Thirteen

FAMÍLIA | Em casa, na casa dele(s)

São raras as casas onde me sinto realmente confortável e onde estou à vontade para dizer parvoíces ou iniciar uma conversa. Mesmo entre amigos, sempre preferi que as sessões de jogos e de cinema acontecessem na sala que melhor conhecia - não por proibição ou proteção dos meus pais mas porque eu própria me sentia mais segura e confortável desta forma. Não é fácil fazer com que eu me sinta em casa longe do espaço que reconheço como meu. Mas ele(s) consegue(m) fazê-lo.

Para minha surpresa - e talvez para surpresa daqueles que melhor me conhecem - eu consigo sentir-me em casa quando estou com a família do Gui. Não pela casa em que estou mas pelas pessoas que ali estão comigo. Não sou a miúda mais extrovertida do planeta, é certo, e eles compreendem isso. Nunca me julgaram pelas minhas restrições alimentares, nunca me fizeram sentir que não pertencia ali, nunca me deixaram de parte na hora de contar novidades. Melhor do que sentir-me em casa no abraço dele, é poder sentir-me em casa ao lado da família que é dele mas que também já é um bocadinho minha. O coração cheio e quentinho é absolutamente impagável.

6 comentários:

  1. É tão bom quando é assim - sei bem o que isso é, felizmente! :)

    Jiji

    ResponderEliminar
  2. Faz realmente a diferença!
    Acredito que o importante é gostar da pessoa por quem nos enamoramos, mas gostar da família também é quase como ter dois lares. E isso não é bom?

    ResponderEliminar
  3. Belo, mesmo belo. É tão bom que vocês tenham uma relação tão simples e taõ bonita! Fico mesmo feliz.

    ResponderEliminar
  4. É tão bom que, para além da relação bonita que vocês os dois têm, tenhas conseguido criar essa ligação com a família dele <3.
    Beijinhos
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar