Thirteen

SAÚDE | O Investimento

Entre tratamentos, medicamentos, consultas, exames e tudo o que fazemos para melhorar, uma grande parte do orçamento mensal vai para a luta contra a ansiedade e a depressão. Muitas vezes sem resultados visíveis a curto prazo e mesmo com seguros à mistura e comparticipações na medicação, centenas de euros são gastos todos os meses sem a certeza de que tudo vai melhorar. E isso, para além de ser um encargo que nos faz sentir (ainda mais) culpados, frágeis e inúteis, é um investimento duro.

A parte (ainda mais) negativa? Nem toda a gente consegue gerir o seu orçamento - ou ter orçamento suficiente! - para enfrentar a doença com ajuda especializada, para a atacar em várias frentes e de várias formas que se completam entre si e que, isoladas, levarão muito mais tempo a permitir a visualização de resultados. Quão injusto é isto? Como podemos deixar uma doença atacar desta forma sabendo que não há possibilidade financeira para a combater? O mundo não é justo, é verdade, mas no que diz respeito à saúde - e, sobretudo, à saúde mental - ainda temos um longo caminho para percorrer.

Um dia, acredito, o acompanhamento chegará a todas as pessoas que precisam dele, na quantidade necessária e no momento mais adequado. Por agora, no mundo ocidental, onde as doenças de foro psicológico ganham uma dimensão verdadeiramente assustadora, cada um vai lutando contra elas como pode - com dois ou três empregos à mistura, fazendo um controlo apertado das marcações de consultas, lutando em batalhas mais pequeninas que não ganham a guerra mas que vão ajudando a curar as feridas de combates anteriores.

1 comentário:

  1. Infelizmente o curso de Enfermagem abriu-me os olhos para esta triste realidade. Saúde Mental é realmente negligenciada.

    JU VIBES | @itsjuvibes ❤

    ResponderEliminar