damos provas de que somos aptos para evoluir naquele cargo, setor ou profissão?

Trabalho muito para aprender mais, para ser melhor nas minhas funções e para acrescentar valor aos projetos em que estou envolvida. Ser feliz à segunda-feira de manhã - mesmo sabendo que acabo de iniciar uma semana de loucos - é só a prova de que estou no caminho certo.

12 comentários:

  1. "Ser feliz à segunda-feira de manhã - mesmo sabendo que acabo de iniciar uma semana de loucos - é só a prova de que estou no caminho certo." é bem verdade! Se estás feliz, isso é o que importa. A nossa área de formação é só um complemento, não a obrigação de seguir um caminho.

    Beijinhos, Ensaio Sobre o Desassossego

    ResponderEliminar
  2. Se te sentes feliz e se és boa no que fazes, isso é que importa. Uma licenciatura é bom, mas não é o mais importante e acho que quando temos oportunidades destas, devemos aproveitá-las. É sempre bom conhecermos e aprendermos mais para além do que seria suposto.

    ResponderEliminar
  3. Acho muito importante fazeres posts assim, para quebrar tabus e fazer as pessoas verem que um curso não define a nossa vida.
    És um exemplo de garra e de força, e que com motivação e dedicação tudo se consegue. Mereces ser feliz :).
    Beijinhos,
    Cherry
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
  4. Se tivesses estudado medicina e praticasses direito eu duvidava das duas capacidades mas é para isso que existem as ordens, garantir que só podes praticar algo se tiveres determinada formação. Agora em áreas tão flexíveis como as que estudaste e trabalhas acho que não é um salto assim tão grande. Na verdade a tua formação académica deu-te uma perspectiva única. Principalmente o marketing digital está sempre a evoluir. Há mil e uma formações e certificações que podes fazer. Um curso é um curso mas é só isso... a base na qual montas o teu percurso profissional. Essas pessoas criticas vivem ainda no tempo em que se tirava direito para ser advogado e praticava-se na mesma firma até se morrer. O mundo mudou e as mentalidades tem de mudar com eles. Pelo menos é assim que eu vejo as coisas!

    ResponderEliminar
  5. Compreendo-te perfeitamente. Eu sou licenciada em Artes Visuais e Multimédia (entenda-se por Arte Digital, primo-irmão do Design) e trabalho numa loja de materiais de construção e decoração como Técnica Administrativa. Tanto faço trabalho administrativo, como também me dão a hipótese de dar uns toques na divulgação da empresa, nos folhetos promocionais, etc. E isso é uma das grandes razões porque continuo lá: faço o que gosto, embora longe da área, mas também posso fazer coisas da minha área de formação :D
    As pessoas torcem o nariz e dizem-me "mas não procuras coisas na área?", "mas porque é que não trabalhas em casa?", "mas...?" e mais "mas...?". Mas as pessoas não mandam na nossa vida. Se estamos bem com o trabalho que temos, embora tenhamos outra área de formação (cara como tudo), porque haveremos de deixar isso e ir para algo que não nos dá esperanças no futuro? Na minha zona não há emprego na minha área e mesmo noutras é raro o emprego que me ofereça tão boas condições como o meu.
    De qualquer das maneiras, o teu post serve para abrir os olhos a muita gente e para explicar a quem está a sair da universidade que o mundo do trabalho é muito vasto e que basta fazermos o que gostamos e tudo bate certo :)

    Make it Flower

    ResponderEliminar
  6. Também não trabalho na minha área e adoro :)

    ResponderEliminar
  7. Concordo perfeitamente contigo, a nossa área base de formação não nos define, nem tem definir o nosso futuro. Temos objetivos novos a cada ano, porque não havíamos de ter prespetivas novas em relação ao que queremos para nós num futuro próximo!? Somos constante mudança, mas isso não significa que aquilo que decidimos estudar na nossa licenciatura esteja errado e até porque um dia podemos chegar a pô-la em prática ou podemos não chegar a por, mas o que isso importa? Importa sim que fomos felizes quando estudamos e quisemos saber mais sobre a área. E como sempre me disseram "saber mais não ocupa lugar" e se esse extra nos traz felicidade é isso que importa. Tudo tem um motivo para se ser e se quem não entende isso, é porque talvez nunca passou por lá, ou porque sempre quis o mesmo toda a sua vida (e não tenho nada contra isso, cada um sabe de si), mas é preciso que se aceite que somos diferentes uns dos outros e que somos diferentes todos os dias em nós mesmo. As mudanças são naturais e benéficas para a vida de todos. Aceitar as pessoas e as mudanças é sem dúvida a chave para tudo. E desejo que todos sejam tão felizes como tu, dentro de cada mudança, seja ela qual for!

