Thirteen

BABY TALK | Última oportunidade!

Na Loja De Mãe para Mãe, Fevereiro é o Mês do Bebé. Isto significa que, até às 23h59 de hoje,  ainda encontrarão descontos extraordinários nos bens essenciais de todos os bebés (fraldas, toalhitas, biberões, cremes, chupetas,  e muito mais!). Philips Avent, Chelino e Bioderma são apenas algumas das marcas que encontram nesta loja de puericultura e a qualidade está garantida em cada encomenda.

Este é o meu projeto do coração - sinto MESMO que estamos a simplificar a vida das mães portuguesas - e estes descontos podem mesmo ser uma grande ajuda nos orçamentos familiares. Para quem é mamã ou tem bebés a caminho, presentes para comprar ou bebés na família, hoje pode ser um excelente dia para conseguir poupar algum dinheiro. Não seria vossa amiga se não partilhasse.

INSTAGRAM | Fevereiro 2018

Fevereiro foi, sem dúvida alguma, um mês de surpresas e de emoções fortes. Dia dos Namorados - com pizza e futebol -, uma semana de férias, alguns presentes e muitos mimos. Apanhei um susto, também, mas sinto que as coisas começam a acalmar e que estou mais forte.

O mês fica marcado pela decisão do Inter Rail e pela compra dos bilhetes de avião. O trabalho, por sua vez, fica marcado por um "Mês do Bebé" com centenas de encomendas para gerir e o regresso ao mundo da moda. Entre dias compridos, pouco sobrou para dar atenção ao Thirteen mas, ainda assim, consegui trazer-vos novidades constantes e cumprir tudo o que comprometi a fazer. Esperamos um mês de Março igualmente atarefado no escritório e a certeza de que "O Apartamento" receberá as portas dos armários e, posteriormente, ficará "em pausa".


Facto: segunda-feira é o meu dia favorito.

QUERIDO PAI NATAL | O meu quarto precisa de ajuda!

Tendo em conta que vou fazer uma grande viagem no final do verão, decidi colocar as remodelações e a decoração d'O Apartamento em espera e focar-me, nos próximos meses, na poupança para o Inter Rail. Foi uma decisão ponderada, que me deixa triste de certa forma, mas que sei que é a mais acertada. Acredito, ainda assim, que é em 2018 que vou (finalmente) mudar-me para o T1 que me deixa tão feliz. Já tenho quase todos os principais elementos da sala de estar e alguns pequenos eletrodomésticos mas o quarto - que eu sempre achei que seria a primeira divisão a ficar pronta - conta, para já, apenas com o colchão (graças a uma mega promoção que não quis desperdiçar).

A cama, a cómoda, os candeeiros... terei de comprar a pouco e pouco e sei que isso acontecerá apenas no último trimestre do ano. Mas como o Pai Natal anda sempre atento aqui ao Thirteen... aqui fica uma lista de sugestões (ou de inspiração, para quem estiver na mesma situação). Hoje estou numa de preto e branco.

SOLIDARIEDADE | Destralhar. Simplificar.

Nos últimos anos acumulei tanta roupa que, agora, entro no meu quarto (ainda em casa dos meus pais), abro os armários e fico incomodada com a quantidade de coisas que tenho. Há tanta gente a precisar daquilo que eu não uso - e que, na verdade, não preciso - que dou por mim a pensar se não faria mais sentido fazer (mais) uma doação a uma instituição. Claro que faria!

Desafiei-me, então, a "destralhar" e a simplificar a minha vida. Quando chegar a altura de mudar de casa, só levarei comigo uma parte das minhas coisas (até porque me vou mudar para um espaço mais pequeno) e tudo o resto será separado em três grupos: 1) para o lixo, 2) para doar e 3) para guardar. No primeiro grupo ficarão todas as peças que já não têm salvação, no segundo tudo aquilo que eu não uso mas que poderá fazer outras pessoas felizes e por fim, no último grupo (e com uma regra muito específica) colocarei todas as coisas que quero manter na minha vida apesar de já não fazerem parte do meu quotidiano (o traje académico, por exemplo).

Infelizmente, a minha vida não me permite apoiar todas as causas que me aquecem o coração por isso, sempre que posso, contribuo com bens materiais. Desta vez, estou a planear uma doação maior. Preciso MESMO de simplificar a minha vida, de ter menos, de apostar naquilo que realmente importa. E tenho a certeza que esta pequena ação da minha parte irá fazer uma grande diferença na vida de outras pessoas. Agora que a Primavera se aproxima, desafio-vos a fazer o mesmo e a ajudar quem mais precisa.

O APARTAMENTO | "This is my happy place!"

