Thirteen

BERLIM, ALEMANHA | Jüdisches Museum

O Jüdisches Museum é, provavelmente, um dos museus mais bem conseguidos de Berlim. Não se trata apenas de uma exposição sobre um povo; este museu provoca-nos sorrisos e arrepios na pele. O Jüdisches Museum mostra-nos uma Jerusalém colorida e feliz. Entre fotografias, objetos utilizados na cultura judaica e salas que nos dão a conhecer alguns elementos tradicionais, Jerusalém é apresentada como uma cidade muito devota, onde os costumes são preservados de uma forma simples e muito intimista pelas famílias.

Porém, a meio da visita, deparamo-nos com uma sala escura onde só ouvimos algumas vozes e vemos, de vez em quando, uma luz que passa por toda a sala como se de um helicóptero se tratasse - é aqui que tudo muda. Res-o-nant simboliza a perseguição aos judeus e a destruição de tudo o que era seu. Acabaram as fotografias coloridas, os sorrisos e as bolachas em formato de moedas de ouro.

A partir dessa sala, as emoções ficam à flor da pele e os arrepios são constantes. Das estrelas às cartas, dos candelabros às fotografias, das roupas às rocas e sapatos de bebé... no Jüdisches Museum os objetos estão sempre associados a pessoas e contam histórias, fazendo-nos sentir próximos delas. Afinal, são humanos como nós que tiveram o azar de nascer noutra cidade e noutra época não tão distante assim - e isso incomoda tanto como a sala que nos dá um pequeno vislumbre do local onde essas mesmas pessoas ficavam presas, juntamente com centenas de desconhecidos, antes da deportação. Neste museu há nomes, idades, etapas - mais do que números, há memórias e partes da vida de alguém. Para finalizar, uma estrutura com milhares de rostos que parecem ser empurrados e engolidos na escuridão. Um murro no estômago.

No fim da visita ao Museu, recomendo uma passagem pelo espaço de convívio/zona de café-bar, uma sala com muita luz que dá acesso a um jardim absolutamente maravilhoso, ideal para uma pausa depois do turbilhão de emoções que sentimos nas últimas salas. Neste jardim, onde nascerá um museu dedicado aos mais novos, sentimo-nos em paz connosco mesmos e pensamos na sorte que temos por sermos quem somos e por sabermos que aquilo que vimos anteriormente não só está errado como não pode voltar a acontecer.

















O bilhete para o Jüdisches Museum custa, aproximadamente, 5€.

Mais sobre Berlim: A Estadia | 5 Dicas e Curiosidades | Schade's Restaurant | Alexanderplatz | Altes Museum | Berliner Dom | Neue Wache

3 comentários:

  1. Ler sobre essa transição entre a felicidade e os costumes e a perseguição foi como levar um murro no estômago. Portanto, imagino aquilo que sentiste quando por lá passaste.
    Se algum dia for a Berlim, será certamente um must go to!

    ResponderEliminar
  2. Parece-me uma excelente recomendação :) Obrigado!

    ResponderEliminar
  3. Uma visita que acredito que deixa uma espécie de sabor amargo, com as emoções todas à flor da pele, como referes. Ainda assim, será uma visita a fazer se um dia for a Berlim.
    As tuas publicações têm aumentado muito a minha vontade de conhecer esta cidade.

    ResponderEliminar