    ResponderEliminar
  8. Acho que a maioria das pessoas que te aponta o dedo é porque ainda há aquela ideia de que deveríamos trabalhar na nossa área de formação, e quem trabalha num outra área e é bem sucedida, é porque "teve sorte", "deu-se ao luxo de mudar", "tinha condições". Ainda estamos traumatizados com a ideia de que nem sempre a nossa área de formação vai dar emprego ou nos vai dar uma atividade que nos faz feliz - daí as pessoas verem que tu estás na área de marketing mas não tens formação na mesma, enquanto há pessoas que tiveram a estudar marketing mas não conseguem ter o que tu queres!!
    Acho que as pessoas vão deixar de ter estas percepções, pois o mundo vai mudar - as licenciaturas vão ser mais abrangentes, vai haver mais funções polivalentes no mercado e vai ser natural podermos mudar de área se provarmos o nosso valor!
    PS - a área de Marketing Digital é uma área pela qual me interesso muito mas não é a minha área de formação, talvez tente entrar na área ;)

    ResponderEliminar
  9. Por acaso é um assunto contraverso, tanto para todos como para mim.

    Eu não trabalho na minha área também. Eu tenho licenciatura em Biologia e mestrado em Ecologia Ambiente e Território. E agora trabalho como administrativa numa empresa de venda de veículos. Mata me todos os dias, aliás uma razão de eu ter começado a ficar muito ansiosa foi essa. Mata me porque não tem nada a haver comigo, mas na falta de melhor foi o que arranjei. E tenho aprendido muito, como tenho crescido, lidado com muitas situações que nunca na minha pensei (nem queria) lidar.

    Por acaso é um post que tenho programado porque é triste na minha área. Sei que nunca mais vou trabalhar porque é muito tempo fora da área, sem experiência. Mas sei que não sou a única, sei de muitas pessoas da minha área que nunca trabalharam, e outras com muita experiência sem trabalho, e outras com alguma e sem trabalho. Por lado faz me ver que não sou a única mas por outro tira me a esperança que vou trabalhar nessa área. Neste caso não sigo que o papel limita a vida de uma pessoa, até porque sou a prova que não limita ( eu agora trabalho com contabilidade...) mas era algo que me era muito querido porque eu sempre gostei de biologia, sempre gostei de natureza, sempre gostei de investigar e de querer mais. E agora sinto me presa.

    Mas compreendo perfeitamente o que queres dizer. O curso dá nos ferramentas, dá nos outra fortaleza. Não nos tem de limitar aquilo que aprendemos por outro lado devia nos fazer ansiar por mais. :)

    ResponderEliminar
  10. Olá, Carolina :)

    Concordo plenamente contigo, acho que a nossa licenciatura não é (nem deve ser) um obstáculo que nos impeça de seguir x ou y sonho! A verdade é que, por vezes, temos skills que em nada estão relacionadas com a nossa licenciatura e decidimos tapar os olhos deliberadamente por acharmos que não nos devemos desviar do caminho que nos foi imposto/que nos autoimpusemos.
    Por isso, toda a força e sorte do mundo! ;)

    Maria Moreira Rato
    Estranha Forma de Ser Jornalista - http://estranhaformadeserjornalista.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  11. Não acho que estejas a tirar o lugar a ninguém, ele foi feito para ti, por isso é que te sentes tão feliz, porque estás bem com as opções que foste fazendo a nível profissional e há tanto de bonito, quanto de inspirador, nisso. O canudo não te limita à área que lá diz teres-te graduado. Acho que, pelo contrário, mostra que foste capaz de concluir um curso e que tens vontade e força para estudar, aprender e evoluir. Assim, estás de parabéns qualquer que for o futuro que visualizas para ti.

    ResponderEliminar
  12. Ai, gosto tantoooo de ouvir testemunhos deste género. Já de há algum tempo para cá que tenho vindo a pensar cada vez mais assim. Porquê limitarmo-nos tanto? Porque não tentar conjugar coisas que amamos? Gosto de acreditar que é possível e o teu relato veio prová-lo mais uma vez. Obrigada Carolina!

    ResponderEliminar