Sempre que vou ao meu pequeno T1, saio de lá feliz e tranquila. Ainda não está preparado para me receber mas eu já consigo imaginar-me a viver ali e, a cada visita, sinto que essa mudança está cada vez mais próxima de acontecer. Hoje, com as paredes todas pintadas de branco e o chão  de madeira perfeitamente polido e envernizado, já sou capaz de imaginar toda a decoração e de construir um cenário realista, com os móveis no lugar e imensos pormenores maravilhosos.

Sempre que entro em casa, sou invadida por um sentimento de realização pessoal diferente de todos os que alguma vez senti (acredito que diferentes conquistas proporcionem sentimentos de realização distintos) e dou por mim a pensar, uma e outra vez: "caramba, eu comprei um apartamento quando isso parecia impossível e a mudança está para breve". É verdade que está tuuuuudo a demorar mais do que o previsto porém, mesmo vazio, com paredes brancas e zonas impessoais, "O Apartamento" já é o lugar para onde vou quando me sinto a cair do abismo. Este já é o meu lugar feliz.

QUOTIDIANO | Agenda 2018

Não há nada mais positivo para alguém que sofre de ansiedade do que sentir que a vida está organizada, que as tarefas não estão esquecidas e que os planos são concretizáveis. Não dispenso uma agenda em papel e ESTA, da Busy B, foi a minha escolha para 2018. Tem-me acompanhado no meu quotidiano e tem sido a perfeita aliada para todas as minhas anotações, reuniões e ideias.

Sempre optei por agendas básicas - capa lisa, de uma só cor (preto, na maior parte dos anos) e interior prático (de um lado os dias da semana, do outro uma página para notas) - e isso sempre funcionou, para mim. Mas senti que precisava de representar o novo ano com algo mais especial, mais meu. E assim foi. Optei pela simplicidade de igual modo - tenho muito medo de enjoar do design depois de olhar para ele dia após dia durante semanas - mas fiz uma mudança óbvia: apesar do seu interior minimalista e da vista semanal que não troco, a minha agenda de 2018 é muito mais interessante no que diz respeito às cores e aos extras que inclui (autocolantes - e eu adoro usar autocolantes nas minhas agendas! - folhas de informações, calendários, espaço para aniversários, espaços para listas e ainda um pequeno bloco de notas com páginas que podemos arrancar se assim desejarmos).

O único problema - que acaba por não o ser - é o facto de não estarem assinalados os feriados nacionais mas sim os feriados do país de origem da marca. O elástico que permite que não perca a caneta é o bónus que faltava nas suas antecessoras e, confesso, apesar de a utilizar diariamente (sem exceção), esta agenda já é a minha favorita até hoje. Prática, simples mas com detalhes giros - tudo o que eu aprecio na minha aliada em dias atarefados.


Podem ver o interior desta agenda aqui.

SWEET CAROLINE | "Foco"

"No ano passado, debrucei-me muito sobre tentar ser uma pessoa presente e vivê-lo dessa forma. Não é nada fácil ter foco, especialmente quando começo a aliar a ausência de foco com a ansiedade. Mas preciso, não só porque é um trabalho muito importante para a minha maturidade como também me permite ser uma pessoa muito mais presente e completa em todos os acontecimentos, o que não só é mais saudável para mim como para os outros.

Há muito que já faço este exercício e quero manter o comportamento, em 2018 e nos anos que virão. As bolinhas cheias de números das notificações já não me incomodam, o meu coração não fica apertado quando não respondo, no mesmo segundo, a um e-mail ou a uma mensagem porque sei que vou responder. Não me preocupo em abrir mensagens e que apareça o 'Visto' porque não estou a ignorar nada e porque ninguém fica sem uma resposta minha, se o assunto é relevante. Guardo o telemóvel na mala durante uma conversa na esplanada, um workshop ou palestra na certeza de que o mundo não acaba por não ter atendido a chamada, no momento. 

Ausência de foco não tem de ser extrapolada para ausência de organização, e cada vez mais confio em mim e na minha capacidade para memorizar compromissos — ou registá-los —. Se não respondi, no preciso momento, a um e-mail ou a uma qualquer mensagem, sei que naquele momento não estou com a disposição ou foco suficientes para me debruçar sobre o assunto (seja ele leve ou mais complexo). Prefiro demorar a responder, na certeza de que estou a tornar-me disponível a 100% à conversa do que fingir uma atenção que não lhes pertence por estar a distribuir o foco em dezenas de assuntos que mereciam mais da minha parte. O que quer que exista para eu saber e resolver, continua a existir algum tempo depois, mesmo que a minha cabeça queira insistir no contrário.

Seja que tarefa ou acontecimento que esteja a viver — limpezas, cozinhar, ler, conversar, trabalhar, aprender — faço questão de estar lá. De corpo e mente. Nunca me suportei por, algumas vezes, estar presente apenas em corpo e deixar a mente voar para assuntos dos quais, naquele momento, não posso, não preciso ou não tenho urgência em tratar. E desde que me tenho esforçado para ser uma pessoa mais focada, sou uma pessoa mais tranquila e feliz, também. Porque sinto que fico ansiosa nas ocasiões em que a ansiedade e a preocupação são válidas e não deixo que, em outras ocasiões, me perturbem, desconcentrem ou me impeçam de viver o agora.

Vivemos num mundo que se comporta como se tudo fosse acabar amanhã e em que somos incapazes de estabelecer certas prioridades ou de interpretar os casos de formas menos extremas como "de vida ou de morte". Muito por culpa da nossa fisiologia. Mas podemos contrariar da forma que mais está ao nosso alcance e confiarmos mais na nossa capacidade para sermos responsáveis, presentes e sensatos. Estou farta de sofrer em dobro."


Texto de Inês Mota (aqui)

EVENTO | Web Summit 2018

Depois de não ter conseguido um bilhete a um preço acessível em 2017, em 2018 vou ter a possibilidade de ir ao evento que junta tantas pessoas, temas e culturas no Parque das Nações. Na semana do meu aniversário, de 5 a 9 de Novembro, estarei em Lisboa para a Web Summit.

Vou passar o meu aniversário longe das pessoas que tanto me dizem (da maior parte delas, pelo menos) mas sei que será uma oportunidade fabulosa para aprender mais e crescer intelectualmente. A oportunidade de ir a um evento desta dimensão, com tanto por onde escolher e por um preço acessível, é absolutamente imperdível e tenho a certeza que vou aproveitar cada segundo!

LIVRO | Sapiens: História Breve da Humanidade

Quero muito ler "Homo Deus" mas sabendo que "Sapiens" é o seu antecessor, fazia todo o sentido começar por ele. Li-o sem expectativas - como uma forma de acompanhar a ordem cronológica dos acontecimentos - mas posso dizer-vos que foi uma agradável surpresa e que todas as críticas maravilhosas que lhe têm sido feitas são verdadeiras aos meus olhos também.

Este é um livro que qualquer curioso apaixonado por Sociologia, Antropologia e Biologia vai querer ler. Quando percebi que este livro ia referir todo o percurso da Humanidade desde os seus grupos mais primitivos até à sociedade (rodeada por tecnologia) a que pertencemos, receei uma leitura pesada e chata - não podia estar mais equivocada. "Sapiens" apresenta-nos conceitos complexos e informações pertinentes de uma forma muito realista, acessível e crua (em alguns momentos é até cruel) e acaba por ser uma surpresa por questionar todo o percurso do Homem.

O detalhe que considero mais curioso é, precisamente, a desconstrução constante - cada conceito é explorado e explicado até ao limite e várias questões surgem em seu redor (sempre acompanhadas por exemplos, por comparações pertinentes que, à primeira vista, nada têm em comum e pela certeza de que tudo é incerto e volátil). A relação da biologia com a história, os Direitos Humanos e a religião, o comportamento humano como um todo, a mudança e as ideologias políticas são apenas algumas das temáticas abordadas em "Sapiens".

Sinto que estava a perder explicações interessantes para perguntas que ainda não tinha feito. A História da Humanidade está contada de uma forma muito clara e é explorada com rigor. Já se questionaram, realmente, como a nossa sociedade funciona? E já pararam para pensar se a História que conhecemos é verdadeira? A visão do autor é discutível mas se ficaram curiosos com estas dúvidas, "Sapiens" será, com certeza, um bom livro para vocês.


Quem tem dicas e sugestões para partilhar sobre a capital alemã?

INTER RAIL | Vamos a isto?

Foram várias as pessoas que me pediram algumas dicas sobre a aventura que estamos a planear para o final do Verão. Um Inter Rail é, realmente, uma viagem que, ao contrário de muitas outras, exige alguma preparação; é uma viagem dispendiosa, há muita coisa em jogo e tanto pode ser incrível como um verdadeiro desastre. Se estão a planear conhecer a Europa de comboio, numa primeira fase vão precisar de ter em consideração o seguinte:

Qual é o vosso orçamento? | O bilhete do Inter Rail é válido em 30 países europeus mas existem países com níveis de vida mais elevados do que outros. Se têm um orçamento mais apertado, talvez não seja boa ideia escolherem países onde o alojamento e a alimentação são mais caros. Devem considerar não só o passe de comboio mas também as viagens extra que possam ter que fazer, o alojamento, a alimentação, custos de reservas e entradas em locais que tenham interesse em visitar.

Quantos países querem visitar? | Existe o "One Country Pass" e o "Global Pass". O primeiro permite-vos fazer um Intra Rail em qualquer um dos países aderentes (excepto Montenegro e Bósnia-Herzegovina), o segundo é direcionado para quem pretende fazer um Inter Rail. Dependendo do vosso objetivo (conhecer cidades de vários países ou conhecer melhor um só país), poderão optar pelo passe que for mais vantajoso, sendo que cada um deles tem diferentes modalidades de viagem. No nosso plano estão a Alemanha, a Áustria, a Hungria, a República Checa e a Polónia, pelo que iremos adquirir o "Global Pass". O preço dos passes está tabelado e não varia consoante o mês de aquisição ou a data da viagem.

Quantos dias podem disponibilizar? | Decidimos que vamos viajar durante duas semanas mas que só vamos usar o passe do Inter Rail em cinco desses dias. Queremos conhecer as cidades com tempo e desfrutar verdadeiramente de cada uma delas portanto não fará sentido comprar um passe mais caro que nos permita viajar de forma contínua. A modalidade "Flexível" é a nossa escolha.

Onde vão começar e terminar a viagem? | O "Global Pass" não é válido no país de residência, porém salvaguarda dois percursos: 1) o percurso de ida entre qualquer estação desse país até à fronteira, aeroporto ou porto e 2) o percurso de volta entre a fronteira, aeroporto ou porto e qualquer estação do país de residência. Por uma questão de comodidade, decidimos começar e terminar a viagem em duas cidades alemãs (vamos fazer o percurso Lisboa-Berlim e Munique-Lisboa de avião).


Mais sobre o Inter Rail: Sim!

VIDA ACADÉMICA | Afinal, conta ou não conta?

Em 2004, a Educação Física passou a ser contabilizada nas médias de acesso ao Ensino Superior. Em 2012, reduziu-se a carga horária da disciplina e esta deixou de entrar nos cálculos de todos os alunos que não seguiam a área do desporto. Em 2018, coloca-se a hipótese de voltar a incluir a avaliação desportiva nas médias finais de acesso a Licenciaturas e Mestrados Integrados. E eu acho muitíssimo bem.

No ano em que terminei o Secundário (2012, precisamente), Educação Física fez parte dos cálculos da minha média final - e isso foi bom para mim porque eu tinha boas notas à disciplina. No entanto, por outro lado, houve quem visse a sua média a baixar por causa do desporto. Como acontece em todas as disciplinas. Se, atualmente, os alunos que não seguem desporto podem, na prática, retirar a nota de Educação Física dos seus cálculos, então talvez seja possível que a nota de Filosofia não conte para a média dos alunos que seguem Biologia ou que a nota de Português não conte para quem escolhe seguir Arquitetura.

Não sei se acontece em todas as escolas mas, para haver um sistema mais justo - e para não valorizar apenas a capacidade motora mas também a parte mais teórica do desporto (regras de jogo, por exemplo) - sempre fiz testes teóricos em Educação Física. E se, por um lado, existiam pessoas péssimas na parte prática que se esforçavam nos testes teóricos e que, no final, eram beneficiados pela sua dedicação, também existiam outras que tinham notas miseráveis nos testes teóricos e que, por muito bons que fossem na parte prática, nunca tinham a nota que poderiam ter se se esforçassem um pouco mais para decorar meia dúzia de linhas de campo e penalizações. A disciplina estava dividida em dois momentos com o objetivo de minimizar as diferenças entre alunos e, mesmo sabendo que aquela disciplina iria ter impacto na média final, havia muita gente que simplesmente não queria saber.

O desporto faz parte do plano curricular obrigatório desde muito cedo e acredito que possamos concordar que a Educação Física se trata de uma disciplina importante para as camadas mais jovens da nossa sociedade. Se esta representasse apenas meia dúzia de aulas de segunda categoria, essas mesmas aulas poderiam, perfeitamente, ser facultativas - e não o são porque, enquanto sociedade evoluída, concordamos que a prática desportiva é importante para o desenvolvimento de capacidades e valores tais como o trabalho em equipa, a melhoria da condição física (e a consciência de que a nossa saúde está ligada ao desporto, também), a capacidade de competir e de lidar com a frustração, a definição de estratégias de jogo.

Portugal tem um nível de obesidade e sedentarismo assustador e poucas são as pessoas que, depois do Secundário, mantêm a prática desportiva e guardam um momento na sua semana para fazer exercício físico. Dos vossos colegas da Faculdade, quantos é que (ainda) praticam desporto? Apresentar modalidades aos alunos nas aulas de Educação Física, sendo mais ou menos aptos para cada uma delas, é também uma forma de contrariar esse sedentarismo. Pelo menos duas vezes por semana, por obrigação ou por gosto, toda a gente mexe o rabo, treina a sua coordenação motora, salta, corre, dança, faz remates e toma decisões em divisões de segundo. Não será isto importante, também? 

Queixamo-nos que os miúdos são autênticos robots e que decoram matéria em vez de aprender; vamos continuar a esquecer a importância de uma disciplina que lhes permite ser mais do que isso? Ninguém quer que todos os alunos sejam atletas de alta competição - apenas que se mexam e que percebam a importância que isso tem na sua vida e na sua saúde.


Contador da água instalado n'O Apartamento!

O APARTAMENTO | (...)

Já não dou notícias sobre "O Apartamento" há algum tempo e isso deve-se a uma só razão: ainda não tenho grande coisa para partilhar. As paredes estão pintadas, o contador da luz está instalado, o chão está polido e envernizado mas tirando isso... nada. 

Este apartamento vai ser um espelho da minha vida - tê-lo comprado com 21 anos foi uma verdadeira conquista e sei que foi o passo mais difícil (e demorado) - mas começo a ficar impaciente. Está tudo a demorar (muito) mais tempo do que o previsto e, honestamente, entristece-me não poder começar já a montar os móveis que comprei, a colocar em prática as ideias que tenho, a transformar o meu T1 naquilo que ele já deveria ser. Espero, no próximo mês, ter novidades para partilhar convosco. Por agora... nada.

SWEET CAROLINE | Mudanças

Entrei em 2018 com uma energia renovada e uma postura diferente. Estava determinada a mudar aquilo que me estava a fazer mal e queria - precisava! - que a força que sentia perdurasse ao longo de todo o ano. Para isso, implementei algumas mudanças no meu quotidiano, defini objetivos, passei a ser (ainda mais) organizada no que diz respeito às minhas tarefas. Estamos a meio de Fevereiro e eu sinto que estou no bom caminho, que estas mudanças são realmente positivas na minha vida. Ainda tenho um longo percurso para percorrer mas, para já, estas são as mudanças que consegui implementar:

Inscrever-me no ginásio (e não ficar só pela inscrição). Com os horários loucos e a incompatibilidade com as aulas de ballet procurei outra solução e acabei por me inscrever no ginásio. Aquele que escolhi está aberto das 07h às 11h/00h e essa flexibilidade permite-me sair do trabalho e descarregar toda a ansiedade antes de regressar a casa, jantar e relaxar. Nem imaginam a diferença que faz na minha vida - sobretudo porque sempre pratiquei desporto e, desde o último ano, a prática desportiva estava a ser quase residual na minha vida.

Não levar o telemóvel para o quarto. Ainda luto contra isto ao fim-de-semana mas é algo que tenho conseguido cumprir durante a semana. Percebi que precisava de uma regra destas quando me apercebi que, antes de adormecer e ao acordar, verificava sempre todas as redes sociais (as minhas e as do trabalho) e respondia a emails. Agora, quando vou para o quarto, não levo o telemóvel comigo. E se não estiver com sono, leio um pouco antes de me deitar.

Agendar publicações. O objetivo era simples: garantir conteúdos regulares e relevantes no blogue sem deixar que o trabalho, a ansiedade ou as horas fora de casa me atrapalhassem. Agora, olho para trás e percebo que foi uma boa decisão. A utilização de publicações agendadas não faria qualquer sentido há dois anos porém, com tantas coisas a acontecer ao mesmo tempo, a possibilidade de me focar a 100% no blogue em alguns momentos da minha semana é essencial para mim e uma verdadeira terapia.


Planos para hoje: pizza e futebol.

#STORMTROOPERSWEDDING2019 | Queres ser minha madrinha?

Sempre achei, sem pensar muito no assunto, que seria madrinha de casamento da minha irmã quando a hora chegasse - e quando eu já achava que não iria ser, fui surpreendida com o convite. A minha irmã vai casar em 2019 e saber que poderei fazer parte disto de uma forma (ainda) mais próxima é muito importante.

Ainda não me caiu verdadeiramente a ficha - ainda não é bem real na minha cabeça, admito! - mas poder fazer parte disso desde o primeiro momento é algo que valorizo de coração cheio. 2019 pode estar longe porém, uma vez que os noivos vivem a mais de 300km da cidade onde pretendem casar, na verdade existirão cerca de 18 fins-de-semana para tratar de tudo. Tendo em consideração que a maior parte desses fins-de-semana não existirá para tratar em exclusivo de vestidos, cerimónia, fatos, convites, música e bolo, acaba por não parecer assim tanto. O Pinterest (sigam-me AQUI) já é o nosso melhor amigo no que diz respeito à busca pelas ideias mais giras e eu mal posso esperar para ajudar a tornar real este dia, garantindo realmente que eles poderão divertir-se tanto como os convidados.

INTER RAIL | Sim!

Ainda no início de Janeiro, fui desafiada para um InterRail. A resposta foi imediata - CLARO QUE SIM! - e rapidamente começámos a entrar no espírito de viagem. Será só no final do verão (Setembro é a nossa aposta) mas já começámos a fazer planos, a definir quais os locais que iremos visitar (todos novos, para mim!), a fazer contas e a dividir as despesas pelos meses que se avizinham. Estou muito entusiasmada com esta viagem - como não estar? - e sinto que me vai fazer muito bem. 

Quem recebe a newsletter do Thirteen (subscrevam AQUI) sabe quais são as cidades que estamos a planear visitar - e ainda acrescentámos Cracóvia há uns dias! - mas, para quem ainda não subscreveu (estão à espera de quê, mesmo?!), ficam os países que temos na lista: Polónia, Alemanha, Hungria, República Checa e Áustria. A ideia é viajar durante duas semanas e conhecer cada um dos locais com alguma calma e sapatilhas nos pés.

Nunca estive nos países que temos em mente - em nenhum deles! - e se a ideia de viajar - seja para onde for - já me deixa entusiasmada, desta forma a vontade de ir é ainda maior. Ontem fizemos as decisões finais relativamente às cidades que vamos visitar e os planos que eram apenas planos passaram a ter uma data concreta. Vai ser uma grande aventura - com muitas emoções à mistura -, tenho a certeza!

QUOTIDIANO | Férias?

Estou de férias por uma semana. Uma semana para colocar as coisas pessoais em dia, aproveitar o sol, ler o livro que tenho na mesinha de cabeceira há séculos, escrever para o blogue, fotografar e fazer com que as manhãs sejam lentas e longas. E apesar de ter planeado um "desligar" total, já falhei: passei o fim-de-semana - e a manhã - de telemóvel na mão, atenta ao email, ao número de encomendas e às redes sociais dos clientes (mais do que o necessário).

Comecei a trabalhar há quase dois anos e (talvez por causa das tarefas que desenvolvo ou pela minha preocupação com aquilo que faço) ainda não aprendi a desligar. E, do fundo do coração, quero muito encontrar um ponto equilíbrio. Porque tenho sentido que o meu bem-estar e a minha saúde têm sido prejudicados por esta preocupação excessiva. Porque apesar de ser muito produtiva no trabalho, sinto que no meu tempo livre já não consigo ser a Carolina feliz, dinâmica e cheia de energia - tenho sido  a Carolina que aterra no sofá logo que acaba de jantar.

Ninguém morre se um email não for respondido na mesma hora ou se não devolver um comentário na manhã seguinte - e eu sei disso. Para esta semana - e ainda que já tenha falhado durante todo o fim-de-semana (e nesta primeira manhã) - o objetivo é só um: descansar.


Agora que já posso contar... A minha irmã vai casar!

BLOGOSFERA | Blush Much

Não é preciso ser espampanante para ser bonita nem é necessário escrever muito para ter um bom blogue, com conteúdo interessante nas áreas da nossa vida que escolhemos partilhar. A Diana sabe disso e o Blush Much é a prova de que consegue colocar esse conhecimento em prática de uma forma muito natural.

A Diana vai casar e o blogue ficou ainda mais bonito e cativante desde que ela revelou a novidade. É sempre muito giro quando alguém que já acompanhamos há tanto tempo entra numa nova fase da sua vida e faz questão de a registar no blogue - e acabamos por sentir-nos gratos por saber que aquela pessoa decidiu partilhar algo tão importante connosco. O "Blush Much" grita Diana por toda a parte e não podia ser de outra forma - com boas recomendações de espaços, produtos e coordenados, é algo para seguir com atenção e carinho.

QUERIDO PAI NATAL | Vamos ao Ginásio?

A meio de Janeiro, convencida pela Rita, pelas campanhas típicas desta altura e pelos horários flexíveis, inscrevi-me no ginásio. Com um preço apetecível e vontade de fazer mais exercício, como poderia dizer que não? Não podia, é claro que não podia. Peguei no meu saco de desporto - que parei de usar quando deixei a equipa de futebol (para aí em 1857) - e lá vou eu, todas as semanas, várias vezes por semana, para aquele ambiente que jurava não ter nada a ver comigo até então.

Para dizer a verdade, tem sido verdadeiramente terapêutico sair do trabalho e gastar toda a energia que me resta em algo que é bom para o meu corpo, para a minha saúde e para a minha ansiedade. Para melhorar esta aventura, só me falta mesmo aquela motivaçãozinha extra que todas percebemos. Ficam algumas sugestões (se alguém souber onde posso comprar um saco de desporto giro e espaçoso sem ter que vender um rim, agradeço a dica):

Ao clicarem nos produtos, estão a apoiar o crescimento do Thirteen.

DECORAÇÃO | snug.me

A "snug.me" foi uma adorável surpresa nesta minha aventura da decoração. Dedicada sobretudo ao têxtil-lar e com coleções muito especiais (umas mais básicas, outras mais irreverentes), a "snug.me" apresenta produtos que prometem dar personalidade aos quartos e salas portugueses. Para miúdos e graúdos, acredito que esta marca ainda vá dar que falar!

Confesso que ainda perguntei à Dora se tinham lençóis para camas de casal - alguns deles ficariam bem n'O Apartamento! - mas, infelizmente, a resposta foi negativa. Com outros produtos - como roupa e parches - confesso que a "snug.me" me conquistou pela criatividade, pela energia, pela possibilidade de personalização e pela cor. Apesar de ser uma marca direcionada para a decoração infantil, acredito que muitas das suas criações encaixem perfeitamente em espaços sem crianças ou bonecada.

THIRTEEN | Novidades em primeira mão?

O blogue tem sido atualizado de forma regular, o Instagram tem recebido novos conteúdos diariamente e, em 2018, uma vez por semana, há um extra: uma mensagem exclusiva para os leitores mais assíduos e atentos que fizeram questão de subscrever a newsletter do Thirteen (AQUI).

Ao longo das últimas semanas tenho partilhado novidades exclusivas ou/e em primeira mão sobre os mais diversos temas com a certeza de que, o que chega à vossa caixa de entrada, é sempre especial e novo. Tenho tentado surpreender com as temáticas - às vezes são detalhes mais pessoais, outras vezes são novidades sobre "O Apartamento" e, entre outros, há até os tão famosos "Favoritos".

E se por um lado tenho-me esforçado para surpreender e cativar - diferenciando esta newsletter daquilo que vou partilhando aqui no blogue - admito também que tenho sido frequentemente surpreendida - todas as semanas, para dizer a verdade - com todas as respostas tão carinhosas e pertinentes que tenho vindo a receber. Como não gostar? Vocês deixam-me entrar na vossa vida até ao sábado de manhã e isso é maravilhoso! Obrigada!

LOOKBOOK | It's all in the details

"A mountain is composed of tiny grains of earth. The ocean is made up of tiny drops of water. Even so, life is but an endless series of little details, actions, speeches, and thoughts. And the consequences whether good or bad of even the least of them are far-reaching." - Swami Sivananda

AMOR | O Nosso Álbum

Há certas coisas que sei que me vão acompanhar para o meu novo apartamento e que nem preciso de escrever na lista, para não correr o risco de me esquecer delas - o nosso álbum é uma dessas coisas. Já escrevia neste blogue quando fizemos a nossa primeira viagem juntos - Londres, em 2015 - e quem me segue no Instagram - @carolinanelas - já viu algumas das páginas deste álbum. Hoje, sei que representa um dos momentos mais bonitos da nossa relação e que vamos preservá-lo com muito carinho.

Este ano, se tudo correr bem, vamos fazer uma graaaande viagem (para já é segredo!) e espero construir, com a mesma dedicação, um segundo álbum igualmente especial. Sei que este hábito tem vindo a ficar perdido no tempo mas rever fotografias, reler comentários e ter tudo ali à mão, num livro, é algo que me acalma nos momentos de coração apertado, que me faz sonhar com novos destinos e que me relembra o quão sortuda sou por poder viajar e conhecer novos locais ao lado das pessoas que me aquecem a alma dia após dia. O nosso álbum, neste momento, é só um - Londres. Daqui a uns anos, serão vários - com muitas cidades e países para partilhar com quem nos visita.


Partilhem nos comentários as vossas contas de Instagram!

SAÚDE | Hospital de Viseu

O meu tio acabou por falecer no quarto do serviço de oncologia do Hospital de Braga. Dias antes, eu tinha escrito ESTA publicação sobre o quão bem tratado ele estava a ser e o quão atenciosa era a equipa de profissionais que o acompanhava diariamente. O fim não foi o que nós desejávamos - e ainda custa muito, claro que sim - mas sei que ele esteve sempre confortável, que as suas dores foram sempre diminuídas e que, ali, lhe deram tudo o que puderam para ele se sentir melhor. O Hospital de Braga recebeu-me diariamente durante semanas e as suas paredes abafaram as minhas lágrimas muitas vezes - algumas delas com a desculpa de que estava só a tirar um café da máquina ou que o dia no trabalho tinha corrido mal - mas nunca, em momento algum, aquela equipa me fez sentir que o estado do meu tio piorava porque não estavam a tratá-lo da melhor forma. Nunca, em momento algum, eu senti que o meu tio poderia morrer por falta de cuidados ou por negligência médica. E, de certa forma, isso tranquilizava-me - eu sabia que ele, dentro do possível e por muito que custasse vê-lo assim, estava a receber toda a atenção e toda a medicação que precisava.

E se o Hospital de Braga merece todos os aplausos e elogios, o Hospital de Viseu merece ser punido pela negligência e falta de sensibilidade das pessoas que lá trabalham. Não serão todas, bem sei, mas um profissional de saúde que é mal-educado para as famílias, que dá respostas tortas e que desvaloriza sintomas nunca deveria ter sequer a possibilidade de trabalhar na linha da frente de um Hospital. Deveria, sim, tratar de papelada todo o dia pois, claramente, falta-lhe um detalhe tão importante como o conhecimento científico: o lado humano.

A minha avó paterna teve um AVC no final do ano passado. Não se sentia bem, foi ao Centro de Saúde e imediatamente a encaminharam para o Hospital de Viseu com um diagnóstico claro: princípio de AVC. Ora, todos nós - leigos - sabemos que os primeiros momentos são essenciais quando se trata de um AVC, correto? Ironia das ironias: quando a minha avó chegou à urgência com tal diagnóstico... não aconteceu nada. Colocaram-lhe a pulseira - amarela! - no pulso e deixaram-na à espera mais de oito horas, mesmo com todos os telefonemas, reclamações e chamadas de atenção. Ficou com sequelas? Óbvio que sim. 

E sabem o que me assusta mais no meio disto tudo? É ter partilhado esta história com alguns amigos e nenhum deles se demonstrar surpreendido. É ter contado isto a uma amiga e ela dizer que é normal neste Hospital, partilhando comigo logo de seguida duas histórias igualmente preocupantes. É o namorado da minha tia ter dado entrada na mesma urgência, ter os valores da glicemia a 400 e dizerem-lhe que estava tudo bem, que não havia motivo para a sua súbita perda de peso. Se nós - leigos, volto a dizer - continuarmos a confiar nestes profissionais sem procurarmos segundas opiniões e informações mais fidedignas, onde vamos parar?

GUARDA-ROUPA | Lolly Pin

Cada vez gosto mais de acessórios e detalhes fora de vulgar e esta nova tendência dos pins agrada-me bastante - são um detalhe que passa facilmente despercebido mas que tem tudo para dar certo em alguns coordenados mais descontraídos. E quando são mesmo giros, como os da Lolly Pin, conseguem mesmo dizer muito sobre a nossa personalidade e os nossos gostos. 

Confesso que não conhecia a marca mas fiquei conquistada pela sua jovialidade, descontração e energia. Tudo isto - aliado à simpatia da Cristiana - resulta na fórmula para o sucesso. E sabem que mais? Em compras superiores a 5€ em pins ou/e patches, os portes são gratuitos - basta indicarem o código THIRTEEN18 no momento da compra.


Publicação escrita em parceria com a Lolly Pin.

"Valentine" é a nova alça da âme moi. Gira, gira!

DECORAÇÃO | Sintra

Criado por Liliana Santos, Sintra é um projeto inspirado na vila que lhe dá nome. A premissa é simples: transformar os locais mais emblemáticos de Sintra em peças decorativas para uma casa com personalidade e bem portuguesa. Desde o processo criativo à embalagem, tudo é inteiramente concebido e produzido em Portugal. Cada peça é autenticada com a assinatura da autora e acompanhada de um Selo de Autenticidade.

Um conjunto inspirado no Palácio da Pena, objetos inspirados na Serra e no Palácio Nacional e muito carinho por Sintra. É assim a marca de Liliana Santos, que já faz sucesso no Palácio de Belém e que une a História com o design e a decoração de interiores.

TURISMO | Iriam ao Irão?

Há alguns locais que gostava de visitar e que não estão na lista de prioridades das pessoas que me rodeiam - o Irão é um deles. Não sei até que ponto estaria preparada para fazer essa viagem agora mas é um país que gostava de conhecer mais tarde e que me fascina por ser tão diferente de tudo o que conheço.

Acredito que seja um país que, à primeira vista, possa causar algum receio ou que nos possa assustar. No entanto, também acredito que seja um daqueles países que se transformam na viagem de uma vida e que nos permitem criar memórias fascinantes, desconstruir preconceitos, dar valor a tudo o que temos e conhecer um estilo de vida distinto que nos ensinará muito mais do que aquilo que prevemos - sobre os outros e sobre nós próprios. O Irão não é um país para eu visitar em 2018. Ainda assim, é um país para visitar num futuro mais longínquo com a certeza de que regressarei a casa mais completa.